Reflexões sobre a vida moderna, o Big Brother virtual e o fim do anonimato

Resultado de imagem para anonimato charges

Charge do Rafa (Rafael Balbueno), Arquivo Google

André Cardoso

Aqui na Inglaterra, até por volta de 2008, era normal assistir ao aviso na TV britânica alertando a todos que evitassem jogar no lixo quaisquer papéis contendo simples dados pessoais, como endereço e telefone. Na Inglaterra não portamos documento de identidade, o que vale é a palavra. Mesmo hoje em dia, qualquer pessoa que, vasculhando meu lixo, obtenha meus dados, nome, telefone, endereço e o número da minha conta bancária, copiados de um papel de correspondência de banco que eu porventura tenha jogado fora sem destruir, poderá realizar inúmeras funções e transações sociais em meu nome, passando-se por mim nas compras, em empréstimos etc…

Foi com essa mentalidade, quando retorno ao Brasil em 2009, que me assombrei quando me perguntaram se eu queria a tal da Nota Fiscal Paulista, da qual nunca havia ouvido falar, mas fui logo me interando do que se tratava.

O Brasil havia se tornado a cobaia desse novo mundo exposto no vídeo da pizza no Youtube… https://youtu.be/RNJl9EEcsoE

CUSTO BRASIL – Pensei: – Ué? Tomam 17% de imposto no caixa para depois de um tempo ressarcir 4%, por que então não cobram logo os 13% e diminuem o Custo Brasil?

Trata-se de gerar um banco de dados, onde, informando o nosso CPF, partilhamos com sabe-se lá quem até a cor da calcinha que a esposa usa. Se conseguem incutir tal procedimento justamente no povo brasileiro, que ainda “olha e vive com pudor” como diz a música, nem imagino o que conseguirão pelo mundo afora…

Nos seis anos consecutivos longe do Brasil, de 2003 a 2009, houve uma única vez que assisti toda a população inglesa manifestando-se de forma generalizada; foi quando o governo cogitou instituir um documento de identidade (o RG, que para nós brasileiros é tão normal), e foi um escândalo nacional só o fato do gasto que teriam em tirar as fotografias para fazer os documentos…

BACK TO ENGLAND – Estou de volta á Inglaterra. Hoje em dia, ao sair de casa para colocar a lixeira na rua, tendo o telefone celular comigo, em questão de segundos todos os meus dados no telefone, criptografados ou não, são transmitidos a um sistema que controla toda a grade de informações, o chamado “Grid”, o mesmo que sabe qual interruptor de luz apertei há 3 minutos atrás, e que estou em casa, precisamente geolocado, digitando no teclado deste computador, neste instante…

Dando um salto para encurtar conversa, no contexto em que vivemos hoje, mesmo nos comentários que leio na TI, vejo o quanto vivemos agarrados aos nossos antepassados, ao vínculo das gerações, à educação recebida, vejo tantas vertentes, crenças, e neste debate sobre o poder mistura-se de tudo aos acontecimentos, Deus e religiões, teorias das conspirações etc…

APEGADOS A UM PODER – Discutimos as façanhas dos famigerados, dos notórios, procuramos lideranças, como que carentes de sumidade restauradora da ordem, quando na verdade estamos mesmo é apegados a um poder, que criou um fator social, de imperativa importância, que hoje passa desapercebido e nos torna totalmente desguarnecidos de esperança futura.

Embora celebremos, juntos na internet, nossa “liberdade” de acesso á tamanha quantidade de informação, conhecimento e sabedoria, como, por exemplo, saber que um Rockefeller bancou o movimento feminista com o intuito de agregar ao sistema metade da população mundial que não pagava imposto. O saber dos fatos, para um fim do anonimato, trouxe-nos a chegada das redes sociais, quando milhões e milhões de indivíduos, até então anônimos, foram inseridos no “Grid”.

Consequentemente popularizaram-se os dispositivos móveis, celulares, tablets, um sem-número de “gadgets”, o Wi-Fi, e para tornar viável essa agregação de milhões foi necessário aumentar muito a frequência Hertz da telefonia celular viabilizando assim os smartphones com streaming de vídeos (Youtube), o sinal de TV na palma da mão, tornar os Facebooks, Twitter e Whatssap funcionais.

RADIAÇÃO PERMANENTE – Aí o fator social que passa despercebido: somos agora uma geração que convive com campos eletromagnéticos 20 mil, 25 mil vezes mais fortes do que os humanos podem suportar. Nossos filhos e netos estão recebendo essa radiação eletromagnética desde o dia em que nasceram, e através desses dispositivos móveis onde se concentra a internet hoje em dia, seja num laptop no colo (que já nem chamam mais de laptop, óbvio), num tablet com seu enorme campo de radiação colado nos ovários das meninas e moças, um celular emitindo altíssimas frequências de radiação no crânio, ou diretamente no sêmen humano dos jovens sentados interagindo com um celular…

Infinitamente mais nocivo que aquecimento global, que todo Lula, Temer, Trump e porvires juntos…

Quaisquer tentativas de trazer a público esta realidade, as poucas pesquisas independentes que constatam esses fatos são desmoralizadas e esmagadas.

UM OUTRO PODER – Somos na realidade regidos por outro poder, do qual hoje mal damos conta em reconhecer; o poder da vida, regido por uma antena eletromagnética que denominamos de nossa espinha dorsal, que não pode com toda essa radiação de agora.

Sou do tempo da BBS do Mandic, cresci com TV em preto e branco, sempre fui avisado que ficasse bem longe da radiação da TV. Hoje nem se fala mais nisso, as TV’s LED não emitem radiação! Ledo engano, trouxemos o mal da radiação para bem mais perto, colado em nossos corpos…

Quando chegaram os computadores com internet foi o anonimato que proporcionou a grande parte dos usuários a possibilidade de conhecer, através do que era chamado “cena underground” (anônimos), algo mais que o joguinho de paciência no ambiente Windows. Naquele tempo, sim, a internet teve sua verdadeira função social de prover informação, conhecimento e sabedoria! Nem se compara à experiência online que temos agora.

VIVA O ANONIMATO – Hoje, há a ilusão de que o poder nos parece tão escancarado, temos Wikileaks, delações no Brasil etc., sabemos de tudo num flash, mas confesso que em meio a toda essa experiência social na qual estamos envolvidos, quando nos apercebemos do que realmente está acontecendo, vêm a certeza de que o anonimato foi sempre uma melhor alternativa.

Neste mundo do avesso de hoje, são os famigerados, os ilustres, os célebres, que nos enganam, estamos como insetos rodeando uma lâmpada artificial no meio da noite. Essas “celebridades” do poder atual, são eles os donos do “Grid”, que contém todas as nossas informações, nossos dados. Sabe-se lá o que irão aprontar ainda com isso.

Falta de anonimato é o fim da liberdade, e o que farão anonimamente com esse “Grid” pode significar um fim para a humanidade, como a conhecemos hoje.

6 thoughts on “Reflexões sobre a vida moderna, o Big Brother virtual e o fim do anonimato

  1. Faz tempo, logo que o celular se tornou tão necessário, escrevi uma matéria sobre o assunto para uma coluna que tinha no jornal.

    Na época, consultei uma revista americana muito conhecida no meio de engenheiros e afins (devia ser americana, estava na Língua Pátria do Tio Sam). Texto técnico, traduziram pra mim.

    Não lembro de uma linha sequer do que escrevi. Mas, como um todo, não havia sinais de pânico momentâneo na matéria, embora se falasse de como nosso cérebro poderia ser minimamente atingido.

    Hoje, os celulares não saem das nossas orelhas (uso pouco), tem gente que vive pendurada nele até por questões de trabalho.

    Quem dera fossem apenas os celulares e etcs citados a causa de preocupações com a saúde. Aqui, quase em cima da minha cabeça, há uma antena de telefone celular no prédio ao lado. Na verdade, digo isto sem conferir se ela ainda está mesmo lá. Deve estar. O contrato era longo. E o $ recebido pelo condomínio proporcionou aos condôminos a feitura de muitas obras. Um bom dinheiro.

    Ninguém fala mais nada sobre o assunto. Também conheço pouca gente com notório saber e formação no tema.

    Há que se aguardar pra ver. Não sei por que motivo, mas pensei no filme Erin Brockovich, com a Julia Roberts, e os danos que o cromo 6 (?) fez aos moradores das cercanias da empresa onde o produto era utilizado.

    Tanta coisa que a gente não sabe…

    Newton diz ser contra o anonimato, que está condenado na nossa CF.

    Eu achava melhor o tempo em que ninguém sabia nada de ninguém, todos os telefones eram pretos e tocavam tão alto que a gente ouvia tocar do outro lado da rua.

  2. SORRIA!

    NÃO VÁ FICAR, ASSUSTADO.
    MAS, VEJA, DE TODO LADO!
    ESTÁ TUDO, ASSIM, DOMINADO,
    E VOCÊ, SENDO FILMADO.

    NA RUA, NA RODOVIA,
    É PARDAL, FOTOGRAFIA.
    TEM TV NA PADARIA,
    NO BAR, NA CHURRASCARIA.

    NA LOJA, NA CONDUÇÃO,
    NO CINEMA, NA ESTAÇÃO.
    OLHANDO DESCONFIADO
    TEM VIGIA CAMUFLADO.

    NO BANCO, REPARTIÇÃO,
    PREPARADO PARA AÇÃO,
    LÁ TEM VIGILANTE ARMADO.
    NO COLDRE, DESCANSA A MÃO.

    NO PRÉDIO, NO ELEVADOR,
    NO ESCRITÓRIO DO DOUTOR,
    O OLHO QUE TUDO VÊ
    ESTÁ OLHANDO VOCÊ.

    O TRIÂNGULO TEM OLHO
    E ELE OLHA PRA VOCÊ.
    OLHA PARA TODO MUNDO,
    QUASE NINGUÉM PODE VER.

    SE APRESENTA NA TV
    COMO AMIGO, COMO IRMÃO.
    DEPOIS QUE TE CONVENCER
    É FEITOR, ALGOZ, VILÃO.

    O QUE QUER FAÇA VOCÊ,
    ELE ESTÁ OBSERVANDO.
    SEM VOCÊ SABER PORQUÊ,
    O OLHO VAI REGISTRANDO.

    SABE O QUE VOCÊ FAZ,
    SE É BOM OU MAL RAPAZ,
    SE DESDENHA OU FAZ DESFEITA,
    NA CONFISSÃO À RECEITA.

    SABE O QUANTO VOCE GASTA,
    NA LOJA OU LÁ NO BALCÃO,
    SE O SEU GANHO É POUCO OU BASTA
    PARA O GASTO NO CARTÃO.

    TEM SEUS DADOS REGISTRADOS,
    ENDEREÇO, DOCUMENTOS.
    NÃO DISCUTE ARRAZOADOS,
    DESDENHA SEUS ARGUMENTOS.

    OS SEUS CAMINHOS, VIGIA,
    DIA E NOITE, NOITE E DIA.
    VAI CONSTRUINDO, NO ESCURO,
    O GRILHÃO, FIM DA PORFIA.

    AGORA QUE NO CAMELÔ
    É LIVRE O FILME PORNÔ
    ALGUÉM VAI FILMAR VOCÊ,
    NA CAMA FAZENDO AMOR…

    SORRIA!

  3. Simplesmente estonteante o texto de André Cardoso, abordando com muita propriedade o que já batizaram, há muito, de Big Brother já multiplicado, e que cabe como uma luva na forma como foi comentado pelo Sorria ! do invisível Anunnak.
    Meus parabéns, também do pretensamente anônimo, aos dois comentaristas.
    Andrade.

    Andrade


  4. “(Pizza Plalace – Chamada recebida – a detectando o número de telefone …)
    [O telefone toca] (Detector Nacional de Identidade)

    [Operador]: Pizza Palace. Garantimos entrega em trinta minutos ou sua pizza é gratuita.
    Maria falando. Qual o seu pedido? (Carregando registro …)

    [Cliente]: Oi Maria, eu gostaria de pedir uma…

    [Operator – com base em informações da tela]: Falo com o Sr. Pedro?

    [Cliente] Âh… sim.

    [Operador] Obrigado por chamar novamente, senhor. Tenho seu RG aqui: 20.111.532, correto?

    [Cliente] Âh… sim.

    [Operador]: Obrigado, Sr. Pedro. Endereço Rua Moema 510, mas você está chamando de seu telefone celular. Você está em casa?

    [Cliente]: Eu estou saindo do trabalho, mas eu vou –

    [Operador]: Ah!, nós podemos entregar no seu escritorio. O endereço é Avenida Brasil 344, correto?

    [Cliente]: Não! Eu estou a caminho de casa. Como você sabe tudo isso?

    [Operador] Nós estamos conectados ao sistema, senhor.

    [Cliente] (suspiros) Oh, bem, eu gostaria de pedir duas pizzas de calabreza …

    [operador]: Claro. Haverá uma taxa extra de 20 Reais no pedido, senhor.

    [Cliente]: Como assim?

    [Operador]: Senhor, nosso sistema indica em seus registros médicos que você tem pressão arterial elevada e colesterol extremamente elevado.
    Felizmente, temos um acordo com seu Plano de Saúde que nos permite vender-lhe pizzas de calabreza, desde que o senhor concorde em assinar um termo

    renunciando a quaisquer as reivindicações futuras de responsabilidade.

    [Cliente]: O quê?

    [Operador]: Concorda, senhor? Você pode assinar o termo quando nós entregarmos a pizza, mas há uma taxa para processamento. O total fica em 177 Reais.

    [Cliente]: 177 Reais !!!

    [Operador]: Isso inclui a sobretaxa de entrega de 15 Reais para cobrir o risco adicional do nosso motorista transitando em uma Zona Laranja.

    [Cliente]: Eu vivo em uma zona laranja?

    [Operador]: No momento sim. Parece que houve outro roubo na Alameda Aicás ontem.
    Hmm … voce pode economizar 48 Reais encomendando o nosso Sanduíche de Broto de Alfafa. Vêm com tiras de tofú. Muito saboroso, senhor. E bom valor

    também.

    [Cliente]: Mas eu quero pizza de calabreza!

    [Operador]: Bem, tenho certeza que você pode pagar os 177 Reais então. Vejo que você acabou de comprar passagens para Miami.
    E elas não foram barato, hein? Oh, vejo também que você comprou o guia “Miami a 50 Dólares por Dia” na semana semana passada.
    Hmmm. O senhor é quem decide.

    [Cliente]: Tudo bem, tudo bem … Vou escolher o Sanduíche de Broto de Alfafa…

    [Operador]: Boa escolha senhor. Há que cuidar do peso se está indo para a praia, não é?
    Cintura 62, Uau! Cara, eu diria que broto de alfafa e tofú é, como que … necessário! ”

    [Cliente]: Quanto vai ficar?

    [Operador]: Aqui entre nós, há um cupon de 15 Reais de desconto na revista Homem em Forma deste mês.
    Sua esposa Maria assina, certo? (pausa)…
    De qualquer forma, o total fica 69 reais. Ops, parece que o senhor atingiu o limite de todos os seus cartões de crédito.
    Pagamento só em dinheiro, ok?”

    Transcrição do video no Youtube “Pedindo uma pizza no futuro” …

    https://youtu.be/RNJl9EEcsoE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *