Reflexões sobre Brasil, China e Estados Unidos

Célio Jorge Lasmar

Creio que o crescimento da China já era previsto. É natural que eles, que já foram no passado uma potência no comércio mundial, após uma era de obscurantismo estão retornando à cena, até porque são uma nação imensa, com recursos e com uma população capaz de criar um mercado interno gigantesco e com demandas externas de mesma grandeza.

É papel de cada nação procurar se firmar como potência ou pelo menos se isto não for possível devido a suas limitações encontrar a melhor forma de administrar seus recursos e suas relações com as demais, a fim de dar condições dignas de subsistência a seu povo. Portanto, cabe a cada uma buscar seu lugar ao sol e a defender seus interesses.

Acredito que o Brasil, depois de tantos anos assolado por um sistema de governo administrado por uma classe de corruptos e incompetentes, vem mudando de paradigma e tem se mostrado no caminho certo. Temos recursos imensos em todos os sentidos, capacidade como qualquer outro povo, somos praticamente um celeiro para o mundo e podemos também fazer bonito na área tecnológica, pois apesar do fraco investimento na tecnologia industrial e de defesa, temos uma boa produção de inovações em vários setores.

Quanto ao comércio com a China e outros povos, creio que é benéfico. Como já diziam os fenícios, o que é preciso e regular as relações de forma que os benefícios sejam bilaterais. Não creio que exista possibilidade de uma aliança com a China, nos termos preconizados em alguns comentários anteriores, até porque a política correta é a da diversificação com investimentos na África e países latino-americanos, apesar de alguns destes já nos estarem vendo como substitutos dos EUA como nação dominante, o que será inevitável até pelas dimensões de nossa nação.

Precisamos de um plano melhor de defesa, e de maiores investimentos em educação, criando cidadãos comprometidos com os demais de sua sociedade e com a seriedade de nossas instituições. Ou seja, precisamos ensinar nossas crianças a viver em sociedade desde seus primeiros passos, só assim acabaremos com o individualismo e conseguiremos criar uma nação melhor.

Quanto aos EUA, creio que sempre estiveram no seu papel, que é puxar a sardinha para o seu lado, o que nossos administradores nunca fizeram por serem corruptos e por não possuírem compromisso com seu próprio povo e sim com seus meros interesses pessoais.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *