Reitor desmente Bolsonaro e diz que novo ministro da Educação não tem doutorado na Argentina

Na lista de títulos de Decotelli também consta um pós-doutorado

Mateus Vargas
Estadão

O reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, Franco Bartolacci, afirmou nesta sexta-feira, dia 26, que o novo ministro da Educação do Brasil, Carlos Alberto Decotelli, não obteve o título de doutor na instituição, como consta em seu currículo. Em postagem no Twitter, Bartolacci diz ser preciso “esclarecer” a postagem feita quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro em que anunciou o substituto de Abraham Weintraub no MEC.

Na publicação, Bolsonaro menciona que Decotelli é “doutor em Administração pela Universidade de Rosario”.”Informo a nomeação do Professor Carlos Alberto Decotelli da Silva para o cargo de @MEC_Comunicacao . Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, Mestre pela FGV, Doutor pela Universidade de Rosário, Argentina e Pós-Doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha”, postou o presidente.

CONTROVÉRSIA – Na lista de títulos de Decotelli também consta um pós-doutorado pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha, o que só seria possível com o doutorado anterior. Procurado, o MEC ainda não se manifestou.

Não é a primeira vez que uma autoridade tem o currículo contestado. Em 2009, a então ministra da Casa Civil Dilma Rousseff precisou corrigir informações de que havia feito doutorado na Universidade de Campinas (Unicamp). Ela havia feito apenas algumas disciplinas, sem ter chegado ao fim do curso.

No ano passado, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, também precisou se explicar porque incluiu um doutorado em Ciência Política na Universidade Federal Fluminense (UFF), com um período de intercâmbio em Harvard, nos Estados Unidos. Witzel, no entanto, nunca cursou a universidade americana. Após os questionamentos, Witzel afirmou que incluiu a menção a Harvard no currículo porque tinha a intenção de estudar lá.

39 thoughts on “Reitor desmente Bolsonaro e diz que novo ministro da Educação não tem doutorado na Argentina

    • Sem doutorado, como atingir o grau de pós-doutor?
      E tem mais: já se diz que a dissertação de mestrado na FGV plagiou um relatório técnico de uma entidade gaúcha, sem nem mesmo citá-lo.
      E ainda mais: há a licitação cancelada por absurda, quando ele presidiu o Fundeb. Um exemplo sempre lembrado é que uma escola de Minas, com 255 alunos, receberia 30 mil computadores.

    • Bolsonaro é como luiz Inácio pois acredita em qualquer mero leto com tanto que lhe pareça vantajoso.
      Embarcou em mais uma canoa furada, e quando teve um barco bom como o juiz Moro tratou de torpedea-lo pois não sabe navegar, nem em mar calmo porque é marinheiro de primeira viagem , e pior, arrogante.
      Vai dar novamente com os burros n’agua e quando passar a faixa a Moro lembrará das suas famigeradas lambança.
      O homem não serve para nada, e ainda para piorar, é flamenguista.
      Nosso ele conseguiu vencer Luiz Inácio que antes era vascaíno, mas como nunca entendeu a grandeza do Clube de Regatas Vasco da Gama , foi ser corintiano e fazer estádio e agora está enrolado na justiça para explicar a sua maracutaia.
      Ser Vascaíno é outra coisa , é reconhecer a história do único clube do mundo que tem símbolo e une duas pátrias irmãs.
      É nascer homenageando e ser o único que deu 10 atletas para a maior seleção de todos os tempos e só perdeu porque não estava com o uniforme do Vasco.
      Vestiu a Cruz de Malta e derrotou os uruguaios por 5a 0.

  1. Um negro com sobrenome italiano?
    Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
    III – criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.
    -Embora eu soubesse estar batendo de frente com o Disposto Constitucional acima, quando fui servidor publico, nos três níveis federativos, sempre que pessoas descendentes de italiano precisassem dos meus préstimos, eu as tratava diferente das demais. Apenas o sobrenome Costa me gerava perplexidade; pois este se inclui tanto na onomástica itálica quanto na brasileira.
    Embasado, nos anais da história do Brasil, se não fossem os imigrantes italianos, não estaríamos a ver navios, mas caravelas. Cerca de 30% dos genes deles temperam o caldo tupiniquim; só em Espírito Santo esse percentual sobe para 68%.
    Graças a essas relíquias, remanescentes do Império Romano, em média, somos menos: preguiçosos, feios, atrasados, menos burros……A propósito, nos testes de QI, dos últimos anos, os únicos ocidentais que conseguem aproximar-se dos orientais de Zoinhos Puxados são eles, Gli Italiani.
    O simétrico e o assimétrico se cruzaram com Moro X Bolsonaro: ambos têm os pés na “Bota”: um para trilhar o caminho da Justiça; o outro para dar pontapés!

  2. Tudo deve ser explicado, comprovado!
    Ou será mais um caso como a da ex-presidente Dilma e seu mestrado/doutorado em Ciências Econômicas. “Foi aluna e concluiu os créditos!
    Parece que o caso é bem semelhante.
    O que tem de currículos “engordados” no mundo atual, é algo inimaginável!
    Ao ministro, o direito de esclarecimentos!
    Fallavena

  3. “Carlos Alberto Decotelli editou o seu currículo Lattes após o reitor da Universidade de Rosario, Franco Bartolacci, revelar a O Antagonista que ele foi reprovado no exame de qualificação pela banca de doutorado em administração.

    Na mudança, Decotelli retirou o título de sua tese “Gestão de Riscos na Modelagem dos Preços da Soja” e o nome do orientador, Antonio de Araujo Freitas Jr.

    No lugar, o novo ministro da Educação deixou apenas “créditos concluídos” e “ano de obtenção: 2009”. Sobre o orientador, Decotelli informa agora: “Sem defesa de tese”. (O Antagonista)

    Como sempre, a farsa impera nesse governo.

    • Sebastião Barros
      Reconheceu o erro. Corrigiu. Isto é importante, mas não apagará jamais o que fez!
      Quanto a “Como sempre, a farsa impera nesse governo.” entendo ser um excesso!
      Nem tudo do atual governo é falso, assim como em outros governos a mentira também esteve presente, e como!
      Fallavena

      • Sim, com certeza, em outros governos também houve farsa.

        No entanto, Fallavena, temos que julgar o que se apresenta no momento, que é o governo Bolsonaro. Discutir o passado seria inócuo.

        Olhar para os governos passados em nada diminuirá a farsa desse governo.

        Vemos um presidente que é incompetente até para escolher seus ministros.

        O presidente que aí está nunca pensou em ser correto, haja vista sua vida política pretérita e a de seus filhos. Com certeza, sem medo errar, esses erros de seu filho era de conhecimento do presidente.

        Portanto, se sabia, e também fazia, é uma farsa diante do discurso de “acabar com a velha politica”.

        • Sebastião Barros
          Discurso, promessas e compromissos, TODOS FIZERAM e poucos foram cumpriram.
          FHC, Lula e Dilma também mentiram e tiveram mandatos renovados. Isto são erros imperdoável do eleitor!
          Bolsonaro, continuando assim, não pode ter mandato renovado! Já será uma certo do eleitorado.
          Fallavena

  4. O Brasil ainda continua medieval. Vejam: Elon Musk tem 48 anos, e uma fortuna equivalente a 110 bilhões de reais; foi um dos fundadores da Paypal, fundador da Tesla, da SpaceX e da maior fábrica de baterias modernas do mundo. Ele é engenheiro. Só isso, mas é bom profissional e realizador.
    Einstein já era famoso quando foi convencido a escrever uma tese de doutoramento. Da Vinci não era doutor, nem Chopin nem Cortot. Mas no Brasil advogado é chamado de doutor!
    Por isso, quando essa tema volta á baila me lembro de um pensamento de Einstein:
    “Two things are infinite: the universe and human stupidity; and I’m not sure about the universe.”

  5. Reconhecimento de erro sempre será louvável, por quem quer que seja.

    Para o caso concreto, desde que fosse um erro involuntário, sem a intenção de enganar.

    Se ninguém pesquisasse sua vida ele teria a mesma atitude ou ficaria em silêncio deixando que outros o chamassem de “doutor”?

    Essa de reconhecer o erro é conversa pra boi dormir. Pela idade que tem fazer uma coisa dessa é extremamente reprovável.

    • E digo mais, pela vergonha que passou deveria recusar a nomeação de ministro.

      Mas não fará, pois a maquiagem em seu currículo foi intencional para ganhar esse cargo ou outro cargo público.

      Se maculou seu currículo PUBLICAMENTE, imaginemos o que poderá fazer como ministro.

      Vergonhoso!

      • Sebastião Barros
        Julgar o erro, estamos certos. Tentar adivinhar o que fará, é chute! É pré-julgar. Uma oportunidade devemos dar!
        Fallavena

  6. Quê País é esse de embusteiros.

    Vejamos: Sr. Bolsonaro, mistifica o nome nos exames laboratóriais e entre outros.

    Sr.Weintraub,se “lambuza”no meio e na saída.

    Sr. Decotelli,se “lambuza”na entrada, versão FNDE,com o filme
    o contrabandista de idéias.

    PS: O prentenso diálogo com os reitores não passará di BAZÓFIA.
    A bem do serviço público, não deve ASSUMIR, pois virará chacota nos meios acadêmicos.

    • Luiz Fernando Souza/Poa-RS
      A base de nossa sociedade é safada, sem educação, sem princípios e sem moral e ética!
      O que temos de encontrar é uma maneira de eliminar a decisão/interferência deles!
      É possível, temos como fazer? Ideias, precisamos de ideias, organização e ações!
      Sem isto, dou a maior e mais simples delas: trocar o povo que não serve, tirar-lhes o direito (doado) de decidir!
      Fallavena

      • Nesta última quarta-feira, vinha de deixar mantimentos a um filho que tenho com uma senhorita. Só há um acesso para entrada e saída da comunidade. Quando retornava, a via estava interrompido: um sujeito parou um caminhão 3/4, para descarregar areia e havia um micro-ônibus paralelo ao carro. Eu e outros idiotas tentando furar o bloqueio.
        Naquele momento, um ancião se aproximou de mim e falou: “No Brasi, non é guverno que non presta, mas são os cristão (o povo)!” Levantou o chapéu da cabeça e completou: “: Estes cabelo tá branco é só de rodar mundo!”

    • Tomando carona, no comentário do Prof. Fallavena, eu costumo dizer que o nosso rebanho de bodes-expiatórios supera os de bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos e suínos (varas). Não sejamos caras de pau! Somos bandidos e safados natos! Uns conseguem se autorreprimir; outros não! E ainda há aquela parcela astuta, a qual leva a vida todo se esquivando do flagrante. Vivemos sempre â busca de um culpado pelas nossas vicissitudes.
      Quem se recusar a ver esta verdade axiomática: ou tem uma vida provinciana, possui discernimento parco; ou evita o tema, para que não tenha a sua conduta obscura também exposta.

  7. É tanta asneira para justificar a atitude reprovável do “doutor” que nunca foi doutor que eu até fico pensando.

    Será que vale à pena emitir opinião a respeito dessa mentira? Acho que não. Melhor não, né.

    O homem reconheceu(?) seu erro e curriculo pouco importa. O que importa é que, ao “refazer seu curriculo” passou a ter uma reputação ilibada.

    Pois é: “Vai que cola!”

  8. Sr. vicente limongi netto,

    Na cultura brasileira, a Lei de Gérson é um princípio em que determinada pessoa ou empresa obtém vantagens de forma indiscriminada, sem se importar com questões éticas ou morais.

    Portanto, nada tenho contra o canhotinha de ouro, que merece todo meu respeito.

    Mas, não sejamos hipócritas, essa “lei” existe, e está na boca do povo.
    Minto?

    Despeço-me cordialmente.

  9. E a ministra Damares Alves (hein?)
    Sempre quando apresentada nad igrejas como doutora e mestra ficava se sentindo poderosa. Mas nunca desmentia. Deixava rolar…

    Segundo ela, o doutora era de doutora adevogada…

    Mestre em educação, explicou:

    “nas igrejas cristãs é chamado mestre todo aquele que é dedicado ao ensino bíblico”

    É um governo picareta esse(!)
    Rsrsrs

  10. O novo ministro da Educação deve ter colado muito nas provas quando frequentou a escola nos ensinos Fundamental e Médio e na Faculdade.

    Afora essa área estar sendo muito maltratada pelos responsáveis ao longo do tempo, Decotelli entendeu que ampliar o seu Currículum Vitae lhe acarretaria bons convites para um cargo elevado porque não se deu conta que, tal expediente mal educado, grosseiro e antiético, seria facilmente verificável se verdade ou não os cursos que registra realizados.

    Certamente nem na Argentina e, menos ainda, na Alemanha, seus doutorados foram cursados.
    Resta saber se o seu diploma de curso superior não foi pela Internet ou, como havia nos velhos tempos, pelo Correio!

    O que mais me surpreendeu, confesso, foi saber que é militar reformado da nossa gloriosa Marinha (definitivamente não se fazem mais militares como antigamente).
    Um dia, quem sabe, saberemos as razões pelas quais a Educação tem sido tão menosprezada no Brasil!

    A incompetência sempre reinou neste ministério e, nesse momento, um ministro que não fez os cursos que alega ter frequentado, ocupa o posto onde a ética é fundamental para a função de professor ou condutor dos rumos da Educação, inclusive para qualquer servidor público – aliás, para todos nós!

    Resta saber se o comportamento do novo ministro será adotado pelos alunos ou os diplomas deverão ser todos, indistintamente, acompanhados de Certidões de Legitimidade emitidos, naturalmente, pelas Universidades onde os aperfeiçoamentos, aprimoramentos e cursos de extensão foram realizados.

    Mais ou menos como o nosso Título de Eleitor que não serve para nada, SEQUER PARA SE PODER VOTAR!
    Pois assim serão os diplomas, desnecessários, mas fundamentais as certidões especiais que me referi ou não serão mais aceitos.

    Mais um fiasco de Bolsonaro ou outra indicação política mal intencionada, que seus assessores deixaram passar!

    • Assino.

      Caro Chicão, tava sumido.
      Bom ter você como reforço inquestionável aqui na TI.
      Você contribui sempre de forma magistral.
      O mais triste, é que tem gente que não vai aprender nunca.
      O pior cego é aquele que não quer enxergar.

      Teremos dias cada vez mais tenebrosos e, milicianos.
      Os fatos estão aí sobre a mesa.
      O brasil inteiro já se deu conta.
      Viramos uma imensa RIO DAS PEDRAS.
      Simplesmente assustador!
      Um forte abraço e muita saúde pra aturar toda esta doença.

      • Espectro, meu amigo,

        Obrigado pelo comentário.

        Não sei até onde vamos desse jeito, mas não será um destino dos bons, pelo contrário.

        Jamais vi o nosso país tão complicado como agora.
        Nada dá certo, nada se ajeita, nada se planeja, nada como objetivo a ser alcançado.
        A política, deletéria e deplorável, comanda a nação e os poderes constituídos.

        Quanto ao povo, cada vez pior.
        Não bastasse esse caos interminável, ainda fomos invadidos pela pandemia do COVID-19, que deixará o Brasil em situação calamitosa.
        Não haverá homens neste governo com a coragem necessária de reconstruir esta nação, a verdade é esta, por mais dolorosa que seja.

        E, observa, Espectro, o país tem avisado há muito tempo que chegaria ao seu limite!
        Nossos governantes se fizeram de surdos, cegos e mudos ou preferes que eu os acuse de canalhas?

        A distância social entre o parlamento e o judiciário para com o povo, roubam deste a chance de futuro, de desenvolvimento, de progresso.
        Nada poderá ser construído com tantas injustiças sociais e desnivelamentos culturais e comportamentais, principalmente com a impunidade blindando os crimes de autoridades pertencentes a esses dois poderes.

        Muito menos, com o aumento brutal da miséria e da pobreza que registramos.

        Um abração.
        Saúde e paz.
        Te cuida, meu!

  11. Existe, infelizmente, mas não deveria estar. O povo não precisa, necessariamente, seguir uma lei absurda que tenta enxovalhar a honra e a vida de Gerson, fantástico ser humano e chefe de família. Não pode nem merece ser lembrado por um anúncio de cigarro que fez há décadas. Só mesmo no Brasil, país de idiotas e adeptos de canalhices e covardias.

    • Concordo plenamente com o Sr.
      O canhotinha não merece.
      Virou quase um ditado popular, o cracasso não merecia isto do jocoso povo brasileiro.
      Como levamos tudo na brincadeira, sobrou pro astro, que aliás sou fã dele.
      Cordialmente.

    • Crise Moral – eu disse Moral com “M” em maiúsculo
      Nem Decotelli, nem Weintraub
      Nem Damares
      Nem Salles
      Nem Guedes
      Nem qualquer outro.

  12. Importa sim, tanto que o apresentou para ser ministro.
    Errou feio de saída, e deveria pedir demissão já porque daqui para frente não tem mais moral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *