Relator no STJ vota para Pimentel virar réu, mas continuar no governo

Resultado de imagem para fernando pimentel

As são abundantes, mas as leis protegem Pimentel

Felipe Pontes
Agência Brasil

O ministro Herman Benjamin votou nesta quarta-feira (29) pelo recebimento de uma das denúncias que tramitam no Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, na qual ele é acusado de corrupção passiva. Relator de todos os casos envolvendo Pimentel no STJ, Benjamin votou, no entanto, para que o governador não seja afastado do cargo, mesmo se venha a se tornar réu na Corte Superior.

“Entendo descabido, por se tratarem de fatos ocorridos antes de ele assumir o mandato de governador”, disse Benjamin, acrescentando que não existe “nenhum ato do denunciado Fernando Pimentel que vise obstruir, ou criar entrave à investigação criminal”.

O julgamento, realizado na Corte Especial do STJ, foi interrompido com o placar de 2 x 0 após pedido de vista do ministro Og Fernandes. Acompanhou integralmente o relator o ministro Jorge Mussi. É preciso uma maioria simples para confirmar o voto de Benjamin, ou seja, a concordância de mais da metade dos 15 ministros que compõem o colegiado.

OUTROS RÉUS – Benjamin votou para que outras cinco pessoas também se tornem rés no processo: Pedro Medeiros, apontado como mula de propina; Eduardo Serrano, ex-chefe de gabinete de Pimentel; Benedito Oliveira, empresário acusado de ser intermediário do governador; e os ex-executivos da empresa Odebrecht João Nogueira e Marcelo Odebrecht.

Nessa denúncia, desdobramento da operação Acrônimo e apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) em novembro do ano passado, Pimentel foi acusado de beneficiar a empresa Odebrecht em processos na Câmara de Comércio Exterior (Camex), entre 2011 e 2014, quando o petista era ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio e presidia o órgão.

Um dos processos diz respeito à aprovação de seguro de crédito para cobrir um financiamento de R$1,5 bilhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o soterramento de uma ferrovia na Argentina, obra realizada pela Odebrecht. Outro processo refere-se à aprovação de um financiamento para obras de transporte público em Moçambique.

PROPINA – Segundo a denúncia, em troca de benefícios à empresa, Pimentel combinou o recebimento de R$ 15 milhões em espécie a título de propina e o acerto, delatado por Marcelo Odebrecht e João Nogueira, ambos ex-executivos da Odebrecht, foi intermediado por Benedito Oliveira, o Bené, empresário apontado como forte aliado do então ministro.

“Houve um ajuste para o pagamento dos valores em espécie segundo um cronograma e uma logística estruturada pela empresa”, afirmou o vice-procurador-geral da República Luciano Mariz Maia.

Para o advogado do governador, Eugênio Pacelli, as investigações conduzidas pela Polícia Federal (PF) na Operação Acrônimo demonstram clara motivação política. “O alvo sempre foi Pimentel.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
As provas contra Pimentel são abundantes. No entanto, a legislação brasileira protege os criminosos que ostentam mandatos. Os crimes foram anteriores e, por isso, Pimentel não pode ser afastado do atual mandato, conforme assinalou o relator no STJ. E la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

4 thoughts on “Relator no STJ vota para Pimentel virar réu, mas continuar no governo

  1. Num esforço para desqualificar Lula, jornal o Globo revela 13 dados que confirmam os avanços do Brasil no período petista:

    1) o salário mínimo teve aumento real de 72% nesse período;

    2) o investimento público em educação passou de 4,8% para 6,4% do PIB;

    3) o Prouni levou mais de 1,5 milhão de jovens à universidade;

    4) a quantidade de brasileiros viajando de avião passou de 37 milhões por ano, para 113 milhões por ano;

    5) a produção de automóveis no país dobrou para 3,7 milhões/ano;

    6) o fluxo de comércio externo passou de US$ 107 bilhões para US$ 482 bilhões por ano;

    7) o PIB per capita saltou de US$ 2,8 mil para US$ 11,7 mil;

    8) a população com conta bancária passou de 70 milhões para 125 milhões;

    9) as reservas internacionais do país, de US$ 380 bilhões, correspondem a 18 meses de importações, o que fortalece o Brasil num mundo em crise;

    10) ao longo da crise mundial o Brasil fez superávit fiscal de 2,58% ao ano, média que nenhum país do G-20 alcançou;

    11) os financiamentos do BNDES para a empresas têm inadimplência zero;

    12) a dívida pública bruta do país, ao longo da crise, está estabilizada em torno de 57% (embora o jornal discorde desse fato)

    13) há 10 anos consecutivos a inflação está dentro das metas estabelecidas pelo governo

    https://goo.gl/LF9NLn

    • Sr. Alex,
      Faltou o: 14) Nos levou ao mais alto do pódio da roubalheira na história da humanidade. Um feito que JAMAIS será batido por nenhum outro mandatário do Planeta!
      Quanto orgulho!
      Viva! Viva!
      Atenciosamente.

  2. 15) A família toda se tornou milionária, isto incluindo o referido, que esta com milhões bloqueados.
    Na coluna de hoje do Claudio Humberto, diz que o lula afirmar ter renda de 50 mil mensais e que nestas proporções, deveria passar 27 anos guardando todo o dinheiro, para juntar os 16 milhões bloqueados.
    Sera que nunca vão perguntar a ele, como ficou rico? Ou ganhou na loteria.
    O governo dele era o do Mateus. Primeiro os meus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *