Religiões em mutação: da constatação à interpretação e à contestação

1

José Reis Chaves

As religiões têm que se adaptar à mentalidade das pessoas do terceiro milênio. As ideias teológicas de hoje não podem mais ser as mesmas do passado, pois a evolução cultural torna superados os conceitos antigos de Deus, e mesmo porque alguns deles foram impostos a ferro e fogo, e não pelo bom senso, a lógica e a razão. Daí os conflitos e a separação que surgiram entre a ciência e as religiões.

Os cientistas diziam que a ciência cuidava do estudo da matéria, e que as religiões e os teólogos cuidavam do espírito. Foi Kardec que deu o primeiro passo para acabar com essa divisão entre a ciência e as religiões. Cientista que era, interessou-se por estudar os fenômenos que envolvem espíritos, que, com exceção dos espíritas, são denominados errada e supersticiosamente de sobrenaturais.

O espiritismo prega uma imortalidade dinâmica dos espíritos que, exatamente por serem imortais, se comunicam conosco. Já o cristianismo tradicional, de mãos dadas com o materialismo, age como se enterrasse não só os corpos dos que morrem, mas também os seus espíritos, pois têm horror por esse assunto! Mas eles só saem do corpo que volta ao seu pó (Gêneses 3: 19; e Eclesiastes 12:7). A Bíblia e as outras escrituras sagradas ensinam a realidade da comunicação dos espíritos dos mortos com os vivos. E se Moisés, não Deus, em Deuteronômio capítulo 18, proíbe o contato com os espíritos dos mortos, é porque tal contato existe mesmo, ou Moisés era doido de proibir o que não existe?

PROIBIÇÃO

Essa sua proibição se deve ao fato de as pessoas do seu tempo, de um modo geral, não estarem preparadas para a prática da mediunidade, ou faziam comércio com ela. E o próprio espiritismo recomenda, hoje, que não se pratique a mediunidade sem um conhecimento profundo do assunto.

Mas Moisés até elogia os profetas (a partir de Kardec, se diz médiuns) Medade e Heldade, os quais estavam recebendo espíritos que profetizavam através deles (Números 11: 24 a 30). Diz a Bíblia (Eclesiástico 46: 20) que Samuel profetizou até depois de morto, ou seja, já desencarnado! E Jesus e os médiuns ostensivos ou especiais Pedro, João e Tiago receberam a comunicação de Elias e Moisés que tinham vivido, já havia séculos, aqui na Terra. São Paulo nos mostra também essa prática da mediunidade: “Ó Deus, Senhor da glória, enviai-nos um espírito de sabedoria” (Efésios 1: 17). Prezados leitores, confiram esse assunto, também, nos capítulos 12, 13 e 14 de 1 Coríntios.

Mas os padres e, mais tarde, os pastores, usurparam o lugar dos médiuns, endemoninhando-os, perseguindo-os, anatematizando-os, e até os condenando à morte. É que esses dirigentes religiosos queriam e querem ser os maiorais perante as suas comunidades!

EM MUTAÇÃO

As religiões, no terceiro milênio, estão em mutação, pois as pessoas de hoje, cada vez mais, querem, como se diz, o preto no branco. Elas querem constatar o que é mesmo a sua crença, interpretando-a bem, e não raro, passam a contestá-la e a adotar outras crenças mais racionais.

E assim é que, hoje, muitas pessoas não se contentam com uma só religião, o que, aliás, é até bom!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Religiões em mutação: da constatação à interpretação e à contestação

  1. É evidente que o Sr. não entende nada de religião, mas isso não significa que o Sr. esteja livre de cair em um dos 136 INFERNOS listados no SUTRA NINNO. A verdade existe independente da idiotice e ignorância dos humanos. O Sábio, o BUDA afirmou “AQUELE QUE SABE QUE SABE É UM SÁBIO(UM BUDA); aquele que sabe que não sabe É UM SÁBIO; AQUELE QUE PENSA QUE SABE É UM TOLO”. Leia o meu BLOG: e entenda que só existe uma religião verdadeira. Deus ou os trilhões de deuses, só por ser deuses, já não estão no topo da iluminação. Vocês terão que sofrer muito, ainda, enfrentando a Lei do Karma.

  2. Belo texto! Na qualidade de estudioso e pesquisador da Filosofia Búdica, com todo o respeito, discordo do Francisco. Procurei o sáite dele e não encontrei. Achei que estava brincando , deve ser um pândego. O Pensamento Búdico é plural… em vez de Cristianismo… com o tal “ismo” proponho Evangeliania = Cidadania do Evangelho.

  3. O QUE SÃO AS RELIGIÕES?

    As religiões não irão mudar somente porque chegamos ao Terceiro Milênio, se a religião-vértice não mudou com a descoberta de Galileo Galilei,no Segundo Milênio.

    Continuou ‘pregando’ que a Terra é quadrada e parada. O Sol que continue a girar em torno da Terra, como as mariposas continuam seu giro noturno em torno de qualquer lamparina.

    Sendo as religiões empresas multinacionais que exploram o Comércio Religioso Mundial, pra que mudar se estão, cada vez mais, faturando tubos.

    E se vêm multiplicando. Somente os EUA sediam 163 empresas religiosas (conhecemos os nomes de um monte delas), havendo 8 versões de bíblia, a gosto dos fregueses.

    É só comprar a franquia, receber a bíblia-versão e a autorização para “falar em nome de deus”.

    Pode começar com uma ‘birosca’ religiosa, iniciando a atração das mariposas-biatas. É dinheiro certo, o suficiente para evoluir para um ‘templo’… Com mais um pouco já está disputando posições nos governos…

    NÃO FOSSEM OS INGÊNUOS O QUE SERIA DOS ESPERTOS?

  4. A medicina as religiões e o capital: o brasileiro demorou a entender os custos dos produtos, essa relação custo benefício torna-se invisível pq nós aplicamos no mercado uma mistura de capitalismo e socialismo. Essa questão vem de longe, as nossas constituições, apresentam em suas demandas a educação obrigatória grátis; os puníveis criminais, recebem casa, comida e roupa lavada sem nenhum esforço físico. Essa conta por mais rico que seja o país, ia ser apresentada a sua população, a nossa última constituição, assumiu de vez os diversos serviços, saúde, educação e segurança, foram apresentados aos olhos da população como dever do Estado e se não bastasse esses equívocos, também passamos a pagar a alimentação. Com todos esses custos em cima da viúva os netinhos foram às ruas. Já podiam ter seus carros nas portas das faculdades, não é politicamente correto, ostentação. Passados dois meses do bloco na rua, onde meus rebentos poderão trabalhar, com todas aas parafernálias própria da profissão de médico, os novos estudantes de medicina já estão chegando, são silvas, esses sabem que só estudando muito conquistarão espaços.
    Mas os serviços médicos são de urgência e não poderão esperar, e o sistema capitalista que tem como base as seguintes premissas: produto, lucro e consumo, logo os médicos que são o produto final estarão onde o consumo exista, o lucro seja o maior possível, e obviamente, como precisamos forma médicos, e isso precisa de tempo, buscamos as melhores soluções do mercado. Poderemos discutir qualidade; poderemos discutir quantidade; poderemos discutir salários e chegaremos a uma conclusão, erramos e precisamos mexer na nossa constituição. Alimentação, saúde, educação e segurança, vamos ter que pagar.
    Uma das soluções possíveis seria o ensino de IOGA em todos os currículos, o povo passaria a conhecer a sí próprio e talvez possa sofrer menos nas mãos dos grupos religiosos que tem como comércio a sua sustentação.

  5. A presença de Deus está em tudo. Nas leis da natureza e em cada canto do universo. Não há nada que por Deus não tenha sido criado.

    Nós, terráqueos, ainda somos muito atrasados, moralmente e intelectualmente. Nosso planeta é um mundo de provas e expiações, situado apenas no segundo grau de evolução da escala que classifica os mundos. Mas já estamos numa transição para o terceiro grau, chamado de mundo de regeneração.

    Porém, em nosso atrasado estágio atual, ainda temos as divisões de religiões, com as quais procuramos chegar a Deus.

    Mas a medida em que formos evoluindo, os “muros” separando religiões serão gradativamente derrubados.

    Pois para Deus é fundamental que sejamos cada vez mais irmãos, no mais amplo sentido da palavra. Sem divisões religiosas, sem a necessidade de sacerdotes, sem rituais exteriores, sem privilegiados ou “agraciados”, sem idéias esdrúxulas de demônios ou de infernos, e com o predomínio do bem sobre o mal.

    Evoluiremos, obviamente. Pois tudo evolui dentro da maravilhosa obra de Deus.

    Eu não acredito na reencarnação. Pois quem acredita hoje deixa de acreditar amanhã! Eu SEI que a reencarnação é uma LEI UNIVERSAL! E quem sabe algo nunca mais deixa de saber! Eis a diferença!

    A reencarnação explica – de forma incontestável – a evolução do espírito humano e de todos os mundos habitados.

    Aos que duvidam da lei da reencarnação, eu apenas informo que eles também estão reencarnados agora, e que reencarnarão inúmeras vezes mais. Mas que isso só os fará cada vez melhores, cada vez mais evoluídos, cada vez mais bondosos, e portanto cada vez mais próximos de Deus, pai de todos nós.

    “Há muitas moradas na Casa de Meu Pai”. (João, 14:2)

  6. Pode ser que as religiões devam se adaptar à mentalidade das pessoas do terceiro milênio (destaque-se, contudo, que o discipulado de Jesus Cristo é outra coisa!). Afinal, hoje somos mais sábios, não é mesmo? Temos maior capacidade para a convivência familiar, para a educação de nossas crianças, para a orientação aos jovens, para o respeito aos anciãos… Ou será se a dita evolução cultural nos tem afundado em nosso egoísmo, numa sociedade injusta, emburrecida, brutal, materialista, impiedosa, e logo, infeliz totalmente?
    No caso da Bíblia, para a disciplina de um povo definido, “ferro e fogo” foram necessários no Antigo Testamento (afinal, não há filho a quem o bom pai não discipline – esta era a regra). Mas a lógica e a razão atuais nos têm feito “cada um por si e que os outros se danem…”
    Nunca houve diversidade entre a ciência e a revelação divina quando verdadeiramente compreendidos. Mas a revelação de Deus está voltada ao homem e não à ciência. O Espiritismo é a doutrina que tem medo de crer nas Escrituras tão-somente, e fica se escorando na ciência dos homens. E Kardec estudou fenômenos espirituais mas ousam-se hoje colocá-lo acima dos ensinos do próprio Jesus Cristo, sob o título de “nova revelação”.
    O texto bíblico é amplo e objetiva a Jesus Cristo, e nunca envolve um só indivíduo mas várias dezenas deles (patriarcas, profetas, reis, sacerdotes, líderes – das mais diversas classes sociais e culturais – além do próprio povo); ele está todo entrelaçado entre si mesmo, e ao longo de bem mais do que um milênio de revelação escrita, nunca modificada-adaptada; mas, até onde sei, a estrutura doutrinária “kardeckiana” se fundamenta nele, e apenas nele… A doutrina de Kardec é de Kardec, e pronto!… (Notou a diferença??)
    Que há comunicação desde a terra com espíritos é fora de dúvida, todavia, estamos proibidos de realizá-la (e nem precisamos disto, absolutamente!) E nesta prática, facilmente podemos ser enganados e sujeitos a manipulação. E se tivesse que ser assim, Jesus Cristo no-lo teria ensinado a respeito. Quando ele se dirigiu a algum morto, foi para trazê-lo de volta (e por amor e “pena” dos vivos!). A cena com Moisés e Elias foi sem invocação. E para o apóstolo Paulo, qualquer nova revelação à parte das Escrituras deveria ser considerada uma maldição. Mas, creia quem quiser crer! Só que prevalece a autoridade paulina. Ou, por outro lado, conclusões a que se pretende chegar com experiências espirituais podem ser inteiramente equivocadas! (ou não??!!!), em razão de sua própria natureza.
    É fato que cristãos, infelizmente, muitas vezes estão de mãos dadas com o materialismo (mas não é este o espírito do Cristianismo – entenda-se bem aqui: o significado do Cristianismo!). Mas, (como diria o “doutor Spock” do seriado ‘Jornada nas Estrelas’), é “f-a-s-c-i-n-a-n-t-e” como se quer induzir, no texto em questão, uma coisa que não é absolutamente verdade. Quem sempre teve horror ao assunto MORTE nunca foram os verdadeiros cristãos. E nem colocamos “panos quentes” ou adotamos dissimulações acerca do assunto (e este é o testemunho de quem há mais de meio século participa de funerais de cristãos que cantam com solene reverência sua firme e consoladora esperança na Revelação do tempo que virá na ressurreição dos mortos por meio de Cristo para o Seu reino eterno, firmada nas Escrituras). Buscar-se explicação para tudo sem o cuidado de se examinar os fundamentos é uma forma de se fugir ao assunto. A Bíblia nunca se propõe a responder a tudo. Só ao necessário (veja Deut.29:29).
    O ilustre articulista diz que Samuel profetizou até depois de morto. Mas faltou-lhe a lembrança de ter dito também que esta foi uma das razões por que Saul morreu, isto é, por ter consultado a um morto! (I Cron.10:13-14).
    Por que vou acreditar no argumento de que na Antiguidade pessoas não estavam preparadas para a questão da mediunidade, já que este assunto é quase tão antigo quanto o homem? O que há é, sim, proibição bíblica. E é uma prática que permite facilmente o engano, visto ser algo não r-e-a-l-m-e-n-t-e constatável ou comprovável em sua fonte de manifestação. Em contrapartida, a Bíblia é um texto objetivamente escrito, e logo, acessível a quem quiser; e a interpretação de cada texto feita de acordo com o seu contexto sempre evita muitas mazelas…, e ainda sem o risco de manipulações pretensamente mediúnicas…
    E afinal, por que eu trocaria a revelação histórico-bíblica pelos ensinos de um homem, que vem confrontar todo o arcabouço do Antigo e Novo Testamento, e logo, do que antes fora declarado, inclusive do próprio Senhor Jesus Cristo?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *