Renan e Eduardo Alves fugiram no 7 de setembro. Hoje pode terminar o julgamento do mensalão. Ou começar um outro, paralelo. O povo não foi às ruas, quanta ausência e desesperança. 7 de Setembro sem Tiradentes. Depoimento imperdível de Jorge Béja. Dona Dilma tem que repudiar Obama, mostrar a revolta do país inteiro.

Helio Fernandes

Dona Dilma aproveitou muito bem a quebra de “privacidade” comprometendo o Brasil. Reagiu como devia, colocou o presidente Obama na defensiva. Ele está perplexo e sem saber, não esperava que a senhora fosse tão ofensiva.

Não houve o menor exagero, o Brasil deixou claro que não convive com a arrogância, não estimula a subserviência, mas não admite a prepotência, seja de quem for.

Isso ficou magnificamente colocado, aqui dentro (que faturamento eleitoral, Dona Dilma), nos EUA e diante do mundo.

Mas agora tem que voltar ao dia-a-dia. Não pode declarar GUERRA aos EUA, nem romper relações comerciais com o maior parceiro do país. Já firmou posição de independência, quem  sabe adiar a viagem para novembro ou dezembro, deixando Obama angustiado? E que ele saiba: o país ficou perplexo com a quebra de “privacidade”. Mas considerou mais grave e revoltante a explicação mentirosa, aviltante e desprezível.

OBAMA NÃO ATINGIRÁ A PETROBRAS,
A EMPRESA SÓ PODE SER ATINGIDA
PELA CORRUPÇÃO, CADA VEZ MAIOR

Nada atinge ou atingirá a Petrobras. E muito menos as manobras ou movimentações do presidente dos EUA. Os escândalos internos e externos que envolvem a empresa, inacreditáveis. E a senhora, que antes de chegar ao Poder condenava essas licitações-leilões criados por FHC, precisa voltar ao passado. (Amanhã mostro o terrorismo financeiro que a Petrobras pratica contra a própria Petrobras).

O POVO NAS RUAS, ESPERANÇA,
ONDE FICOU COMO DESESPERANÇA?

Só lembrei, no dia seguinte, as muitas decepções do 7 de Setembro. A que mais lamentei: a falta de povo, principalmente aqueles que tomaram as ruas a partir de 6 de junho. Foram identificados assim mesmo, povo nas ruas, exaltados, aplaudidos, reverenciados. Só que nesse 7 de Setembro não apareceram, estariam procurando o pedreiro Amarildo, desaparecido desde o dia 14 de julho, que data.

Desde o dia 6 de junho, inteiramente desconhecidos, ovacionados como eles mesmos se identificavam, de “passe livre”, se transformaram em esperança, símbolo e referência de luta. Começaram com uma reivindicação quase inexistente, “redução de 20 centavos nas passagens de ônibus”. Parecia tão pouco, que prefeitos e governadores do Estado do Rio e de São Paulo nem ligaram, elogiaram a Polícia Militar. Que já começou batendo, usando de violência, agredindo.

E defendida por cabralzinho, o “cartolão” Alckmin, o intelectual Haddad e Eduardo Paes, que iniciou a carreira política violento numa CPI contra o ex-presidente Lula. E se elegeu e se reelegeu, “carregado” no colo até o palanque pelo mesmo presidente que massacrou. Não é falta de caráter, é ausência de memória.

Todos sentiram falta de vocês, não apanhando nem batendo, sincera e lucidamente, reivindicando. Foi isso que entusiasmou a comunidade, garantiu a conquista do espaço e intimidou corruptos e corruptores, com mandatos ou sem mandatos, sintetizados naquelas palavras que vocês mesmos popularizaram, se dirigindo a deputados e senadores: “Os senhores não nos representam”.

E agora, quando a comunidade voltará a ouvir as vozes das ruas? Sentirá a presença marcante de multidões, substituídas por “presenças” sem expressão ou convicção?

SONATA E FUGA DOS PRESIDENTES
DA CÂMARA E DO SENADO

Ninguém sentiu a falta deles. Quebrando a tradição da presença de representantes dos Três Poderes no palanque oficial, Renan Calheiros e Henrique Eduardo Alves não apareceram.

Na primeira constatação do palanque quase vazio, surgiu um rumor ou sussurro alentador: “Renan e Henrique Eduardo foram presos”.

Isso logo se diluiu, como todo boato, a verdade prevaleceu: intimidados, apavorados, hostilizados verbalmente e com medo que isso pudesse deixar de ser apenas verbal, combinaram e não foram.

O PRESIDENTE DO SUPREMO, SOZINHO

O palanque, quase que inteiramente despovoado de autoridades. Dona Dilma deu uma “passada” por lá, rapidamente, teve que descer para entrar no carro aberto e comandar o desfile. Encurtado, demorou pouco, entrou no carro oficial e foi para casa.

O presidente do Supremo ficou sozinho, ninguém se aproximava dele, todos ficavam na dúvida se isso seria possível ou permitido. Joaquim Barbosa, desconfortável, também tinha dúvidas: como o único representante dos Três Poderes podia se retirar no meio do vazio, mas “vigiado” pelo olhares de todos? Ficou até o final, impassível, não se virava nem para os lados.

HOJE, NO SUPREMO,
BARBOSA NÃO FICARÁ SOZINHO

Nesta quarta-feira, que eu chamei ontem de decisiva e talvez definitiva, Barbosa será o personagem principal. Não estará isolado, longe das câmeras e dos microfones mesmo por instantes. Ganhando ou perdendo, será o apogeu do julgamento, e ele o adversário a ser contestado por uns, o correligionário apoiado e até aplaudido por outros.

Trabalhei muito, falei, ouvi, insisti, nenhuma possibilidade de esclarecimento. O máximo que quem podia dizer, me disse: “Certo mesmo que a sessão seja histórica, com votos longos e tumultuados. E por causa disso, a sessão de amanhã (hoje) tenha que continuar depois”.

Não há nem como arriscar. Desconfio dos votos de quatro ministros, mas pela ordem de votação, têm que suportar um peso e uma definição que não sabem se poderão confirmar. Não é um julgamento comum ou normal. Com qualquer resultado terá repercussão que ultrapassará o tempo.

ADVOGADOS E MINISTROS

Os defensores estão otimistas, consideram que “não aceitar os embargos infringentes será uma violência. Ou injustiça. Não apresentam essa face otimista para agradar seus clientes (hoje até muito mais amigos do que antes) e sim por convicção.

Os ministros que têm acompanhado o presidente-relator exibem um silêncio também otimista, não conversam, não se manifestam. Mas não podem deixar de mostrar uma satisfação, que deixa quase transparecer o voto. Mas com tantos votando e “desvotando”, como concluir ou opinar apenas por detalhes, suposições, incertezas?

PS – O que não pode ser desmentido de jeito algum é o clima de animosidade, hostilidade, contrariedade. As sessões das turmas, suspensas. Como conciliar ou harmonizar quatro ministros (em cada uma das turmas) discordando tão de perto.

PS2 – Temos todos que esperar mais um pouco. Exatamente às 14h30m, Joaquim Barbosa abrirá a sessão. Mas esse ato não desfará o fato e a confusão. A Justiça, morosa, se torna emocionante.

###
O DEPOIMENTO DE JORGE BÉJA

Jorge Béja, corretíssimo e como sempre excelente, teu depoimento sobre a inauguração do Centro Cultural da Justiça, pelo presidente do Supremo, o notável Carlos Veloso, citou toda a fila em que sentamos, sem esquecer um nome.

Melhor ainda: você lembrou que estava na mesa o presidente da Caixa Econômica, eu havia esquecido o fato. E a lembrança tem uma razão insuperável: é que fizemos, durante um tempo longo, na Tribuna impressa, campanha de esclarecimento sobre os prêmios da Loteria da Caixa. E a “sorte” incrível de apostadores não identificados, geralmente um só, quando os prêmios acumulavam.

PS – Você lembrou (como esquecer?) que oferecemos ao presidente da Caixa a primeira página do jornal, para que se defendesse. Mesmo com a ressalva de que “a resposta será publicada inteiramente de graça”, jamais se manifestou ou se defendeu.

PS2 – Por causa da presença dele, eu não quis ir para a mesa, você observou que ele nem me olhava. Fiquei nessa fila que você relacionou. Que tempos memoráveis aqueles, Doutor Béja.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

18 thoughts on “Renan e Eduardo Alves fugiram no 7 de setembro. Hoje pode terminar o julgamento do mensalão. Ou começar um outro, paralelo. O povo não foi às ruas, quanta ausência e desesperança. 7 de Setembro sem Tiradentes. Depoimento imperdível de Jorge Béja. Dona Dilma tem que repudiar Obama, mostrar a revolta do país inteiro.

  1. Em relação aos premios das Loterias da Caixa a dúvia sobre os “sortudos” ganhadores continuará sempre. A única maneira de
    evitar para que os premios acumulados sejam direcionados para
    apenas uma pessoa, sderá a volta da obrigatoriedade da inserção
    do número do CPC dos apostadores, cuja medida, adotada durante
    algum tempo, foi abolida por obra e graça de quem interessa em
    ser “ganhador oculto”. O deputado Garotinho meses atrás anunciou
    aos quatro ventos que iria apresentar uma CPI para investigar
    exatamente a forma de premiação dos Loterias da Caixa, mas parece
    que ouviu o chamado “vem prá Caixa você também”, para fazer
    possíveis acertos de bastidores e a ideia de instalação da CPI fosse esquecida. Nos corredores e gabinetes refrigerados de Brasília, ninguém
    tem a coragem de abordar o assunto, que é até mesmo evitado, principalmente no Palácio do Planalto.

  2. Após as 14:30 horas do dia de hoje, saberemos um pouco mais do futuro da nação. O pais escolherá a tese de Joaquim Barbosa ou ficará com o crápula e escroque zé Dirceu e seu punhado de juízes pulhas e amestrados?

  3. Respeitabilíssimo e querido Dr. Helio Fernandes. Aprendi e continuo a aprender muito com o senhor. Todos aprendemos. Mais ainda a enfrentar e superar as dores da vida. Durante anos e anos nos falávamos ao telefone todas as manhãs. E o senhor me saudava assim “Dr. Jorge Béja, tudo na mais perfeita confusão?”. Hoje, passados tantos anos, a confusão piorou. Tudo é confuso. Tudo é excremento. Falta ordem. Falta progresso, pudor, decência, honestidade….

    Naquele dia da inauguração do Centro Cultural da Justiça Federal, quando o ministro Carlos Veloso que presidia a cerimônia pegou o microfone e disse “anuncio com grande júbilo a presença entre nós de Helio Fernandes, o brasileiro que mais conhece a história desta Casa, o Supremo Tribunal Federal” (dito assim, textualmente), o senhor se levantou do assento em gesto de agradecimento,e enquanto os presentes (mais de 500 pessoas) aplaudiam de pé a sua presença, eu reparei bem que o então presidente da CEF foi o único que não aplaudiu. Permaneceu sentado à mesa no palco, fixou o olhar num jarro de flores e começou a agitar os dedos das mãos na mesa, como se estivesse tocando piano. Era nervosismo. Falta de coragem de encarar o senhor.

    Certamente o tal presidente sentiu-se um pouco aliviado quando o senhor fez um gesto com a mão direita indicativo de que agradecia os aplausos, agradecia o convite para sentar-se à mesa e permaneceu na boa companhia do Dr. Evandro Lins e Silva, da juíza federal Dra. Salete Maria Polita Maccalóz (hoje desembargadora e corregedora da Justiça Federal do Rio) e do respeitado advogado dr. Hélio Rocha, todos nós sentados juntos na plateia. O tal presidente da CEF estava tão nervoso, pálido e descontente com a presença do senhor naquela solenidade que, se não fosse alertado para se levantar, ele teria permanecido sentado durante a execução do Hino Nacional Brasileiro pela Banda Sinfônica da Polícia Militar, que se apresentou completa no vasto palco do belíssimo auditório.

    E a CEF continua a mesma, Dr. Helio.Seus sucessivos e justos artigos-apelos jamais receberam resposa da CEF. Por que a CEF não divulga o nº da aposta, da máquina, o dia e a hora em que o jogo premiado (ou jogos) foi feito? A divulgação não identifica o apostador ganhador, ou ganhadores. Desde aquela época e até hoje, seu desafio à CEF permanece sem resposta. O senhor ofereceu a primeira página inteira da Tribuna da Imprensa para a CEF se justificar ou publicar (tudo gratuitamente) a reprodução da(s) matriz(es) da(s) aposta(s) premiada(s) e a CEF nada disse, nada fez. Até hoje é assim. Obrigado, Dr. Helio Fernandes, pelas elogiosas referências a mim feitas. Restabeleceram minha auto-estima.

    JORGE BÉJA

  4. Viva Jorge Béja!!!
    Viva Helio Fernandes!!!
    Viva a eterna luta contra o canalhas e ladrões, pois é de canalhas e ladrões que estamos falando!!!
    Revivamos por um instante o Grande João Saldanha, que costumava dizer (como diria certamente para a CEF): “Vocês têm duzentos anos para me responder” !!!

  5. 11 de setembro dos EUA

    Os EUA, sempre teve reconhecida arrogante política externa, financiando e praticando, invasões militares, bombardeios, torturas, golpes, assassinatos de lideranças, instalações de sangrentas ditaduras, criminosas manipulações de mercados e de moedas, sabotagens, espionagens, etc. Por essas e por muito mais, vem colecionando todos os tipos de inimigos em todo o mundo. Por isso mesmo, tiveram o enigmático e triste 11 de setembro, pleno de mistérios, semelhante ao assassinato do ex presidente Kennedy.

    11 de setembro do Brasil

    A nossa Justiça, jamais poderia deixar de por as mãos em todos os conhecidos suspeitos de grandes corrupções, alguns deles, também por traição à Pátria e entreguismos. Tudo, dentro da Lei e com todos os direitos de defesa. Fora as recentes e raras exceções, esses incontáveis suspeitos continuam bem longe da Justiça.

    E, o povo sabe muito bem que o julgamento-show-mensalão nunca teve o deliberado propósito de constituir histórica virada da Justiça no firme propósito de passar a julgar todos os tipos de corruptos, traidores e entreguistas, inclusive, por roubalheira infinitamente maior. Quase todos eles, ricos, felizes, livres e impunes.

    O Brasil, por conta de nossa arrogante, lerda, inoperante e corrupta Justiça, com todo tipo de falhas, bem conhecidas do povo, vem agora por sina do destino, escolher o 11 de setembro para dar início à consagração de um gigantesco troféu, da vergonha ou da honra. Da honra, se dando histórica volta por cima, corajosamente, anulando o vergonhoso, esdrúxulo e impensável julgamento-show-mensalão, que inclusive, foi baseado em domínio do fato. Por certo que teremos o nosso 11 de setembro lembrado por muitos anos.

  6. ESSE SUJEITO SE ACHA DOMO DO BRASIL!
    O TODO PODEROSO.
    BARÃO EM RIO BRANCO.
    O ex-presidente Lula causou estupefação ao chegar em Rio Branco (AC), dias atrás, em luxuoso jatinho. O Instituto Lula não confirma se o jato é de empresário beneficiado pelo seu governo, nem o valor de um suposto aluguel. “Não temos satisfação dar”, diz a adorável assessoria.
    Claudio Humberto- 11/09/2013
    Aquí: http://diariodopoder.com.br/coluna/barao-em-rio-branco/

  7. Proibição de máscaras: o resguardo da ordem pública

    Milton Corrêa da Costa

    A recente aprovação de projeto de lei, de inciativa da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, que proíbe o uso de mácaras e outros artifícios usados por manifestantes para encobrir os rostos, durante manifestações públicas de protestos, é medida legal, providencial e sobretudo de resguardo da ordem pública.

    Não há nada de inconstitucional nisso. Estamos lidando com bandos de arruaceiros, que afrontam gravemente a ordem pública. Até a sede do Forum do Rio de Janeiro já foi alvo de tentativa de invasão pelos mascarados do Black Bloc.Se não respeitam a própria Justiça, o que respeitarão? Inconstitucional e criminoso é promover atos de vandalismo, destruir o patrimônio público e privado, arremessar objetos e coquetéis molotov na polícia e colocar sob risco a incolumidade de cidadãos ordeiros.

    Rosto encoberto, para assegurar o anonimato,objetivando promover a desordem e a arruaça, é ato próprio de banditismo, não de protestos pacíficos para reivindicação de direitos. O estado democrático de direito não contempla o anonimato. Fazer com que a polícia obrigue simplesmente o manifestante retirar a máscara ou o pano que encobre o rosto, para identificá-lo e logo após liberá-lo para o uso, é o mesmo que autorizá-lo legalmente a promover a desordem.

    Tudo na vida tem limite. Afronta à ordem pública principalmente. A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro acertou em cheio. Lugar de mascarado arruaceiro é na cadeia. Os cidadãos ordeiros, sob a ameaça permanente do quebra-quebra, agradecem. Aos inimigos da democracia, o rigor da lei.

  8. STF
    .
    Churchill, em discurso na Câmara dos Comuns no dia 20 de agosto de 1940, declarou a frase que se tornou célebre:

    – “Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos”

  9. Hoje, 11 de setembro, em 1973, Salvador Allende foi assassinado com um tiro na boca. O palácio La Moneda foi invadido e ele foi deposto pelos marines dos USA. Em seu lugar, assumiu o DITADOR Augusto Pinochet, condenado internacionalmente por Crimes Contra A Humanidade. Tudo apoiado e financiado pelos Estados Unidos … para variar.

  10. Flores de New York, elegíada ao 11 de setembro.

    Imponentes e majestosas,
    até mesmo bem orgulhosas,
    esguias, lindas, duas rosas,
    de si, ambas muito prosas.

    Símbolos do seu jardineiro,
    custou-lhe vários janeiros,
    postou-se muito sobranceiro,
    altivo para o mundo inteiro.

    Chuva, sol, neve inclementes,
    a prova até de acidentes.
    Turistas lépidos e contentes
    dispersos por muitos batentes.

    Não esperavam que um dia,
    gente insana com covardia,
    provocasse grande agonia
    às flores que New York floria.

    Atônito e assustado
    o Universo desencantado
    vê o egoísmo de um Estado,
    postar-se de sangue, ensopado.

    Estrondo, por fim, marulho,
    restou pó, restou só entulho:
    vísceras, cimento, embrulho;
    cemitério sem cruz do orgulho.

  11. Ótimo artigo.
    De Stalin ao Sequestration.
    ESCRITO POR ION MIHAI PACEPA | 10 SETEMBRO 2013

    Quando rompi com os altos círculos do império soviético, paguei com duas sentenças de morte emitidas pela Romênia, meu país de nascimento, por ajudar o seu povo a parar de pensar no governo como uma benção concedida do alto, e por libertá-los do jugo do socialismo. Infelizmente, vejo agora a praga do socialismo “a cada qual de acordo com a sua necessidade” começando a infectar o meu país de adoção, os EUA.

    Mais aqui:
    http://www.midiasemmascara.org/

  12. Sinceramente sair para protestar quando uma população elege e reelege os parlamentares , governantes atuais Brasil a fora ano após ano ?!?
    Arriscar levar bala de borracha , paulada , spray de pimenta na cara para ano que vem todo mundo ser reeleito novamente com votação ainda maior ?!?!?!
    Quem pariu Mateus que balance , como falou o capitão cada cachorro que …

    http://www.youtube.com/watch?v=Hf2KWujwVT8

    E detalhe ainda ler em outros blogs comentários como, isso mesmo tinha que apanhar mais, foi pouco deveria ficar 5 anos na cadeia , baderneiro vagabundo e outros adjetivos.
    Nem repórter esta escapando imagine o povo pacifico .

  13. Bacalhoada

    INGREDIENTES

    Enviada por
    Denice Vacari
    Tudo Gostoso

    Tempo de preparo
    1h 30min
    Rendimento
    6 porções
    1,5 kg de bacalhau salgado
    800 g de batatas descascadas e em fatias entre 0,5 e 1 cm
    1 pimentão verde cortado em tiras
    1 pimentão vermelho cortado em tiras
    2 cebolas grandes fatiadas
    2 dentes de alho picadinhos
    2 tomates maduros sem pele e sem semente cortados em pedaços grandes salsa picada
    100 g de azeitonas pretas sem caroço
    1 pitada de pimenta-do-reino (se gostar)
    3 ovos cozidos
    azeite para regar
    sal a gosto

    MODO DE PREPARO
    Deixe o bacalhau de molho de um dia para o outro, trocando a água pelo menos 3 vezes
    Desfie e reserve
    Em uma panela grande, coloque as batatas, cubra com água e cozinhe por cerca de 20 minutos, com a panela tampada
    Escorra, corte as batatas em rodelas finas e reserve
    Em um refratário retangular untado com azeite, faça camadas, começando com os tomates, depois a cebola, as batatas, o Bacalhau, as ervilhas, os pimentões, as azeitonas e o cheiro-verde
    Tempere com 1 colher (chá) de sal e 1 colher (café) de Ajinomoto, e regue com o azeite
    Repita o processo e finalize com os ingredientes que restarem
    Finalmente, distribua sobre a superfície as rodelas de ovo cozido, regue novamente com o azeite de oliva e leve ao forno baixo (150°), pré-aquecido, por cerca de 1 hora ou até que os ingredientes estejam “al dente”
    Sirva em seguida
    Sirva com arroz branco, salada verde e o vinho da sua preferência
    Se sobrar, sirva frio no dia seguinte
    É uma delícia também

  14. SALVADOR ALLENDE SE SUICIDOU, CONCLUI LAUDO

    Laudo põe fim à longa controvérsia: confirma a crença da família do presidente e contradiz versão defendida por Fidel Castro e Gabriel García Márquez
    19 DE JULHO DE 2011 ÀS 17:52

    Agência Estado – O então presidente do Chile Salvador Allende suicidou-se em meio ao incêndio, às balas e ao gás lacrimogêneo que consumiam o palácio presidencial La Moneda durante o golpe militar de 1973, confirmou hoje uma equipe internacional de médicos legistas. A conclusão dos peritos foi unânime. “Estamos em condições de assegurar que foi uma morte violenta de explicação médico-legal suicida e disto não temos nenhuma dúvida”, disse o legista espanhol Francisco Etxeberra, ao entregar os resultados da autópsia ao juiz Mario Carroza, à senadora socialista Isabel Allende, filha do mandatário, e à advogada da família Allende, Pamela Pereira.

    A análise dos restos mortais do ex-presidente, exumados em 23 de maio, colocou um ponto final a várias teorias a respeito da causa da morte de Allende, que circularam durante décadas. Enquanto os militares chilenos afirmavam que Allende havia se matado, outra versão indicava que o presidente morreu combatendo os militares amotinados. Uma terceira versão afirmava que Allende tentou se matar e, ao não conseguir, foi morto por um dos seus guarda-costas. A informação sobre o suicídio de Allende foi entregue à imprensa pelo diretor do Serviço Médico Legal do Chile, o doutor Patrício Bustos. Ele precisou que primeiro foi determinada a identidade do mandatário e “em segundo lugar, a causa da morte – que é conhecida por toda a opinião pública, uma ferida de projétil; em terceiro lugar, a forma da morte corresponde ao suicídio e, em quarto lugar, como foi assinalado em muitos relatórios forenses, o contexto corresponde ao golpe de Estado durante o bombardeio de La Moneda”.

    Os especialistas também determinaram que Allende disparou contra si próprio com um fuzil de assalto AK-47, encontrado entre as pernas do cadáver. O fuzil foi um presente que Allende recebeu de seu amigo Fidel Castro, quando o então presidente cubano visitou o Chile em 1971. Carroza investiga, sob ordens da Suprema Corte do Chile, a morte de Allende e de outras 725 pessoas que foram executadas ou desapareceram durante a ditadura do general Augusto Pinochet (1973-1990). A conclusão da investigação atual confirmou a versão sustentada pelo doutor Patrício Guijón, um dos médicos que acompanharam Allende até o último minuto. Allende morreu em 11 de setembro de 1973, durante o golpe de Estado conduzido por Pinochet.

    Guijón disse recentemente à Associated Press que Allende ordenou aos 30 a 40 homens leais que o acompanharam até o final, entre médicos e guarda-costas, que se rendessem. Ele então voltou ao salão presidencial de La Moneda, onde seu corpo foi encontrado logo depois. Guijón disse que após Allende voltar ao salão, ele decidiu regressar ao local para buscar uma máscara de gás para levar de lembrança para seu filho, quando viu uma luz e entrou no salão, onde estava Allende. “Vi o presidente, sentado na cadeira presidencial, a uns cinco ou oito metros de onde eu estava. O rosto estava levantado pelo impacto do tiro. Eu corri e vi que não havia mais nada a fazer”, disse.

    A conclusão da nova perícia coincide com a crença da família Allende, que não compartilhava a versão de que o mandatário havia sido morto pelos militares amotinados, defendida por Fidel e pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez. Durante anos, a senadora Allende foi contra a exumação do corpo do seu pai e só foi convencida quando acreditou que era necessário estabelecer a verdade histórica sobre a morte do mandatário. Esta foi a segunda autópsia à qual foi submetido o cadáver de Allende. A primeira foi realizada no Hospital Militar na madrugada de 12 de setembro de 1973, na presença de um grupo pequeno de pessoas autorizadas pelo fiscal militar, em meio ao golpe de Pinochet. De maneira quase clandestina, o cadáver do mandatário foi sepultado no balneário de Viña del Mar, onde ficou por 17 anos. As informações são da Associated Press.

  15. É chato, mas a realidade é que tem pessoas de má fé, com objetivos políticos obscuros ou inconfessos, que se deduz produto de algum treinamento num convento de freiras marxistas-leninistas, pois não é possível acreditar que pessoas assim venha a este blog com um sentimentalismo tão infantil e com tanta exacerbação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *