Renan e Garibaldi vão ressarcir custos por usarem aviões da FAB para ir à final da Copa das Confederações

Luana Lourenço e Karine Melo
Agência Brasil

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, vai ressarcir os cofres públicos pelo uso de jatinho da FAB em viagem pessoal para assistir à final da Copa das Confederações. Garibaldi comunicou a decisão ao Palácio do Planalto na noite de hoje e disse que vai ressarcir o Erário para eliminar qualquer dúvida ou questionamento sobre o episódio. Informações sobre o valor e a data do ressarcimento serão detalhadas pelo Ministério da Previdência.

Também o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recuou e disse hoje que vai devolver o dinheiro equivalente ao custo pela utilização de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) no último dia 15 de junho. Segundo reportagem do jornalFolha de S.Paulo, o senador usou a aeronave para ir ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), em Trancoso (BA). Ontem (4), Renan respondeu, ao ser perguntado por jornalistas, que não devolveria o valor correspondente às passagens, já que havia usado o avião para cumprir compromisso como presidente do Senado.

De acordo com nota divulgada pela presidência do Senado hoje (5), “o senador está recolhendo aos cofres públicos os valores – R$ 32 mil – relativos ao uso da aeronave em 15 de junho entre as cidades de Maceió, Porto Seguro e Brasília”.

O Artigo 4º do regulamento que dispõe sobre o transporte de autoridades, diz que uso de aviões da FAB é permitido para situações em que haja motivo de segurança, emergência médica, viagens de serviço e deslocamentos para o local de residência permanente. O decreto diz ainda que, “sempre que possível, a aeronave deverá ser compartilhada por mais de uma das autoridades”.

ATÉ JOAQUIM BARBOSA

Segundo o Estadão, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, também usou recursos públicos  para se deslocar ao Rio de Janeiro no final de semana de 2 de junho, quando assistiu ao jogo Brasil e Inglaterra no Maracanã. O STF diz que a viagem foi paga com a cota que os ministros têm direito, mas não divulgou o valor pago nem qualquer regulamento sobre o uso da cota.

O tribunal confirmou à reportagem do Estadão que não havia na agenda do presidente nenhum compromisso oficial no Rio de Janeiro durante o final de semana do jogo no Maracanã. Barbosa tem residência na cidade e acompanhou o jogo ao lado do filho Felipe no camarote do casal de apresentadores da TV Globo Luciano Huck e Angélica. Segundo o tribuna, apenas o ministro viajou de Brasília com as despesas pagas pelo STF.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Renan e Garibaldi vão ressarcir custos por usarem aviões da FAB para ir à final da Copa das Confederações

  1. Que Luciano? Aquele da Lei Luciano Huck que contratou a esposa do Cabral? Joaquim está andando em más companhias… Quanto à devolução seria bom que devolvessem tudo que roubaram ao longo dos anos em razão de tramoias, maracutaias, conchavos…

  2. Mais importante que o ressarcimento é a revelação , ou melhor a reafirmação, do caráter dos personagens desse episódio. Kant (Crítica a Razão Pura) afirmava que duas coisa o enternecia e enchia seu espírito de admiração cada vez mais crescente : Um céu estrelado acima dele e a ordem moral dentro dele. É essa ordem moral, no caso a falta dela, que preocupa e deveria ser exemplarmente punida, pela relevância dos cargos que ocupa os dois políticos.

  3. 1 – O presidente do STF, Ministro Joaquim Barbosa, não viajou para o Rio de Janeiro, no último dia 31 de maio, para assistir ao jogo do Brasil. O Ministro retornou para a sua residência no Rio de Janeiro, como faz regularmente há mais de 10 anos, desde que empossado no Supremo;
    2 – O Ministro teve seu deslocamento, em avião de carreira, pago pelo Supremo. Essa é uma prerrogativa de todos os ministros do Supremo Tribunal Federal, adotada também por outros tribunais;
    3 – Decisão administrativa de 1995 regulamentou cota de passagens aéreas a ser utilizada pelos gabinetes dos Ministros de acordo com a necessidade de deslocamento de cada um deles, havendo limite para os gastos;
    4 – A cota de passagens é anual e tem validade independentemente do recesso judiciário ou períodos de licença. Fonte: http://www.folhapolitica.org/2013/07/stf-divulga-nota-sobre-viagem-de.html

  4. “O Supremo diz que os ministros dispõem de uma cota para voos nacionais tendo como base uma decisão tomada em um processo administrativo durante a gestão de Nelson Jobim na presidência da Corte. Segundo o STF, a cota equivale a um deslocamento mensal para o estado de origem com base na tarifa mais alta para voos entre Brasília e Sergipe, devido ao fato de o ministro já aposentado Carlos Ayres Britto ser o integrante da corte naquele momento que morava na unidade da federação mais distante”.

    Ele tem residencia no Rio de Janeiro, tem que se deslocar para casa, tem uma cota para isso, final de semana e feriados é laser, qual o problema? O ‘Estadão’ está querendo achar chifre em cabeça de cavalo, reportagem difamatória, não precisa ser um gênio para descobri o por quê ??

    Seguir a onda de difamação dos jornalecos, tem que ter ética na abordagem da informação, assim o tribuna se mistura a eles!!

  5. Tá de sacanagem os procuradores do disttrito federal?

    Ainda estão na dúvida se houve ou não improbidade administrativa.

    Então,

    Podem ser vendedores de lojas de departamentos. Ou vender livro na cidade do Lula em Garanhuns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *