Ressentidos, bolsonaristas voltam a atacar Henrique Mandetta nas redes sociais

Mandetta tem sido atacado por resistir ao uso de cloroquina

Camila Mattoso
Folha

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta tornou-se alvo de ataques de bolsonaristas nas redes sociais nesta sexta-feira, dia 21. A hashtag #mandettagenocida ficou entre as mais compartilhadas no Twitter por horas, tendo sido compartilhada mais de 80 mil vezes até o fim da tarde.

Mandetta tem sido atacado por ter resistido em lançar protocolo que autorizasse o uso de cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes ainda em estágio inicial de coronavírus. Por essa resistência pressão do presidente Jair Bolsonaro, acabou demitido, assim como seu sucessor, Nelson Teich.

EMPOLGADOS – Os bolsonaristas mostraram empolgação com a recomendação do uso de cloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19 por parte da Comissão Nacional de Saúde da China, e por isso se lançaram contra Mandetta. Na primeira atualização que faz de suas “diretrizes de tratamento” desde março, o órgão ressalva:

“Alguns medicamentos podem demonstrar um certo grau de eficácia para o tratamento em estudos de observação clínica, mas não existem medicamentos antivirais eficazes confirmados por ensaios clínicos duplo-cegos e controlados por placebo.” Estudos científicos diversos têm mostrado que o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina não tem eficácia no tratamento do coronavírus e, mais que isso, pode estar relacionado a um aumento no risco de morte por problemas cardíacos, como arritmia.

CRÍTICAS – Os bolsonaristas também criticam a política do ex-ministro do “fique em casa”, indicado para pacientes com sintomas leves, para que não ampliem a disseminação do coronavírus. O ministro interino Eduardo Pazuello tenta mudar essa interpretação para o “vá imediatamente ao médico” desde julho. Agora, a ideia é reforçar a mudança em novas campanhas para diagnóstico precoce e com aumento de centros de triagem na atenção básica, porta de entrada no SUS.

“Se fosse necessário mudar a orientação, eu não tinha problema em fazer. Mas as evidências até hoje não mudaram. A história natural dessa doença é que 85% registram formas leves, 15% vão precisar de internação hospitalar e 5% vão para a CTI”, disse Mandetta à Folha no começo de agosto. “O que mudou foi que eles [ministério] passaram a acreditar que as pessoas têm que ir [mais cedo], porque acham que existe o uso precoce da cloroquina. Politizaram isso.”

10 thoughts on “Ressentidos, bolsonaristas voltam a atacar Henrique Mandetta nas redes sociais

  1. Vamos ser realistas.
    Cloroquina e confinamento não tem nada a ver com ciência.
    Dizem que tudo é pela Ciência; que devemos ouvi-la e atentar para suas orientações. No entanto, observe que, na prática, não é bem assim que acontece. A rigidez científica só é invocada quando ela dá suporte aos interesses de quem invoca; quando não, é descartada.
    Veja o caso da cloroquina: em nome da Ciência, os experts relutam quanto ao seu uso. Dizem que não há estudos que comprovem sua eficácia. Dizem, ainda, que não se sabe bem sobre seus efeitos colaterais, apesar do remédio ser administrado, sem grandes complicações, há décadas. Mesmo com diversos médicos usando-a com sucesso, não querem liberá-la. Enquanto isso, vidas vão se perdendo.
    Agora, quanto ao confinamento, não tiveram a mesma rigidez. Invocando a Ciência, os experts confinaram o povo. Apesar de haver estudos que discordam desse método, insistem que é assim que tem de ser. Apesar de não haver qualquer prova de sua eficácia, além de indícios fortes de sua ineficácia, impuseram-no sem direito à apelação. Mesmo com os efeitos colaterais certos e, provavelmente, muito piores que a própria enfermidade, não hesitaram em submeter o mundo a ele. Ou seja, para interesses diferentes usam critérios diferentes na invocação da Ciência. Como não querem a cloroquina, são rígidos, dizendo que não há evidências científicas. Por outro lado, como querem o confinamento, são frouxos quanto às evidências, exigindo que todo mundo siga determinações científicas que não possuem nenhuma comprovação de eficácia.
    Portanto, a questão, na verdade, não é científica coisíssima nenhuma. E quem diz que devemos seguir o que os cientistas estão dizendo não tem nenhuma ideia do que está falando.
    Mandetta você é o queridinho da mídia podre. Você faz parte da nova ordem.

  2. É o gabinete do ódio quem fomenta esses ataques infames ao Mandetta, e o gado bolsonarista simplesmente segue a marchar e mugir na internet. Tais ataques funcionam como mais uma cortina de fumaça, e terceirização da culpa.

    Mas todos sabem do comportamento genocida de Bolsonaro perante a pandemia. Se fôssemos um país sério, ele já teria sido removido da presidência direto para a prisão.

  3. Aí um jornal dá uma notícia que agora a China está recomendando o uso da cloroquina e todos embarcam na furada. Essa sugestão de tratamento com antivirais, incluindo o fosfato de cloroquina, já era feita em março de 2020, infelizmente esses tratamentos não provaram sua eficácia até hoje.

    https://www.who.int/docs/default-source/wpro—documents/countries/china/covid-19-briefing-nhc/1-clinical-protocols-for-the-diagnosis-and-treatment-of-covid-19-v7.pdf?sfvrsn=c6cbfba4_2

    https://video-intl.alicdn.com/Handbook%20of%20COVID-19%20Prevention%20and%20Treatment%20%28Standard%29.pdf?spm=a3c0i.14138300.8102420620.download.6df3647f3ljg0P&file=Handbook%20of%20COVID-19%20Prevention%20and%20Treatment%20(Standard).pdf&fbclid=IwAR0ZBdo

  4. Mandetta foi demitido do Ministério da Saúde pelo Bolsonaro quando o Brasil tinha quatro mil mortos pela COVID19. Ontem passamos os cento e quatorze mil. E ele é quem é o genocida? Isso me lembra o choro dos lulistas ao continuarem colocando a culpa de tudo nos governos anteriores à era Lula depois de estarem treze anos no governo…

  5. Por que gastar massa cinzenta, energia e dedo para digitar o POR QUE?
    Por que o ataque a Santos Cruz, Hamilton Mourão, Gustavo Bebiano, Luiz Henrique Mandetta, Sérgio Moro, etc.? Não precisa nenhuma análise mais profunda, é, simplesmente, um caso de ciumeira e vedetismo, ou protagonismo para ser mais elegante, ele não tolera um holofote fora da sua imagem. Simples assim!

    • No embate entre Mandetta e Osmar Terra, deputado federal do MDB, o guru da área médica do presidente, todas as previsões de Terra foram furadas. O cara não entende nada e é um péssimo analista.
      Mandetta acertou todos os passos da COVID, enquanto o outro chutou a bola para longe do gol.
      Patético.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *