Rio de Janeiro, uma cidade com deficiências olímpicas

Isac Mariano

Quem mora aqui no Rio de Janeiro consegue perceber nitidamente que esta cidade não tem cara alguma de “Cidade Olímpica”. Exemplos do que vemos por aqui cotidianamente:

– Coleta de lixo deficiente.
– Engarrafamentos nos mais diversos bairros, até mesmo fora do horário de rush;
– Obras visivelmente mal feitas sendo entregues às pressas;
– Transportes públicos desorganizados, sujeitos a acidentes constantes e a ações de violência urbana;
– Guerras entre grupos fortemente armados pelo domínio de comunidades pobres;
– Caos absurdo no serviço de saúde pública federal, estadual e municipal;
– Rede hoteleira que presta maus serviços, mas que cobra caro por eles;
– Serviços deficientes de táxis, com frequentes atos desonestos praticados por muitos dos seus motoristas;
– Aeroportos ainda repletos de problemas diversos;
– Baía de Guanabara, que será palco de competições náuticas, altamente poluída por esgotos, óleos e lixo flutuante;
– Lagoas da Barra da Tijuca e Jacarepaguá, vizinhas do Parque Olímpico e da Vila dos Atletas, absurdamente contaminadas, exalando até mau cheiro;
– Diversas praias poluídas por esgotos clandestinos e até mesmo “oficiais”;
– Parte das grandes obras em curso demonstrando fortes chances de ameaçadores atrasos;
– Desemprego crescente, camuflado com tintas coloridas pela grande imprensa;
– Miséria visível nas vias, praias, calçadas, parques e praças, configurando ineficiência das ações sociais diversas.

DESÂNIMO TOTAL

Moro neste Rio de Janeiro desde 1997. E percebo claramente que não há mais aquele ânimo que antes havia no povo desta cidade perante os Jogos Olímpicos de 2016. Pelo contrário: noto a revolta em muitos, no dia-a-dia desta metrópole. Principalmente porque fica cada vez mais claro que tal evento esportivo não deixará um legado – ao Rio de Janeiro – condizente com as dezenas de bilhões de reais que estão sendo investidas.

20 thoughts on “Rio de Janeiro, uma cidade com deficiências olímpicas

    • José Carlos Werneck, a favelização deste Rio de Janeiro é contínua e veloz. Basta visitar o nobre bairro do Itanhangá, nos pés da Maciço da Tijuca – e que ainda tem muitos organizados condomínios residenciais – para notar favelas crescendo em velocidade assustadora, invadindo áreas de parque nacional, e até de banhados de lagoa. Como é o caso da favela Rio das Pedras.

      E o poder público? Finge que não vê.

      Rio de Janeiro, Cidade Olímpica??? Mesmo???

  1. Tenho um carinho imenso pelo Rio de Janeiro, onde resido há 42 anos (com algumas saídas e voltas). Eu noto que essa história de cidade mais bonita do mundo é um marketing que deu certo … Existem em nosso país outras cidades e outras no mundo que podem ostentar o título. De minha parte, o Plano Piloto do DF é o pedaço mais belo da Via Láctea.

    • Antonio Rocha, eu vejo cenários belíssimos e deslumbrantes nesta cidade do Rio de Janeiro. Paisagens que tiram o fôlego, em diversas regiões. Como por exemplo a Pedra da Gávea, vista da auto-estrada Lagoa-Barra. Ou então o mar e a pedra do Pontal de Sernambetiba (Recreio), vistos da estrada que vem da praia de Grumari.

      Porém há também inúmeros cenários de feiúra imensa neste mesmo Rio de Janeiro. Como as favelas do complexo da Maré, com suas casas até mesmo debruçadas sobre canais de esgoto.

      E infelizmente noto que a ação humana torna este Rio de Janeiro cada vez mais feio!

  2. Imaginem eu, nascido e criado neste pedaço de terra, desde 1955.

    A cidade foi maravilhosa. Copacabana era uma delícia. A Barra da Tijuca, um sonho, não parecia real. Ipanema e Leblon pareciam cidades do interior, só com as vantagens. O Flamengo e Botafogo eram calmíssimos, tradicionais, com casarões respeitáveis, lembravam o século XIX ou o começo do XX. Hoje, sobram as belezas naturais, em parte, porque não conseguiram acabar com tudo.

    O último e atual governante, eleito pelos ignorantes, mantidos assim por sucessivos governos centrais – aos quais a cultura e educação do povo representam uma ameaça ao seu domínio -, deu a machadada final. Transformou o Rio em capital nacional da corrupção. Brasília é só a sede. Mas é no Rio, no solo urbano da cidade, tendo ele próprio como motivador, que a corrupção floreia em sua forma mais exuberante, como se fizesse parte da flora e da fauna dessa antiga linda cidade.

    Por aqui, as ONG’s e as OS’s tudo dominam. Não há um contrato licitado que seja lícito. Mas todos têm capa e véu – véu de impolutos, aprovados pelo Tribunal de Contas, pela Controladoria do Município e por mais quem quer que seja que os tenha de “fiscalizar”. Formalmente, tudo perfeito. Só as contas é que não fecham. Mas isso é só um detalhe.

    Após as Olimpiadas (assim mesmo, sem acento agudo), sobrarão ruínas para o povo e lucros para os “empresários”/financiadores de campanhas eleitorais.

    E, para piorar, temos uma Câmara de Ver(m)eadores absolutamente servil, da qual se destacam não mais que sete vereadores que berram contra esse estado de coisas. Mas os ouvidos são surdos ou sem sistema de audição, por falta de inteligência para ouvi-los, ou se trata da mídia comprada a peso de anúncio em horário nobre.

    E, para os que me leem, não pensem que sou pessimista. Sou apenas realista.
    O jeito, lamentavelmente, é ficar com o passaporte em dia para quando a situação ficar intolerável, de vez – está quase – se mandar daqui para um país decente. E deixemos os eleitores com seus governantes prediletos.

    • Excelente e irretocável comentário de Oigres Martinelli. É de assombrar o volume de dinheiro sendo torrado – dos cofres estaduais, municipais e federais – para que esses Jogos Olímpicos possam ocorrer aqui neste Rio de Janeiro. E obviamente o cheiro de corrupção já passou do insuportável, há algum tempo.

  3. O desabafo de Isac Mariano é o que está na garganta de todos que vivem no Rio de Janeiro. Com o desemprego crescente, inflação, corrosão dos salários e projeções para o ano que vem de que a maioria dos moradores do Rio passarão fome, os moradores de classe média ficarão fazendo “pesquisas” de supermercado em supermercado para tentar comprar os gêneros de primeira necessidade mais baratos. A classe média vai estar no Purgatório, e os mais pobres no Inferno, e aí vem a Olimpíada. Diz Isac Mariano: “e não há mais aquele ânimo que antes havia no povo desta cidade perante os Jogos Olímpicos de 2016” – Pudera ! Como ficar entusiasmado com as Olimpíadas se a nossa vida já está ruim e vai piorar o ano que vem ! Só alienados e turistas irão vibrar nas Olimpíadas e, como a Copa do Mundo, fora o fiasco brasileiro, vai deixar bilhões de reais de prejuízo à prefeitura da cidade, ao governo do Estado e ao governo Federal.

    Os empreiteiros que têm condições para tocar as obras olímpicas estão na cadeia. Como é que a prefeitura do Rio vai encomendar obras, se as empreiteiras, cujos cabeças estão na cadeia, já estão em estado pré-falimentar, porque sempre dependeram de obras públicas para sobreviver ? Não se cria uma grande empreiteira da noite para o dia. E quanto à situação dos empreiteiros presos, o ministro Teori Zavascki, que raramente fala, disse à imprensa “que o pior ainda está por vir”. Péssimo ano, o de 2016 para organizar as Olimpíadas no Rio de Janeiro.

    • Obrigado por comentar, Ednei Freitas. Eu fico cada vez mais triste por constatar que os Jogos Olímpicos de 2016, aqui no Rio de Janeiro, serão um bilionário teatro. E ainda com riscos imensos de nos causar vergonha perante o mundo. Pois facilmente serão percebidas as péssimas qualidades que esta cidade apresenta a todos, nos mais diversos aspectos.

    • Ednei de Freitas;

      Um grande acordão está sendo gestado por figuras carimbadas da República, que atende pelo pomposo nome de “acordo de leniência”. Resumindo: paga-se uma simbólica multa e todos são perdoados, lógico podendo conseguir empréstimos de mãe para filho a juros subsidiados para continuarem tocando as obras e la nave vá.

      Incrível, nada mais me surpreende.

  4. De parabéns o meu amigo Isac, que se mostra preocupado com a sua cidade, com a má administração que tem sido vítima.
    Da mesma forma o professor Rocha, pois ambos residem no Rio de Janeiro, mas não são naturais da Cidade Maravilhosa e, mesmo assim, demonstram por ela sentimentos positivos e que seja administrada com zelo e honestidade.
    Alias, qual é a cidade brasileira que hoje pode ser considerada como bem cuidada pelo seu prefeito?
    E não importa o partido que esteja no poder.
    Dito isso, algum comentarista pode me contestar porque eu muito gostaria?
    Um abraço, Isac.

    • Amigo Chicão Bendl, eu precisei mesmo desabafar com este artigo. Afinal este meu Rio de Janeiro “não tem cara alguma de Cidade Olímpica”. E vou além dizendo que esta cidade sequer “ficará bem na foto” quando os Jogos Olímpicos começarem, tampouco nas câmeras de transmissão de TV, que hoje funcionam em HD.

      Fico com vergonha e também profundamente triste, pois dezenas de bilhões de reais estão sendo ABSURDAMENTE mal investidos.

  5. Hoje o Tom cantaria : Cristo redentor , bracos pro alto , isso e um assalto.
    Sou de SP , moro no Rio ha 10 anos , nesse periodo senti uma enorme decsdencia.
    Tambem com autoridades tao ‘ sensiveis ‘ que mandam trens passarem por cima de um cadaver…

  6. É esta leitura que faço da cidade atualmente. Sou carioca mas por motivos profissionais moro em São Paulo faz 20 anos. Uma vez por mês vou ao Rio para atender clientes. E sinceramente, observando as belezas naturais da cidade criada por Deus, é difícil aceitar que estão acabando com tudo.

  7. O mais triste é que o dinheiro despejado a rodo pelo Governo Federal, faz muita falta em outros estados do .p Brasil para estradas ,ferrovias,pontes,educação ,saúde. Revoltante!

  8. O caos urbano em todos os sentidos teve início na cidade do Rio de Janeiro logo após a maldita fusão Guanabara-Estado do RJ e, posteriormente, agravou-se durante o desgoverno Moreira Franco que prometeu acabar com a violência em seis meses, promessa esta que serviu de incentivo para os criminosos se armarem, associados ao narcotráfico, sendo estes os principais fatores pelo aumento da violência em todos os bairros.

  9. O histórico segundo Batalhão da PM, no Rio de Janeiro, foi demolido para dar lugar a um condomínio. Na mesma rua, Real Grandeza uma antiga concessionária da FIAT, situada num imenso terreno, também está sendo demolida para construção de moradias de luxo. A especulação imobiliária está engolindo o RJ. Na região do autódromo de Jacarepaguá, um novo centro da cidade está se formando junto aos complexos esportivos. É muito prédio sendo construído a despeito da retração do consumo. Não há espaço nas ruas para tanto carro. O tráfego na cidade do RJ já está saturado!

    • Eles querem transformar o Rio de Janeiro numa Nova Iorque tupiniquim, mas, não planejaram a infraestrutura para a selva de pedra que estão instalando. A lagoa de Jacarepaguá está fedendo com as toneladas de esgoto lançadas diariamente sobre o espelho de água. O rio Arroyo Pavuna chega a lagoa pela Abelardo Bueno escuro e fétido e ainda vai piorar. Que fazer?

      A natureza está morrendo em lenta agonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *