Rosemary continua a ser uma Mirian Dutra em potencial

Charge de Sponholz (sponholz.arq.br)

Carlos Newton

Os petistas comemoraram entusiasticamente a divulgação das confissões de Mirian Dutra, a jornalista que teve um filho nos anos 90 e atribuiu a paternidade ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que o reconheceu e assumiu em cartório, mas depois exames de DNA feitos no Brasil e nos Estados Unidos apontaram que o pai seria outro – um “biólogo”, segundo a própria Mirian admitiu a colegas, conforme relatou este sábado o jornalista Ricardo Noblat, sabidamente um dos mais bem informados de Brasília, em artigo publicado por O Globo.

A empolgação dos petistas não tinha base sólida, porque é ilusão achar que erros de FHC possam apagar malfeitos os cometidos pelo ex-presidente Lula, cuja imagem de homem público está cada vez mais arruinada, embora milhões de brasileiros ainda o continuem idolatrando, por julgarem que ele está sendo perseguido pela oposição, pela imprensa, pelos procuradores da República e pelos promotores de São Paulo, vejam como há teorias conspiratórias com adeptos incondicionais.

Sonhar não é proibido, mas este fim de semana foi mais um pesadelo para Lula, sua sucessora Dilma Rousseff e os petistas de um modo geral, porque a imprensa voltou a publicar notícias arrasadoras e tenebrosas. Não se trata mais de denúncias, mas de provas materiais, que incriminam não somente Lula e dona Marisa Letícia, mas também Dilma e Michel Temer, que estão sendo processados pela Justiça Eleitoral, sob ameaça de cassação.

NOTÍCIAS SINISTRAS

Enquanto os petistas ainda tentam manter o foco nas confissões íntimas da repórter Mirian Dutra, uma das principais revelações do fim de semana saiu na “Veja”, que exibiu mensagens trocadas entre dirigentes da OAS, reforçando as provas materiais de que as reformas do tríplex e do sítio foram feitas para Lula e dona Marisa Letícia, tratados pelos empreiteiros como “chefe” e “madame”.

Outra reportagem importantíssima foi publicada na revista “Época”, que divulgou provas de envolvimento direto de Lula em tráfico de influência para beneficiar a empreiteira Odebrecht, com o Ministério Público Federal comprovando também da participação do atual presidente do BNDES, Luciano Coutinho, como era um dos principais agentes do esquema de corrupção.

Já a revista “IstoÉ” entrou em outra vertente para mostrar que o juiz federal Sérgio Moro praticamente decretou a cassação da chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer, ao enviar ao Tribunal Superior Eleitoral quase 2 mil páginas de documentos da Operação Lava Jato e recomendar a relação das testemunhas a serem ouvidas pela Justiça Eleitoral nos processos abertos pelo PSDB.

Para culminar, o colunista Merval Pereira, de O Globo, escreveu um artigo anunciando que será confirmado o acordo de delação premiada do senador petista Delcídio Amaral, que é uma espécie de personagem de Hitchcock como “O Homem que Sabia Demais”.

O EFEITO MIRIAN DUTRA

Os petistas pensam (?!) que as confissões de Mirian Dutra podem isentar Lula de vários crimes previstos da Lei da Improbidade Administrativa, cometidos ao sustentar uma segunda-dama com recursos públicos, concedendo-lhe uma função sem trabalho, diárias de viagem em dólar, cartão de crédito internacional, automóvel chapa branca, motorista e assessores, e ainda arranjar empregos bem remunerados para o ex-marido Luiz Claudio Noronha e a filha Mirelle, que só um teste de DNA pode demonstrar se é ou não filha do Lula.

Portanto, é uma ilusão achar que o caso Mirian Dutra possa passar a borracha nas estripulias amorosas e administrativas do líder do PT.

ROSEMARY AMARGURADA

O que está acontecendo é justamente o contrário. Antes de vir à tona esse escândalo envolvendo FHC, aqui na Tribuna da Internet  recebemos uma informação segura de que Rosemary Noronha está muito amargurada, e não é para menos, porque os dias de glória acabaram, não há mais viagens ao exterior nem fins de semana em resorts de luxo, vive reclusa, praticamente não sai de casa.

Nada lhe falta, Lula é generoso, mas a depressão de Rose é um problema. O fato é que ele terá de sustentá-la indefinidamente. Não pode cometer o mesmo erro de FHC, que pensou (?!) que a TV Globo seguiria bancando eternamente a doce vida da ex-amante dele na Europa.

FHC é hoje carta fora do baralho político, mas Lula continua a ter milhões de admiradores, que contestam tudo que se diz sobre ele, por acreditarem que está sofrendo perseguição política por sua luta em favor dos pobres. Esta é a realidade. E viva o povo brasileiro!, como dizia João Ubaldo Ribeiro.

11 thoughts on “Rosemary continua a ser uma Mirian Dutra em potencial

  1. No “mundo moderno” e com o avanço do tal feminismo, as mulheres não se preocupam mais com gravidez ou com métodos anticoncepcionais.
    Quem tem que se preocupar (e se prevenir) são os homens…

  2. A mistura entre público e privado só podia dar nisso, nada que se compare com a lisura dos ícones do TRABALHISMO BRASILEIRO. http://www.conjur.com.br/2016-fev-21/lula-denunciar-procuradoria-df-janot-cnmp-oab

    O caso envolvendo Mirian Dutra com Fernando Henrique Cardoso não é novidade, só voltou à tona agora como bombástico com a demissão da jornalista pela TV Globo. Não me envolvo em conversas e ainda menos em debates passionais, senão para condenar seus tráficos de influências com costumeira malversação de funções e recursos públicos. A bomba estourou originalmente na Revista Caros Amigos em 2000, como lembra o jornalista Palmério Dória nesta entrevista http://www.youtube.com/watch?v=_MQHLbYkPbs com detalhes de bastidores políticos que a grande mídia ainda encobre certamente porque há interesses mais poderosos além do velho romance.

    DOMÍNIO DOS FATOS – Não misturo alhos com bugalhos sobre questões particulares e públicas, como disse acima, mas os fatos podem mesmo cruzar relações como acredita a repórter Eliane Cantanhêde. Para ela, o escândalo Mirian-FHC reascende no calor dos casos que implicam o ex-presidente Lula: triplex e Atibaia. Questiono sobre outros casos bem marcantes como reforço dessa possibilidade: Acham que se o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, não tivesse botado pra andar o impeachment contra a presidente Dilma Rousseff o governo da Suíça teria liberado as contas bancárias dele entre oitocentas outras ainda mantidas secretas? Francamente.

    AÍ TEM – Achei que o prefeito Fernando Haddad falava de eventual aliança na capital de São Paulo, o que seria natural. Mas não, trata-se de costura nacional e nesse ponto acho a ideia absurda, com claro fim político: Como já não conseguem manter a divisão entre só duas frentes, FHC e Lula, a saída é um acordão para evitar a ampliação do processo. http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2016/02/21/haddad-defende-aproximacao-entre-pt-e-psdb/

    A presidente Dilma Rousseff não deve cair nessa. No ano passado Ricardo Kotscho, outro dos mais leais escudeiros do lulismo, propôs diálogo entre os ex-presidentes pra “tirar o país do caos”. É apenas mais um desenho, confiram no link: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=1596664070549858&set=t.100006188403089

  3. Se os petistas comemoram o “afaire” Mirin x FHC é uma estupidez quilométrica. Assim como o Ministro da Justiça Cardoso falar em investigação. Isso é burrice e estupidez que na realidade é a mesma coisa.

  4. O Noblat, via de regra, sabe das coisas….
    http://noblat.oglobo.globo.com/meus-textos/noticia/2016/02/lula-foge-da-policia.html
    —————————————————————————————————————————————-

    Lula foge da polícia

    22/02/2016 – 03h00

    Ricardo Noblat

    Salvo um fato novo, parece perto do fim o affair Fernando Henrique Cardoso-Míriam Dutra. Sobreviverá nas redes sociais alimentado por sites e blogs patrocinados pelo governo às claras ou às escondidas.

    Como até aqui não se comprovou nenhuma agressão à lei, o Ministério da Justiça não terá a obrigação de investigá-lo. O próprio PT, pelo menos o oficial, prefere que o assunto esfrie.

    Compreensível. As redes sociais que afagam são as mesmas que apedrejam.

    Começaram a circular fotografias de Lula, Marisa e amigos tendo ao fundo um jatinho da Brasif, a empresa que administrava lojas nos aeroportos brasileiros.

    Sim, a mesma Brasif que negou ter ajudado Fernando Henrique a sustentar Míriam no exterior mediante um fictício contrato de prestação de serviços.

    Jonas Barcellos, dono da Brasif, tentou vendê-la para um grupo suíço durante o segundo governo de Fernando Henrique, seu amigo. Não conseguiu.

    Conseguiria em março de 2006, ano da reeleição de outro amigo seu, Lula. Na época, travou-se um áspero combate no núcleo duro do PT.

    Uma ala, liderada pelo ex-ministro José Dirceu de Oliveira e o ex-tesoureiro Delúbio Soares, era favorável à venda da Brasif.

    Outra, liderada por Luiz Gushigen, então Secretário de Comunicação Social da Presidência da República, era contra.

    Gushigen temia eventuais suspeitas que o negócio pudesse despertar em ano eleitoral. Elas recariam sobre um governo fragilizado pelo escândalo do mensalão, deflagrado um ano antes.

    E, ao fim e ao cabo, prejudicariam Lula e o PT. Gushigen perdeu o combate. Os olhinhos de Delúbio brilharam.

    O ex-governador de Pernambuco, Carlos Wilson Campos, Cali, acabou nomeado presidente da Infraero, a empresa federal responsável pela infraestrutura dos aeroportos.

    E a venda de parte da Brasif consumou-se afinal. Por 500 milhões de dólares, o grupo suíço Dufry comprou dois negócios da Brasif: a operação de varejo e a Eurotrade, uma empresa de logística.

    Na semana passada, tão logo repercutiu a entrevista de Míriam a Folha de S. Paulo contando detalhes do seu caso amoroso de seis anos com Fernando Henrique, líderes do PT apressaram-se em pedir que o Ministério da Justiça apurasse o possível ato criminoso embutido no contrato firmado por ela com a Brasif.

    Sugeriram que Fernando Henrique usara a empresa para ocultar dinheiro transferido por ele à Míriam.

    A Brasif pagou a Míriam depois de ter sido procurada pelo jornalista Fernando Lemos, cunhado dela. Míriam acusa Lemos, que morreu em 2012, e a irmã Margrit Dutra Schmid, com quem brigou há mais de 10 anos, de terem embolsado uma fatia do dinheiro do contrato.

    Lemos achacou dinheiro de empresas a pretexto de ajudar Míriam a manter-se exilada na Europa como colaboradora da TV Globo.

    A ordem, hoje, dentro do PT é esquecer Míriam para não lembrar o negócio da Brasif com o grupo suíço. O PT e Lula já enfrentam problemas em excesso com a Lava-Jato. Não querem arranjar mais um.

    Procuradores vasculham negócios de empreiteiras brasileiras em Portugal e em países da África que poderiam ter beneficiado o PT e Lula. O silêncio de Lula é uma tática conhecida de defesa.

    Vai que ele diz algo que possa amanhã ser contestado? É por isso que Lula evita depor no inquérito sobre o tríplex no Guarujá e o sítio em Atibaia. Está fugindo da polícia.

  5. Essa Miriam Dutra está de olho na herança do FHC. Safada. Fernando Henrique sabia que o filho não era dele e reconheceu-o como tal. A danada da Miriam está deitando e rolando. O que o dinheiro não faz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *