“Sabe o que vai resolver? Nada”, diz Bolsonaro sobre incluir governadores no Conselho da Amazônia

Bolsonaro diz que grande grupo “não seria efetivo” 

Guilherme Mazui
G1

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, dia 13, que incluir governadores no Conselho Nacional da Amazônia “não resolveria nada”. Ele ressaltou, no entanto, que não vai tomar decisões sobre a região sem consultá-los.

Bolsonaro foi questionado, durante entrevista na saída do Palácio da Alvorada, se foi dele a decisão de excluir os governadores do conselho, agora chefiado pelo vice-presidente Hamilton Mourão. Ao assinar o decreto que transferiu o colegiado do Ministério do Meio Ambiente para a Vice-presidência, Bolsonaro deixou de fora os governadores da Amazônia Legal.

MAIS DESPESAS – A composição anterior do conselho, estipulada em um decreto de 1995, incluía os governadores. Integram a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão. Segundo Bolsonaro, ter governadores e secretários municipais no colegiado tornaria o grupo muito grande e não seria efetivo, além de gerar despesas.

“Se você quiser que eu bote, está aqui o Atila Lins [deputado federal PP-AM] para responder. Se você quiser que eu bote governadores, secretários de grandes cidades, vai ter 200 caras. Sabe o que vai resolver? Nada. Nada”, disse Bolsonaro, que acrescentou:

DIÁLOGO – “Tem bastante ministros. Nós não vamos tomar decisões sobre estados da Amazônia sem conversar com governador, com a bancada do estado. Se botar muita gente ,é passagem aérea, hospedagem, uma despesa enorme, não resolve nada”, completou o presidente.

Bolsonaro destacou que Mourão conhece a região, por ter trabalhado na Amazônia durante sua carreira militar – o vice-presidente é general da reserva do Exército. Bolsonaro também afirmou na entrevista que a organização não-governamental Greenpeace, que desenvolve ações de proteção ambiental, é uma “porcaria” e um “lixo”.

Ele foi questionado sobre posição da entidade, que destacou que o Conselho da Amazônia não tem meta nem orçamento. “Quem é Greenpeace? Quem é essa porcaria chamada Greenpeace? Isso é um lixo! Isso é um lixo!”, afirmou Bolsonaro.

CRÍTICAS – O governador do Amapá e presidente do Consórcio de Estados da Amazônia Legal, Waldez Góes, lamentou e classificou como “retrocesso” a exclusão dos governadores eleitos do Conselho da Amazônia. Waldez disse esperar “bom senso” do Planalto para revisar a composição do colegiado.

“Precisamos andar juntos para enfrentar os desafios amazônicos e garantir mais dignidade e inclusão para nossa população. Estamos à disposição para contribuir com o debate e construção de políticas e estratégias nacionais em conjunto com o novo Conselho”, declarou Goés.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, também criticou a saída dos governadores do grupo. Na sua opinião, a decisão não foi boa a “democracia do país” “É um método geral do governo Bolsonaro, infelizmente. Uma visão extremista, belicista, de afastamento de setores sociais, políticos e econômicos e isso não é bom para a democracia brasileira”, disse Dino.

MINISTÉRIO PARA A AMAZÔNIAA reativação do conselho foi anunciada em meio às diversas críticas de ambientalistas e líderes internacionais sobre a política ambiental do governo Bolsonaro.

Ainda na entrevista desta quinta, Bolsonaro afirmou que o deputado Átila Lins lhe sugeriu a criação do Ministério Extraordinário da Amazônia, a fim de executar ações na região. O presidente disse que estudará a sugestão, mas admitiu o impacto negativo por criar um novo ministério. “Levo para estudar. Não posso aceitar aqui agora, envolve despesas, o impacto negativo de mais um ministério”, disse Bolsonaro.

15 thoughts on ““Sabe o que vai resolver? Nada”, diz Bolsonaro sobre incluir governadores no Conselho da Amazônia

  1. De repente todo mundo começou a se achar no direito de nomear e demitir. Parece um reflexo psicológico do preconceito e não aceitação do JB como Presidente. Não suportam ver o cara governando.

    No tempo do “Guia Genial dos Trouxas”, o Lurarápio, criavam um conselho a cada minuto e ninguém dava palpite.

  2. Por falar em ataque sistemático ao presidente, como vai ficar a questão na CPI das Fake-News em que a testemunha arranjada pela esquerda para dizer que que elas eram produto da direita e ela, testemunha, desmentiu, dizendo o contrário, de que as fake news eram produzidas pelo PT?

    Não vai ter aqui alguma coisa a respeito desse mais um crime da esquerda com a ajuda da foia?

  3. A Amazônia brasileira é de TODO o país. Portanto se tiver que entrar governadores tem que ter a participação de TODOS os governadores de TODOS os estados.
    Afinal o desmatamento dela causa enchente e aquecimento no sul e sudeste também. Na hora de definir deveres divide com o país todo. Na hora dos direitos a turminha dos coronéis quer ficar só para ela.
    A Amazônia é FEDERAL e as decisões são prioritariamente FEDERAIS.

  4. -É INCRÍVEL como jogam contra o governo do Bolsonaro e, consequentemente, contra o Brasil:

    “…excluir os governadores do conselho…”

    -Ora, só se pode excluir o que está dentro, o que existe.Mas acontece que o tal conselho nunca existiu. Acabou de ser criado!

    -Portanto, ele não EXCLUIU ninguém, pois não havia ninguém nele para ser excluído!

    -O presidente apenas achou por bem que não seria necessário INCLUIR os governadores da mesma forma que não incluiu os moradores ribeirinhos, os garimpeiros, os mineradores, os favelados, os moradores das palafitas, os pilotos de avião da região, os donos das empresas de ônibus… eu e você… e assim, infinitamente.

    -Como sempre, a imprensa, desmamada e suja, ao invés de informar – o que seria esperado dos jornalistas – procura apenas produzir a cizânia, a discórdia entre os governantes, torcendo para que o Brasil afunde ainda mais!

  5. “Se você quiser que eu bote governadores, secretários de grandes cidades, vai ter 200 caras. Sabe o que vai resolver? Nada. Nada”,”

    -Ora, os governadores já não estão lá?
    -Então porque não resolveram antes?

  6. Colocar 15 governadores e 60 secretários para tratar de um assunto que eles vem ignorando não daria certo mesmo. Boa atitude do PR.
    A produtividade de uma comissão é inversamente proporcional ao numero de participantes.
    O ideal seriam três: um morto, outro em viagem e um para resolver tudo.

  7. Essa é para refletir :

    O idiota é presidente…certo ? Certo .

    O Assunto é sobre a Região Amazônica e seu Bioma Certo ? Certo.

    Nessa Região , há vários Estados envolvidos na questão Certo ? Certo .

    Nestes Estados vivem uma população em cada Estado Federado Certo ? Certo .

    Essa População tem o direito de saber o que está ocorrendo nessa região partindo do principio Federativo de cada Estado Certo ? Certo .

    Então pergunta-se : Qual o problema na participação dos Governadores (eleitos de forma democrática pela população ) nessa discussão e debates sobre a situação da Amazônia Legal ?

    Mais uma prova que esse Asno que foi eleito nada entende de principio Federativo, um Asno que só fala bobagens e não entende os ditames legais do que é uma Federação.

    Eu se fosse um Governador de Estado desta Região faria uma consulta ao STF ..sobre essa “estranha” exclusão.

    YAH SEJA LOUVADO SEMPRE .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *