Saída honrosa de Cunha é aprovar impeachment e fazer delação

Carlos Newton

No imundo tabuleiro do xadrez da política brasileira, poucos são os que se salvam. Lula tinha razão quando foi eleito deputado federal constituinte e denunciou que havia 300 picaretas na Câmara. Cumpriu pessimamente o mandato, não discursava nem apresentava projetos, era uma nulidade do mesmo porte de Roberto Campos e Delfim Neto, que jamais fizeram um só discurso, jamais presidiram as comissões de Economia nem se conhece nenhuma lei que algum deles tenha proposto.

Entre os 300 de Esparta, digo, da Esplanada, Lula deixou de incluir o picareta-mor, ele próprio, que vai ficar na História como o político que conseguiu desmoralizar a política tradicional, a política sindical e a política ideológica. Não é pouco coisa, mesmo.

Poderia ter ficado na História Universal como um dos maiores líderes da humanidade, comparável a Nelson Mandela, mas se perdeu no meio do caminho, depois de receber títulos honoríficos de universidades dos mais diversos países. Hoje, todos sabem que perderam tempo e prestígio ao homenageá-lo, porque ele não passa de um político corrupto e enganador, como tantos outros.

CUNHA TAMBÉM ENGANOU

Na política brasileira, os exemplos se multiplicam. Eduardo Cunha também conseguiu enganar muita gente. No início da carreira, surgiram várias denúncias de corrupção contra ele, mas jamais sofreu condenação judicial. Como muitos outros, entrou para a Assembleia de Deus, Ministério de Madureira, onde nunca morou, e fez uma meteórica carreira político-religiosa. Simultaneamente, enriqueceu com a maior facilidade, largou a primeira mulher e casou com a apresentadora mais bonita da TV Globo. Tudo ia maravilhosamente, até que assumiu a liderança do PMDB, ganhou musculatura política, enfrentou o governo Dilma e se elegeu com facilmente para a Presidência da Câmara.

Saiu-se muito bem, fez a Câmara trabalhar como nunca, batendo recordes de produtividade, até que seu nome surgiu na lista do procurador-geral Rodrigo Janot, como um dos envolvidos da Lava Jato.

De lá para cá, sua vida virou um inferno, seu enriquecimento ilícito veio à tona e a carreira político-religiosa não existe mais.

PERSEGUIDO POR JANOT

A favor de Eduardo Cunha, não se pode desconhecer que realmente está sendo perseguido por Janot, que também não é flor que cheire, como se dizia antigamente, conforme o senador Fernando Collor já demonstrou.

É impressionante como a investigação contra Cunha avança a toda velocidade, enquanto os demais inquéritos dormem nas gavetas do Ministério Público Federal. Como deputado, seu inquérito deveria correr em sigilo, mas Janot alimenta diariamente a imprensa contra Cunha e nada lhe acontece nem acontecerá.

Enquanto isso, os demais políticos envolvidos na Lava Jato, que são dezenas e incluem figuras carimbadas, como Lula, Dilma, Lobão, Roseana, Barbalho, Renan e Cia. Ltda., ainda continuam sonhando com uma possível impunidade.

A SAÍDA DE CUNHA

Para o deputado Eduardo Cunha, a única alternativa hoje é buscar pelo menos uma saída honrosa – ou até gloriosa. Ele precisa aceitar logo o novo pedido de impeachment a ser apresentado nesta terça-feira pelo jurista Helio Bicudo e conduzir pessoalmente o trâmite do afastamento de Dilma. E depois, quando for incriminado pelo Supremo, deve se oferecer para delação premiada e contar tudo o que sabe sobre os grandes negócios que são feitos nos bastidores da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes.

Se agir assim, com um mínimo de dignidade, no apagar das luzes de sua carreira, Cunha vai ser julgado e cumprir pena, mas depois poderá andar sempre de cabeça erguida, por ter cumprido seu dever, como ocorreu com Roberto Jefferson, que hoje entra em qualquer restaurante e não é insultado nem vaiado. Pelo contrário, é sempre festejado.

O país inteiro ficaria devendo a Cunha por este gesto nobre, que significará o sepultamento político de Lula, Dilma e de grande parte dos 300 picaretas que infestam a política nacional e se vendem por 30 dinheiros.

45 thoughts on “Saída honrosa de Cunha é aprovar impeachment e fazer delação

    • …à exceção da entrada na vida particular religiosa e nupcial, SUBSCREVO…foi bom lembrar que o picareta lula não combateu os 300 de esparta ou da esplanada…

  1. Carlos Newton, se esse Cunhento tiver juízo, fará isto mesmo que você profetiza. Tem outra saída não. Sobretudo com uma pressão irresistível: a mulher e a filha. Ele já insinuou: cai, mas levará um bocado com ele. É. Nem tudo dá certo do começo ao fim.

  2. Carlos Newton, brilhante artigo, é a unica saída para o Cunha,- se ele tiver a inteligência que propaga, obviamente- adotará está saída. Parabéns jornalista, é uma das poucas inteligências jornalística que viceja neste País, o resto é amestrado e sem moral

  3. Caríssimo Carlos Newton, discordo do último parágrafo, ninguém ficaria devendo nada a Eduardo Cunha, esta é uma obrigação dele, se sabe o que se passa no meio desta sujeirada política, deveria abrir o bico e contar tudo que sabe, nenhum brasileiro ficaria devendo nada a ele, pelo contrário, ele é quem ficaria com esta dívida com o povo brasileiro, é preciso achar que nós, brasileiros, devemos algo a quem fala o que ocorreu nos bastidores do poder, principalmente estas falcatruas onde amealharam fortunas do erário público, seria respaldar a IMPUNIDADE.

      • Tudo bem, seria uma saída de oportunidade, como sempre. Mas …

        “Se agir assim, com um mínimo de dignidade, no apagar das luzes de sua carreira, Cunha vai ser julgado e cumprir pena, mas depois poderá andar sempre de cabeça erguida, por ter cumprido seu dever, como ocorreu com Roberto Jefferson, que hoje entra em qualquer restaurante e não é insultado nem vaiado. Pelo contrário, é sempre festejado”

        … é demais.

        Delatou porque imaginou que iria morrer (há países que precisam de cadáveres) e abriu o bico. Mas ficou com os seis milhões de reais dos dez que Dirceu prometeu e não cumpriu. Quem o festeja ? De que maneira ? Ficam felizes porque continuou com o dinheiro apesar de condenado ? Você está querendo dizer que o crime compensa ?

        • kkkkkkkkkk Verdade, Carlos! O ladrão delata o esquema criminoso porque é contrariado nos seus interesses e é celebrado como herói, inclusive por parte da imprensa……kkkkkkkkkkkkk

  4. Caro CN … Saudações!

    Continuação de comentários que fiz em http://tribunadainternet.com.br/frota-de-carros-de-cunha-esta-avaliada-em-r-1-milhao/

    1 – Foram vários comentários cobrindo a GRANDE PROFECIA DOS 70 ANOS que vale até hoje …e vai até o Juízo Final! História, né?
    2 – Parei na parte profética que vale para os dias de hoje; então me permita algo de jornalismo, certo?
    3 – Como agir enquanto Jesus não volta???

    Abrs.

  5. OS 300 PICARETAS DE LULA JÁ SÃO 351

    LISTA NOMINAL DOS CONGRESSISTAS EM ATIVIDADE CITADOS NA JUSTIÇA

    Deputados federais em atividade que têm o rabo preso:

    Adail Carneiro (PHS-CE)
    Adalberto Cavalcanti (PTB-PE)
    Adelmo Carneiro Leão (PT-MG)
    Adelson Barreto (PTB-SE)
    Ademir Camilo (PROS-MG)
    Adilton Sachetti (PSB-MT)
    Aelton Freitas (PR-MG)
    Afonso Florence (PT-BA)
    Afonso Hamm (PP-RS)
    Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)
    Alberto Fraga (DEM-DF)
    Alceu Moreira (PMDB-RS)
    Alex Canziani (PTB-PR)
    Alex Manente (PPS-SP)
    Alfredo Kaefer (PSDB-PR)
    Alfredo Nascimento (PR-AM)
    Altineu Côrtes (PR-RJ)
    Aluisio Mendes (PSDC-MA)
    Andre Moura (PSC-SE)
    Andres Sanchez (PT-SP)
    Aníbal Gomes (PMDB-CE)
    Antonio Bulhões (PRB-SP)
    Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP)
    Ariosto Holanda (PROS-CE)
    Arlindo Chinaglia (PT-SP)
    Arnon Bezerra (PTB-CE)
    Arthur Lira (PP-AL)
    Arthur Oliveira Maia (SD-BA)
    Assis Carvalho (PT-PI)
    Átila Lins (PSD-AM)
    Átila Lira (PSB-PI)
    Augusto Carvalho (SD-DF)
    Augusto Coutinho (SD-PE)
    Bacelar (PTN-BA)
    Baleia Rossi (PMDB-SP)
    Benedita da Silva (PT-RJ)
    Benjamin Maranhão (SD-PB)
    Betinho Gomes (PSDB-PE)
    Beto Faro (PT-PA)
    Beto Mansur (PRB-SP)
    Bilac Pinto (PR-MG)
    Bonifácio de Andrada (PSDB-MG)
    Bruna Furlan (PSDB-SP)
    Cabo Daciolo (Sem partido-RJ)
    Cabo Sabino (PR-CE)
    Cabuçu Borges (PMDB-AP)
    Caetano (PT-BA)
    Caio Narcio (PSDB-MG)
    Carlos Andrade (PHS-RR)
    Carlos Bezerra (PMDB-MT)
    Carlos Henrique Gaguim (PMDB-TO)
    Carlos Manato (SD-ES)
    Carlos Marun (PMDB-MS)
    Carlos Melles (DEM-MG)
    Carlos Sampaio (PSDB-SP)
    Carmen Zanotto (PPS-SC)
    Célio Silveira (PSDB-GO)
    Celso Jacob (PMDB-RJ)
    Celso Maldaner (PMDB-SC)
    Celso Russomanno (PRB-SP)
    César Halum (PRB-TO)
    César Messias (PSB-AC)
    Cesar Souza (PSD-SC)
    Cícero Almeida (PSD-AL)
    Clarissa Garotinho (PR-RJ)
    Cleber Verde (PRB-MA)
    Conceição Sampaio (PP-AM)
    Cristiane Brasil (PTB-RJ)
    Dagoberto (PDT-MS)
    Damião Feliciano (PDT-PB)
    Daniel Almeida (PC do B-BA)
    Daniel Coelho (PSDB-PE)
    Danilo Forte (PSB-CE)
    Darcísio Perondi (PMDB-RS)
    Décio Lima (PT-SC)
    Delegado Edson Moreira (PTN-MG)
    Delegado Waldir (PSDB-GO)
    Dilceu Sperafico (PP-PR)
    Domingos Neto (PROS-CE)
    Domingos Sávio (PSDB-MG)
    Edinho Araújo (PMDB-SP)
    Edinho Bez (PMDB-SC)
    Edio Lopes (PMDB-RR)
    Edmar Arruda (PSC-PR)
    Edmilson Rodrigues (PSOL-PA)
    Eduardo Barbosa (PSDB-MG)
    Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
    Eduardo Cury (PSDB-SP)
    Eduardo da Fonte (PP-PE)
    Efraim Filho (DEM-PB)
    Elcione Barbalho (PMDB-PA)
    Eli Corrêa Filho (DEM-SP)
    Enio Verri (PT-PR)
    Erika Kokay (PT-DF)
    Erivelton Santana (PSC-BA)
    Esperidião Amin (PP-SC)
    Evair de Melo (PV-ES)
    Ezequiel Fonseca (PP-MT)
    Fábio Faria (PSD-RN)
    Fábio Mitidieri (PSD-SE)
    Fábio Ramalho (PV-MG)
    Fabio Reis (PMDB-SE)
    Fábio Sousa (PSDB-GO)
    Fausto Pinato (PRB-SP)
    Felipe Bornier (PSD-RJ)
    Félix Mendonça Júnior (PDT-BA)
    Fernando Jordão (PMDB-RJ)
    Fernando Torres (PSD-BA)
    Flaviano Melo (PMDB-AC)
    Francisco Floriano (PR-RJ)
    Genecias Noronha (SD-CE)
    Geraldo Resende (PMDB-MS)
    Giacobo (PR-PR)
    Gilberto Nascimento (PSC-SP)
    Giovani Cherini (PDT-RS)
    Giuseppe Vecci (PSDB-GO)
    Gorete Pereira (PR-CE)
    Goulart (PSD-SP)
    Helder Salomão (PT-ES)
    Hélio Leite (DEM-PA)
    Henrique Fontana (PT-RS)
    Heráclito Fortes (PSB-PI)
    Herculano Passos (PSD-SP)
    Heuler Cruvinel (PSD-GO)
    Hildo Rocha (PMDB-MA)
    Hissa Abrahão (PPS-AM)
    Hugo Leal (PROS-RJ)
    Iracema Portella (PP-PI)
    Irajá Abreu (PSD-TO)
    Izalci (PSDB-DF)
    Jair Bolsonaro (PP-RJ)
    Janete Capiberibe (PSB-AP)
    Jefferson Campos (PSD-SP)
    Jerônimo Goergen (PP-RS)
    João Arruda (PMDB-PR)
    João Campos (PSDB-GO)
    João Carlos Bacelar (PR-BA)
    João Castelo (PSDB-MA)
    João Daniel (PT-SE)
    João Marcelo Souza (PMDB-MA)
    João Paulo Papa (PSDB-SP)
    João Rodrigues (PSD-SC)
    Jony Marcos (PRB-SE)
    Jorge Solla (PT-BA)
    José Fogaça (PMDB-RS)
    José Mentor (PT-SP)
    José Otávio Germano (PP-RS)
    José Priante (PMDB-PA)
    José Reinaldo (PSB-MA)
    Jose Stédile (PSB-RS)
    Josi Nunes (PMDB-TO)
    Josué Bengtson (PTB-PA)
    Jovair Arantes (PTB-GO)
    Jozi Araújo (PTB-AP)
    Júlio Cesar (PSD-PI)
    Julio Lopes (PP-RJ)
    Junior Marreca (PEN-MA)
    Juscelino Filho (PRP-MA)
    Kaio Maniçoba (PHS-PE)
    Laercio Oliveira (SD-SE)
    Laerte Bessa (PR-DF)
    Lázaro Botelho (PP-TO)
    Lelo Coimbra (PMDB-ES)
    Leonardo Monteiro (PT-MG)
    Leonardo Picciani (PMDB-RJ)
    Leonardo Quintão (PMDB-MG)
    Leônidas Cristino (PROS-CE)
    Leopoldo Meyer (PSB-PR)
    Lincoln Portela (PR-MG)
    Lindomar Garçon (PMDB-RO)
    Luciana Santos (PC do B-PE)
    Lucio Mosquini (PMDB-RO)
    Lucio Vieira Lima (PMDB-BA)
    Luis Carlos Heinze (PP-RS)
    Luis Tibé (PT do B-MG)
    Luiz Carlos Busato (PTB-RS)
    Luiz Cláudio (PR-RO)
    Luiz Fernando Faria (PP-MG)
    Luiz Nishimori (PR-PR)
    Luiza Erundina (PSB-SP)
    Luizianne Lins (PT-CE)
    Macedo (PSL-CE)
    Magda Mofatto (PR-GO)
    Mainha (SD-PI)
    Major Olimpio (PDT-SP)
    Mandetta (DEM-MS)
    Marcelo Aguiar (DEM-SP)
    Marcelo Matos (PDT-RJ)
    Marcelo Squassoni (PRB-SP)
    Marcio Alvino (PR-SP)
    Marco Maia (PT-RS)
    Marco Tebaldi (PSDB-SC)
    Marcon (PT-RS)
    Marcos Montes (PSD-MG)
    Marcos Reategui (PSC-AP)
    Marcos Rotta (PMDB-AM)
    Marcos Soares (PR-RJ)
    Marcus Vicente (PP-ES)
    Margarida Salomão (PT-MG)
    Maria do Rosário (PT-RS)
    Marinaldo Rosendo (PSB-PE)
    Marinha Raupp (PMDB-RO)
    Marquinho Mendes (PMDB-RJ)
    Marx Beltrão (PMDB-AL)
    Maurício Quintella Lessa (PR-AL)
    Mauro Mariani (PMDB-SC)
    Mauro Pereira (PMDB-RS)
    Max Filho (PSDB-ES)
    Miguel Haddad (PSDB-SP)
    Miguel Lombardi (PR-SP)
    Missionário José Olimpio (PP-SP)
    Moema Gramacho (PT-BA)
    Nelson Marquezelli (PTB-SP)
    Nelson Meurer (PP-PR)
    Newton Cardoso Jr (PMDB-MG)
    Nilson Leitão (PSDB-MT)
    Nilton Capixaba (PTB-RO)
    Odelmo Leão (PP-MG)
    Odorico Monteiro (PT-CE)
    Osmar Terra (PMDB-RS)
    Otavio Leite (PSDB-RJ)
    Padre João (PT-MG)
    Paes Landim (PTB-PI)
    Pastor Franklin (PT do B-MG)
    Pauderney Avelino (DEM-AM)
    Paulo Feijó (PR-RJ)
    Paulo Foletto (PSB-ES)
    Paulo Magalhães (PSD-BA)
    Paulo Maluf (PP-SP)
    Paulo Pereira da Silva (SD-SP)
    Paulo Pimenta (PT-RS)
    Paulo Teixeira (PT-SP)
    Pedro Fernandes (PTB-MA)
    Pedro Uczai (PT-SC)
    Pedro Vilela (PSDB-AL)
    Pompeo de Mattos (PDT-RS)
    Pr. Marco Feliciano (PSC-SP)
    Professor Victório Galli (PSC-MT)
    Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO)
    Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE)
    Raquel Muniz (PSC-MG)
    Raul Jungmann (PPS-PE)
    Renata Abreu (PTN-SP)
    Renato Molling (PP-RS)
    Ricardo Barros (PP-PR)
    Ricardo Teobaldo (PTB-PE)
    Roberto Alves (PRB-SP)
    Roberto Balestra (PP-GO)
    Roberto Britto (PP-BA)
    Roberto Góes (PDT-AP)
    Rocha (PSDB-AC)
    Rogério Marinho (PSDB-RN)
    Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC)
    Rogério Rosso (PSD-DF)
    Rômulo Gouveia (PSD-PB)
    Ronaldo Benedet (PMDB-SC)
    Ronaldo Carletto (PP-BA)
    Ronaldo Lessa (PDT-AL)
    Ronaldo Nogueira (PTB-RS)
    Roney Nemer (PMDB-DF)
    Rossoni (PSDB-PR)
    Rubens Bueno (PPS-PR)
    Rubens Otoni (PT-GO)
    Ságuas Moraes (PT-MT)
    Sandes Júnior (PP-GO)
    Sarney Filho (PV-MA)
    Sérgio Moraes (PTB-RS)
    Sergio Souza (PMDB-PR)
    Sergio Vidigal (PDT-ES)
    Shéridan (PSDB-RR)
    Silas Brasileiro (PMDB-MG)
    Silas Câmara (PSD-AM)
    Silas Freire (PR-PI)
    Silvio Costa (PSC-PE)
    Silvio Torres (PSDB-SP)
    Simão Sessim (PP-RJ)
    Simone Morgado (PMDB-PA)
    Subtenente Gonzaga (PDT-MG)
    Takayama (PSC-PR)
    Toninho Pinheiro (PP-MG)
    Toninho Wandscheer (PT-PR)
    Valadares Filho (PSB-SE)
    Valmir Assunção (PT-BA)
    Valmir Prascidelli (PT-SP)
    Valtenir Pereira (PROS-MT)
    Vander Loubet (PT-MS)
    Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB)
    Vicente Candido (PT-SP)
    Vinicius Gurgel (PR-AP)
    Vitor Lippi (PSDB-SP)
    Waldir Maranhão (PP-MA)
    Walney Rocha (PTB-RJ)
    Washington Reis (PMDB-RJ)
    Wellington Roberto (PR-PB)
    Wladimir Costa (SD-PA)
    Zé Carlos (PT-MA)
    Zeca Cavalcanti (PTB-PE)
    Zeca Dirceu (PT-PR)
    Zeca do PT (PT-MS)

    Senadores em atividade que têm o rabo preso:
    Acir Gurgacz (PDT-RO)
    Angela Portela (PT-RR)
    Antonio Anastasia (PSDB-MG)
    Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)
    Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
    Benedito de Lira (PP-AL)
    Blairo Maggi (PR-MT)
    Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
    Ciro Nogueira (PP-PI)
    Dalirio Beber (PSDB-SC)
    Dário Berger (PMDB-SC)
    Davi Alcolumbre (DEM-AP)
    Delcídio do Amaral (PT-MS)
    Donizeti Nogueira (PT-TO)
    Edison Lobão (PMDB-MA)
    Eduardo Amorim (PSC-SE)
    Elmano Férrer (PTB-PI)
    Eunício Oliveira (PMDB-CE)
    Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)
    Fernando Collor (PTB-AL)
    Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
    Gladson Cameli (PP-AC)
    Gleisi Hoffmann (PT-PR)
    Humberto Costa (PT-PE)
    Ivo Cassol (PP-RO)
    Jader Barbalho (PMDB-PA)
    João Capiberibe (PSB-AP)
    Jorge Viana (PT-AC)
    José Maranhão (PMDB-PB)
    José Serra (PSDB-SP)
    Lídice da Mata (PSB-BA)
    Lindbergh Farias (PT-RJ)
    Lúcia Vânia (Sem partido-GO)
    Magno Malta (PR-ES)
    Marta Suplicy (PMDB-SP)
    Omar Aziz (PSD-AM)
    Otto Alencar (PSD-BA)
    Paulo Bauer (PSDB-SC)
    Paulo Rocha (PT-PA)
    Reguffe (PDT-DF)
    Renan Calheiros (PMDB-AL)
    Roberto Requião (PMDB-PR)
    Romero Jucá (PMDB-RR)
    Ronaldo Caiado (DEM-GO)
    Sérgio Petecão (PSD-AC)
    Simone Tebet (PMDB-MS)
    Tasso Jereissati (PSDB-CE)
    Valdir Raupp (PMDB-RO)
    Vanessa Grazziotin (PC do B-AM)
    Vicentinho Alves (PR-TO)
    Wellington Fagundes (PR-MT)
    Zeze Perrella (PDT-MG)

    • Prezado Ricardo Froes,

      Peço-lhe que cite a fonte de onde você extraiu esta lista de parlamentares denunciados à Justiça. De sua lista, constam quatro parlamentares do PPS. Se confirmado que quatro parlamentares do PPS estão denunciados à Justiça com indícios de crimes, ou participação no Petrolão, retirarei meu apoio ao PPS. Busquei na internet por alguma informação a respeito, mas nada encontrei. Ao contrário, o que encontrei foi um posicionamento do deputado Sandro Alex, do PPS, propugnando que não fisesse parte de Comissão de Ética qualquer deputado denunciado à Justiça, como abaixo:

      Publicado em 10/03/2015

      Descrição:
      O deputado federal Sandro Alex (PPS-PR) quer o afastamento de parlamentares integrantes do Conselho de Ética e que são alvo dos inquéritos que acabam de chegar ao STF (Supremo Tribunal Federal)para investigar desvio de recursos da Petrobras, o chamado escândalo do Petrolão. Na próxima quarta-feira, quando da reunião em que os integrantes do colegiado serão empossados, Sandro apresentará questão de ordem ao novo presidente do Conselho sobre o assunto.

      “Não queremos prejulgar ninguém, mas essa função no Conselho de Ética não pode ser exercida por quem está sendo investigado. É incompatível que a instância máxima do Parlamento que analisa os processos de quebra de decoro parlamentar tenha entre seus membros denunciados na Justiça”, defendeu.

      Para ele, seria prudente que esses parlamentares se afastassem espontaneamente do colegiado, para que haja isenção no julgamento de futuros processos de cassação. “Não podemos passar para a sociedade nenhum tipo de suspeição. Isso (a imparcialidade) é o mínimo que a população espera desta Casa”, argumentou.

      Sandro Alex disse ainda que o afastamento de parlamentares que foram denunciados pelo Ministério Público vai possibilitar que as decisões que o Conselho de Ética vier a tomar sobre o fato tenham mais força. “É pertinente que esse julgamento seja feito com pessoas que não tenham nenhuma ligação direta com a denúncia”, reforçou o parlamentar.

        • Prezado Ricardo Froes,

          A citação do líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno, foi por uma denúncia de 2013 no Paraná de que a filha de Rubens, candidata a vereadora no Paraná, teria usado Caixa 2. O inquérito subiu ao STF porque Rubens Bueno foi arrolado como parte, por tratar-se de sua filha, mas a filha de Rubens foi absolvida pelo STF, nada tendo sido provado contra ela, nem mesmo o uso de Caixa 2 , Houve inclusive uma denúncia falsa, de Lauro Jardim, que foi corrigida pelo jornalista que publica a notícia abaixo:

          Rubens Bueno consegue suspender investigação contra sua filha Renata

          terça-feira, 23 de julho de 2013

          A notícia do Lauro Jardim, da Veja, reproduzida aqui e que trata sobre a investigação contra Renata Bueno continha informações erradas. Sendo assim, removemos o post original e reproduzimos abaixo notícias do site do Supremo Tribunal Federal que traz as informações corretas sobre o caso.

          Liminar remete ao STF investigação contra deputado federal

          O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, deferiu liminar para suspender a tramitação de procedimento investigatório em curso na Justiça Eleitoral relativo ao deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) e determinar a remessa dos autos ao STF. Na Reclamação (RCL) 15912, o deputado alega usurpação de competência do STF pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral de Curitiba, uma vez que caberia ao Supremo o controle judicial de investigações contra membros do Congresso Nacional.

          “A orientação jurisprudencial desta Suprema Corte é firme no sentido de que o órgão competente para o controle jurisdicional direto de investigações concernentes a eventuais crimes cometidos por parlamentares, detentores de foro especial por prerrogativa de função é, exclusivamente, o Supremo Tribunal Federal, nos termos do artigo 102, I, b, da Constituição Federal”, afirmou o ministro Ricardo Lewandowski.

          Para o ministro, em um exame preliminar, pareceu evidente a usurpação da competência jurisdicional do STF. “Diligências requeridas pelo Ministério Público Federal parecem atingir a esfera jurídica de membro do Congresso Nacional, o deputado federal Rubens Bueno, inclusive com expressa possibilidade de oitiva do citado parlamentar”, destacou o presidente em exercício.

          Segundo o pedido encaminhado ao STF, em fevereiro de 2012 foi instaurado inquérito para apurar delito de falsidade ideológica supostamente cometido por Renata Bueno, filha de Rubens Bueno, candidata ao cargo de vereador em Curitiba. O crime estaria associado a acusação de realização de esquema de “caixa 2” de campanha. Em maio deste ano o Ministério Público Federal, visando o aprofundamento das investigações, solicitou a realização de diligências que envolveriam também o deputado federal Rubens Bueno.

          • 18/05/2007 – 08h38m – Atualizado em 18/05/2007 – 08h40m Agência Estado

            CONSELHO DE ÉTICA ARQUIVA PROCESSO CONTRA JUNGMANN

            Tamanho da letra A-A+
            O Conselho de Ética da Câmara arquivou ontem, por decisão unânime, a representação do PT do B contra o deputado Raul Jungmann (PPS-PE). O partido pedia a cassação do mandato do parlamentar devido à acusação que pesa contra ele de participação num suposto desvio de R$ 33 milhões do Ministério do Desenvolvimento Agrário de 1998 a 2002 – período em que Jungmann era ministro. As acusações foram feitas pelo Ministério Público do Distrito Federal. O processo judicial está parado, pois a defesa do deputado pediu que ele seja analisado no Supremo Tribunal Federal (STF), por se tratar de ação contra um parlamentar.

            O relator do caso no conselho, deputado José Eduardo Martins Cardozo (PT-SP), alegou que Jungmann não poderia ser punido pela Câmara, já que as acusações são referentes a um período em que não era deputado – e assim não estaria caracterizada a quebra de decoro parlamentar. A Corregedoria da Câmara já havia arquivado representação semelhante, apresentada pelo deputado Eduardo Valverde (PT-RO).

            Jungmann afirmou que, mesmo que o caso não tenha sido julgado pelo seu mérito, o conselho lhe fez justiça, já que ele estaria sendo perseguido politicamente. “É claro que eu queria que o caso fosse julgado no mérito para ficar definitivamente provada a minha inocência, mas seria algo irregular”, disse. O deputado acusou o PT do B de tentar constrangê-lo politicamente e disse que está tranqüilo, pois poderá provar na Justiça que a denúncia é infundada.

        • Prezado Ednei Freitas,
          Vê-se que eu tinha razão quando meus comentários abordavam a minha descrença com relação aos parlamentares brasileiros e pertencentes a TODOS os partidos políticos existentes.
          Não quero tripudiar nesse momento, não é do meu feitio, mas, lamentavelmente, a era que vivemos sob essa forma deletéria de se fazer política no Brasil, à base de fisiologismo, interesses, conveniências pessoais e partidárias, têm nos levado ao caos neste particular.
          Não há em quem acreditar nos poderes Legislativo e Executivo, a verdade é esta!
          E com sérias dúvidas quanto à conduta do STF, onde até o eminente Hélio Bicudo reconheceu que a nossa mais Alta Corte esta a serviço do PT!
          Se retirares o apoio que tens dado com muita ênfase ao PPS neste blog, que respeito, porém não te acompanho neste dinamismo, poderás observar com mais nitidez a maneira como os partidos se conduzem nesse momento de extrema gravidade que nos encontramos, sem comando, sem que a presidência e Legislativo possuam qualquer autoridade moral para determinar qualquer medida seja ela em nosso benefício ou para aumentar mais ainda os impostos insuportáveis que já temos sobre o nosso lombo, e me reporto à teimosia de Dilma em querer implantar a CPMF mais uma vez!
          Um apena, mas definitivamente é perder tempo e sofrer decepções acreditar nas agremiações políticas brasileiras e seus parlamentares,

          • COMPARTILHE ISSO

            NOME:
            HISSA NAGIB ABRAHAO FILHO

            NOME DE URNA:
            HISSA ABRAHÃO

            NÚMERO DE URNA:
            2323

            SITUAÇÃO:
            APTO

            PARTIDO:
            PPS

            Pré-candidato ao governo do Amazonas pelo Partido Popular Socialista (PPS), Hissa Abrahão teve o anúncio de sua candidatura feiro pelo próprio presidente do PPS, deputado federal Roberto Freire, na última convenção do partido, realizada em dezembro de 2013.

            Logo após o anúncio, Hissa Abrahão enfrentou problemas em seu mandato de vice-prefeito e secretário de infraestrutura de Manaus do prefeito Artur Virgílio Neto, do Partido Social Democracia Brasileira (PSDB). Abraão foi exonerado do cargo de secretário de obras assim que fez o anúncio de sua pré-candidatura.

            HISSA ABRAHÃO E SUA CANDIDATURA

            A polêmica trouxe Hissa Abrahão com força ao noticiário do Amazonas, fortalecendo suas intenções de candidatura e a legenda do PPS como um todo.

            Economista com pós-graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas, Hissa Nagib Abrahão Filho é natural de Manaus e também possui em sua formação um mestrado em Desenvolvimento Regional pela Universidade Federal do Amazonas.

            Abrahão começou sua carreira política nas eleições municipais de 2008, quando se candidatou ao cargo de vereador da cidade de Manaus e venceu. Seu destaque na câmara dos vereadores o impulsionou para uma candidatura para o cargo de governador do Estado do Amazonas em 2010. Perdeu a eleição, mas conseguiu uma votação significativa que o postulou como uma das grandes revelações da política amazonense.

            Seu ótimo desempenho na candidatura ao governo estadual fez com que fosse convidado para ser o vice-prefeito na chapa de Artur Neto, em 2012. A chapa sagrou-se vencedora e, desde então, Abrahão ocupa o cargo de vice-prefeito.

            Novamente pré-candidato ao Governo do Amazonas, Hissa Abrahão é um candidato Ficha Limpa, não possui acusações nem antecedentes que impeçam sua candidatura.

            Sua curta, porém bem sucedida carreira política, aliada a boa formação acadêmica, bom relacionamento com o PPS nacional e a simpatia que o povo amazonense tem por ele fazem com que Abrahão seja um dos favoritos nas próximas eleições de Amazonas.

        • A propósito, saiu hoje no GLOBO online a lista de todos os envolvidos. Não há ninguém do PPS :

          BRASÍLIA — O número de políticos envolvidos no escândalo da Petrobras, derivado da Operação Lava-Jato, já chega a 62 parlamentares, ex-parlamentares, dirigentes de partido, ministros e governadores. Entre os envolvidos têm os que, até agora, foram apenas citados por delatores, os investigados — que respondem a inquérito —, os denunciados — com maiores indícios de envolvimento — e os condenados e presos.

          Os investigados formam o maior grupo, 48 ao todo. Aqueles com mandato respondem a inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) — 31 deles — , os governadores, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), e os demais, sem mandato, na primeira instância. Sete meses depois de conhecida a “lista de Janot” — do procurador-geral da República, Rodrigo Janot —, em março deste ano, e com a determinação de abertura de inquérito pelo ministro Teori Zavascki, relator do caso no STF, esses investigados vivem a expectativa do desfecho do caso. Eles têm prestado depoimentos, encaminham documentos e aguardam a manifestação a Polícia Federal, que comanda a investigação ainda em curso. Em muitos casos, a PF tem solicitado mais prazos no inquérito ou quebras de sigilos bancário, fiscal e telefônico.

          Até o momento, foram seis os denunciados pelo procurador-geral, entre eles, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-presidente da República, Fernando Collor de Mello (PTB). Dois políticos já foram condenados e estão presos: o ex-deputado petista André Vargas e o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari. Estão presos mas ainda não foram julgados o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-deputado Luiz Argôlo, que era filiado do Solidariedade.

          Os outros quatro da lista são os que foram citados na delação premiada do lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, e seus nomes vieram à tona na semana passada: o senador e presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), Delcídio Amaral (PT-MS) e Jader Barbalho (PMDB-PA), além do ex-ministro das Minas e Energia, Silas Rondeau, que ocupou o cargo no governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

          Os envolvidos na Lava-Jato são ou já foram filiados a sete partidos. O Partido Progressista (PP) continua no topo da lista, com 31 políticos na Lava-Jato; PT e PMDB, cada um, têm 12 nesse grupo; o PSB tem 2; o PSDB, o PTB e o Solidariedade, um cada; e dois sem partido.

          Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/lava-jato-62-parlamentares-lideres-de-partido-envolvidos-17812722#ixzz3p1y5TJqV
          © 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

        • No Conselho de Ética e Decoro, dos 22 deputados, 9 têm pendências judiciais:

          1. Washington Reis PMDB/RJ 29 (!)
          2. Erivelton Santana PSC/BA 3
          3. Wladimir Costa SD/PA 3
          4. Ricardo Barros PP/PR 2
          5. Valmir Prascidelli PT/SP 2
          6. Vinicius Gurgel PR/AP 2
          7. Fausto Pinato PRB/SP 1
          8. Wellington Roberto PR/PB 1
          9. Betinho Gomes PSDB/PE 1

          Limpos:
          10. Arnaldo Faria de Sá PTB/SP (Gab. 929-IV)
          11. Cacá Leão PP/BA (Gab. 320-IV)
          12. Mauro Lopes PMDB/MG (Gab. 844-IV)
          13. Paulo Azi DEM/BA (Gab. 635-IV)
          14. José Carlos Araújo PSD/BA (Gab. 232-IV)
          15. Leo de Brito PT/AC (Gab. 619-IV)
          16. Sérgio Brito PSD/BA (Gab. 638-IV)
          17. Zé Geraldo PT/PA (Gab. 266-III)
          18. Júlio Delgado PSB/MG (Gab. 323-IV)
          19. Nelson Marchezan Junior PSDB/RS (Gab. 250-IV)
          20. Sandro Alex PPS/PR (Gab. 221-IV)
          21. Marcos Rogério PDT/RO (Gab. 930-IV)
          22. Eliziane Gama REDE/MA (Gab. 205-IV)

          • Conselho de Ética estranho…5 deputados são da Bahia. Por que tanta representatividade concentrada em um estado? São Paulo tem 3 representantes, MG tem 2 e RJ apenas 1. Já os baianos….

          • Prezado Ricardo Froes,

            Na lista acima, com pendências judiciais, não há ninguém do PPS. Na lista logo a seguir, de parlamentares “limpos” consta o nome do deputado federal Sandro Alex (PPS). Na verdade o número Sandro Alex PPS/PR (Gab. 221-IV) é referente à posição dele no debate sobra Reforma Política na Câmara.

            Por outro lado, procurei febrilmente por pendência judicial contra a deputada Carmen Zanotto (PPS-SC) , mas só encontrei obras, intervenções, trabalho parlamentar, que pode ser verificado. Usei o seguinte critério: a cada deputado do PPS apontado digitei no google a seguinte expressão: “As acusações que pesam sobre o deputado (PPS) fulano de tal “. Peço encarecidamente não só a você mas a todos os comentaristas de boa vontade, que me ajudem na busca, porque desejo tirar a limpo se há algo que tenha manchado a carreira política de algum parlamentar do PPS – as que encontrei até agora, sobre o valente e atuante líder do PPS-PR na Câmara, Rubens Bueno, sobre o deputado federal (PPS-PE) Raul Jungmann são acusações antigas, uma delas acusando a filha de Rubens de Caixa 2 numa eleição de 2012 em Curitiba, os deputados foram inocentados. Até agora não encontrei parlamentar do PPS envolvido em Petrolão, Mensalão, Eletrolão ou assalto a fundo de pensões. Mas continuo aberto para a verdade. Se algum comentarista souber de uma denúncia ainda em atividade contra parlamentar do PPS, peço humildemente o favor de colocar nos comentários da Tribuna da Internet.

            Meu querido amigo e comentarista Francisco Bendl,

            Li seu questionamento e sei de sua indisposição com todos os políticos existentes. Mas quanto ao PPS, ainda não foi desta vez que o partido apareceu chamuscado por irregularidades, ou enlameado pelo assalto aos bens públicos, tais como foram PT, PMDB, PP e outros partidos. No momento que eu souber que algum parlamentar do PPS está envolvido em corrupção, não terei dúvida em tirar o meu apoio.

            Abraços,

            Ednei Freitas

  6. O nosso capaz, excelente jornalista e Mediador, Carlos Newton, faz as suas elucubrações a respeito daquilo que seria mais digno ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha.
    Longe de mim querer contestá-lo, mas o problema dos nossos parlamentares é exatamente este:
    A ausência de dignidade!
    Cunha pode negociar, vender, comprar, fazer escambos, mas apelar para o que não tem e desconhece, jamais.
    A vaidade, o orgulho, a soberba, estão acima de atos dignos, honrados, decentes, corretos, em se tratando de “homens públicos”, invariavelmente interesseiros, desonestos e corruptos.
    E existe outro detalhe de fundamental importância, que pode deixar este parlamentar imune a processos de cassação de seu mandato, mesmo tendo mentido solenemente à CPI do petrolão, que é um possível acordo com Dilma, orquestrado pelo capo Lula, e atual poderosa eminência parda.
    Desta forma, imaginar-se lampejos de honra neste parlamentar acostumado a agir nas sombras, de maneira permanentemente deletéria, traidora do Brasil e de seu povo, é como se fosse sonhar com a Mega Sena como único ganhador de cem milhões de reais, e arquitetar os planos mais mirabolantes para usar esta dinheirama como deleite e prazer.
    Afirmo, taxativamente:
    Com relação aos nossos parlamentares em todas as esferas, só podemos esperar decepção e ler sobre eles nas colunas policiais!

    • Bom di Bendl.
      É a única maneira dele salvar um pouco a sua pele e da sua família. Faz um tempinho que escrevie que a saída seria ele abrir o processo, procurar o MPF/PR, que já procurou´renunciar e fazer uma premiada.
      Ele não vai fazer isso pela sua integridade de caráter, ao contrário.

      • Bom Dia, Tamberlini,
        Deixa eu ver se entendi:
        Tu acreditas que o Cunha determinará a abertura do processo de impeachment de Dilma e recorrerá depois à delação premiada?
        E esta atitude do parlamentar é justamente por que não tem caráter?
        Pode ser.
        Mas o Cunha estaria renegando a sua natureza, e acredito que ele não tenha esta coragem em denunciar o que sabe sobre o petrolão, e nem abordo a questão sob o prisma da dignidade, algo absolutamente desconhecido de nossos parlamentares, mas à decisão de denunciar, que não creio que ele tenha tutano para isso.
        Um abraço.

  7. 4 – “Eu vos digo: fazei-vos amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles vos recebam nos tabernáculos eternos”. (Lc 16,9) … … … Temos Jesus nos ensinando também a delação premiada???
    Há os que ficam ricos de maneira injusta … Jesus recomenda a eles fazer amigos entre os pobres … para que no dia do Juízo Final … os pobres os defendam … certo??? Ponto para Bolsa Família, né???
    5 – “13. Disse-lhe então alguém do meio do povo: Mestre, dize a meu irmão que reparta comigo a herança. 14. Jesus respondeu-lhe: Meu amigo, quem me constituiu juiz ou árbitro entre vós? (Lc 12)
    Ou seja: enquanto Jesus não vem … temos que recorrer à Justiça … certo???
    6 – “Aliás, quando estávamos convosco, nós vos dizíamos formalmente: Quem não quiser trabalhar, não tem o direito de comer”. (2Ts 3,10)
    … … …
    Estas 3 passagens são bem claras no sentido de evitarmos a crise social … não adianta impedir Dona Dilma … não adianta afastar o Eduardo Cunha … E OS OUTROS??? ??? ???

    É por isto que tenho sugerido nova ANISTIA AMPLA GERAL E IRRESTRITA … a em vigor foi em relação a atos subversivos (como se dizia na época) … e a nova seria para atos de corrupção!!! !!! !!! ora, a delação premiada não carrega algo de anistia??? ??? ???

    Sugiro então que não cheguemos à crise social … que poderá afetar a Humanidade inteira se ela chegar à Agropecuária … pois o Brasil hoje é celeiro da Terra!!! !!! !!!

    Obrigadão, CN … pelo espaço democrático!!! ADEUS!!! !!! !!!

  8. Absolutamente da acordo, Carlos Newton, no entanto, considerando que o PT não sabe jogar limpo e que as acusações contra Cunha tem viés de desmoralizar quem ousa enfrentar os meliantes oficiais, imagina se essas contas supostamente de Cunha tivessem sido feitas por terceiros com intuito de encriminá-lo? Isso seria possível? Digo isso pq chama atenção que, devido ao longo histórico na vida pública de Eduardo Cunha, 2 ou 5 milhões de dólares pode ser considerado mixaria em comparação ao que tinha ou tem ainda Barusco, PRCosta, Cerveró entre outros… Cunha insiste em negar que tenha contas ilegais. Quem pode duvidar da capacidade petista de enganar as multidões? De toda forma, sendo mentira ou não , o PT jogou sujo ao envolver a mulher e principalmente a filha de Cunha. A besta fera tá ferida! Bota pra votar, Cunha!

  9. E ainda, outro Cunha, o petista João Paulo, não sofreu essa pressão por parte do PSOL, dos queridinhos da Globo Chico Alencar e o bigbosta Jean Willis, quando fora presidente da câmara na crise do mensalão..

  10. Bom Dia!

    Prezado Jornalista Carlos Newton, parabéns, mais uma vez, pela luta democrática diuturna desse espaço, com tantos abnegados que aqui sofrem por recusarem alienar-se.

    Para essa tropa da pesada livrar-se de Mateus, “38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente.”, só mesmo recorrendo ao Santo Francisco Xavier: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. – Chico Xavier”

    Acho que você já começou a mostrar o caminho das pedras para um dos componentes da elite.

    Abs.

  11. Não conheço nenhum ilícito contra o Senador Reguffe, ao contrário ele tem dado exemplo
    de austeridade, embora seja do PDT, mantém uma política independente.

  12. Caro Newton, reivindico para mim o direito de ser o primeiro perseguidor de Eduardo Cunha. Desde o momento em que ele disse em relação ao procurador Janot, “agora é guerra”. Afirmei que Cunha era bandido. Recordei alguns passos dele aqui no Rio de Janeiro. Lembrei até um de seus sequazes, o argentinos de nome La Salvia. Cunha era tido como um provável candidato a presidente da república em 2018. Eu afirmei que não apostava um “tostão furado” nele. Como eu previa, Cunha está MAIS ENROLADO QUE PAPEL HIGIÊNICO. Hoje 200 milhões de brasileiros menos seu fã club, são seus perseguidores.

  13. Froes, é surpreendente Reguffe estar nessa lista. Reguffe é assediado por Marina que diz ser ele e Cristovam do PDT os únicos que podem entrar na Rede. Também tem o convite do PSDB para que ele entrando no partido seja vice do Alkimin em 2018. É a coisa está feia.

  14. O senador Blairo Maggi é arquimilionário. Tem terras do tamanho da Bélgica. Vão de Mato Grosso até Santarém-PA , na confluência do Rio Tapajós com Amazonas.

  15. Saída honrosa para o Eduardo Cunha !!! Colocar em pauta um Golpe !!! Virar delator !!!
    Realmente muito bom e ainda tem algo a favor do Eduardo Cunha, “perseguido pelo Janot”.
    Será que este milhões todos é tudo mentira, não é dele?
    Copiando do Sr. Aquino:
    “Hoje 200 milhões de brasileiros menos seu fã club, são seus perseguidores.”

  16. FHC sobre Dilma no Clarin:

    . “No governo Lula houve muita permissividade para que houvesse manipulação para beneficiar quem está no poder. Dilma é presa do sistema. Eu não acho que ela tenha abusado do poder para obter ganhos pessoais”.

    . “Acho que Dilma tem a responsabilidade política, naturalmente, mas não vejo de maneira nenhuma que ela tenha pessoalmente se beneficiado pela corrupção”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *