Saúde na liquidação de Ministérios

Indicação de Manoel Junior é para agradar Cunha

Bernardo Mello Franco
Folha

A oferta do Ministério da Saúde aos deputados do PMDB dá a dimensão do desespero do Planalto. Com o mandato em risco, a presidente Dilma Rousseff entregou uma das pastas mais sensíveis do governo ao balcão de negócios. Está oficialmente aberta a temporada do vale-tudo contra a ameaça do impeachment.

As pesquisas apontam a saúde como o principal problema dos brasileiros. Com o agravamento da crise, a demanda pela rede pública só vai crescer, à medida que mais famílias serão obrigadas a abrir mão dos planos privados. É nesse contexto que o ministério bilionário virou moeda de troca por votos na Câmara.

O favorito para assumir o cargo é um ilustre desconhecido do setor: o deputado Manoel Junior, do PMDB da Paraíba. Sua maior experiência na gestão de saúde foi como administrador do hospital de Pedras de Fogo, um município de 28 mil habitantes.

O deputado é homem da confiança de Eduardo Cunha, que simula desinteresse no leilão de ministérios. Em sintonia com ele, notabilizou-se por relatar medidas provisórias recheadas de “jabutis”, emendas sem ligação com o tema original.

Em 2014, foi relator da MP das Farmácias, salpicada de artigos para dificultar a vida de pequenos frigoríficos. Deputados do PSOL o acusaram de favorecer a JBS, grande doadora de campanhas. Neste ano, ele relatou a MP 668, que ganhou “jabutis” para facilitar a construção do “parlashopping” e anular multas a igrejas evangélicas que sonegaram imposto.

EMBARAÇO MENOR

Diante desse currículo, a entrevista em que Manoel Junior sugeriu a renúncia da presidente parece um embaraço menor à sua nomeação.

Os aliados de Dilma alegam que ela não tinha alternativa, mas sabem que a liquidação de ministérios pode não ser suficiente para acalmar o PMDB. Nesta quinta, o partido voltará a fazer ameaças veladas, em propaganda de TV que exaltará o vice Michel Temer. No sábado, fará festa para receber a senadora Marta Suplicy, recém-convertida ao antipetismo.

(artigo enviado pelo comentarista Ednei Freitas)

11 thoughts on “Saúde na liquidação de Ministérios

  1. Quando lemos declarações deste tipo, fico pensando:
    – onde estão os petistas éticos?
    – onde estão os defensores da mudança na prática política?
    – onde andam os deputados/senadores do PT que acusavam todos os antecessores de corruptos, entreguistas e políticos sem caráter?

    ” Em reunião que durou cinco horas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aconselhou na quarta-feira, 23, a presidente Dilma Rousseff a atender a todos os pedidos do PMDB, mesmo que para isso tenha de desidratar o PT na reforma ministerial. “É melhor perder ministérios do que a Presidência”, disse Lula, segundo relato de ministros do PT que participaram da conversa, no Palácio da Alvorada.

    A portas fechadas, o ex-presidente avaliou que a estratégia montada para atrair os aliados rebeldes, entregando o Ministério da Saúde – hoje com o PT – à bancada do PMDB na Câmara deu fôlego para Dilma barrar pedidos de impeachment no Congresso.

    Além disso, para não contrariar nenhuma ala do PMDB, Dilma cogita deixar de lado a fusão das Secretarias de Portos e Aviação Civil. Com isso, o partido poderá ficar com seis ministérios, e não mais cinco, como previsto inicialmente.” DO Estadão.

    Algum brasileiro honrado, honesto, sério e ético ainda pode dizer que o país não está entregue a uma quadrilha? Continuarão a defender Lulla, Dillma e os petistas corruptos?

  2. Caro Ednei Freitas … Boa tarde!

    Posso opinar com minhas (pe)emedebices???

    1 – em http://tribunadainternet.com.br/renuncia-de-dilma-rousseff-ja-e-admitida-dentro-do-pt/ comentei 10 vezes procurando aprofundar o escrito do José Carlos Werneck;
    2 – mostrei como os deputados federais do PMDB atuam desde 2013;
    3 – indiquei os que exercem liderança;
    4 – foi uma ajuda … visto que nossos caciques Temer, Renam e Cunha desistiram de ajudar na nomeação;

    Tem um porém … se desistiram é porque aí tem!!! !!! !!!

    Será que com a bancada federal será diferente??? ou seja: o PT cumprir o que promete??? kkk KKK kkk

    • Prezado Lionço,

      Só agora li seu comentário me convidando a opinar. Respeito sua preferência pelo PMDB, mas minha opinião sobre o loteamento de ministérios, em especial o da Saúde, que está com contingenciamento de verbas, o que ainda vai piorar mais o SUS, não é nada abonadora para o partido. Veja:

      A presidente Dilma ofereceu cinco ministérios ao PMDB como moeda de troca. O PMDB está ávido por ministérios. Mas vamos refletir um pouco sobre estes fatos inusitados. Vou me apoiar na notícia da Folha de S. Paulo de hoje, 24.9.2015:

      BRASÍLIA – A oferta do Ministério da Saúde aos deputados do PMDB dá a dimensão do desespero do Planalto. Com o mandato em risco, a presidente Dilma Rousseff entregou uma das pastas mais sensíveis do governo ao balcão de negócios. Está oficialmente aberta a temporada do vale-tudo contra a ameaça do impeachment.

      As pesquisas apontam a saúde como o principal problema dos brasileiros. Com o agravamento da crise, a demanda pela rede pública só vai crescer, à medida que mais famílias serão obrigadas a abrir mão dos planos privados. É nesse contexto que o ministério bilionário virou moeda de troca por votos na Câmara.

      O favorito para assumir o cargo é um ilustre desconhecido do setor: o deputado Manoel Junior, do PMDB da Paraíba. Sua maior experiência na gestão de saúde foi como administrador do hospital de Pedras de Fogo, um município de 28 mil habitantes.

      O deputado é homem da confiança de Eduardo Cunha, que simula desinteresse no leilão de ministérios. Em sintonia com ele, notabilizou-se por relatar medidas provisórias recheadas de “jabutis”, emendas sem ligação com o tema original.

      Em 2014, foi relator da MP das Farmácias, salpicada de artigos para dificultar a vida de pequenos frigoríficos. Deputados do PSOL o acusaram de favorecer a JBS, grande doadora de campanhas. Neste ano, ele relatou a MP 668, que ganhou “jabutis” para facilitar a construção do “parlashopping” e anular multas a igrejas evangélicas que sonegaram imposto.

      Eu pergunto: Sabendo-se que o SUS nunca funcionou direito (aliás tem funcionado muitíssimo mal) quando ainda não havia contingenciamento (corte) de verbas para a Saúde, aceitar a função de Ministro da Saúde hoje seria, em tese, se tudo fosse correto, escolha de masoquista. Por quê tanta avidez do PMDB para que dos quadros do Partido saia o Ministro da Saúde ? A conclusão óbvia é a de que o PMDB só pode estar mal intencionado. Ainda com o corte de verbas, porque o governo não tem como gastar o que a Saúde necessita para funcionar dentro de um mínimo razoável, serão destinados ao Ministério da Saúde alguns bilhões de reais. Se o PMDB se vende, para bloquear o impeachment e para dar sustentação ao “pacote Dilma-Levy” pelo preço exigido de cinco ministérios, entre eles o Ministério da Saúde, a única conclusão lógica é a de que o partido entra para roubar. E roubar dinheiro da Saúde, que já está em estado falimentar, piorando ainda mais o atendimento de brasileiros carentes e da própria classe média que por causa da crise e do arrocho se vê obrigada a abandonar os planos de saúde privados para ficar à mercê do SUS. O PMDB mostra, mais uma vez, que é um partido sem escrúpulo, que não se importa com os usuários do SUS e que só deseja se locupletar da verba já insuficiente para o Ministério da Saúde para enriquecimento pessoal do ministro da Saúde, e para garantir os cargos de confiança, caríssimos, para seus apadrinhados. Não só na Saúde como nos cinco ministérios que receberá de Dilma. Quero manifestar aqui meu repúdio a esta corja de bandidos.

  3. Peemedebista cotado para a Saúde defendeu renúncia de Dilma

    Quem é mais insano? Dillma, por estar loteando estado/governo ou deputado Manoel, se aceitar o cargo?

    Estadão
    Peemedebista cotado para a Saúde defendeu renúncia de Dilma
    Deputado do PMDB mais cotado para ocupar o ministério da Saúde, Manoel Junior (PB) defendeu a renúncia da presidente Dilma Rousseff há cerca de um mês.
    Ele também já se posicionou contra a volta da CPMF, imposto que pode aumentar a receita da pasta que atualmente ele pretende ocupar.
    Na campanha de 2014, Manoel Junior apoiou as candidaturas de oposição.
    Para presidente, ele votou em Aécio Neves (PSDB), adversário de Dilma.
    Numa entrevista há duas semanas, o deputado fez duras críticas sobre a relação do governo Dilma com a bancada do PMDB.
    “O PMDB já não é mais governo há muito tempo, desde quando fomos excluídos de algumas políticas públicas”, disse.
    No dia 10 de agosto, ele disse que Dilma deveria renunciar para dar lugar ao vice Michel Temer.
    “Ela tem de pensar no Brasil”, disse, segundo um site de notícias da Paraíba.

    Alguma dúvida de que Dillma/PT tem de renunciar, ser impitimada ou apoiarmos os brasileiros que desejam recorrer às forças armadas?

    • Antônio Carlos, você deve se lembrar, quando Eduardo Paes era do PSDB ele chamou lula de ladrão. Depois quando mudou para o PMDB, vivia de amores com o lula. Políticos em quase sua totalidade não merecem um mínimo de confiança.

  4. O PT capitulou. Se rendeu ao golpe, não da oposição, mas o do PMDB. Dilma continua como chefe de estado
    e o Michel Temer, chefe de governo. Vamos inaugurar o parlamentarismo a brasileira.
    A “cumpanherada” mantem as boquinhas e quase todos ficam felizes, apenas o contribuinte é que será
    chamado a referendar toda a negociata, afinal é o único a por a mão no bolso para que o Levy faça o seu ajuste.
    O pais se derretendo e os políticos na maior festa, só nos resta agora esperar pela queda da bastilha, que seja
    breve.
    O lula “sacou” o lance, entrega o governo ao PMDB, ou vera a oposição subindo a rampa do planalto. O
    dito cujo pode ser ignorante, mas burro não é, sabe que o PT acabou, sendo a única maneira de manter alguma coisa, é entregando “os anéis” ao PMDB, senão terá de entregar também os dedos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *