Se Cunha for inocentado no Conselho de Ética, a desmoralização será absoluta

Charge do Tacho, reprodução do Jornal NH

Deu no Correio Braziliense

Na expectativa da sessão de discussão e votação do parecer que pode resultar na perda do mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), marcada para esta terça-feira (7), o Conselho de Ética da Câmara chega a etapa final do processo com pelo menos oito mudanças na composição. As trocas que alteraram vagas de alguns dos 21 integrantes foram feitas estrategicamente, segundo adversários do peemedebista, para beneficiá-lo com pena mais branda.

Paulinho da Força (SD-SP) chegou a substituir o titular Wladmir Costa (SD-PA) dias antes da votação do relatório que, por 11 votos a 10, garantiu a continuidade do processo. A proposta era engrossar o apoio a Cunha, mas, depois da batalha perdida, a vaga voltou a ser ocupada por Costa.

Nesta votação, também votaram a favor do processo contra Cunha, além do relator do caso, Marcos Rogério (DEM-RO), os deputados Júlio Delgado (PSB-MG), Léo de Brito (PT-AC), Nelson Marchezan Júnior (PSDB-RS), Paulo Azi (DEM-BA), Sandro Alex (PSD-PR), Zé Geraldo (PT-PA) e Rossoni (PSDB-PR), que não está exercendo o mandato.

MOVIMENTAÇÃO

Todos os deputados continuam nas vagas, exceto Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) que também se posicionou a favor do processo e acabou sendo substituído pelo partido, que reivindicou a vaga agora ocupada por Jozi Araújo (PTB-AP). Araújo atua no conselho como suplente de Mauro Lopes (PMDB-MG), que não têm participado das reuniões.

Fausto Pinato (PRB-SP), que também defendeu as investigações, foi substituído pelo partido por Tia Eron (BA). A troca provocou reação dos parlamentares contrários a Cunha. A parlamentar, que chegou a elogiar o trabalho de Cunha no Legislativo, negou ter tendência pré-definida em relação ao caso. Atualmente, Tia Eron parece ser o voto decisivo para o futuro de Cunha, que mantém, ao seu lado, dez votos favoráveis, segundo assessores e integrantes do Conselho de Ética.

Se a deputada votar a favor da cassação, o placar empatado por 10 a 10 pode ser definido pelo presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), totalizando 11 votos a seu favor.

SUBSTITUIÇÕES

Entre os dez deputados que ficaram ao lado de Eduardo Cunha na votação de março que deu início a fase de instrução, apenas quatro continuam no colegiado: João Carlos Barcelar (PR-BA), Washington Reis (PMDB-RJ), Wellington Roberto (PR-PB) e Mauro Lopes (PMDB-MG). Vinícius Gurgel (PR-AP) havia sido substituído por Laerte Bessa (PR-DF). Na votação de três meses atrás, Gurgel foi acusado de renunciar à vaga por um dia para dar lugar a outro aliado de Cunha, impedindo que um suplente do PT votasse na sessão.

Cacá Leão (PP-BA) foi substituído pelo deputado Nelson Meurer (PP-PR) e Paulinho da Força devolveu a vaga ao titular do Solidariedade. No lugar de Ricardo Barros (PP-PR), que se licenciou do mandato para assumir o Ministério da Saúde, entrou André Fufuca (PP-MA). Os últimos nomes a deixar o colegiado – Erivelton Santana (PEN-BA) e Manoel Júnior (PMDB-PB) – aumentaram especulações entre assessores de que votos favoráveis a Cunha contaminem os resultados das eleições municipais, quando muitos deputados disputam prefeituras.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Parece um filme de terror, que não acaba nunca. Se Cunha foi absolvido no Conselho de Ética, será o final dos tempos, a desmoralização absoluta da classe política no quinto maior país do mundo em extensão territorial e número de habitantes. Não consigo sequer imaginar essa hipótese. (C.N.)

2 thoughts on “Se Cunha for inocentado no Conselho de Ética, a desmoralização será absoluta

  1. Vou me dar o direito de discordar do articulista e do meu grande amigo Newton, o incansável Mediador deste blog incomparável.
    Se Cunha não for cassado não será a “desmoralização absoluta” porque se trata de um Congresso composto por ladrões, corruptos, desonestos , imorais e antiéticos, haja vista que a maior vergonha, imperdoável e condenável em todos os sentidos é o aumento que estão se concedendo de mais de seis mil reais ao mês!
    Mais de doze milhões de desempregados, mais de sessenta e dois milhões de inadimplentes, recessão econômica, mais de 150 dias de trabalho de graça para sustentarmos esta corja de vagabundos, e eles se concedem um aumento de MAIS DE SEIS MIL REAIS POR MÊS?!?!

  2. Vou me dar o direito de discordar do articulista e do meu amigo Newton, o nosso incansável Mediador deste blog incomparável.

    Não considero que Eduardo Cunha não sendo cassado seja a “desmoralização absoluta”, haja vista que este Congresso é composto por venais, ladrões, perdulários, irresponsáveis, corruptos, desonestos, imorais e antiéticos, portanto, já esta plenamente desmoralizado, no entanto, o que mais causa impacto negativo e acelera a raiva que temos desta gente, desses traidores, é o aumento que se concederam em SEIS MIL REAIS AO MÊS a mais, debochando, escarnecendo do desempregado em mais de doze milhões, dos inadimplentes, em mais de sessenta milhões, da recessão econômica, dos 153 dias que trabalhamos de graça para sustentar esta corja de canalhas, e pela falta de dinheiro que alegam existir para … o povo, pois para o Legislativo, Judiciário e Executivo, o dinheiro abunda, rola solto, existe aos borbotões!
    Assim este gesto de deboche, de escárnio à população, a meu ver, se constitui na confirmação que tratamos com pústulas, porcos imundos, insensatos e insensíveis, então continuo apregoando que a solução é a PORRADA, cacete nesses ordinários, cretinos, gente da pior espécie!

    Não é possível que diante de tanto sofrimento do povo e esses canalhas se aumentam os proventos desta forma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *