Se Eduardo Cunha não parar de mostrar os podres do PMDB, ninguém sabe aonde esta briga interna vai parar.

Carlos Newton

As retaliações do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) começam a abalar o maior partido do país. Depois de ter sido tirado da relatoria da Comissão Especial sobre Código do Processo Civil, o parlamentar logo começou a disparar sua metralhadora giratória, de fazer inveja ao antigo deputado Tenório Cavalcanti, que tinha uma metralhadora de verdade, apelidada de “Lurdinha”.

 A principal reação foi pedir cópia de todas as auditorias feitas pelo TCU (Tribunal de Contas da União) entre 2007 e 2010 na Funasa, para atingir o deputado Danilo Forte (PMDB-CE) presidiu o órgão, apontado por Eduardo Cunha como um dos responsáveis pelo motim que o tirou da comissão.

“Infelizmente ele foi colocado lá a época pelo partido e eu me arrependo de ter dado apoio, até porque isso manchou o partido”, disparou Eduardo Cunha sobre o colega, numa de suas rajadas pela internet, através do Twitter.

Cunha e Forte são os principais protagonistas de uma disputa que divide o PMDB na Câmara. Danilo Forte comemorou a saída de Cunha e disse que o partido estava entendendo a necessidade de renovação.

Na retaguarda, Cunha conta com o apoio do líder Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), enquanto Forte se resguarda no prestígio da vice-presidente da Câmara, Rose de Freitas (PMDB-ES).

Uma segunda rajada de Cunha atingiu a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que pediu a sua saída da Comissão Especial sobre Código do Processo Civil pelo fato dele não ser formado em Direito.

Em seu contra-ataque, Cunha disse que vai criar uma Frente Parlamentar em defesa do fim do exame da Ordem. “A profissão de médico, em que é muito mais grave a consequência do erro, pois pode ceifar vidas, não exige exame do CRM, por que tem de ter da OAB? O melhor que a gente pode fazer e debater esse exame da Ordem que é um dos maiores absurdos que existem”, diz ele.

Outro alvo da metralhadora foi o Ministério do Turismo. Cunha até ressalva a figura caricata do ministro Pedro Novais (PMDB-MA), dizendo que todas as irregularidades na pasta são anteriores à gestão dele. “O PMDB é que deveria entregar esse ministério e não indicar mais ninguém para o cargo, e deixar que quem pariu mateus que o embale”, afirmou.

Vem mais tiroteio por. Cunha é uma espécie de personagem de Hitchcock em “O Homem que Sabia Demais”. Está apenas começando a abrir o verbo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *