Se o governo Temer não cortar na carne, jamais poderá ter credibilidade

Charge do Pelicano, reprodução do Arquivo Google

Francisco Bendl

O governo Temer, se quiser colaboração do povo, deve dar exemplos. Se não cortar na própria carne não encontrará boa vontade da população, que está cansada de tantos desmandos e descalabros com o dinheiro público. Ágeis em diminuírem os gastos relativos ao bem-estar da população (educação, saúde e previdência) são verdadeiras lesmas quando as medidas devem ser tomadas entre os Poderes, que se julgam intocáveis, sagrados.

Não haverá governo com a devida e necessária autoridade moral, caso não se debruçar sobre as exageradas despesas com custeio dos três poderes. De nada adiantarão as medidas de contenção de despesas, se gastos que são verdadeiramente imorais se mantiverem intactos.

O governo deve ter com o povo transparência e obrigação em moralizar esta questão, que hoje está absolutamente à vontade com os parlamentares e altos funcionários do Executivo, Legislativo e Judiciário, que se acham mesmo donos do Brasil, e podem fazer do erário público o que bem entendem!

OMISSÃO DOS GOVERNANTES

Ou o governo acaba com essas despesas, que são verdadeiros deboches ao trabalhador e à cidadania ou, então, jamais teremos o equilíbrio das contas públicas, por conta exatamente da omissão de quem deveria dar exemplo de austeridade e probidade, e não ao contrário, conforme assistimos passivamente há muito tempo.

Tem sido demasiada a exploração do povo pelos governantes, o descaso com a população, o escárnio com a moralidade e honestidade.

Um exemplo eloquente são os financiamentos do BNDES aos governos da Venezuela e Cuba. Pode-se afirmar que as verbas liberadas foram doações, pois não podem pagar esses empréstimos, simplesmente porque não têm recursos. Cuba, porque praticamente nada produz e, a Venezuela, falida por Chávez e Maduro. São prejuízo de quase dois bilhões de dólares aos cofres do país ou oito bilhões de reais!

FALTA JUSTIÇA

Se anteriormente eu escrevia que os roubos contra a Petrobrás bastariam para colocar na cadeia Lula e Dilma, a liberação desses “financiamentos” do BNDES para governos politicamente ligados ao PT deveria condenar a dupla de bandidos à punição máxima, se a Justiça atuasse como isenta e imparcial, principalmente no STF, último esteio dos petistas para se livrarem de condenações e prisões.

O resto dos bilhões de dólares concedidos aos demais países, não sei se receberemos algum trocado de volta, e me causa surpresa e indignação o empréstimo concedido à Bolívia, quase oitocentos milhões de reais!

AUDITORIA NO BNDES

Gostaria muito de saber se este dinheiro foi liberado antes ou depois que o ladrão Evo Morales logrou o governo brasileiro e a Petrobrás, encampando as nossas refinarias no seu país.

Se isso aconteceu depois da encampação, Lula e Dilma são reles traidores do Brasil, criminosos abjetos. Se ocorreu antes, pergunto: Por que o Planalto não agiu com o rigor esperado em casos de ofensas graves ao povo e dilapidação do patrimônio nacional?

Enfim, urge uma auditoria independente e de fora para analisar o BNDES, e as formas como liberava o dinheiro do povo brasileiro para nações falidas ou comandadas por ditadores, desde que da mesma ideologia petista, de traição ao país.

24 thoughts on “Se o governo Temer não cortar na carne, jamais poderá ter credibilidade

  1. Caro Bendl, assino em baixo, tua indignação é de todo brasileiro explorado em sua CIDADANIA por essa corja, que a muito deveria estar em cana com prisão perpetua, por TRAIÇÃO à Pátria.
    Espero que o POVO de RESPOSTA nas próximas eleições, votando com CONSCIÊNCIA E DIGNIDADE. O STF TAMBÉM ESTÁ NA BERLINDA, NA GRAVAÇÃO DO MACHADO,
    87 ANOS, NUNCA PENSEI DE VER TANTA PODRIDÃO NOS 3 PODERES,
    TEMER, SE NÃO AGIR SEM “TEMER”, SERÁ TROCA DE 6 POR MEIA DUZIA.
    OREMOS A “DEUS” PELO JUIZ SERGIO MORO E EQUIPE, QUE ESTÃO DIGNIFICANDO A SRª JUSTIÇA.
    O INFERNO NAS CONSCIÊNCIAS ALÉM TÚMULO, PELAS ANGUSTIAS E LÁGRIMAS DO POVO HUMILDE, SERÃO BOLAS DE FOGO A LHES QUEIMAR AS ENTRANHAS DE SUAS ALMAS PECAMINOSAS.
    “A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS” E “PAGARÁS ATÉ O ÚLTIMO CEITIL” JESUS, O CRISTO, LEIS CÓSMICAS, QUE ALCANÇA A TODOS NÓS, A NOS ALERTAR SOBRE NOSSAS OBRAS, NA PRESTAÇÃO DE CONTAS À CONSCIÊNCIA- TRIBUNAL DIVINO.
    CARO BENDL, MUITA SAÚDE, E PAZ, PARA CONTINUAR TUA MISSÃO NO “BEM AO PRÓXIMO.
    FAÇAMOS NOSSA PARTE DE AMOR AO BRASIL, PARA QUE ELE CUMPRA SEU DESTINO:: BRASIL, CORAÇÃO DO MUNDO E PÁTRIA DO EVANGELHO, DE JESUS. .

    • Meu querido Theo,
      Muito obrigado sempre pelas tuas palavras gentis e de apoio.
      Precisamos urgentemente fazer as mudanças que deveriam ter sido feitas há muito tempo, meu amigo.
      Uma delas, diz respeito aos gastos dos parlamentares, as tais desonestas e imorais indenizações pessoais, e depois os cartões corporativos.
      Enquanto persistirem essas concessões que são deboches ao povo e ao trabalhador, nenhum governo terá o apoio da população, indispensável às medidas que necessitam ser levadas a efeito.
      Obrigado pelo comentário e participação, Theo.
      Um excelente fim de semana.
      Saúde e Paz!

  2. Caro Bendl,
    Muito bom seu comentário, só faço uma observação: esse período que analisa o processo de impeachment da ex Presidente, até seu impedimento definitivo, pode-se considerar área de risco. O Presidente Temer esta pisando em ovos, por isso acredito que muita coisa que ele poderia fazer neste período, não o fará, pois todo cuidado é pouco, ele esta no meio de uma batalha, onde só tem raposa felpuda.
    Um forte abraço, saúde e paz.

    • Meu caro amigo Jacob,

      Obrigado pela participação e apoio.

      Tens plena razão, ao abordares com propriedade este interstício, digamos assim, até a resolução final sobre o impeachment de Dilma.

      E Temer começou mal, com Jucá, depois ter recuado com relação ao MIC, e ainda tem ministros enredados em investigações.

      Ou a economia melhora, a ponto de se observar contratações de pessoal, a inflação diminuir, assim como os juros, Temer corre riscos de cair fora, apesar da gravidade muito maior se Dilma retornar ao Planalto.

      Esperemos, meu amigo.

      Um forte abraço, Jacob.
      Saúde e Paz!

  3. Eu não confio em Michel Temer. Não votei na chapa dele e da petista! Ele ficou calado durante anos, assistindo à destruição do país (pela petralhada), com o seu enigmático sorriso de esfinge!

    Mas ele é a saída de agora, determinada pela CF/1988, já que Dilma foi corretamente afastada.

    Temer é o que temos para hoje! Mas não significa a salvação da lavoura! De qualquer forma, um governo capitaneado por ele tem chances MUITO maiores de conseguir mais eficiência do que o governo da quadrilha lulopetista!

    Ele precisará mudar completamente a forma de governar! Cortar na própria carne! Acabar com cargos comissionados, nepotismo, fisiologismo, gastos de mordomia em cartões corporativos, despesas incompatíveis com às necessidades prioritárias do país, e etc…

    Enfim, ele está com o maior abacaxi do planeta Terra em suas mãos: o governo de um Brasil destruído por uma quadrilha, durante mais de uma década!

    Será que conseguirá? Será que terá hombridade para isso? Será que ele próprio não foi cúmplice da quadrilha lulopetista, e agora tem o rabo muito bem preso?

    Vamos ver! Tudo pode acontecer! As mais loucas reviravoltas poderão surgir até o fim do ano!

    Novas eleições? Penso que no exato momento elas ainda seriam um golpe, pois Temer “atualmente” possui legitimidade para governar.

    Mas dependendo do que ocorra nos próximos meses, talvez elas possam ser necessárias e até mesmo legítimas!

    • Caro Isac,

      Concordo com estes teus pensamentos sobre Temer.

      No entanto, ele agora é o presidente do Brasil, e não tem ainda acusações que possam tirá-lo do cargo, salvo o TSE, que está analisando a chapa de Temer e de Dilma sobre irregularidades de campanha, em 2014.

      Independente do que podemos imaginar sobre o seu comportamento, Temer precisa ter objetivos referentes à economia e moralização do governo, caso contrário e, de forma gradativa, perderá a expectativa que se criou ao seu redor, de colocar o Brasil nos trilhos em direção ao desenvolvimento.

      Tomara que dê certo, sob pena de o País ingressar em um período de absoluto pessimismo e descrença, aumentando os nossos problemas para níveis que não temos condições de prever quanto às consequências, em razão do aumento do desemprego e recessão econômica.

      Executivo e Legislativo precisam se dar conta deste momento crucial que vivemos, e estancarem as despesas que ocasionam ao erário ou, afirmo, deveremos iniciar um movimento popular de grande monta e pedir por eleições gerais, em todos os níveis e, nesse meio tempo, que se façam as reformas políticas necessárias e urgentes.

      Um abraço, meu caro Isac.
      Saúde e Paz!

  4. Caro Bendl,
    O Nélio Jacob tem razão.Infelizmente não se pode assoviar e chupar cana ao mesmo tempo.
    Estou sem tempo para escrever , mas acho que o Merval nos fez hoje uma boa foto da suja e injusta realidade a qual temos de enfrentar sem perder de vista aqueles que ainda são o principal inimigo do Brasil e que, na oposição, são muito mais eficientes do que governando.
    Bom final de semana
    ————————————————————-
    Mistificação eficiente
    por Merval Pereira
    28/05/2016

    Uma coisa é preciso reconhecer: esses petistas são bons de mistificação na oposição. Só conseguem ficar no poder às custas de acordos espúrios como os que estão sendo revelados nas diversas investigações criminais que atingem em cheio a gestão nos últimos 13 anos.

    Mas na oposição, não se vexam com as revelações de seus crimes e partem para o ataque como se não tivessem nenhuma culpa pelo que aconteceu na Petrobras, assaltada e dilapidada por uma quadrilha de políticos comandada pelo próprio presidente Lula, como mais uma delação premiada, a do ex-deputado Pedro Correa, confirma.

    Ninguém se mexeu para dar um abraçaço na estatal, mas para impedir a fusão do ministério da Cultura com o da Educação, a indignação cívica tomou conta de nossos intelectuais. A lista de salários astronômicos pagos pela estatal Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), falida e sem audiência, talvez explique a gana com que defendem um governo criminoso.

    Ninguém se mexeu para protestar pelos escândalos do mensalão e do petrolão, muito menos contra o desastroso governo de Dilma Rousseff, mas para espalhar pelo mundo afora a honestidade da presidente afastada, mesmo diante de diversas delações sobre sua atuação pessoal no uso de verbas desviadas pela corrupção na Petrobras e outras estatais nas campanhas presidenciais que a elegeram.

    Agora mesmo, uma conversa do ex-presidente Sarney gravada pelo delator Sérgio Machado revela uma faceta dessa atuação: foi a própria Dilma quem pediu à Odebrecht que pagasse por fora ao marqueteiro João Santana, cuja mulher está fazendo delação premiada e confessando que recebeu propina da empreiteira no exterior. CQD.

    No mensalão ainda houve um grupo de deputados petistas que acabou se retirando do partido para criar o PSOL, um dos poucos não envolvidos nesse esquema de corrupção que atinge praticamente todos os partidos políticos.

    A Rede de Marina Silva é outro, embora se beneficie de ter sido criado mais recentemente. Mas pelo menos tem um sistema de triagem que até o momento parece funcionar. E Marina sai ilesa dessa geleia geral da corrupção em que se transformou o país, pronta para se apresentar como das poucas alternativas para uma mudança de atitudes.

    Embora minoritários, os petistas conseguem se mobilizar nacionalmente, e até pelo mundo, em demonstrações que sugerem haver uma revolta contra os “golpistas” que assumiram o poder, como se esses mesmos “golpistas”, a começar pelo presidente interino, não fossem íntimos parceiros dos petistas nos últimos 13 anos, e não dividissem o butim das estatais em partes iguais.

    Todos os que hoje fazem parte do governo interino do PMDB e estão enrolados nas investigações foram líderes de governos petistas, foram ministros de governos petistas, foram parceiros de falcatruas. Nas gravações, vê-se que Renan Calheiros é o Eduardo Cunha do PT.

    O que fragiliza o governo interino de Michel Temer, mas tira também a credibilidade dos movimentos petistas que, no entanto, parecem não ser afetados pelas evidências. Se sentem no direito de acusar de “golpistas” os cúmplices de ontem, e tudo fica semelhante a uma briga de bandidos em que todos têm razão.

    Os petistas tiveram um ganho formidável com o impeachment de Dilma: a oposição atingiu seu objetivo, mas não tem empolgação (nem razão) para ir para as ruas defender o governo Temer, cheio de dívidas com o seu passado e incertezas quanto ao presente.

    Apoiar o impeachment, por ser uma solução constitucional para o descalabro do país, deu à oposição uma vitória que periga não ser consolidada pela história pregressa que vem sendo revelada nas investigações da Lava-Jato, atingindo inclusive líderes do DEM e do PSDB, e ao PT uma palavra de ordem mentirosa, mas eficiente (“não vai ter golpe”), como as campanhas dos marqueteiros petistas presos.

    O presidente interino Michel Temer, tolhido por compromissos políticos que refletem os velhos vícios em que o PMDB foi cevado, precisa ainda provar que pode vir a ser um Itamar Franco, embora se aproxime mais de um José Sarney, pela história política que liga os dois caciques do PMDB, mais uma vez reafirmada nas conversas gravadas clandestinamente, mais reveladoras da alma dos interlocutores do que as declarações formais.

    • Caro Pimentel,

      Também concordo com Jacob.

      Temer deve ter muito cuidado com este este período, mas não é que está transparecendo.

      Obrigado pelo comentário e a transcrição do artigo de Merval.

      Um abraço.
      Saúde e Paz!

  5. Não consigo deixar de temer Temer! Pois “parece” que ele não é tão limpo quanto gostaria de ter sido sempre, para que agora possuísse a necessária moralidade inquestionável, fundamental ao cargo que pretende ocupar até 2018.

    Mesmo assim é IMENSAMENTE melhor tê-lo agora na presidência, do que Dilma e seus inúmeros pilantras satélites.

    • Acrescento ao que disse acima:

      Caso Temer seja também alcançado pela Lava Jato ou outras operações, torço para que também se afaste, ou que seja afastado.

      Nosso Brasil não pode mais aceitar a ideia de que os fins justificam os meios. Chega!

      • Valo, hoje no Antagonista se lê:
        ————————————————-
        Conselho de notáveis
        28.05.16

        Gilmar Mendes instituiu um “conselho de notáveis” no TSE.

        Ele quer estar preparado para tudo.

        Se a Lava Jato afundar o governo de Michel Temer, a única saída será cassar o mandato de Dilma Rousseff e convocar novas eleições.

      • Juca, meu amigo,
        Tens plena razão.
        Basta de tanta corrupção e desonestidade!
        Ou comecemos a mudar o Brasil ou mudemos nós de País, mas do jeito jeito que se comportam Legislativo e Executivo não é mais suportável, quanto mais aceitável.
        Grato pelo comentário.
        Um abraço.
        Saúde e Paz!

  6. Caro Francisco Bendl,

    Antes de qualquer consideração é preciso registrar que, NEM SEMPRE O QUE É LEGAL É MORAL!
    Na matéria subscrita por Marco Antonio Villa publicada no jornal O Globo no ano passado, o articulista extraiu do sítio eletrônico do STJ as informações de que em setembro de 2014 o Ministro Arnaldo Esteves Lima ganhou R$ 474.850,56, o Ministro Aldir Passarinho R$ 428.148,16, a Ministra Assusete Dumont Reis Magalhães embolsou de rendimentos R$ 446.833,87, o Ministro Francisco Cândido de Melo Falcão de Neto foi aquinhoado com R$ 422.899,18, já o Ministro Benedito Gonçalves abocanhou a módica quantia de R$ 594.379,97, o Ministro Luiz Alberto Gurgel de Faria recebeu R$ 446.590,41.
    Em novembro de 2014, a ministra Nancy Andrighi atual Corregedora Nacional de Justiça foi contemplada no seu contracheque com R$ 674.927,55.
    Não estou aqui discutindo a competência dos Ministros do STJ que justificariam o recebimento de valores astronômicos como rendimentos.
    Penso, salvo melhor juízo, que essas verbas não podem ser pagas aos servidores públicos, pois são pagas com o dinheiro público (dinheiro do povo brasileiro).
    De fato é um ESCÁRNIO com o povo brasileiro o pagamento dessas remunerações.
    Se todos esses Ministros do STJ ganhassem na iniciativa privada esses astronômicos valores, certamente que eu lhes aplaudiria por tais recebimentos.
    Abaixo transcrevo a matéria a que acima aludi.

    Marco Antonio Villa: Superior Tribunal de Justiça?
    Por: Augusto Nunes 02/06/2015 às 20:23
    Publicado no Globo
    MARCO ANTONIO VILLA

    O Superior Tribunal de Justiça, que se autointitulou “tribunal da cidadania”, foi uma criação da Constituição de 1988. É formado por 33 ministros. O STJ recebe pouca atenção do grande público. O Supremo Tribunal Federal acaba ocupando todos os espaços. Uma designação de um ministro para o STJ passa geralmente em branco; já o mesmo não ocorre com o STF.
    Em 2011 e 2013, examinei os gastos do STJ e fiquei estarrecido. Os artigos que publiquei, neste mesmo espaço, até hoje circulam pela internet (“Triste Judiciário” e “Eles estão de brincadeira”). Resolvi voltar ao tema, certo — e é a mais pura verdade, acreditem — de que algo teria mudado. Contudo, constatei que a situação não melhorou. Pelo contrário, piorou — e muito.
    O curioso é que todos os dados aqui apresentados estão disponíveis no site do STJ, mais especificamente no Portal da Transparência. O último relatório de gestão anual disponibilizado é de 2013. Os dados são estarrecedores. O orçamento foi de R$ 1.040.063.433,00! Somente para o pagamento de aposentadorias e pensionistas foram despendidos R$ 236.793.466,87, cerca de um quarto do orçamento. Para os vencimentos de pessoal, foi gasta a incrível quantia de R$ 442.321.408,00. Ou seja, para o pagamento de pessoal e das pensões e aposentadorias, o STJ reservou dois terços do seu orçamento.
    Setembro é considerado o mês das flores. Mas no STJ é o mês do Papai Noel. O bom velhinho, três meses antes do Natal, em 2014, chegou com seu trenó recheado de reais. Somente a dois ministros aposentados pagou quase 1 milhão de reais. Arnaldo Esteves Lima ganhou R$ 474.850,56 e Aldir Passarinho, R$ 428.148,16 — os dois somados receberam o correspondente ao valor da aposentadoria de 1.247 brasileiros. A ministra Assusete Dumont Reis Magalhães embolsou de rendimentos R$ 446.833,87, o ministro Francisco Cândido de Melo Falcão de Neto foi aquinhoado com R$ 422.899,18, mas sortudo mesmo foi o ministro Benedito Gonçalves, que abocanhou a módica quantia de R$ 594.379,97. Também em setembro, o ministro Luiz Alberto Gurgel de Faria recebeu R$ 446.590,41. Em novembro do mesmo ano, a ministra Nancy Andrighi foi contemplada no seu contracheque com R$ 674.927,55, à época correspondentes a 932 salários-mínimos, o que — incluindo o décimo terceiro salário — um trabalhador levaria para receber 71 anos de labuta contínua.
    Nos dados disponibilizados na rede, é impossível encontrar um mês, somente um mês, em que ministros ou servidores — não exemplifiquei casos de funcionários, e são vários, para não cansar (ou indignar?) ainda mais os leitores — não receberam acima do teto constitucional. São inexplicáveis estes recebimentos. Claro que a artimanha, recheada de legalismo oportunista (não é salário, é “rendimento”), é de que tudo é legal. Deve ser, presumo. Mas é inegável que é imoral.
    Em maio de 2015, o quantitativo de cargos efetivos era de 2.930 (eram 2.737 em 2014). Destes, 1.817 exerciam cargos em comissão ou funções de confiança (eram 1.406 em 2014). Dos trabalhadores terceirizados, o STJ tem no campo da segurança um verdadeiro exército privado: 249 vigilantes. De motoristas são 120. Chama a atenção a dedicação à boa alimentação dos ministros e servidores. São quatro cozinheiras, 29 garçons, cinco garçonetes e 54 copeiros. Isto pode agravar a obesidade, especialmente porque as escadas devem ser muito pouco usadas, tendo em vista que o STJ tem 32 ascensoristas. Na longa lista — são 1.573 nomes em 99 páginas — temos pedagogas, médicos, encanadores, bombeiros, repórteres fotográficos, recepcionistas, borracheiros, engenheiros, auxiliares de educação infantil, marceneiros, jardineiros, lustradores e até jauzeiros (que eu não sei o que é).
    Para assistência médica, incluindo familiares, foram gastos, em apenas um ano, 63 milhões de reais e quatro milhões para assistência pré-escolar. Pela quantia dispendida em auxílio-alimentação — quase 25 milhões — creio ser necessário um programa de emagrecimento de ministros e servidores. Mas os absurdos não param por aí. Somente para comunicação e divulgação institucional foram reservados mais de sete milhões de reais. E não será por falta de veículos que o STJ vai deixar de exercer sua atribuição constitucional. Segundo dados de 31 de janeiro de 2015, a frota é formada por 57 GM/Omega, 13 Renault/Fluence e 7 GM/Vectra, além de 68 veículos de serviço, perfazendo um total de 146. E como são 33 ministros, cada excelência tem, em média, à sua disposição, quatro veículos.
    Como foi exposto, há 2.840 efetivos e mais 1.573 servidores que são terceirizados, perfazendo um total de 4.413, que já é um número absurdo para um simples tribunal, apenas um. Ah, leitor, não se irrite. Ainda tem mais gente. Segundo o relatório anual de 2013 (volto a lembrar que é o último disponibilizado) há mais 523 estagiários. Sendo assim, o número total alcança 4.936 funcionários!
    É raro uma Corte superior no mundo com os gastos e número de funcionários do STJ. Contudo este não é o retrato da Justiça brasileira. Onde a demanda é maior — como na primeira instância — faltam funcionários, o juiz não tem a mínima estrutura para trabalhar e está sobrecarregado com centenas de processos, além de — e são tantos casos — sofrer ameaças de morte por colocar a Justiça acima dos interesses dos poderosos. No conjunto não faltam recursos financeiros ao Judiciário. A tarefa é enfrentar, combater privilégios e estabelecer uma eficaz alocação orçamentária. Este dever não pode ser reservado somente aos membros do Poder Judiciário. Ele interessa a toda a sociedade.

    Tenha PAZ, SAÚDE e PROSPERIDADE.

    • Belém, assustador este artigo. Parece com a estrutura do Senado, que é a mais inchada do Brasil.
      É um absurdo pensar em juízes do STJ recebendo “assistência pré-escolar”, com uma estrutura palacial de cozinha e atendimento, com quatro motoristas para cada um, julgando causas que interessam a cidadãos de um país onde o salário mínimo é de 880 reais e onde a maioria da população não recebe nem este salário mínimo.

      • Prezado Wilson Baptista Junior,
        No dia 20/05/2016 o Ministro Benedito Gonçalves negou seguimento ao recurso especial que subscrevi, visando majorar a verba honorária advocatícia sucumbencial a que foi condenada a outrora cidade maravilhosa.
        Extingui uma execução fiscal R$ 181.402,56 ajuizada por essa que já foi considerada a cidade maravilhosa, e o juízo da 12ª. Vara de Fazenda Pública condenou o Município do Rio de Janeiro na IRRISÓRIA verba honorária fixada em R$ 1.343,66, induvidosamente aviltado o meu trabalho como Advogado da pessoa jurídica executada, na medida em que a defesa apresentada em uma execução de R$ 181.402,56, ainda que em causa de baixa complexidade, implica um acréscimo significativo na responsabilidade e no risco em que incorre o causídico.
        Ou seja, os honorários advocatícios sucumbenciais arbitrados pelo juízo fazendário correspondem a 0,74% do proveito econômico obtido pelo meu cliente a pessoa jurídica executada pela edilidade carioca.
        Apesar do entendimento jurisprudencial sedimentado no Superior Tribunal de Justiça de que são irrisórios honorários advocatícios fixados em percentual inferior a 1% do valor atualizado da causa ou do proveito econômico auferido, o Ministro Benedito Gonçalves que abocanhou em setembro de 2014 a módica quantia de R$ 594.379,97 negou seguimento ao meu RECURSO ESPECIAL que visava a majoração dos irrisórios honorários advocatícios fixados na execução fiscal extinta.
        O nobre leitor e comentarista da TRIBUNA DA INTERNET deve imaginar o que está passando no meu espírito com essa negativa de seguimento, sabendo das percepções dessas vultosas quantias pelos magistrados superiores do STJ.

    • Prezado Dr.Belem,

      Agradeço o comentário, que veio em hora oportuna e adequada para este debate.

      Volto a frisar:
      Se os Poderes não se conscientizarem que estão arruinando o Brasil com seus gastos desnecessários, com suas improbidades administrativas, com penduricalhos que são suplementos salariais, Executivo, Judiciário e Legislativo NÃO TÊM AUTORIDADE MORAL PARA PEDIR QUALQUER COLABORAÇÃO DO POVO BRASILEIRO!

      Desta forma, uno-me aos que protestam com relação aos direitos sociais e trabalhistas que estão em perigo, sim, diante de ameaças que somente se restringem à Previdência e flexibilização da CLT para que o desemprego diminua.

      NÃO SERÁ DESSE JEITO QUE TEMER LOGRARÁ ÊXITO NA SUA EMPREITADA, TAMPOUCO MEIRELLES, MESMO SENDO COMPETENTE CONFORME JÁ PROVOU ANTERIORMENTE, se não demonstrarem à população que estão igualmente participando desta remontagem do País, ou seja, DIMINUINDO AS DESPESAS, que sabemos ser perdulárias e imorais!

      Os Poderes estão diante de um grande dilema:
      Ou perdem seus penduricalhos, que aumentam seus salários vertiginosamente ou, então, tratem de elaborar maneiras que possam fugir da ira popular ali adiante!

      NÃO É MAIS ADMISSÍVEL que deputados e senadores recebam mais de SESSENTA MIL REAIS POR MÊS, enquanto o salário mínimo está em R$ 880,00, isto é, UM E MEIO POR CENTO DOS VENCIMENTOS DOS PARLAMENTARES!

      E, quando surgem as crises, o povo é julgado culpado e, o salário, sofre com a inflação, a recessão, menos os proventos dos corruptos e desonestos, que se concedem reajustes anuais!

      Igualmente este aparato exagerado de assessores, carros, ajudas para isto e aquilo, mas a população sofre com o desemprego, a perda do valor do seu dinheiro, e uma economia estagnada.

      Basta de injustiças e diferenças abismais de salários dos Poderes em comparação com o que recebe o trabalhador da iniciativa privada, que levarão a cidadania para reações imprevisíveis se continuar o caos atual.

      Obrigado pelo comentário, Dr.Belem.
      Um forte abraço.
      Saúde e Paz!

      • Caro Francisco Bendl,
        Lamentavelmente, não vejo solução para o país a curto prazo, haja vista essa desqualificada classe política que temos em nossa amada pátria mãe gentil, evidentemente com as suas raríssimas exceções.
        Penso, salvo melhor juízo, que estamos na iminência de uma DESOBEDIÊNCIA CIVIL, ou seja, de uma INSUBORDINAÇÃO CIVIL, onde os homens e as mulheres de bem desse país deixariam de recolher tributos aos cofres públicos brasileiros, só retornando aos seus recolhimentos após a total limpeza de todas as excrescências que abatem essa nação, como o voto obrigatório, o famigerado foro privilegiado, o quinto constitucional, um magistrado superior receber no mês a vultosa quantia de mais de R$ 500.000,00, dinheiro público, ou melhor, do povo brasileiro.
        Vejamos alguns detalhes importantes sobre a DESOBEDIÊNCIA CIVIL que nos dá a WIKIPEDIA, que abaixo os transcrevo.
        Desobediência civil, é uma forma de protesto político, feito pacificamente, que se opõe a alguma ordem que possui um comportamento de injustiça ou contra um governo visto como opressor pelos desobedientes. É um conceito formulado originalmente por Henry David Thoreau e aplicado com sucesso por Mahatma Gandhi no processo de independência da Índia e do Paquistão e por Martin Luther King na luta pelos direitos civis e o fim da segregação racial nos Estados Unidos. Na eventualidade de um governo vigente não satisfazer as exigências de sua população, esta tem o direito de desobedecê-lo.
        Quem escreveu sobre essa conduta da sociedade foi o norte-americano Henry David Thoreau no seu ensaio A Desobediência Civil.
        O autor americano Henry David Thoreau, em 1849, foi o pioneiro a estabelecer a teoria relativa dessa prática num compêndio originalmente, intitulado Resistência ao Governo Civil que mais tarde renomeou A Desobediência Civil. A ideia predominante abrangida por esse ensaio era o de auto-aprovação e de como alguém pode estar em boas condições morais enquanto se opõe a quem “explora ou faz sofrer um outro homem”; dizia então que não precisamos lutar fisicamente contra ele, mas sim não apoiá-lo nem deixar que este o apoie estando você contra ele. Este ensaio exerceu uma grande influência sobre muitos praticantes da desobediência civil. Igualmente aí, Thoreau explicava as razões por que se recusara a pagar seus impostos, como um ato de protesto contra a escravidão e contra a Guerra Mexicana.
        Mas, antes de Thoreau, existiram outros que, através de teorias próprias mas acessórias a outras teses principais, também realizaram atos de desobediência civil, como faz Antígona, na peça grega de Sófocles. Também outros teóricos, em especial doIluminismo, do Comunismo e depois do Nazismo, trataram de possibilidades de desobediência quando apresentavam suas teses acerca da formação do Estado e da submissão do povo a este, como já explicavam Hobbes, Rousseau e Kant.
        Contudo, é atribuída a Thoreau a formulação do conceito como uma reação contra o Estado Leviatã de Hobbes. Thoreau foi o primeiro a efectivamente tratar das condutas de desobediência a um governo estabelecido, problema que não era objeto dos teóricos de sua época. Ele também influenciou profundamente o pensamento político e ações de personalidades notáveis comoLeon Tolstoi, Mahatma Gandhi, Martin Luther King Jr., John Rawls e outros.
        A desobediência civil foi a tática principal dos movimentos nacionalistas nas antigas colônias da África e Ásia, em sua luta por emancipação. O mais notável e emblemático foi Mahatma Gandhi que usou a desobediência civil contra a dominação britânica.Martin Luther King, líder do movimento dos direitos civis dos Estados Unidos na década de 1960, também adotou a desobediência civil, assim como os ativistas anti-guerra, tanto durante quanto depois da Guerra do Vietnã.
        Passeatas e manifestações de protesto, como as campanhas que ocorreram contra a invasão do Iraque, não são necessariamente desobediência civil, pois muitos cidadãos que dessas campanhas participam continuam apoiando o governo de outras formas.
        A desobediência civil serviu também como uma tática da oposição polonesa contra os comunistas (ver Solidarność).
        Muitos dos que praticam a desobediência civil o fazem desprovidos de crença religiosa, embora integrantes do clero frequentemente participem ou mesmo liderem ações de desobediência civil – a exemplo dos irmãos Berrigan, Daniel e Philip, padres católicos norte-americanos que foram presos várias vezes por participarem de atos de desobediência civil, durante manifestações contra a guerra.
        Buscando uma forma ativa de resistência, aqueles que praticam a desobediência civil escolhem deliberadamente quebrar certas leis, seja formando piquetes pacíficos ou ocupando ilegalmente algum prédio. Fazem isso na expectativa de serem presos (ou até mesmo atacados) pelas autoridades sem esboçar resistência.
        Quem sabe a INSUBORDINAÇÃO CIVIL não seria a redenção dessa pátria espoliada por essa corja de malfeitores.
        Quem sabe também se esses admiráveis jovens do MBL-MOVIMENTO BRASIL LIVRE e VEM PRA RUA protagonistas principais do IMPEACHMENT da madame não encampem essa manifestação cívica dos contribuintes brasileiros?
        Tenha paz e saúde, meu caro amigo Bendl.

        • Caro Dr.Belem,

          Igualmente não vejo a curto prazo soluções que possam nos reencaminhar para o desenvolvimento.

          Além dos gastos perdulários dos Três Poderes, e sem qualquer pudor, como se o País nadasse em dinheiro e competíssemos com os americanos e chineses em riquezas, inegavelmente somos obrigados a fazer um ato de contrição – nós, o povo – porque deixamos muito a desejar em termos de seriedade e honestidade para com o País e para nós mesmos!

          Evidentemente que temos a menor culpa nesta falência moral e ética, a grande muralha que impede que possamos sair desta estagnação absoluta que nos encontramos.

          E se julgo que nos cabe culpa menor, esta atenuante se deve à Educação, a falha imperdoável e condenável de todos os governantes até os dias de hoje!

          Agora, o Brasil não se reergue se não começar de novo, se não apresentar um projeto de união nacional, onde todos, indistintamente, deverão dar a sua parcela de colaboração, do mais rico ao mais pobre, caso contrário passaremos a vida inteira reclamando da nossa sorte, menos tomar providências para que tenhamos em nossas mãos a rédeas de nosso destino como Pátria, Nação, Estado e País!

          Um forte abraço, Dr.Belem.
          Saúde e Paz!

  7. Senhores, eis a a última matéria da revista The Economist sobre o Brasil. O título já define o humor very British da coisa…

    Com JEITINHO, José

    Os brasileiros deliciam-se com certas palavras em português que não possuem equivalente em outras línguas. SAUDADE é estar ansiando pela presença de uma pessoa ausente ou por um lugar deixado para trás. CAFUNÉ é o ato de correr os dedos pelo cabelo de um amante. Mais interessante ainda é a palavra JEITINHO, um diminutivo de jeito . É uma maneira de contornar algo, muitas vezes, uma lei ou uma regra.

    O impeachment de Dilma Rousseff, uma presidente impopular que, pessoalmente, não foi acusada de delito grave, é um JEITINHO de se contornar a Constituição. Muitos dos políticos que votaram pelo impeachment , são eles próprios fãs incansáveis de tais caminhos, por exemplo, em torno das leis de financiamento de campanhas eleitorais .

    O tal JEITINHO, que desde o tempo dos antigos engenhos, caminha de braços dados com a ilegalidade , é um marcador da identidade nacional, segundo Livia Barbosa, uma antropóloga. Dois terços dos brasileiros confessam buscar esses atalhos, de acordo com uma pesquisa realizada em 2006 por Alberto Almeida, cientista político.

    A vida diária é atravessada com eles. O dono de um restaurante oferece um almoço
    a policiais, para seduzi-los a patrulhar a sua rua, economizando 10.000 reais (US $ 3.000) por mês em taxas de segurança privada. Laranjas ( testas de ferro) atuam como empresas de fachada , escondendo atividades e negócios dos impostos e dos investigadores .

    Para poupar alunos muito ocupados de ter que fazer os estágios necessários para completar muitos cursos universitários, os professores aprovam os relatórios fictícios confeccionados pelos estudantes. Os brasileiros usam crianças ou idosos para furar filas nos bancos, clínicas e escritórios do governo e alguns pais alugam seus filhos para tais ações . O mundo material tem seu próprio tipo de JEITINHOS, artifícios improvisados chamados de GAMBIARRAS.

    Keith Rosenn, um jurista da Universidade de Miami, na Flórida, aponta que nas regiões da América Latina governadas pela Espanha , a regra de flexão foi tolerada. Os acusados pela execução de leis mal adaptadas às condições locais, podiam dizer aos administradores coloniais :”Obedezco pero no cumplo” (obedeço, mas não cumpro), sem medo de punição. Como os monarcas de Portugal não ofereceram aos CAPITÃES brasileiros nenhuma margem de manobra, eles a inventaram de qualquer maneira.

    Daí, o recurso do JEITINHO.As leis modernas não são mais sensatas. O Brasil aprovou mais de 75 mil, muitas delas sem sentido, nos dez anos até 2010. Mais da metade dos brasileiros acredita que não há qualquer razão para cumprir a maioria delas.

    Alguns estudiosos entendem que os católicos, foram tentados a considerar a confissão como uma alternativa para o cumprimento e , sendo assim, são particularmente propensos a JEITINHOS comportamentais . Outros sugerem que as sociedades mestiças , como o Brasil , são susceptíveis de serem flexíveis, sobre às leis, tanto quanto à etnia. Talvez a desigualdade desempenhe ainda outro papel: se os ricos e poderosos desrespeitam a lei, porque não deveriam fazer o mesmo as pessoas comuns?

    Isso pode ser cada vez mais difícil, e não apenas para os políticos que estão sendo apanhados na investigação implacável do poder judicial nos escândalos de corrupção que cercam a Petrobras, a companhia estatal de petróleo. Hoje em dia, câmeras em vez de policiais, impõem os limites de velocidade.O E-Poupatempo , um portal na internet criado pelo estado de São Paulo, agiliza tarefas como a apresentação de relatórios policiais. Ele permite pouco espaço para o JEITINHO.

    Roberto DaMatta, antropólogo, acha que o Brasil pode estar se movendo em direção a norma anglo-saxônica , segundo a segundo a qual as leis “ou são obedecidas ou não existem”. Se isso acontecer, a satisfação que muitos brasileiros sentirão terá as cores da SAUDADE.

  8. Grande Bendl
    Pelo muito que já escrevi, alguns colegas Tribunários devem pensar que sou auditor. Não, não sou, embora tenha auxiliado equipes de auditorias em alguns casos.
    Amigo, precisamos da realização de uma auditoria geral, total e irrestrita, nas contas internas e externas.
    Só para exemplificar, existem dois casos que levaram outras pessoas, ainda soltas no mundo, para atrás das grades.
    1. sindicatos e ongs – rolou, e continua rolando, muita grana por estes segmentos, sem fiscalização e prestação de contas;
    2. cartões corporativos – não se tem idéia de quem e quanto gastaram ao longos dos últimos 10/15 anos;
    Quanto a transparência, mesmo prejudicada, uma parcela considerável da sociedade deseja transparência, mas só para os outros.
    Corrupção não é só roubar, negociar cargos públicos, falsear informações. É tudo que corrompe as leis, os bons costumes, a ética.
    Quem faz “gato” na luz, na água, na tv e e em tudo mais (e não é gato ou gata), estaciona sobre as calçadas, fura fila, passa sinal fechado, sonegar impostos, se beneficiar ilegalmente, também é corrupto.
    Assino embaixo do que escreveste.
    Ótimo final de semana e muita saúde e paz.
    Fallavena

    • Caríssimo Fallavena,

      Brizola sempre disse que, o dia que fosse eleito presidente, solicitaria uma auditoria para nossas dívidas internacionais.

      Indiscutivelmente, o País necessita de uma auditoria ampla, geral e irrestrita, significando dizer EM TODAS AS ÁREAS DO DESENVOLVIMENTO NACIONAL:
      Saúde, Educação, Segurança, gastos dos Poderes, BNDES, estatais, cargos em comissão, custos dos partidos.

      Temer assumiu há 20 dias, mas os escândalos continuam e, sabe-se lá, quantos mais ainda serão veiculados na mídia, comprovando o que temos escrito neste blog incomparável, que falimos ética e moralmente!

      Assim, volto a frisar que não haverá plano que dê certo se não partir dos Três Poderes cortar na carne os excessos, os penduricalhos, os suplementos salariais, as indenizações pessoais e verbas as mais estranhas e exóticas como compensadoras de despesas pessoais, que deveriam ser pagas pelos excelentes salários pagos pelo povo, desempregado, sem dinheiro, em grave crise familiar e individual.

      Não se suporta mais o desperdício do erário público irresponsavelmente, enquanto o cidadão não tem o que comer, onde morar, vestir, e encontrar trabalho.

      Digo mais:
      Lamento profundamente os babacas que protestam nas ruas pelo corte do MIC – Temer roeu a corda e devolveu aos vagabundos e aproveitadores o ministério da “Cultura”, que não sei de onde tiraram este nome porque não temos cultura alguma! -, e não reclamam da corrupção, dos roubos, dos salários absurdos e extravagantes que os parlamentares se concedem e liberam para Executivo e Judiciário, enquanto esses idiotas estão desempregados e vão para suas casas com a barriga roncando de fome!

      O país vai mal, muito mal, pois sem princípios e valores, falta absoluta de exemplos a serem seguidos, descaso com o povo, escárnio com o destino dos impostos arrecadados do suor e sangue do trabalhador, ouso dizer e pela coragem que devo ter ao publicar estas palavras porque meus 66 anos me autorizam a mencioná-las, que precisamos nos rebelar contra esse festival que fazem do dinheiro público e julgá-los, condená-los, mediante um tribunal popular específico, pois o STF protege os criminosos que dilapidam o patrimônio nacional e estão falindo com o povo brasileiro!

      Que seja anulado o foro privilegiado, que os parlamentares envolvidos sejam presos imediatamente, que os partidos que se beneficiaram com os roubos da Petrobrás QUE DEVOLVAM AS FORTUNAS RECEBIDAS ILEGALMENTE, pois até agora PT, PMDB, PP … não devolveram um real que fosse!

      Enfim, Fallavena, não vejo futuro para nós, sequer a longo prazo, lamentavelmente.

      Um forte abraço.
      Saúde e Paz, pelo menos, caro amigo.

  9. Sr. Theo Fernandes.

    Sabe qual o mal. Os políticos pensam que quem diz estas palavras como o Sr. disse é um babaca. Mal sabem eles que Jesus é justo, mas dá a cada um segundo suas obras.
    O pior é que eles talvez não acreditem, como os comunas. Não somos favoráveis a pena de morte, pois esta a Jesus pertence. Mas que tal pena perpétua, com uns bandidinhos ao lado.
    E o STF como anda devagar…

  10. Prezado Bendl

    Todo seu arrazoado foi inquestionável em todos os sentidos. O povo não elege seus representantes para somente terem direitos aos privilégios, como a conta da presidência da Câmara beirando os 400 mil por mês. Quanto será a do Senado? Isso é um verdadeiro escárnio contra o povo.

    Mas, no Executivo a conta é ainda maior no custeio dos palácios do Alvorada, Jabuti e Planalto, além da Granja do Torto.

    O Judiciário não fica atrás nas mordomias. Lembram do que o juiz Lalau gastou no palácio do Tribunal do Trabalho em São Paulo. O empreiteiro condenado Esteves, ex-Senador ficou 20 anos impetrando recursos e mais recursos procrastinadores e só agora foi preso, pois o STF em boa hora decidiu que a condenação em 2ª Instância já é suficiente para colocar os corruptos atrás das grades. Não duvido nada, que suas excelências votem emenda constitucional retornando com a prisão dos corruptos somente após o último recurso, ou seja, jamais serão presos e condenados, nem depois de mortos.

    Entretanto, a caixa preta que não quer calar, vem mesmo como você afirmou, do BNDES. O banco financiador de empreiteiras e empresários ávidos de recursos estatais, a juros de 6%, enquanto o governo capta no mercado a 12% e joga lá no BNDES para suprir Partidos, que recebem financiamento de campanha política, com a diferença de 6% custeado pelo Tesouro.

    Vejam só: Empresário não dá nada para ninguém, pois é da essência do regime capitalista, mas, se os empresários recebem recursos a 6%, quando na rede bancária, o mesmo dinheiro tem juros de 12%, evidente que, a diferença de 6% pode ser “doada” para manter parlamentares sob o jugo do financiador, só que com o nosso dinheiro, o dinheiro do contribuinte.

    A farra foi tão grande, que inequivocamente, um dia iria explodir, fato que aconteceu justamente no segundo governo da Dilma, que explodiu no olho do furacão.

    Esse é o mal dos governantes, que não estudaram a história dos povos, principalmente daqueles que caíram em desgraça, por não compreenderem o real significado do que é governar para a sociedade mirando seu bem estar com ética e justiça.

    Os exemplos estão todos aí para ninguém botar defeito: O povo sofrendo com o desemprego generalizado e a vida privada dos políticos e executivos fora dos padrões éticos exposta para a opinião pública estarrecida com os fatos escabrosos.

    Tirem a crianças da sala, pois as escutas telefônicas e as delações premiadas fazem mal a saúde elas e infelizmente a dos adultos também.

    • Caro Roberto Nascimento,

      Muito obrigado pelo comentário procedente, e que complementa o meu texto de forma positiva, em face das informações acostadas.

      Os parlamentares, altos funcionários do Executivo e o Judiciário, criaram uma espécie de bolha, que os protege de qualquer crise econômica, social e, lógico, política.

      Enquanto nos remoemos em busca de solução, mesmo emergencial, para sustentarmos nossas famílias ou cada cidadão, esse pessoal transita IMUNE aos caos que eles mesmos ocasionaram!

      Ganhando muito, emprego garantido, boquinhas à disposição porque um apaniguado jamais deixará de ser atendido, o povo sucumbe gradativamente porque lhe recaem os custos deste País artificial, a manutenção desta bolha, e não tem como deixar de cumprir com esta determinação porque não sabe, em princípio, depois porque não é unido e, por último, pela falta de CORAGEM!

      Simplesmente assistimos de forma omissa, passiva, COVARDE, a esses assaltos sobre nossos bolsos, nossos MESES DE TRABALHO ESCRAVO, e ao recebermos migalhas, ainda bradamos aos céus que somos alvos de grandes “projetos sociais”, mentira torpe, abjeta, deletéria!

      Nesse meio tempo, quanto ganham deputados e senadores?

      Quanto os petistas roubaram das estatais, fundos de pensão e do erário público?!

      Quais foram os gastos de Lula, Dilma e bando de bandidos com os cartões corporativos nesses 14 anos?!

      Quanto cada deputado e senador GASTOU PESSOALMENTE DO ERÁRIO COM AS SUAS DESONESTAS E IMORAIS INDENIZAÇÕES, a título de manutenção da “atividade parlamentar”?!

      O Brasil sofre de hemorragia, Roberto, e não se tem como estancá-la, pois estamos nos esvaindo em sangue, enquanto nossos “médicos” se refestelam pela nossa morte anunciada!

      Encaminhamo-nos célere para um final dramático ou, então, que o povo reaja, vá à luta, exija mudanças e de forma drástica, até mesmo violenta, pois os parlamentares e membros do Executivo precisam ter medo do povo, que hoje debocham, ignoram, nos exploram e violentam permanentemente!

      Um forte abraço, meu amigo.
      Saúde e Paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *