Se Sarney não fosse intocável, Dona Dilma poderia liquidar tudo

O problema de ter havido ou não havido o encontro Dilma-Lina (leia o post anterior) se transformou numa questão nacional. E não precisaria ter se transformado na sensação do momento.

Dilma: “Conversei, sim”

A Ministra Chefe da Casa Civil tinha uma arma carregada, só que se apertasse o gatilho, atingiria precisamente aquele a quem tinha (e tem) a obrigação de preservar.

Esclarecimento numa frase

A camisa-de-força do Poder, que massacra tanta gente, amarrou a Chefe da Casa Civil. Bastaria dizer: “Chamei, sim, a secretaria da Receita Federal, queria a AGILIZAÇÃO da ação. Para mim, ninguém está acima da lei. Ela achou isso surpreendente”. (Exclusiva)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *