Se vingar, acordo com Alckmin pode dar ao Centrão um poder de tutela inédito

ACM Neto e Ciro Nogueiro, após a reunião do bloco

Daniela Lima
Folha/Painel

Se confirmado, o acordo do bloco capitaneado por DEM e PP com Geraldo Alckmin (PSDB) abre brecha para o Centrão exercer um poder de tutela inédito na história recente sobre um mandatário do país. A manutenção do comando da Câmara nas mãos desse grupo está afiançada desde o início das negociações. Mas, no desenho atual, o consórcio indicaria também o vice do tucano e teria número suficiente para eleger o novo presidente do Senado. Aposta-se que caberá ao PP apontar o nome.

Por todos os lados A união dos partidos que compõem o Centrão foi forjada em cima da tese da repartição do poder. Somados, eles praticamente garantem a recondução de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara e, a números de hoje, chegam a 32 senadores. “Ninguém terá isso”, reconheceu um tucano.

ANTIGAMENTE – PT e MDB se alternaram no comando das duas casas Legislativas de 2003 a 2016. Na Câmara, só houve duas exceções: Aldo Rebelo, à época no PCdoB, chefiou a Casa de 2005 a 2007. Foi sucedido por Severino Cavalcanti (PE) que, no PP, segurou-se pouquíssimo tempo no cargo.

O MDB controla o Senado desde 2001. Só houve um intervalo, em 2007, quando Tião Viana (PT-AC) assumiu a Casa após renúncia de Renan Calheiros (MDB-AL).

PADRINHO MÁGICO – O aceno de Valdemar Costa Neto, o comandante do PR, a Alckmin foi fundamental para mudar o rumo do centrão. Como mostrou o Painel nesta quinta (19), ele mudou a correlação de forças no grupo ao dizer que preferia apoiar o tucano a Ciro Gomes (PDT).

Políticos que torciam o nariz para uma aliança com Ciro no PSDB e no DEM capricharam nas ironias após a guinada do centrão. Arthur Maia (DEM-BA) brincou: “Ciro me lembra aquele piloto de Fórmula 1 dos anos 1990, o Nigel Mansell. Largava sempre bem, mas invariavelmente rodava”.

TEMPO ENSINA – No MDB, que deve lançar Henrique Meirelles ao Planalto, há quem recorra a 1989 para dizer que propaganda na TV – o que Alckmin terá de sobra com o centrão – não elege ninguém. Na ocasião, Ulysses Guimarães tinha larga vantagem nesse quesito, mas Fernando Collor venceu.

Por sua vez, Jair Bolsonaro (PSL) disse a aliados que vai sondar o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB) para a vaga de vice. Se a tese vingar, a proposta será levada a Levy Fidelix, presidente do PRTB. O militar será o terceiro vice que o presidenciável tenta atrair.

Mourão já negou uma proposta do PSL. Convidado a se filiar para disputar o governo do Rio, recusou.

CHAPA MILICO – A formação da chapa com dois egressos das Forças Armadas enfrenta resistências na campanha de Bolsonaro. Auxiliares do deputado preferiam alguém com perfil empresarial. Depois de Mourão, aparecem como opções Janaina Paschoal e Luciano Bivar, ambos do PSL.

No PT, o convite para que Manuela D’Ávila (PC do B) assuma a vaga de vice do PT só não foi formalmente apresentado nesta quinta-feira (19) porque a direção petista quer o aval de Lula. O ex-presidente foi informado da negociação.

SER OU NÃO SER – O senador Aécio Neves (PSDB) passou parte desta quinta (19) reunido com cerca de 50 prefeitos que o apoiam em Minas para debater seu futuro político. O grupo está dividido.

Há uma ala que prega que ele dispute a reeleição ao Senado para livrar o aliado Antonio Anastasia, candidato tucano ao governo, do embate com Dilma Rousseff (PT), chamando “pancadaria da campanha” para si. Outra ala vê a eleição para a Câmara como o caminho mais fácil.

Aécio disse que bateria o martelo após falar com Anastasia neste fim de semana.

14 thoughts on “Se vingar, acordo com Alckmin pode dar ao Centrão um poder de tutela inédito

  1. Sr. Marques,

    1- Por falar em política o JUÍZÃO que se meteu onde não foi chamado está sumido da mídia, ele que gosta tanto de aplausos e holofotes, poderia deixar vazar na internet a razão pela qual se meteu no HC e de férias ainda por cima.

    2- A dona Janaína quer entrar na política, a coisa deve ser muito boa, e diz que poderia revolucionar o país com o Capitão, acho que ela iria é assustar nossos filhinhos e netinhos.

    https://www.youtube.com/watch?v=yVqdKMWDodU

    • Observando, com relação ao item 2), eu já comecei a estocar alimentos com vistas a iminente invasão russa à Banânia via Venezuela alardeada pela çábia Dra. Janaína Paschoal…..

  2. Vamos aos fatos.

    O Presidente Temer tem 93% segundo a última pesquisa Ipsos-Estadão > http://www.tijolaco.com.br/blog/lula-segue-lider-e-passa-ate-o-querido-moro-na-ipsos-estadao/.

    Nenhum político quer ser identificado junto ao eleitorado como candidato do Governo Temer, mas todos estão se digladiando na mídia, usando inclusive interlocutores importantes, para serem candidatos do mercado.

    Isso eles não divulgam, mas a gente fica sabendo pelas entrevistas dos assessores econômicos e muitas delas são amplamente divulgadas na internet.

    É isso que muitos eleitores e analistas políticos não tem clareza e por isso sempre se decepcionam com os políticos quando assumem seus cargos e anunciam seus planos de governo.

    O mercado entendido aqui como corporativo/financeiro, nacional e estrangeiro, quer a continuidade das políticas que estão sendo praticadas nesse governo e que foram iniciadas com grande determinação nos anos 90, conhecidas como neoliberais. Implica num corte de gastos sociais e aumento de impostos de forma permanente. É uma política totalmente voltada para a maximização dos lucros do mundo corporativo/financeiro.

    Essas políticas no Brasil incluem as já aprovadas PEC do Teto de Gastos e a Reforma Trabalhista.

    O mercado considera crucial a Reforma da Previdência e as privatizações das empresas estatais.

    O mercado não considera a reversão das medidas tomadas e avalia as eleições como a consolidação de um governo que dará continuidade a essas reformas do governo atual.

    Vocês acreditam no que os candidatos vão falar durante a campanha eleitoral? Eles falam aquilo que os eleitores quem ouvir, orientado por marqueteiros.

    É muito comum nesta Tribuna as pessoas se identificarem em seus comentários com a esquerda ou a direita e até defenderem e atacarem partidos e candidatos.

    Eu não consigo ter identificação com grupos partidários ou ideológicos, porque a corrupção e a mentira envolveu a todos. No governo, infelizmente, todos se igualam nas práticas políticas.

    O que sei é que sempre seremos governados por políticos, bons ou ruins.

    O que a sociedade precisa é ter consciência da realidade para cobrar por serviços básicos de saúde, educação e segurança, que são atribuições do Poder Público.

    Aguardo comentários que complementem e acrescentem nova informações.

    Saudações a todos os comentaristas.

  3. Se vingar, acordo com Alckimin! Se não vingar, acordo com Alckimin! Sou seu inimigo que dorme ao lado. Sei que um dia acordo, para dele me vingar!

  4. “TEMPO ENSINA – No MDB, que deve lançar Henrique Meirelles ao Planalto, há quem recorra a 1989 para dizer que propaganda na TV – o que Alckmin terá de sobra com o centrão – não elege ninguém. Na ocasião, Ulysses Guimarães tinha larga vantagem nesse quesito, mas Fernando Collor venceu.”

    Pode não eleger Presidente … porém, elege deputados e senadores kkk KKK kkk

  5. Que país é este. O presidente tem que fazer acordo com a gangue principal do Congresso (Centrão – DEM PP) para poder governar. Qual a diferença deste acordo com um acordo com o PCC. Acho que se fosse com o PCC o dano para o país seria muito menor. É o fim da picada.

  6. Caro leitor e comentarista Antonio,
    Como seria salutar para a nação brasileira se toda a sua gente aplicasse na íntegra os entendimentos esposados pelo ex-presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan, abaixo transcritos.

    Mesmo morto, Ronald Reagan nunca envelhece.
    Ronald Reagan completaria 104 anos no dia 6 de fevereiro.
    O ator que se elegeu presidente dos EUA tornou-se, ao lado de Margaret Thatcher, o porta-voz da mensagem de que o Estado deve ser minúsculo e eficiente, diferentemente do que temos por aqui….
    Abaixo 10 pérolas de Reagan que se aplicam perfeitamente ao Brasil.
    1 – “Não devemos julgar os programas sociais por quantas pessoas estão neles, mas quantas estão saindo.”
    2 – “O melhor programa social é o emprego.”
    3 – “As melhores mentes não estão no governo. Se alguma estivesse, a iniciativa privada iria roubá-la.”
    4 – “A política é supostamente a segunda profissão mais antiga. Vim a perceber que tem uma semelhança muito grande com a primeira.”
    5 – “a visão do governo sobre economia pode ser resumida em frases curtas: se a coisa se move, taxe-a; se continuar em movimento, regule-a; se ela parar de se mover, subsidie-a.”
    6 – “Como você define um comunista? Bem, é alguém que lê Marx e Lênin. E como você define um anticomunista? É alguém que entende Marx e Lênin.”
    7 – “Estamos caminhando para o socialismo, um sistema que, como se diz, só funciona no céu, onde não precisam dele, e no inferno, onde ele já existe.”
    8 – “Recessão é quando um vizinho perde o emprego. Depressão é quando você perde o seu.”
    9 – “O contribuinte é um cara que trabalha para o governo sem ter que prestar concurso.”
    10 -“O governo é um bebê: um canal alimentar com um grande apetite numa ponta e nenhum senso de responsabilidade na outra.”

    • Sábia as palavras de Reagan, mas a gente acredita que um dia possa mudar. Realmente, vc tem razão. Eu que ainda estou na fase infantil e continuo acreditar em Papai Noel (que a política pode ser menos suja). Bom fds!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *