Secretário de Educação do Paraná, cotado para suceder Weintraub, se reunirá com Bolsonaro

Feder é um nome técnico e apoiado por empresários bolsonaristas 

Mateus Vargas e Julia Lindner
Estadão

O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, pode assumir o cargo de ministro da Educação e suceder Abraham Weintraub. Apontado como de perfil “liberal” e de boa relação com o mundo empresarial, Feder teve o nome sugerido ao presidente Jair Bolsonaro e, segundo integrantes do  Palácio do Planalto, iniciou um “namoro” com o governo. O secretário tem encontro marcado para esta terça-feira, dia 23, com o presidente.

A iniciativa de abrir negociação para Feder assumir o cargo teria partido do Palácio do Planalto, que busca um nome capaz de afastar do Ministério da Educação polêmicas que se acumularam durante a gestão de Weintraub. Feder é empresário do ramo de Tecnologia e foi um dos maiores doadores individual na campanha de João Doria (PSDB) para Prefeitura de São Paulo em 2016, contra o então prefeito da capital paulista Fernando Haddad (PT).

COMUNIDADE JUDAICA – Na ocasião, o atual secretário estadual doou R$ 120 mil para o tucano. Fontes próximas do governador do Paraná, Ratinho Jr. (PSD), e lideranças do partido tentam se desvincular da indicação de Feder. Eles afirmam que o Palácio do Planalto sondou o secretário. Além de boa relação com o meio empresarial, Feder teria aprovação de representantes da comunidade judaica.

Weintraub ficou 14 meses no cargo. Ele acumulou desavenças com reitores, estudantes, parlamentares e com o Supremo Tribunal Federal (STF). Por chamar ministros da Corte de “vagabundos” e dizer que “colocaria todos na cadeia”, Weintraub foi incluído no inquérito das fake news.

O agora ex-ministro foi exonerado no sábado, dia 20, após desembarcar nos Estados Unidos, onde espera assumir cargo no Banco Mundial.  Aliados do ex-ministro indicam, nas redes sociais, que o presidente o enviou para fora do País para desviar de uma ordem de prisão do STF.

COTADO – O secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, chegou a ser cotado ao comando da Educação. Seguidor do escritor Olavo de Carvalho, “guru do bolsonarismo”, Nadalim teria saído do radar de possíveis ministros pela falta de experiência e por suas ligações com o site Brasil sem Medo, que faz ataques ao Supremo.

Feder é administrador de empresas e mestre em economia. Ele foi CEO da empresa de tecnologia Multilaser, cargo que deixou para entrar no governo paranaense. Segundo o site da secretaria de Educação paranaense, ele também deu aulas de matemática por uma década.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
As negociações para levar Feder ao cargo progrediram desde a última sexta-feira e Bolsonaro inclusive já trocou algumas palavras com o cotado para a pasta por telefone. A indicação é orientada pelo governador Ratinho Júnior (PSD) e teria sido uma sugestão de Fábio Faria (PSD), ministro das Comunicações . A ideia do Planalto é nomear alguém técnico e distante de polêmicas, a exemplo de Weintraub. Feder além de ter o apoio de empresários bolsonaristas, defende o modelo de escolas cívico-militares, o que o aproxima também da ala militar. Com Feder no ministério, coloca-se para escanteio uma possível indicação olavista. (Marcelo Copelli)

6 thoughts on “Secretário de Educação do Paraná, cotado para suceder Weintraub, se reunirá com Bolsonaro

  1. RENATO, significa RENASCIDO. Como seu sobrenome é FEDER, ele ainda exala o odor do cadáver que deu origem a esta sua segunda reencarnaçáo.
    A propósito, nada mais emblemático para representar um governo que tem levado todoa a nação a FEDER.

  2. Não sei por que me lembrou o ex-ministro Teich!
    Espero que não seja “mal pressentimento”!
    Pior do que os dois anteriores e outros de outros governos, não deverá ser. SÓ SE FIZER MUITA FORÇA!
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *