Segurana: o coronel Digenes Dantas mostra quem controla drogas e milcias, e mostra como o Poder PBLICO pode derrotar o dito invencvel Poder PARALELO

Um dos maiores, (talvez mesmo o maior) do Rio e Estado do Rio o problema de segurana. Ningum discute isso. Uma das maiores autoridades no assunto, o coronel Digenes Dantas. Ele tem livros e acaba de publicar, Insegurana Pblica e Privada. mais do que um livro, uma aula magna sobre o que FAZER e o no FAZER, para acabar com esse crime.

Utiliza 25 pginas para localizar as regies sob o controle das MILCIAS, do COMANDO VERMELHO, do TERCEIRO COMANDO PURO, tudo com fotografias e indicaes mais do que precisas. Fica visvel o crescimento das MILCIAS, que dominavam cidades quase insignificantes do interior, e agora vieram para centros urbanos importantes.

(No esquecer que o governador Srgio Cabral exaltou as MILCIAS, logo no incio do seu governo, e no deu o menor combate a elas. No Panamericano, Cabral incentivou esses criminosos, dizendo publicamente: AS MILCIAS podero ajudar a segurana pblica nesses jogos. S um incompetente como o governador seria capaz de uma declarao absurda e espantosa como essa).

O coronel Dantas destaca a importantssima questo das armas, e o efeito contrrio, o plano de desarmamento, que NO ATINGIU OS MARGINAIS. E comenta: Com o desarmamento do cidado, os traficantes e marginais se sentem mais tranquilos. E d nmeros impressionantes e importantes.

Existem no Brasil, 10 milhes de armas de fogo, sendo 4 milhes e 700 mil em poder dos bandidos. O resto em casas de famlias, de cidados que no registram essas armas, com medo de perd-las e diminuir a frgil segurana.

Acrescenta: 65 por cento dos crimes so praticados com armas de fogo, 45 mil pessoas morrem por ano vtimas dessas armas. (No Vietn, a grande tragdia dos EUA, em anos e anos de combates, morreram 58 mil combatentes).

nfase do coronel Digenes: O Brasil diz no violncia, lembrando a afirmao do Ministro da Justia em 2001 quando aprovado o Plano de Desarmamento. Mas no aconteceu nada, piorou, os bandidos ficaram mais poderosos, os governos no planejam, no agem preventivamente, no se interessam em outra coisa a no ser no COMBATE DIRIO.

Digenes Dantas d exemplos da marginalidade derrotada, como em Chicago, a capital mundial do CRIME ORGANIZADO em 1929, o domnio de Al Capone, sua priso e destruio. (Tambm em Nova Iorque, as famosas gangues que dominavam a cidade e os cidados, desapareceram com o aparelhamento para planejar e prevenir e no para o que acontece no Rio e no Brasil, QUE O COMBATE DIRIO NAS RUAS).

Chama a ateno para a semelhana do CRIME ORGANIZADO, l e aqui, baseado em drogas, (na poca, centralizado nas bebidas alcolicas), armas e dinheiro. Mas foram destrudos e destroados, quando o Estado deixou de reconhecer o PODER PARALELO, mostrou que s pode existir o PODER REPRESENTATIVO E CONSTITUCIONAL.

So quase 190 pginas, simples, sumrias, sintetizadas, e que deveriam estar em cima da mesa de todos os responsveis (?) pela Segurana Nacional, se que eles sos capazes de ler alguma coisa. Como no lero mesmo, darei os ttulos de Digenes Dantas, alm do maior de todos: a preocupao com a vida diria da coletividade.

Que tem o direito e a necessidade de viver em paz, sem susto, e sem medo de morrer por causa de uma bala perdida. Na verdade, no a bala que perdida e sim a busca pela tranquilidade, que os governos no se incomodam de perder para os marginais.

1- Coronel. 2- Bacharel Graduado em Cincias Militares. 3- Mestre em Aplicaes Militares. 4- Doutor em Aplicaes, Planejamento e Estudos Militares. 5- Especializao em Poltica, Estratgia e Alta Administrao. 6- MBA Executivo da Fundao Getlio Vargas. 7- Paraquedista. 8- Assessor do Gabinete da Casa Militar da presidncia da Repblica, tendo como chefe o general Agenor de Carvalho. 9- Oficial de Operaes do Comando Militar da Amaznia. 10- Atualmente Assessor de Anlise Estratgica do Centro de Produo, Difuso e Segurana da Informao do Ministrio Pblico Militar.

* * *

PS- Por que um homem como esse, moo, que passou a vida estudando e executando, no est na primeira linha dos que pretendem acabar com o que chamam de CRIME ORGANIZADO ou PODER PARALELO?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.