Senado deu um tiro no pé, enquanto Bolsonaro surpreende positivamente

Resultado de imagem para bolsonaro

Quando o Congresso erra, Bolsonaro fica mais fortalecido

Eliane Cantanhêde
Estadão

O aumento dos salários dos ministros do Supremo foi a primeira derrota imposta pelo Senado ao governo Jair Bolsonaro, antes mesmo da posse, mas o tiro saiu pela culatra. O aumento atiçou a irritação popular contra o Congresso e os partidos. Bolsonaro ficou do “lado certo”, os políticos, do “lado errado”. Dinheiro para saúde, educação, saneamento, cultura e infraestrutura não há, mas para marajá do serviço público nunca falta. E o aumento do Supremo tem um efeito cascata que inunda todos os poderes e unidades da federação, com impacto danoso num déficit já pavoroso e no estado fiscal lamentável dos estados.

Derrota de Bolsonaro? Ou derrota do Brasil, do contribuinte, dos investimentos, da responsabilidade fiscal, do Congresso? O presidente Michel Temer, que poderia corrigir o erro, não pode nem o fará, porque já vinha negociando o aumento há meses com o presidente do STF, Dias Toffoli.

UM FALSO PODER – O Congresso insiste em não ver, ouvir, sentir e entender nada, mesmo após a vitória de Bolsonaro e a derrota de incontáveis políticos tradicionais, particularmente senadores, alguns deles até muito sérios, porque “os justos pagam pelos pecadores”.

Enquanto a imagem do Congresso continua afundando, Bolsonaro vai surpreendendo para melhor. As ameaças e manifestações fora do tom, tão chocantes na campanha, vêm sendo trocadas por reverência à Constituição, respeito às instituições – até ao presidente Michel Temer –, e uma relação civilizada com a imprensa.

Após a ameaça a um jornal e a exclusão da imprensa escrita da primeira coletiva, ambas decisões inadmissíveis, ele vem cedendo à realidade de que a mídia incomoda, mas é parte fundamental da democracia. Deu entrevistas às TVs e responde a perguntas improvisadas pelos repórteres. Seus homens fortes têm dado declarações e coletivas sobre suas intenções: o general Augusto Heleno, o economista Paulo Guedes, o juiz Sérgio Moro. Só o vice Hamilton Mourão anda calado.

SURPRESA POSITIVA – Aliás, os novos ministros são a outra surpresa positiva. Gostem-se ou não deles e esgoele-se ou não a oposição, o fato é que a opinião pública e o mercado receberam bem os já citados, particularmente Moro, assim como o militar e astronauta Marcos Pontes para Ciência e Tecnologia e, agora, a deputada, agrônoma e ruralista Tereza Cristina, aplaudida no próprio Congresso.

Ex-líder do PSB, ela mudou para o DEM por votar no impeachment de Dilma Rousseff e, se vira ministra por indicação da Frente Parlamentar do Agronegócio, é um trunfo por ser a primeira mulher no primeiro escalão e tem um plus: o DEM tende a ser uma mão na roda para Bolsonaro, porque os dois são complementares.

O partido do presidente eleito, o PSL, deu um salto, virou a segunda bancada na Câmara e, logo, roubará o primeiro lugar do PT. Mas quantidade nem sempre é qualidade nem garante resultados.

SEM ESTRADA – O PSL é um amontoado de caras novas, que mal se conhecem entre elas e têm pouca ou nenhuma experiência de Congresso. Já o DEM é muito experiente, disciplinado, passou por uma renovação que alavancou líderes mais novos e modernos. E o partido tem muita identidade com a pauta liberal de Bolsonaro, ou melhor, de Paulo Guedes.

Bolsonaro quer um diplomata de carreira no Itamaraty (logo, please!) e pode levar militares para duas áreas que eles consideram pontos fortes do regime de 1964: Infraestrutura e, não se assuste, Educação.

Por último, Heleno vai para o Planalto. Na Defesa, ficaria voltado para as Forças Armadas. No GSI, órgão de inteligência, terá acesso direto ao presidente e às principais informações e segredos do País. Ele já tem natural influência sobre Bolsonaro e informação é poder. Logo, é forte candidato a eminência parda.

25 thoughts on “Senado deu um tiro no pé, enquanto Bolsonaro surpreende positivamente

  1. “Dinheiro para saúde, educação, saneamento, cultura e infraestrutura não há, mas para marajá do serviço público nunca falta.”

    -Ficou a impressão que todo o servidor público recebe tanto quanto um ministro do Supremo.

  2. Bolsonaro deve estar apreensivo. Não pode errar com o embaixador nos EUA. Tem que ser alguém que entenda a recomendação de Olavo de Carvalho: O embaixador deve conseguir negócios e dinheiro para o Brasil.

  3. Escócia é primeiro país do mundo a aprovar educação sobre LGBTI+ nas escolas

    Com a medida, as escolas públicas serão obrigadas a trabalhar com seus alunos conceitos e dados sobre igualdade, identidade de gênero, casamento igualitário, a história dos movimentos LGBTI+ e o combate a homofobia e a transfobia.

    “Nosso sistema de educação deve apoiar a todos para que alcancem seu pleno potencial. Por isso é vital que o currículo seja tão diverso quanto os jovens que aprendem em nossas escolas ”, disse o vice-primeiro ministro, John Swinney.

    https://goo.gl/1f8Qh9

    A onda bolsonaro vai passar e o Brasil poderá voltar a avançar na direção da igualdade e justiça

  4. Parabéns ao comentarista Jose Guilherme que enxerga o indecente hiato existente entre o maior salário do serviço público e o irrisório salário mínimo pago a uma massa gritante de brasileiros, sugerindo que a relação seja no máximo de 10 para 1 e não de 35,11 para 1, ou seja, 33.500,00/954,00 = 35,1153…

    O salário mínimo foi idealizado para satisfazer as necessidades primárias do trabalhador, quais sejam, alimentação, moradia, transporte, higiene, vestuário, etc. Desde que me entendo por gente, e já tenho 71 anos, que o famigerado salário mínimo afronta a dignidade dos mais necessitados, humilhando-os com uma remuneração a nível de subsistência.

    Um dos grandes males brasileiros vem a ser a péssima distribuição de renda aqui existente e, torço para que o Presidente Temer vete esse novo aumento pleiteado pelo STF (sonhar não é pecado), o que aumentará mais a disparidade (39.200,00/1.002,00) = 39,1217, ou seja, o modelo aviltante de os mais aquinhoados receberem mais renda, e o mais explorados serem cada vez mais ignorados e desprezados pelo Poder Público.

  5. O Temer deveria vetar o aumento dos caras do STF. Sim são caras de pau. Ganham muito e só fazem besteira. O mais importante que fazem é despachar HCs para petistas inconformados com a cana dura. Ah, sim, eles também falam Latim, que já morreu faz tempo.

  6. O presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador, anunciou nesta semana as primeiras medidas do governo que assume no dia 1º de dezembro. Entre elas, está a mudança na lei trabalhista do país – o que, segundo o futuro mandatário, dará “um tapa na cara” da política neoliberal.

    https://goo.gl/Ci7fNZ

    A onda bolsonaro vai passar e o Brasil vai poder voltar a progredir na direção da justiça social

    • Alex, onde a justiça social depende do estado, esquece, só existe escravidão e subserviência.
      Dito isto ou vc é ingenuo ou vc é comparsa, quem apoia esse tipo de politico é bandido não tem outra denominação.

  7. É vergonhosa a campanha de desinformação que a grande mídia está fazendo sobre a nova equipe de governo do presidente eleito. São uma verdadeira fábrica de fake news.

  8. Prezado Jose Guilherme, não se melindre pelo fato de alguns comentaristas fazerem pouco ou não entenderem as suas palavras, ou desviarem o foco do que foi dito. Entendo perfeitamente o seu ponto de vista, sua preocupação no intervalo humilhante dos salários e gostaria que os nossos Governantes em 2019 se preocupassem em fazer políticas públicas que atingissem os menos favorecidos, pois eles que necessitam mais atenção. Não se trata de ser de direita ou de esquerda, o importante é ser mais justo com aqueles enganados o tempo todo, carentes de um salário mínimo decente, água tratada e saneamento, escolas públicas com um bom ensino. o SUS bem aparelhado com pessoal da saúde, equipamentos e materiais, enfim, creio que nos próximos anos seremos brindados com mulheres e homens públicos mais cônscios dos seus deveres.
    Um bom dia para todos os integrantes desse blog.

  9. Nosso povo é composto em sua maioria de analfabetos políticos. Acham que o senado agiu errado. O senado agiu certissímo. Se deixasse para o próximo governo esse direito ficaria para o fim do mandato. Dinheiro tem. O que Catanhede devia é perguntar ao juiz Moro se vai mandar investigar a fortuna conseguida por Bolsonaro em tão pouco tempo, ele que era descendente de família pobre hoje é um potentado. Se alguém disser que sua fortuna chega a 20.000.000,00 (vinte milhões ), não está errado. Pode ser um pouco menos, pode ser igual ou muito mais. “Catanhede sempre botava uma azeitona na empada de Bolsonaro em seus comentários na Globo News. A verdade doi. Mas é verdade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.