Senado espera que André Mendonça desista de STF e poupe Bolsonaro de mais um desgaste

Enquanto aguarda o Senado, o pastor André Mendonça prega | O Antagonista

No templo, Mendonça declarou sua submissão aos “bispos”

Mônica Bergamo
Folha

A expectativa entre senadores e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) é a de que André Mendonça tome a iniciativa de desistir de sua candidatura à corte. Mesmo políticos governistas acreditam que essa seria a melhor solução, poupando Jair Bolsonaro do desgaste de ver Mendonça rejeitado no Senado.

Mas o presidente já sinalizou que não tomará a iniciativa de retirar o nome para não contrariar os evangélicos, que continuam apoiando Mendonça.

MENDONÇA INSISTE – Mendonça, por sua vez, resiste à ideia de recuar da candidatura. Ele já conversou sobre isso com integrantes do governo. E avisou que gostaria de manter seu nome até o fim, tentando forçar o Senado a votar a indicação.

Bolsonaro indicou o nome do ex-advogado-geral da União para o STF em julho. Ele precisa ser aprovado pelos senadores para o cargo, mas até hoje não foi sabatinado.

A resistência dos parlamentares a Mendonça tem várias razões: uma parte deles quer evitar que Bolsonaro consiga emplacar mais um magistrado na corte — o Judiciário tem sido um foco de resistência às ameaças golpistas do presidente.

LAVAJATISTA – O ex-advogado-geral da União é considerado também ideologicamente alinhado com o lavajatismo, que a maioria do universo político abomina.

O fato de ser “terrivelmente evangélico” atrapalha —não pela opção religiosa, mas pela submissão que André Mendonça declara ter a bispos de agremiações religiosas.

No domingo (12), ele foi a um culto na Assembleia de Deus e afirmou aos bispos que a palavra deles “sobre a minha vida é uma palavra com um peso de autoridade de Deus na Terra”. Disse que é “um discípulo” e “um servo”. E afirmou ainda reconhecer a sua “submissão”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Mendonça é terrivelmente bajulador, não pode encontrar um saco que já puxando. Ao bajular os “bispos” das seitas e evangélicas, ele demonstra submissão e é aí que mora o perigo. Todo ministro do Supremo só pode ser submisso à Constituição, mas Mendonça é por demais vassalo para merecer essa honraria. (C.N.)

17 thoughts on “Senado espera que André Mendonça desista de STF e poupe Bolsonaro de mais um desgaste

  1. O Estado e o Governo brasileiros são LAICOS. Essa história de misturar religião com política sempre deu em merda. Isso para não falar do absurdo de um ministro do STF ser indicado pelo presidente desse desgraçado país de bananas. Agradecido pela boa vida que gozará sem precisar fazer nada, o nomeado será eternamente um servo de quem o indicou, capaz de fazer as maiores calamidades só para agradar o patrão.

  2. O comentarista do site é um gozador: “todo ministro do supremo só pode ser submisso à Constituição” 🙂 🙂 ótima piada.

    Pela quantidade de bandidos soltos e de medidas ilícitas contra o exercício da cidadania, a corte suprema é, hoje, um mero escritório de advocacia do crime organizado, onde brilha até mesmo um notório advogado do PCC.

    • Iria escrever quase o mesmo a respeito do da tal frase ……mas você, caro Turíbio, definiu exatamente o que eu havia penso.
      Só faltou o gozador dizer que Gilmar Mendes, Dias Tóffoli, Lewandowisk , Cássio Nunes e Alexandre de Moraes são submissos à Constituição. Eles não são submissos nem mesmo ao código de ética dos servidores público e muito menos ao código penal.

  3. 1) A meu ver… a grandeza do Evangelho de Cristo é apequenada com a esperteza, misturada com política…

    2) Tenho minhas dúvidas se a membresia está mesmo lendo e estudando a Bíblia como um todo ou só fazendo “arminha” nos templos…

  4. Pelo que se escuta nos lares e bares, STF significa Supremo Tranquilizador de Finórios.

    “Finório”, termo antigo, foi ressuscitado pela conduta dos ministros da Corte, nomeados por notórios corruptos.

    O termo significa aquela pessoa que, aparentando boa-fé, pratica com maestria a astúcia enganosa, muito praticada em Brasília, o maior centro mundial de corrupção impune.

    .

  5. Se Bolsonaro quisesse ser aplaudido numa indicação para o STF, indicaria Felipe Santa Cruz, o homem forte da OAB, seu desafeto declarado.
    Mas, se o negócio é agradar essa indicação seria um estrondo de aplausos, ecoaria do Arroio Chuí ate Pequim, Moscou, Havana e Pyongyang.

  6. Toda vez que esse pessoal eleva as mãos pro céu eu protejo meus bolsos! É muito cômodo resolver problemas com preces: não custa nada ao que dá e não resolve o problema de quem as recebe.

  7. Não tem que aprovar nenhuma indicação!
    Já passamos da metade do mandato. Ano que vem, 2022, tem eleições. Definindo o novo (substituto) mandatário que assumirá a Presidência da República.

    • Logo, o mais correto seria que o Senado não colocasse em pauta indicação alguma para a vaga do STF. Deve-se aguardar o resultado das próximas eleições.
      Isso porque o atual ocupante da cadeira da Presidência da República, o Genocida, foi eleito por um tropeço dos eleitores.
      Aquele indicando (antes) se mostra muito fiel a quem o indicou. Veja que dos 9 atos do Genocida da República que são questionados no STF, o ministro Marques pediu vista e deu aquela sentada em todos.

      • E ainda mais que não se pode aceitar a indicação feita segundo o critério de amizade pessoal ou posicionamento religioso, como são as escolhas, até aqui apresentadas, do Genocida da República…

  8. Aparentemente o Genocida da República teria recuado em relação aos ataques aos integrantes do STF.
    Contudo, a matéria abaixo pode, na verdade, indicar uma mudança de plano.

    Com maioria no Legislativo (comprada), quem sabe criando novas vagas para que pudesse indicar mais ministros para o Tribunal Constitucional, assim garantindo-lhe uma via favorável ao projeto (já que se considera, assim como alguns fanáticos, um enviado… Messias) de perpetuação no poder – quem sabe passando à sua prole (o Califado bolsonarista)

    “Bolsonaro defende renovação do Judiciário para mudar o Brasil”

    https://www.metropoles.com/brasil/politica-brasil/bolsonaro-defende-renovacao-do-judiciario-para-mudar-o-brasil

    • Veio uma lembrança de como muitos filhotes de Ditadores conseguiram se perpetuarem no poder.

      Primeiro obtendo o Legislativo. Seja conquistando nas urnas a maioria.
      Ou usando um bode. A pretextos da necessidade de mudança, reforma Constitucional. Nova Assembleia Constituinte.
      Com as mudanças das regras. Consegue-se mudar o Sistema Eleitoral, aumentar as vagas do Tribunal Constitucional (quando não antecipar aposentadoria de seus integrantes) para indicar número suficiente que garanta maioria no Tribunal que define o que está, ou não, de acordo com a Constituição.
      Fora, ainda, considerando que o passado do Genocida o condena (planejamento de atentado), há até a eventual chance de tramar algo contra os ministros a fim de vagar o cargo (se é que me entendem).
      É preciso… Impeachment já!

  9. Entonces o senado não quer o desgaste de Bolsonaro.
    O senado anda fazendo das tripas o coração para defender o Bolsonaro e o ingrato nem se toca.
    Esse senado é a salvação do Brasil, que na próxima eleição sejam todos eleitos e reeleitos pode até ser vitalício, estaremos em boas mãos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *