Será lembrada como freira?

Carlos Chagas

Tem gente que reclama contra da postura áspera, rígida e  não raro mal-educada da presidente Dilma quando ela  se dirige  a seus subordinados gritando e admoestando,  inclusive ministros.

Trata-se de uma questão de perspectiva,  de ângulo de visão, porque já  imaginaram se Joaquim Barbosa virar  presidente da República?

No julgamento do  mensalão ele confrontou diversos ministros seus colegas  com palavras mais do que  deselegantes, e agora,  na presidência do Supremo Tribunal Federal,  continua o mesmo.

Já ofendeu   gravemente   jornalistas e  destratou advogados, mas esta semana investiu de forma virulenta  sobre juízes representantes de associações de classe.

Chegou a mandar um deles,  que revidava suas  agressões,   a baixar a voz, calar a boca e só falar quando ele determinasse.

Disse que as associações de magistrados  não representam a nação e encerrou a reunião, depois de afirmar  que sorrateiramente e em surdina elas tramaram a criação de mais quatro  Tribunais Regionais Federais na beira da praia.

O público costuma  aplaudir  e elogiar  o comportamento de Joaquim Barbosa, mas, convenhamos,  numa eventual eleição dele para presidente da República, de que alguns partidos cogitam, o mínimo a concluir será que Dilma Rousseff comporta-se como uma freira, no palácio do Planalto, caso mantido o temperamento do ministro. 

PERIGO DE CONFRONTO

Vinte mil pastores evangélicos estão reunidos em Brasília, num congresso das Assembléias de Deus, sendo que a maioria aplaude o deputado-pastor  Marco Feliciano,  sempre que seu nome é  referido.

Ninguém pede  a renuncia dele da presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, muito pelo contrário, emprestam-lhe apoio.

Está o país diante de um perigoso confronto, porque de um lado  as igrejas evangélicas  vem se manifestando em favor dos obscuros conceitos expostos pelo deputado-pastor,  ele que é adversário dos homossexuais, do casamento entre pessoas do mesmo sexo e da  liberação do aborto,   além de ter  acentuado   que Deus puniu John Lennon e os  Mamonas Assassinos com a morte  porque ridicularizavam a religião.

Como de outro lado  aumentam os contingentes dos que protestam, até violentamente, contra a presidência de  Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos,  o mínimo a temer são as consequências  desse choque de concepções, capaz de levar a batalhas campais em nome da fé, como nos tempos medievais.

QUANDO JUÍZO FAZ FALTA

Em 1950  os exércitos chineses entraram pela Coréia do Norte e invadiram a Coréia do Sul,  derrotando os americanos.  O comandante das forças dos Estados Unidos, general Douglas  MacArthur, pediu licença ao estado maior, em Washington,  para bombardear território chinês, de onde saiam os soldados invasores.  Queria destruir as pontes que ligavam a China à Coréia do Norte, para impedir a entrada de mais tropas comunistas.

O  estado maior, empenhado em evitar a terceira guerra mundial, deu-lhe licença para bombardear apenas a metade das pontes, aquelas que estavam em território coreano.

MacArthur exasperou-se, porque em seus 52 anos de vida militar,  jamais tinha ouvido falar na hipótese de destruir meia-ponte, deixando intacta a outra metade.  Acabou demitido,  celebrando-se depois o cessar fogo entre americanos, coreanos e chineses.

Agora que a Coréia do Norte adota a  mesma política agressiva e ameaça lançar mísseis nucleares  na Coréia do Sul, sempre protegida pelos americanos,  retorna a sombra de uma guerra mundial, porque a China, mesmo tendo aderido ao socialismo capitalista, não deixará de apoiar a Coréia do Norte.

Seria bom que todos criassem juízo,  porque o resto do mundo não tem nada com isso, mas sofrerá os efeitos de uma guerra capaz de destruir o planeta.

 

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Será lembrada como freira?

  1. Numa guerra que provoque a destruição do planeta quem será vencedor? Essa guerra jamais acontecerá e, se ocorrer,não haverá quem a lamente.

  2. Sr. Carlos Chagas
    Falta de educação, grosseria, gritos, murros na mesa etc., enfim, qualquer manifestação grotesca de ausência total de polidez, sobretudo gratuitas, são injustificáveis, oriundas de qualquer fonte, especialmente das que deveriam ser exemplo de moderação na linguagem e equilíbrio emocional.
    Lástima sua tentativa de “justificar” os maus modos da funcionária maior do Governo Brasileiro com a comparação cretina com outra autoridade dada a tais rompantes.
    O imortal Vargas LLosa recentemente exprimiu um pensamento muito adequado ao tema.
    Diz ele mais ou menos o seguinte: quando vê dirigentes latino americanos, demonstrando fúria e agressividade em suas falas, nas manifestações de “autoridade”, percebe que por trás dessas atitudes patéticas, reside a simples ignorância do vernáculo, incapazes que são, de impor sua autoridade e firmeza de convicções com PALAVRAS.
    Antigamente as aspirantes a MISS, frequentavam a “SOCILA”, para saberem se comportar adequadamente em sociedade, quando fossem representar seu país ou seus Estados.
    Doces tempos!!!
    Acho que faz falta um curso de boas maneiras às atuais personagens de nosso cenário político.
    ANIMAIS AMESTRAM-SE E SERES HUMANOS EDUCAM-SE.
    Recentemente o alcaide da gloriosa Cidade Maravilhosa, antiga “Capital Cultural” do país esbofeteou um bobalhão mal educado que o ofendeu com palavras em lugar público, frequentado por endinheirados. Revidou ao insulto com uma bofetada. Ou seja: nivelou-se baixo.
    Ignorar o boçal ou retirar-se do recinto com elegância seria muito mais eficaz.
    Antigo adágio diz que “costume de casa vai à praça e eu relembro: “quem com porcos se mistura, farelo come”…..
    Seremos sempre um povinho “pas sérieux” com esses dirigentes destrambelhados, bípedes emplumados, fantasiados de “otoridades”, disfarçando seu AUTORITARISMO intrínseco e ausência de equilíbrio emocional.

  3. Sr. Bendl
    Obrigada por sua atenciosa menção ao meu comentário.
    Muito pouca coisa me anima nos tempos atuais a bem usar meu tempo, agora escasso devido a problemas familiares, entretanto não resisto quando se trata de criticar atitudes condenáveis dos que deveriam ser as referências de nosso povo.
    Como teremos um povo educado se nossos governantes descem tanto em seus exemplos, nivelando-se a irracionais?
    E se falamos tanto em combate à violência, é assim que começa o desrespeito ao ser humano, nas atitudes diárias de grosseria, estupidez, arrogância e menosprezo pelos comandados por parte das “AUTORIDADES”.
    Agradeço sua gentileza e folgo em perceber que nem tudo está perdido.
    CIVILIDADE SEMPRE.
    Saudações cordiais
    magdala Domingues Costa

  4. Dona Dilma tá mais pra elefanta em loja de porcelana, ah, isso é! Se dona Dilma vai sê lembrada como freira, num sei dizê, num arrisco parpite de jeito nenhum!

    Num sei lê nem o dia de hoje, quanto mais o futuro. Deixo isso pra quem é ledora de cartas ou seguidora de Ma(n)dala.

    Mais se num sei lê o futuro, quanto ao passado, às notiças do passado, soletrando dou conta de lê. Me lembro da SOCILA, que na propaganda dizia “que era uma escola que ensinava boas maneiras às socialites”. Eu mesminho nunca careci de das aulas de dona Maria Augusta Nielsen, não. Essa sinhora foi uma das fundadoras dessa iscola de adestramento de misses e peruas da alta sociedade. Quem quisê sabê um pouquinho mais de quem e do quê e pra quem servia e serve a Iscola SOCILA é só lê o artigo, e os comentários esclarecedores:

    http://fernandomachado.blog.br/um-minuto-de-silencio/

    “Doces tempos!” … cá pra nozes, quebra-nozes, cala-vozes… prifiro o amargô da Idade média!!!!!!!!!!!!!!

    Zé Bebim, filósofo de butiquim

  5. O público costuma aplaudir e elogiar o comportamento de certos jornalistas, mas, convenhamos, numa eventual analise crítica, o que tem feito esses escribas para as próximas gerações?

    As especulações para denigrir a imagem de alguém, no intuito de engrandecer outra, que por ora está no comando, é prestar informação? A informação dada é capaz de dar meios para a formação da cidadania? Seria bom deixar a população tirar as próprias conclusões. Sem de maneira sorrateira instigar a opinião tendenciosamente.

    Por exemplo, qual a analise que ficará para a história, do conjunto da obra do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva? Terão o mesmo rigor para descrever as ações e as consequências, reais e imagináveis de tudo que foi feito por ele, (e incrivelmente ainda vem sendo feito, mesmo estando ele ausente do cargo)?
    Com toda sinceridade, a postura miliciana daqueles que escrevem diariamente na mídia( e são formadores(?)de opinião)e que trazem assuntos “malhados”, representam apenas, um zero a esquerda e um zero a direita.

    É claro que falta, a bosa-veterinário para a presidente Dima fechar com chave de ouro seu mandato.

  6. Prezada Magadala,
    Há um ditado que diz: “o mandar se executa mas, o exemplo, arrasta”.
    Afora incompetência, incapacidade, corrupção desenfreada, desonestidade, tráfico de influências, negociatas, comissões pelos contratos adquiridos sem maiores cuidados com as licitações, loteamento dos ministérios, secretarias, diretorias, escândalos quase diários, a dependência do povo pelo bolsa-família, uma espécie de condenação à miséria perpétua, o descaso com a Justiça, o Judiciário sendo usado e se deixando usar pelo Executivo e Legislativo, a economia estagnada, Educação, Saúde, Segurança em situação degradante, as nossas autoridades demonstram desrespeito absoluto para com o povo, ofendendo-o, obrigando-o a pagar impostos escorchantes, não corrigindo o IR na fonte, hoje contrário ao bolso do contribuinte em mais de 70% na última década (governo petista), a dificuldade do aposentado com os índices de reajustes anuais e vítima de estelionato pelo que lhe arrecadam e depois é devolvido em forma de pensão, empréstimos descontados em Folha em flagrante ofensa à Constituição Federal, enfim, estamos diante de um quadro caótico e sem qualquer perspectiva de pelo menos ser amenizado através de medidas governamentais sensatas, prudentes, que de fato sejam efetivas e não meramente paliativas.
    O advento do PT trouxe esperança de um Brasil melhor. Ledo engano. Contagiado e embevecido pelo poder, deixou-se conduzir pelo deslumbramento, e permitiu que a Nação brasileira fosse o trampolim à fortuna de traidores da Pátria e do povo.
    Portanto, Magadala, vejo com extrema dificuldade desalojar o PT nessas eleições, diante da cooptação de votos à base do bolsa-família, os parlamentares que não querem perder as regalias já conquistadas, e o comércio que se transformou a Casa Civil em manter uma base aliado ao governo eliminando a oposição, estratégia brilhante do PT em transitar por estrada asfaltada sem qualquer fiscalização que pudesse impedir que a alta velocidade imprimida infringisse a moral e a ética na política e administração sob sua responsabilidade!
    O povo e País que saiam da frente do partido ou, se quiserem, que o apóiem porque terão benesses estendidas indiscriminadamente em troca do célebre sufrágio, o pequeno papel que tem o condão de permanência no poder independente dos meios usados para tal fim.
    Literalmente estamos nos desviando de qualquer rota de salvação, seguindo apenas e tão somente a ponta do nariz ou onde acenam as oportunidades de locupletação fácil, cujo símbolo maior é o “R” não do Real, mas de ratazanas a roerem as reservas brasileiras de decência e dignidade!
    Saudações, Magdala.

  7. Sr Carlos Chagas:

    Não estou entendendo a campanha dessa Tribuna contra Joaquim Barbosa que só fala a verdade, a verdade dói, muito menos consigo entender a defesa de quem defende esse governo traidor, corrupto desavergonhado, criminoso são tantos adjetivos que eu poderia ficar a noite toda falando, sewjam isentos e informem as pessoas de gostam da tribuna com clareza parem de difamar o Joaquim Barbosa e falem sobre esse desgoverno assustador.

  8. Entre o honorável Ministro Joaquim Barbosa, que defende os interesses do povo brasileiro, mesmo que às vezes num estilo franco, e os mestres em salamaleques do tipo sorriso-que-mifu, como por exemplo o imortal José Sarney, eu fico com o nosso amado Quinzão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *