Sérgio Côrtes só foi nomeado por Cabral devido à larga experiência em corrupção

Resultado de imagem para cabral e sergio cortes

Currículo de Côrtes no Into impressionou Cabral

Carolina Morand 
O Globo

O empresário Miguel Iskin, preso neste terça-feira na operação Fatura Exposta, teria sido responsável por repassar R$ 450 mil por mês ao ex-governador Sérgio Cabral, de acordo com o Ministério Público Federal. Presidente da Oscar Iskin, empresa do ramo de equipamentos hospitalares, Miguel Inskin seria o “Xerife”, que aparece nas anotações encontradas na casa do operador Luiz Carlos Bezerra, durante a operação Calicute. As anotações são uma contabilidade paralela do esquema de corrupção liderado por Cabral. O nome “Xerife” aparece com regularidade ao lado do valor de R$ 450 mil, o que, segundo os investigadores, leva a crer que os pagamentos eram realizados mensalmente.

Miguel Iskin é apontado pelo Ministério Público Federal como o “grande corruptor” da iniciativa privada na área da saúde no Estado do Rio. Segundo a denúncia que levou à operação Fatura Exposta, desde 1990 Iskin é o grande fornecedor de equipamentos médico-hospitalares para o Estado e tem a função de organizar os fornecedores da Secretaria estadual de Saúde e do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) para garantir o pagamento de propina a autoridades estaduais.

INFLUÊNCIA POLÍTICA – O MPF sustenta que sua influência no Into e na secretaria “persiste há mais de 20 anos, o que demonstra sua influência política e estabilidade na organização criminosa”.

Peça-chave na investigação, o delator Cesar Romero Vianna, ex-subsecretário executivo da secretaria de Saúde e ex-assessor da direção do Into, conta que foi apresentado a Iskin por Côrtes, quando ele era diretor-geral do Into. O empresário estava preocupado com a implementação de pregões eletrônicos no instituto, para substituir as compras feitas com dispensa de licitação. O próprio Côrtes teria dito a Romero que Iskin era uma pessoa “influente em Brasília” e que “seria um ótimo negócio para todos” se Romero conseguisse privilegiar suas empresas nas licitações.

PREGÃO “MUNDIAL” – O delator disse que, mesmo com o sistema eletrônico de compras, as licitações eram direcionadas para beneficiar Miguel Iskin. Com o tempo, no entanto, outras empresas passaram a se encaixar nos critérios exigidos pelos editais, o que prejudicava a hegemonia do empresário. Por isso, em 2004, Romero e Sergio Côrtes tiveram a ideia de lançar o pregão internacional para a compra de equipamentos para o Into.

O delator afirma que passou a existir um “clube do pregão internacional”, com empresas trazidas ao Brasil por Miguel Iskin, que faziam um rodízio para que cada uma ganhasse parte das licitações. Até os preços oferecidos pelas empresas nos pregões internacionais eram previamente acertado por Miguel Iskin e informados ao Into antes mesmo de ser lançado o edital de licitação.

CONTAS SECRETAS – No exterior, os valores pagos indevidamente eram repassados pelos fabricantes a Miguel Iskin em forma de taxa de serviços. Cesar Romero diz que a propina circulou em contas secretas internacionais.

O Ministério Público Federal apurou que Miguel Iskin solicitou adesão ao Regime Especial de Regularização Cambial, que permite a repatriação de recursos depositados em contas no exterior. Ele solicitou autorização para repatriar quase US$ 27 milhões depositados nas Bahamas, alegando que os recursos não declarados seriam referentes a comissões sobre vendas de produtos industriais de empresas sediadas no exterior.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Cabral nomeou Sérgio Côrtes para a Secretaria de Saúde em função do currículo do médico, que começou a enriquecer quando era diretor do Into. Era o homem certo no lugar certo, porque já tinha demonstrando larga experiência em corrupção. (C.N.)

11 thoughts on “Sérgio Côrtes só foi nomeado por Cabral devido à larga experiência em corrupção

  1. O engraçado é que Sérgio Côrtes se tornou tão corrupto que não serviu para ser ministro da Dilma. Na certa ela e sua quadrilha perceberam que esse cara “exagerava” na roubalheira, e que portanto rapidamente seria apanhado.

    Mas no entanto demorou demais! Éééé… antes tarde do que nunca!

  2. Na China, este bandido vagabundo, já teria sido fuzilado e jogado na vala.

    Aqui, com nossa justiça podre, em breve ficará “em prisão domiciliar”, com direito, a vista da Lagoa Rodrigo de Freitas.

    É revoltante ser brasileiro!

  3. Espera por prótese no INTO dura até 10 anos

    Pacientes reclamam da falta de materiais.

    Servidores da saúde festejam prisão de ex-secretário

    Fonte: O Dia

  4. No contexto da corrupção em que se envolveu políticos de todos os partidos, as eleições de 2018 serão absolutamente irrelevantes no sentido de qualquer tipo de moralização com relação aos desvios de dinheiro público. O que veremos nos próximos anos é uma coisa que já suspeitamos há vários anos. Todos os escândalos apenas sofisticam a corrupção. O Pior de tudo é que do ponto de vista dos resultados para a sociedade, o que veremos é mais desemprego, mais precarização do trabalho, mais miséria nas ruas e principalmente um aumento brutal da violência em todos os sentidos. Não será nenhuma surpresa quando os gráficos sobre a violência que forem mostrados nos próximos anos for uma curva ascendente. E o pior de tudo, é que os jovens e adolescentes, principalmente da periferia serão as principais vítimas. Sempre digo aqui que o Brasil, infelizmente, perdeu a perspectiva de um futuro melhor. O que teremos é um futuro sombrio, onde a segurança, principalmente privada, tem um futuro brilhante pois cada vez mais a sociedade vai escolher andar em locais seguros e fechados.

    • Borges,

      As consequências sabemos dessa política abjeta e deletéria, que domina o país há tempos.

      Mas qual seria a solução?

      Como evitar o voto aos mesmos e manter esse sistema falido ética e moralmente?

      Como obrigar os governantes a optarem por atender a saúde, segurança e educação nos níveis que tanto necessitamos?

      Como impedir que determinem seus próprios vencimentos em patamares milionários e, mesmo assim, roubem desavergonhadamente o erário e povo?

      Como obrigar o parlamentar a cumprir com a sua função precípua, de fiscalizar o governo?

      Assim como alguns se jactam que são corajosos neste blog, por apoiarem um que outro parlamentar à presidência da República, e nada contra suas posições, tenho sido franco e sincero em registrar que, a meu ver, a saída antes que seja tarde e as paredes caiam em cima e nos matem sufocados e queimados nesta catástrofe que nos transformamos é fechar o Congresso e uma intervenção no Planalto!

      Durante seis meses, um ano, a implantação de reformas políticas e eleitorais importantíssimas, tetos salariais que jamais poderão ser ultrapassados, proibição das reeleições em todos os níveis, senadores com mandatos também de quatro anos, fim das indenizações pessoais dos parlamentares, ministros dos tribunais superiores não mais escolhidos pelo Chefe do Executivo, mas através de Plano de Carreira dessas altas cortes e de magistrados concursados, o fim do fundo partidário, que diminuirá automaticamente essa ânsia por novos partidos, o voto não mais será obrigatório, enfim, um elenco de medidas que minimize a corrupção e a desonestidade.

      Quais seriam as tuas ideias neste sentido?

      Como limpar essa imundície e podridão que o Congresso Nacional não só representa como tem sido exemplo de comportamento antiético e imoral?

      Um abraço.
      Saúde e paz.

  5. Ainda tem a farsa do gabinete do secretario de saúde, mostrando um paletó rasgado com a gravata enrolada, é como se fosse ser enforcado por alguém porque estaria impedindo a corrupção, mas ele era o maior corrupto, sujeito cínico, espero que fique em cana e devolva tudo que roubou.

  6. Como explicar, que uma figura carimbada como o Sérgio Côrtes, que já tinha pronto numa mochila o “kit cadeia”, pôde ser alçado a Diretor Técnico da Rede de Hospitais D’OR?

    Muito Estranho!

  7. Voltando ao assunto da matéria, impressiona como os meliantes se entendem e se cuidam. Como sempre, quando apanhados, tornam-se gatinhos inocentes…

    Quem viu os depoimentos dos delatores sobre a distribuição e multiplicação da grana entre eles, fica abismado com a naturalidade com que transam com a corrupção através de propinas.

    Milhões e milhões são passados de mão em mão escafedendo-se na sórdida política que sustentamos… eleitores, revoltados, mas inexoravelmente ignorados e vistos como palhaços, que acabamos sendo…

    Ninguém merece esses políticos e tantos poderes, podres, todos eles….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *