Serra, arrependido e envergonhado com a entrevista bobagem que no podia ter concedido. No deveria ter falado em juros, Petrosal, Belo Monte, Banco Central. Fracassado e acovardado, elogiou Lula. To estapafrdio, que parece da Velha Repblica

O ex-governador de So Paulo, deve ter dado a entrevista a Miriam Leito, depois do susto que levou com a simples parada de uma escada-rolante.

O prprio Globo, numa foto ontem na Primeira, mostra Serra apavorado, horrorizado e amedrontado, com um episdio circunstancial e localizado.

O grupo de assessores se joga em cima de Serra tentando proteg-lo do imaginrio ou da realidade de uma escada parada, e todos imobilizados pelo ridculo da cena.

Imaginem Serra presidente, no Planalto-Alvorada, tendo que resolver problemas decisivos e urgentes, e vendo a escada-rolante do seu poder, inteiramente desligada? Serra dava a impresso de estar em plena Times Square. Como se sentir no Central Park de Braslia, a capital que no existe, comandada por um presidente que no sabe coexistir com o Poder? A no ser para desgast-lo, desprestigi-lo, desacredit-lo.

Como a entrevista foi longa, (ouvi na CBN) e naturalmente os assuntos foram muitos, vou destacar e comentar alguns.

Juros

O governo Lula errou ao no reduzir os juros, durante a crise, quando as condies eram boas, no havia inflao. O ex-governador parcial, contraditrio, fala irrefletidamente. O governo FHC chegou a pagar 45 por cento ao ano, s disso que chamam de juros. E deixou para Lula em 25 por cento.

Critiquei FHC duramente quando estava no Poder, pela brutalidade da usurpao do que pagava a banqueiros, seguradoras e aventureiros. E tenho criticado Lula, pela reduo lenta. Mas preciso reconhecer que mesmo com o ltimo aumento, a taxa est em menos de 10 por cento.

E Serra que se diz o sustentculo do governo FHC, (sem usar essa palavra) concordou com os juros de 45 por cento. Por que no protestou?

Privatizao

Isso trolol, (vulgar e no explicativo) no pretendo privatizar nada. Isso jogo da oposio em perodo eleitoral. Est sempre afirmando no vazio, negando a realidade que viveu prazerosamente. Alm do mais, FHC privatizou tanto, que no sobrou quase nada.

Lula comprometeu seus 8 anos, aceitando e logicamente garantindo a DOAO do patrimnio do Brasil.

Petrosal

Nenhuma dvida, a o ex-governador mantm a coerncia do que referendou no governo FHC. Condena a criao da nova empresa, da qual o Estado seria o proprietrio. Principalmente do petrleo que est em guas da Unio.

Quer PRESERVAR a Petrobras, assim como est, arruinada e destroada pelas licitaes e pelo decreto 9478 de FHC. Ele diz no vou privatizar. J comea apoiando a empresa que seu partido (PSDB), considera irresponsvel e para investig-la pediu at CPI.

Previdncia

O sistema previdencirio tem DFICIT, embora no haja dvida de que os aposentados esto em situao de atraso. Vou respeitar a deciso do Congresso, mas preciso eliminar privilgios e corrigir injustias. Desinformao total: a Previdncia no tem nem nunca teve DFICIT, seu melhor presidente, Waldir Pires, escreveu isso, garantido e respeitado por quem conhece o assunto.

O sistema resistiu at mesmo a ministros como Jader Barbalho e Romero Juc. Que Repblica. Demagogia pura e descompromisso com a realidade ao falar em privilgios e injustias. Ah, Serra-FHC.

Belo Monte

No conhece nada de energia, principalmente hidreltrica. Juntou uma poro de vulgaridades, (tambm chamada de rotina) e despejou. Hoje existem os especialistas do nada, e os eclticos de coisa alguma. Serra, orgulhosamente, se coloca nesta categoria.

Esquerda ou direita?

Do ponto de vista da anlise convencional, sou de esquerda. Defendo um projeto de desenvolvimento nacional, governo forte, no obeso, mas musculoso, sou aliado de empresas que geram empregos. Ha!Ha!Ha!

Serra liberal, como a palavra era usada no Imprio, como entendida e praticada na Alemanha e na Gr-Bretanha. Desse LIBERAL, surgiu a identificao, GLOBALIZADOS. So sinnimos.

***

PS Foi o melhor trabalho da reprter-entrevistadora, Miriam Leito. Como atua em muitas reas e setores, usando quase todas as formas de comunicao, preciso separ-las para analis-las.

PS2 Como reprter-entrevistadora, reabilitada do fracasso que teve com Eike Batista sua disposio. Quem entrevista o homem que se diz a maior fortuna do Brasil, e no pergunta de onde veio seu dinheiro (j que filho de um funcionrio pblico pobre), deve se sentir amargurado.

PS3 A reprter-entrevistadora quase se deixou atrapalhar pela comentarista-editorialista, que adora ficar na contra-mo da coletividade.

PS4 Surgiu praticamente do nada a debatedora, imprensando Serra e conseguindo ingentemente, que palavra, completar a pergunta que Serra no queria ouvir para responder.

PS5 Que afinal teve que ouvir, no sabia nem queria responder para no se expor nem se comprometer. Saiu ento pela tangente. Textual, fingindo de resposta sria, se exibindo como ridculo e mistificador: Que bobagem, Miriam. O que voc est dizendo, vai me perdoar, uma grande bobagem.

PS6 Repetiu a palavra bobagem, menos do que hostil, o recibo de que no brilhara na entrevista, pode at mesmo ser identificada como fracasso, e ser utilizada contra ele na campanha.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.