Show de abertura da Olimpíada do Rio, o maior espetáculo da Terra

Olimpíada já valeu só pela abertura, um show extradordinário

Pedro do Coutto

O título é inspirado no filme famoso de Cecil B. de MIlle, início da década de 50, mas acredito que seja a melhor expressão para definir e destacar a abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro que reúne 10.000 atletas de 207 países em busca de superar, dentro do espírito atlético, os limites humanos que se sucedem no tempo. O espetáculo do Maracanã, elogiado pelos principais jornais do mundo, foi refletido com uma intensidade belíssima pela edição de O Globo de sábado. A Olimpíada do Rio de Janeiro ficará na história esportiva universal como um momento quase insuperável de beleza estética, cor, luzes, de efeitos visuais que encantaram, pelo que se calcula, praticamente 2/3 da população do planeta. Foram 4 horas de encantamento e de voo na imaginação projetando na fantasia a trajetória de um país e de sua história através dos séculos.

Não deve ser esquecida a atuação do prefeito Eduardo Paes, já que foram exaltadas as contribuições de técnica e arte, entre outros de Fernando Meireles, Abel Gomes e Débora Colker. Foram vencedores de uma fantasia deslumbrante, superando até em criatividade os grandes momentos de magia consagrados por Hollywood no século XX.

Mas deixando a fantasia e ingressando no campo da realidade vamos encontrar novamente colocado o desafio que marca o confronto dos atletas e das atletas dando sequência a mais um capítulo da história eterna das competições. Elas estão começando. E vão ocorrer como sempre representadas por todos os povos, raças, etnias de um mundo chamado Terra habitado por 7 bilhões e 200 milhões de seres humanos.

AUDIÊNCIA MUNDIAL – Espera-se que cerca de 3 bilhões e 800 milhões tenham acompanhado o desfile apoteótico da abertura dos jogos pela TV. E agora estão atentos acompanhando as provas a cada dia. Limites humanos estarão novamente colocados como desafios nos caminhos atléticos. Afinal onde eles se encontram? Não se sabe.

Já se disse tempos atrás, por exemplo, que era impossível um atleta correr 100m rasos em menos de 10 segundos. Jesse Owens em 1936, Usain Bolt em 2012 provaram o contrário: Jesse Owens correu em 9 segundos e 8 décimos. Bolt correu  em 9 segundos 5 décimos e 8 centésimos. Este é apenas um exemplo, destacando a excepcionalidade que envolve as marcas olímpicas, num espaço de 80 anos. Na natação, enquanto em 36 nadava-se os 100m em 59 segundos, hoje nada-se em cerca de 45 segundos. Dois limites humanos superados pelas competições. O segundo deles mais amplo do que o resultado do primeiro. Mas estes são apenas dois exemplos.

APEFEIÇOAMENTO – A realidade hoje continua desafiadora, as técnicas evoluíram, as táticas também, os treinamentos se aperfeiçoaram e continuam se aperfeiçoando a cada 24 horas. O ser humano, homens e mulheres caminham firme em busca de avanços e ultrapassando limites como se fossem barreiras de uma corrida de distância curta. Mas existem as distâncias longas também.

Estas deslocam-se para o plano de toda a humanidade. A meta de finalmente enfrentar os desafios da fome, habitação, saneamento, segurança, saúde, enfim, colocados à frente de todos nós como limites não da vida atlética, mas da existência humana na face da Terra, que assistiu, encantada a beleza e a criatividade de horas de arte e fantasia. A superação, assim, não deve ficar restrita à fantasia e ao esforço dos atletas olímpicos. Mas, sim, destacada como um recorde a ser quebrado pelos governos atuais e do futuro que viajam na história e a ela acrescentando capítulos e mais capítulos.

Esta, acredito, é a melhor forma de colocar um objetivo comum à sobrevivência do mundo eternizando-o em bases cada vez progressivamente mais justas, dignas, cristãs.

15 thoughts on “Show de abertura da Olimpíada do Rio, o maior espetáculo da Terra

  1. E mais ainda: foi uma lição de cidadania, de audácia, de cores, de alegria, de capacidade de realizações, tudo espalhado aos quatro-ventos para todo o mundo, mostrando a energia de nosso povo e provando que aqui, apesar da mais pura trambicagem de nossa classe política, o povo realiza-se na plenitude de um regime democrático. Acredito que se os energúmenos petistas e demais partidos aderentes ainda insistirem em “golpe”, é realmente um caso patológico de esquizofrenia delirante. Quisera que o bom senso e uma boa dose de “simancol” restabeleça a capacidade pensar dessa gente pernóstica. Se há, portanto, “golpe”, o único tanque que está nas ruas é a Dilma.

  2. Prezado AndreBR,

    Vi o link que enviaste.

    Belíssimo, muito bem feito, lógico, em se tratando de BBC, a melhor TV do planeta!

    No entanto, uma pulga me incomoda:
    O fino sense of humor” inglês, não estaria querendo dizer nesta chamada à Olimpíada que somos um país de “animais”?!

    Observa que uma onça se transforma em ser humano ao final, portanto, os ingleses são muito matreiros, além de piratas, corsários, ladrões como os petistas!

    O Império onde o sol nunca se punha, deixou as suas colônias arrasadas e atrasadas com relação ao resto do mundo, depois de exploradas e sugadas cruel e sadicamente pelos britânicos, razão pela qual esse pessoal é muito sutil quando deseja dar um recado incisivo, contundente.

    O vídeo é espetacular, mas a mensagem subliminar me deixou preocupado e, ao mesmo tempo, curioso.

    Eu pediria que outros colegas o vissem e dessem a sua opinião.

    A minha é esta, que fomos chamados de animais. Tomara que eu esteja errado na minha interpretação, mas em se tratando de ingleses, sorrateiros, esnobes, tudo é possível.

    Saúde e Paz, AndreBR.

    • Sabe, Bendl?

      Em uma segunda leitura, tive a mesma impressão que você após escrever meu comentário elogiando o vídeo.
      Que o Brasil é uma selva e quem disputa Olimpíada aqui são bichos, animais silvestres.
      Nada falei, mas agora que você levantou o assunto me dispus a escrever.
      Será esse o humor britânico?

      O dia hoje começou triste. Pra mim. Ao ver um vídeo em que a Força Nacional aborda um civil que assistia a um jogo com a família, sob a desculpa de que ele teria gritado ‘fora Temer!’
      Ora, isso é motivo de abordagem?

      Sinto medo, Bendl, do que vem por aí. Não estou gostando.
      Quero que a Força Nacional nos proteja de bandidos, não que nos ameace.
      Saúde e Paz
      Ofelia

      • Ofélia,

        Se tu, mulher, que tens muito mais sensibilidade que eu, homem, chegaste à mesma conclusão, então estamos certos, os ingleses nos chamaram de animais!

        E foram sutis, subliminares, inteligentes, nesta ofensa e classificação que fazem de nós, os brasileiros.

        Se, é sobre esta ótica que somos vistos porque sediamos a Olimpíada, sinceramente, os ingleses, que foram conhecidos como o Império onde o sol nunca se punha, aos poucos será visto como o local onde o sol jamais nasce, a continuarem com este pensamento obtuso, preconceituoso, e de superioridade sobre os demais povos.

        Tomara que os britânicos façam um grande fiasco nestes jogos olímpicos!

        Quanto à Força Nacional e seu comportamento truculento, deve-se aos avisos de possíveis terroristas em solo brasileiro, que não justificam abordagens agressivas e desnecessárias quando a questão é interna, como desta pessoa que resolveu gritar “fora, Temer”, diante da liberdade de expressão que temos, pelo menos supostamente.

        Basta terminar a Olimpíada que voltaremos à normalidade: sem segurança e os bandidos tomando conta da situação, da mesma forma o retorno dos ladrões parlamentares e ex-ministros do PT ou PMDB acusados pela Lava-Jato como criminosos!

        Um abraço, Ofélia.
        Saúde e Paz!

      • Ofélia, pois eu achei bom o vídeo. Nós temos uma maravilhosa flora e fauna. Por que os ingleses não podem elogiar, gostar! Quantos estrangeiros não vão ao Pantanal, cantando pelo seu maior poeta Manoel de Barros, para ver sua vegetação e sua fauna!

  3. A abertura foi linda, pois foi feita por profissionais do carnaval, já o resto está sendo uma lástima. Nesse momento está sendo realizado um jogo de tênis que tem como ‘plateia’, no máximo 200 testemunhas….
    O que dependeu do prefeitinho ‘boxeador, foi e está sendo um fiasco total.

    • De fato, Virgílio, se você observar a conversa de Paulinho da Viola, no documentário Saravah, com o diretor francês em 1969, repito em 1969, você vai ver que o poder público não está garantindo que o espetáculo, feito pelo povo e para o povo, não está sendo dado o devido acesso a quem o faz e o banca.

      Confira no documentário citado e postado acima.

      No jogo de abertura do handball feminino, Brasil e Noruega o placar já estava dilatado favorecendo o Brasil com as arquibancadas vazias e a filas de entrada enormes do lado de fora por desorganização e talvez ganância indevida.

      Afinal o espetáculo já está todo financiado pelo mesmo povo que vai pagar duas vezes ou três, quem sabe…

  4. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO elogia a beleza e a criatividade do espetáculo de abertura da Olimpíada RIO/2016, faz analogia do desenvolvimento dos Esportes Olímpicos, suas marcas nos últimos 100 anos, e HUMANISTA que é, compara com os esforços da Economias Mundial, para dar a cada Ser Humano, um Padrão de Vida decente, permitindo que se eliminem a Fome, a falta de Habitação adequada, cuidados de Saúde preventiva ( Água tratada, Esgotos tratados, Saneamento) e Saúde Curativa ( Postos de Saúde, Vacinações, , ESCOLAS, HOSPITAIS, Maternidades, Remédios, etc), Segurança, etc.
    O PIB Mundial está em +- US$ 90 Trilhões e a População Mundial está em +- 7,4 Bilhões, o que dá uma Renda perCapita Mundial de +- US$ 12.000, que é +- a definição da Linha de Pobreza. É exatamente a Renda perCapita do Brasil atual.
    Vemos então que Tecnicamente já podemos começar a tornar realidade o grande sonho do Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO.
    E tudo começa com CUIDAR MUITO BEM de nossas CRIANÇAS, a começar pelas mais POBRES. CIEPS nelas.

  5. Prezado Sr Bendl,

    Fiquei com a impressão de que o video é mais um elogio que crítica.
    No espírito do tempo, a terra das florestas preparando-se para participar da Olimpíada.
    São os humanos e não os animais que miram as luzes do evento.
    Ao transformar uma onca negra (jaguar, para os ingleses) em um humano mulato, não vi conotação racista ou sutil, vi louvor á força (strenght – resistência), e merito um ser um mulato representando o povo brasileiro, afinal trata-se de um evento de todas as racas humanas, nossa representação de raca brasileira mais verdadeira hoje é o mulato.

    Os ingleses continuam bambas nos negocios, mas honestamente, faz muito que a bola murchou…
    O que vejo haver nesta ilha são tão somente dois tipos de gente:
    Um tipo é o cão de guerra, que está no oriente médio servindo de escudo a negociatas obscuras e ganhando diárias altíssimas; todo o resto do povo são o que chamo de “porquinhos cor de rosa”, gente orwelizada,inerte, vivem em suas caixas de tijolo e trabalham a vida inteira pagando suas hipotecas e, quando vêm a idade avancada descobrem tarde demais a verdade, que terão que vender a casa para pagar a conta do hospital, que só sobrará dinheiro para pagar um semestre num asilo de idosos e ao pedirem apoio aos próprios filhos ouvirão um “não posso! estou enrolado tendo que comprar ração pro papagaio da minha filha” …

    Os ingleses sorrateiros e esnobes estão extintos, ou mortos-vivos idolatrados pelos porquinhos somente. Todos reclamam por pagar imposto ate pelo ar que respiram e ainda perderam a “carteirinha”
    por causa de idosos descontentes que vivem bebendo cha e comendo torrada reclamando que o imperio acabou e nao podem mais esnobar nada…

    Conhece esta frase do Cacaso (Antônio Carlos Ferreira de Brito)

    “Minha pátria é minha infância: por isso vivo no exílio.”

    Pois é, imagino que todo jovem e toda crianca que ver o video ira tambem vibrar com o louvor e o merito de ser brasileiro. Tivera eu tido, quando jovem,a oportunidade de assistir a uma Olimpiada em meu pais, com toda essa tecnologia digital na TV trazendo vida aos animais no video, vibraria de alegria.
    Inclusive a cena do Tatu esfregando terra na mao, quando o tatu bate as maos de costas, vibrei em ver ali um momento simbolico do que temos pela frente, estarmos prontos e termos firmeza para obter o pais que almejamos. Viva o Brasil! Viva o Brasil!

    É fácil estar exilado do dia a dia do Brasil? longe dos problemas socio-econômico-culturais terríveis que temos, da violencia urbana?
    Por favor, de todos que queremos essa realidade no Brasil, quantos para obte-la atravessariam o oceano para viver com os ingleses?
    Garanto-lhe que não é nada facil, mesmo hoje em dia com internet e tudo mais…
    Vivo aqui acompanhando meus filhos enquanto terminam seus estudos academicos.
    Antes, estavamos vivendo na floresta da mata Atlantica, com os animais, e nao mais que 10 pessoas por semana que passavam pela nossa rua. Honestamente, pelo que eu vivi na floresta, mesmo que os gringos nos tirassem por animais, ainda assim sentiria um orgulho enorme em ser Brasileiro.

    Obrigado pela conversa, termino com mais um pouco do Cacaso:

    “Trago comigo um retrato
    que me carrega com ele
    bem antes de o possuir
    bem depois de o ter perdido.
    Toda felicidade é memória e projeto.”

    • Concordo com você AndreBR.Não será complexo nosso achar que os ingleses estão debochando, ou menosprezando? A poesia de Manoel de Barros reverencia a fauna e a flora do Pantanal. E não é só o Pantanal, a flora brasileira é muito rica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *