Sobre Darcy Ribeiro, a falta de escolas e a necessidade de construir presídios

Resultado de imagem para darcy ribeiro frasesPercival Puggina

Em uma conferência proferida em 1982, Darcy Ribeiro foi incisivo: “Se os governantes não construírem escolas, em 20 anos faltará dinheiro para construir presídios”. Darcy Ribeiro era estreitamente ligado a Leonel Brizola, que governou o Rio Grande do Sul de 1959 a 1963 contabilizando, entre suas realizações, a construção de mais de três mil escolas. Desde então, prédios e professores nunca foram, no Rio Grande do Sul, um problema a que se pudesse ou se possa atribuir nossos altíssimos índices de criminalidade. Durante décadas, o estado gaúcho ponteou os indicadores educacionais do país. Era “referência nacional”, dizia-se há algumas décadas, com a também reconhecida “modéstia” sulina.

Como explicar, então, o banditismo e a consequente insegurança instalada nestas bandas? Como explicar que em Porto Alegre ocorram duas vezes e meia mais homicídios/10 mil habitantes do que no Rio de Janeiro e quatro vezes mais do que em São Paulo, tornando-se a capital mais violenta do país fora das regiões Norte e Nordeste? Há algo aí cobrando, dos peritos, as necessárias explicações.

ESCOLA VIOLENTA – A Folha de São Paulo, em matéria de 17 de julho do ano passado, relatou que a cada dia, em média, quase dois professores são agredidos em seus locais de trabalho no Estado de São Paulo, com agressões que vão de socos a cadeiradas (tais dados só foram obtidos pelo veículo por meio da lei de acesso a informação).

Numa pesquisa da OCDE que ouviu 100 mil professores em 34 países, 12,5% dos brasileiros relataram que são agredidos ou intimidados uma vez por semana dentro da escola. Sublinho: tudo isso acontece “dentro das escolas”! E o Brasil é o número 1 nesse lamentável indicador.

Na matéria de O Globo mencionada acima, a pesquisadora Rosemeyre de Oliveira, da PUC-SP, atribui a violência nas escolas à impunidade. Diz ela: “O aluno que agride o professor sabe que vai ser aprovado. Pode ser transferido de colégio – às vezes é apenas suspenso por oito dias”. Ou seja, também aí, no microcosmo da sala de aula, nossa tão conhecida impunidade é a regra, com resultados assustadores.

TEMPO INTEGRAL – É possível que Darcy Ribeiro, se vivo fosse, estivesse postulando escola em tempo integral, solução pedagogicamente importante para ocupação do tempo das crianças e adolescentes, reduzindo sua disponibilidade para a influência das más companhias. Mas não creio que seja uma “solução” técnica e financeiramente factível por um setor público saqueado, vampirizado e falido.

No RS, com drástica redução do crescimento demográfico, não faltam escolas (ao contrário, há unidades sendo fechadas). A despeito disso, os presídios estão superlotados e, visivelmente, pelos dados sobre ocorrências criminais, há mais bandidos soltos do que presos. É a impunidade no macrocosmo, estimulando a criminalidade e gerando insegurança.

A simples existência de vagas prisionais tem claríssima e indispensável função pedagógica.

25 thoughts on “Sobre Darcy Ribeiro, a falta de escolas e a necessidade de construir presídios

  1. Não sei quais são os países mais alfabetizados do mundo. Mas…

    -Será que nesses países onde a população é 100% alfabetizada também tem cadeia?

    -Será que “antigamente” no Brasil, na época em que se trancava a porta com uma tramela, que cerca elétrica era coisa de presídio, que os bancos não tinha portas giratórias, que não era crime andar com a arma na cinta e que não era preciso pagar drogado para vigiar o carro no estacionamento, só tinha doutores nas cidades e no campo e por isso praticamente não existia criminalidade?

    -Será que só tem gente honesta no Supremo Tribunal Federal, na Presidência da República e no Senado Federal pelo fato de ali só existirem pessoas escolarizadas?

    -Será que a empregada doméstica do anão João Alves é mais vagabunda do que este por ter estudado menos do que ele?

    -Será que foram os bandidos analfabetos que roubaram e quebraram o Brasil nos últimos trinta anos?

    -OU SERÁ que toda essa DESGRAÇA está acontecendo porque temos uma JUSTIÇA CORRUPTA, cujos DOUTORES andam de mãos dadas com os ladrões dos demais poderes, de forma a lhes garantir a PLENA IMPUNIDADE e a total liberdade para nos roubar?

    Abraços

  2. A gente tenta ser aberto, ouvir e respeitar o diferente, acolher aquilo que possa nos acrescentar, mas quase sempre nos decepcionamos. Sempre considerei o Puggina um pensador de direita respeitável, coisa um tanto rara nesse campo, que valia a pena ser considerado e que de alguma forma contribuía para o debate público. Mas agora me deparo com esse artigo que labora numa tentativa de manipulação grosseira.

    A relação inversa entre educação e criminalidade é fato inquestionável. Mais de 60% dos apenados não completaram o Ensino Fundamental, abandonado e trocado pelas ruas lá pelo 5to. ou 6to. ano, aos 12, 13 anos, em busca do acolhimento e identificação que não tiveram na escola. Em 2015 apenas 59% dos jovens entre 15 e 17 anos frequentavam ou concluíram o Ensino Médio, 41% portanto estão fora. É meia verdade e falacioso que escolas são fechadas apenas por uma questão demográfica, isso se dá na classe média, muito mais pelo sucateamento da escola pública, forçando a migração para a privada (que tá tão defasada quanto, em muitos casos).

    Pode-se discordar ideologicamente de Darci Ribeiro, mas querer, por isso, desqualificar suas propostas na Educação não é honesto intelectualmente e me surpreende, partindo do Puggina.
    São absolutamente verdadeiras as suas previsões quanto a não se investir em educação redundar em mais violência. E o maior crime social praticado no Brasil foi não ter se levado adiante o ensino em tempo integral que ele propunha (o que inclui os 13 anos de desgoverno da pseudo esquerda). Negar isso é uma tremenda sacanagem.

    (Os dados estatísticos são do RS, estado do articulista).

    • A Educação sistemática é planejada, conduzida e controlada pelo Estado. É o Estado quem define quem ensina, como ensina, quando ensina e onde ensina. Nunca tivemos o Estado atuando na desconstrução da Educação como nos governos de FHC para cá. Com a ideologização do professorado na Universidade e a atuação destes como multiplicadores estamos assistindo, nos dias atuais, a inversão dos valores consagrados, o emburrecimento da juventude com seu alienamento. Tudo isso devemos ao MEC introduzindo a obrigatoriedade de conteúdos programáticos “politicamente corretos”. A escola, pela imposição do Estado, perdeu a sua finalidade educadora para transformar-se em mera transmissora de ideologia. O futuro dessa juventude está encimado por nuvens bastante opacas… Não sei se o Sr. Puggina atenta para esse detalhe…

  3. Trabalhei aproximadamente 20 meses em São José do Norte, vizinha de Rio Grande.
    O que mais me deixou estupefato, foi de que em 2016, houve uma onda de latrocínios, com arma branca, principalmente facas e era sempre a mesma coisa, não havia tido reação da vítima. Paralelamente houve uma onda no Rio de Janeiro, que graças a Deus, parece que passou.
    Na época, liguei o fato de não ser mais crime portar arma branca. Não sei se estava certo ou errado.
    Não se contentavam em levar os pertences; levavam a saúde/vida das vítimas.

  4. Ainda no RS, estado hoje com os piores índices em educação, em contraste com a sua própria história:

    – Gasta 24.000 por ano com cada apenado, o suficiente para manter 3 alunos no Ensino Médio.

    – Desde 2001 o estado não cumpre a determinação da constituição em aplicar 35% na educação, em 2016 foram 29,28%.

    – Em 20 anos, até 2016 793 escolas foram fechadas no estado, enquanto o investimento em segurança cresce exponencialmente.

    – O RS tem mais mortes por habitante que o RJ.

    – “Em municípios onde tinha maior taxa de abandono do fundamental a taxa de homicídio doloso é maior, e naqueles em que a expectativa de anos de estudo é menor também havia maior número de homicídios”. – Débora Brondani da Rocha, TCE-RS.

    Enfim, acho que é preciso ter um pouco mais de seriedade no debate, caso contrário não chegaremos a lugar nenhum, ou melhor, vamos todos pro buraco, cheios de certezas, mas atolados no pantano, abraçados….

  5. No governo de Leonel Brizola, já havia esta proposta em andamento, mas logo que vieram outros desgovernadores como: Moreira Franco,Marcello Alencar,Anthony Garotinho,Benedita da Silva,Rosinha Garotinho,Sérgio Cabral Filho e Luiz Fernando Pezão, o que se poderia esperar desta cambada, um governo medíocre, corrupto, se locupletaram as custas dos cofres públicos do estado, não é à toa que o Rio de Janeiro vive este drama da violência, o povo acreditou nesta mídia safada que sempre denegriu a imagem de Brizola, este sim seria um grande presidente, mas o povo como sempre escolhe mal.

    • Caro Alex;

      Eu não disse e jamais diria isso, se vc está se referindo a mim está distorcendo o que eu disse.

      Esse preconceito existe sim da parte de quem atribui o desgoverno Lula a sua falta de instrução, eu já penso que se deu por outros motivos.

      Tanto que, veja que interessante, a Marina Silva foi completamente analfabeta até os 16 anos, teve um começo de vida muito mais sofrido que o Lula. No entanto, batalhou, estudou, e hoje é professora universitária, muitíssimo bem preparada. E foi uma razoável e competente, pra dizer o mínimo, ministra do meio ambiente. Soube dialogar com a bancada ruralista e conseguiu aprovar o Código Florestal, por exemplo.

      Pra questionar o lulopetismo o semianalfabetos do Lula serve, pra reconhecer o papel da educação no combate a criminalidade não. Para entrar no debate, que é o que fazemos aqui e em qualquer espaço na web, tem que estar aberto ao diálogo e manter um mínimo de coerência, caso contrário fica uma conversa de surdos. Em outras palavras, pra dizer em tom de brincadeira: não sabe brincar, não desce pro play…

      O texto do Puggina, me permita discordar, baseado nos estudos científicos e nas pesquisas, é equivocado.

  6. Boa noite.

    Gosto dos comentários do Percival Puggina, mas este infelizmente para mim ficou faltando uma explicação: A educação necessariamente deve estar associada a perspectiva de futuro num bom emprego.

    Com toda esta falta de infraestrutura, corrupção, grandes corporações, e falta de distribuição de renda para que pequenos empreendedores façam sucessos, ocasionados também, a não realização deste último pela sobrevivência das grandes corporações cartelizadas.

    O indivíduo pensa no futuro, nada melhor em querer ser bom profissionalmente criado pela escola, mas sabedor que ao sair, sua vida irá mudar para mais conforto, apoio aos pais mais idosos, e por aí vai…

    Quando sabe que estudar num país como o Brasil não o levará para empresa alguma, mesmo porque, as que existem, muitas delas só sobrevivem pela corrupção, simples assim.

    Estudar sim , com certeza de empregos, fácil assim para a solução do conflito, ESTUDO X VIOLÊNCIA ou EDUCAÇÃO X VIOLÊNCIA.

    • Concordo plenamente, com um pequeno acréscimo que vai ao encontro do seu comentário: hoje, e cada vez mais, o mercado exige um profissional que pense por conta própria, criativo, o que implica numa formação mais abrangente, multidisciplinar, não apenas técnica.

  7. “Numa sociedade corrompida, a educação tem a torpe função de requintar aqueles já pervertidos”.
    Atualmente, no Brasil, famílias dadas ao crime buscam, premeditada e massivamente, um ingresso em cursos de ciências jurídicas. Muitos pais vendem o pouco que têm para enfiarem os filhos numa faculdade PPP (Pagou, Pescou, Passou).
    A expectativa é a seguinte: com o máximo de advogados, no clã, este passa a ser autodefensivo. Terá integrantes capazes de interpretar e driblar as leis; cumpliciar-se com juizes, desembargado res, promotores, delegados, capos do crime organizado etc. E o que é melhor: os bacharéis serão cooptados por um cartel poderoso (OAB), o qual defende os seus membros com unhas e dentes.

  8. É uma conversa muito complexa e que exige avaliações desapaixonadas. Pensar em propostas de 40 ou 50 anos atrás e aplica-las agora é que me parece precisando de um debate sério.
    Nosso país não tem projeto de nação, não tem propostas a médio e longo prazo, não tem continuidade de ações, não tem fiscalização, ou seja, tem falta de quase tudo.
    Se me permitirem repetir algo que tenho “batido” nos últimos anos, apenas de passagem neste momento.
    Para muitos pode parecer perfumaria, mas não é. Cuidem quando as pessoas pedem, em todos os lugares, educação (a Globo mostra todos os dias – “que Brasil você deseja”). Gostaria de perguntar a cada uma dela: “do que você está falando, o que você quer dizer com educação?” A maioria não saberá explicar ou dirá que é uma porção de coisas.
    De um modo geral, as pessoas não sabem distinguir educação de ensino/escolarização. Amigos, a escola não educa ninguém. O estado/município não tem como educar ninguém. Educação não é escolarização/ensino. Quem tem de educar é a família!
    E mais. A escola de turno integral SEMPRE FOI PROPOSTA para atender a criança e o adolescente em risco de família, alimentação e não ter onde ficar. Não é para todos – não tem escolas e recursos para tal qualidade.
    E o que está acontecendo, desde a década de 80 aos dias atuais? na verdade, a perda de qualidade da escola púbica (também da particular) e o desmanche de muitas famílias (e são muitas mesmo) aprofundaram a falta de qualidade das pessoas.
    Certamente faltam presídios e não faltam escolas, pelo menos no RS. A falta é de professores com qualidade, pais responsáveis e projeto de estado/município.
    Paro por aqui, O tema é muito longo e com muitos ramais.
    Uma hora ou um dia teremos de nos debruçar sobre este assunto, se é que desejamos um país melhor.
    Fallavena

  9. Acho melhor mesmo focar nos seus estudos.
    Suas idéias ainda são infantis e a único projeto de mudança aqui proposto é a eleição de um bugre rudimentar que está a 8(oito) legislaturas no congresso e só apresentou 1(um) projeto de lei e assim mesmo roubado do ínclito e “sábio” coronel Jarbas Passarinho.
    Esse coronel foi o mesmo que declarou”mandar às favas os escrúpulos”
    quando assinou o AI-5,que deu salvo conduto para os crimes dos generais da ditadura.
    É muita pobreza mesmo!
    Vai com Deus e não se preocupe pois a sua ausência irá preencher uma grande lacuna!

    • (Ligando o modo IRONIA)

      Darcy Leite criticou o Bolsonaro??

      Darcy Leite é Cumunista !!!

      Darcy Leite é Petralha !!!

      Darcy Leite é Bolivariano !!!

      Darcy Leite é Mortadela !!!

      Darcy Leite é Esquerdopata !!!

      Darcy Leite é Petista !!!

      Vá viver em Cuba, Darcy Leite !!!

      (Desligando o modo IRONIA)

  10. Apoio total ao que o Levi escreveu e às observações do Darcy Leite.

    Há os que não vêem porque são cegos e há os que não vêem por que não têm cérebro.

  11. Puggina você tem uma cultura respeitável. Mas mistura muito as coisas reais com suposições baseadas em quimeras. Foge muito da realidade; é um derrotista incurável. Brizola governou o Rio grande do Sul de 1959 a 1962. Saiu do governo para eleger-se deputado federal no Rio de Janeiro em 1962. Brizola quando governador construiu no Rio Grande do Sul 5.902 escolas primárias, 278 escolas técnicas e 131 ginásios, colégios e escolas normais, totalizando 6. 302 novos estabelecimentos de ensino; abriu 688.209 novas matrículas e admitiu 42.153 novos professores.. Quanto o que poderia acontecer se Darcy estivesse vivo é querer adivinhar o “inadivinhável”. Puggina, acho que uma boa argentina ou uruguaia te fará muito bem. Experimenta e vais ver que funciona como um bálsamo. Rapidamente te transformarás em um otimista.

  12. Alguns comentaristas deste artigo abandonaram as linhas do texto e se embrulharam nas entrelinhas, onde encontraram o que não escrevi. Este é um artigo sobre impunidade, como um bom leitor haverá de entender, no qual deixo algumas interrogações aos peritos em Educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *