Solidariedade, a condição humana que está sendo esquecida nos tempos atuais

yuj

Ilustração do Duke (O Tempo)

Leonardo Boff
O Tempo

Há falta clamorosa de solidariedade no momento atual. Neste exato momento, 20 milhões de pessoas estão ameaçadas de morrer, literalmente, de fome no Iêmen, na Somália, no Sudão do Sul e na Nigéria. O grito dos famélicos dirige-se ao céu e a todas as direções, e quem os escuta? Um pouco a ONU e só algumas corajosas agências humanitárias.

Por causa dos ajustes promovidos pelos atuais governantes, que deram um golpe parlamentar visando impor sua agenda neoliberal, há pelo menos 500 mil famílias que perderam o Bolsa Família. Pobres estão caindo na miséria da qual haviam saído, e miseráveis estão tornando-se indigentes.

COOPERAÇÃO – É urgente resgatarmos o significado antropológico fundamental da solidariedade. Ela é antissistêmica, pois o capitalismo é individualista e rege-se pela concorrência, não pela solidariedade e pela cooperação. Isso vai contra o sentido da natureza.

Dizem-nos os etnoantropólogos que foi a solidariedade que nos fez passar da ordem dos primatas para a ordem dos humanos. Quando nossos ancestrais antropóides saíam para buscar seus alimentos não os comiam individualmente. Traziam-nos ao grupo para, juntos, comerem. Viviam a comensalidade, própria dos humanos. A solidariedade está na raiz da hominização.

O filósofo Pierre Leroux, em meados do século XIX, ao surgirem as primeiras associações de trabalhadores contra a selvageria do mercado, resgatou politicamente essa categoria. Era cristão, mas disse: “Devemos entender a caridade cristã hoje como solidariedade mútua entre os seres humanos”.

RECIPROCIDADE – A solidariedade implica reciprocidade entre todos como fato social elementar. Daí nasceu a economia do dom mútuo, tão bem analisada por Marcel Mauss. Se bem repararmos, a natureza não criou um ser para si mesmo, mas todos os seres uns para os outros. Estabeleceu entre eles laços de mutualidade e redes de relações solidárias. A solidariedade originária nos faz a todos irmãos e irmãs dentro da mesma espécie.

Se não houvesse solidariedade, nem teríamos condições de sobreviver. Não possuímos nenhum órgão especializado (Mangelwesen de A. Gehlen) que garanta nossa subsistência. Para sobreviver, dependemos do cuidado e da solidariedade dos outros. Esse é um fato inegável, outrora e ainda hoje.

Mas precisamos ser realistas, adverte-nos E. Morin. Somos simultaneamente sapiens e demens, não como decadência da realidade, mas como expressão de nossa condição humana.

AMBIGUIDADE – Podemos ser sapientes e solidários e criar laços de humanização. Mas podemos também ser dementes e destruir a solidariedade.

Foi por causa desse momento demente que Hobbes e Rousseau viram a necessidade de um contrato social que nos permitisse conviver e evitasse que nos devorássemos. O contrato social não nos dispensa de resgatar continuamente a solidariedade que nos humaniza, sem a qual o lado demente predominaria sobre o sapiente.

É o que estamos vivendo nos níveis mundial e nacional, pois pouquíssimos controlam as finanças e o acesso aos bens e aos serviços naturais, deixando mais da metade da humanidade na indigência. Bem diz o papa Francisco: o sistema imperante é assassino e antivida.

Entre nós, as atuais políticas de ajustes fiscais estão onerando especialmente os pobres e beneficiando aqueles poucos que controlam os fluxos financeiros. O Estado, enfraquecido pela corrupção, não consegue frear a voracidade da acumulação ilimitada das oligarquias. É urgente resgatarmos o paradigma básico de nossa humanidade tão olvidado: a solidariedade essencial. Fora dela, desvirtuaremos nossa humanidade e a dos outros.

11 thoughts on “Solidariedade, a condição humana que está sendo esquecida nos tempos atuais

  1. Li hoje na Folha de S. Paulo reportagem sobre o déficit primário que deverá permanecer em todo o próximo mandato presidencial e até mesmo ultrapassá-lo. Isso vai significar menos investimento e menos emprego. O Brasil estará entre os países com os mais altos índices de desemprego nos próximos anos. Se isso hoje é uma certeza vai ser preciso muita solidariedade, principalmente das ONG’s para pelo menos amenizar o sofrimento de milhões de pessoas com o agravamento da crise social, principalmente porque isso gera insegurança e violência por todas as partes do país.

  2. Tenho escrito volta e meia, quando surgem temas correspondentes às religiões, que os pastores, bispos, apóstolos, missionários das igrejas neopentecostais, sucumbem às suas próprias eloquências, imaginando em seus devaneios que são mesmo pessoas especiais e superiores àquelas que os seguem em suas pregações teatrais, cuja intenção não é apontar-lhes o caminho da “salvação”, mas o óbolo, a doação, o famigerado dízimo!

    Leonardo Boff comete esse mesmo erro, porém em maior gravidade, pois a má intenção tem o caráter nacional e para todos os brasileiros, enquanto que os tais “representantes de Deus” estão restritos às suas igrejas.

    Boff comete o pecado mortal de usar despudoradamente as pessoas que diz estarem sem o donativo Bolsa Família, 500 mil famílias, alega, e escrevendo muito bem como é a sua característica, a respeito de solidariedade.

    Boff é mentiroso, mal intencionado, sorrateiro, afirmo que o ex-frei é um mau caráter!

    Se eu o acuso dessa forma é porque Leonardo adultera a verdade criminosamente, quando atribui ao PT a qualidade de solidário com os necessitados, se a realidade do benefício era cooptar votos para o partido e eleger somente membros desta quadrilha!

    SE, DE FATO, os petistas se preocupavam com os pobres NÃO SERIAM ATRAVÉS DE ESMOLAS que Lula e asseclas resolveriam a fome e a pobreza, mas possibilitando trabalho e estudos!

    Tratariam de restaurar a dignidade dos pobres, os sem eira nem beira, os eternos necessitados, catapultando-os para serem úteis a si mesmos e à sociedade mediante qualquer ocupação honesta e que obtivessem salário, menos condenar essas pessoas à miséria, atrelando-as à vontade da quadrilha em contemplá-las com a caridade ou solidariedade em troca do voto, da obrigatoriedade de obedecer ao PT, de atender às exigências de Lula!

    Definitivamente a intenção de estender o Bolsa Família aos pobres jamais foi a intenção dos petistas como solidariedade, mas prender através da fome e ameaças de interrupção do donativo em qualquer momento, caso o beneficiário NÃO VOTASSE nos petistas, e este processo não é solidário, mas chantagem, exploração, manipulação, engano, ilusão!

    Boff simboliza exatamente o patamar que o povo e este país se encontram, sem solução.

    Boff é caso perdido, cujo mau caráter e personalidade deturpada não o impedem de escrever suas idiossincrasias, e imaginar na sua mente atribulada de pecador contumaz que diz a verdade, quando sabemos que Boff modificou até mesmo a essência da mensagem cristã com a Teologia da Libertação, deformando e violentando o caráter do cristianismo, absolutamente apolítico, e apenas voltado a oferecer para seus fiéis o caminho da vida, da verdade, da cura das doenças da alma!

    Boff e seu PT são os causadores de descaminhos, de mortes, e de separações entre compatriotas!

  3. Boff é um sujeito que me embrulha o estômago.
    Fala bonito para defender o marxismo. Quero ações práticas: condene a hipocrisia de muitos que se dizem religiosos e se arrependa de todos os marxistas que defendeu no passado.
    Que a verdadeira religião volte ao mundo, que a que aí está não presta.

  4. A solidariedade começa com a isenção de caráter de quem não surrupia para depois posar de bonzinho distribuindo migalhas. Os bandidos que dominaram recentemente este país, e que foram substituídos por outra quadrilha, roubavam da classe trabalhadora, regalavam as elites e distribuíam migalhas através do bolsa-esmola, o maior programa de manietação de curral eleitoral do mundo. O resto, verdadeira fortuna, foi embolsado pelos asseclas do famigerado Boff.
    A esses, o frei que não presta, presta a maior solidariedade, mantendo-se omisso e conivente.
    Para defender seus companheiros de quadrilha, o maligno sempre inicia seus artigos com falácias a troco de filosofia, e ensaio sociológico barato, calhorda e estúpido.
    Vade retro, satanás!

  5. Excelentes comentários, quase não deixaram nada pra mim. Concordo com todos.
    Seus artigos iniciam com a premissa do golpe…KKK Só rindo mesmo.
    Depois afina seu ilusionismo politico onde só os bonzinhos e solidários da esquerda preocupados com os desafortunados é que possuem virtudes.
    O capitalismo pode não ser o mais humano e solidário sistema de sociedade, mas ainda consegue ser o mais eficiente na evolução humana.
    Tá vendo como a esquerda, os progressistas e demais destorcidos ideologicos são bonzinhos.
    Eles apenas pedem que vocês se ajoelhem perante suas ideias e se torne tão cegos e subservenientes que eles lhe darão tudo que quiserem….
    Ruim é o capitalismo, que exige acordar cedo, trabalhar pra valer, ter mais responsabilidades que direitos, avançar sempre no desconhecido. Isso é muito dificil e árduo, exigindo que o ser humano vá a luta.
    Mais fácil ajoelhar-se e receber mole o que outros estão trabalhando para pagar.
    Claro que existem muitos desvalidos, doentes e outros que não podem lutar, mas isso é minoria e devem ser sim assistidos sempre pelo governo, até poderem se estabelecer.
    Para finalizar, hipocritas, falsos profetas, padres, pastores e todas as autoridades eclesiais, bem como politicos, bandidos, alcool, drogas, prostituição e tudo de ruim que existe no ser humano, está presente na sociedade desde a criação e parece que sempre vai ter mais gente para se ajoelhar do que para lutar.
    Boa semana a todos.

  6. Hamilton,

    Interessantíssimo o teu comentário, que abre um leque de discussões sobre o que publicaste com propriedade e inteligência!

    Um abraço.
    Saúde e paz.

  7. Boff nunca se arrependeu de defender o comunismo.
    Luta até hoje para implantar um regime não democrático.
    Nenhum povo do mundo, por mais solidário que seja, jamais escolheu o comunismo.
    Todos que se tornaram comunistas o foram à força.

  8. Bom dia,
    Obrigado Francisco Bendl
    Seu comentário é uma massagem no ego sem vaidades.
    Infelizmente vejo o mundo assim.
    E o pior de tudo, que sinceramente não acho que a humanidade como um todo vai mudar um dia.
    Mas como somos lutadores, não paramos de buscar a honra, o respeito e a vitória do bem.
    Mesmo que por mais ingrata e injusta que seja a luta, vamos a vitória.
    Vlw.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *