Somente os banqueiros estão apoiando o novo pacote fiscal     

Carlos Newton

Se Shakespeare estivesse vivo, diria logo que há algo de podre no novo pacote fiscal. Nenhum partido (nem mesmo o PT), sindicato, movimento social, central sindical ou entidade representativa de trabalhadores ou empresários manifestou apoio. Apenas a Federação Brasileira dos Bancos divulgou nota oficial proclamando a excelência do pacote e o fez com extrema velocidade, no mesmo dia em que as mudanças foram anunciadas.

Se os banqueiros têm belas razões para apoiar o governo e demonstrar empolgação com as medidas destinadas a equilibrar o orçamento, por que as demais entidades das chamadas classes produtoras estão criticando o pacote? É uma pergunta cretina e óbvia, sem dúvida, mas atinge em cheio as medidas propostas pelo governo.

Esta inquietante indagação está sendo feita pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade. Em entrevista a Adriana Fernandes e Ricardo Brito, do Estadão, o líder empresarial não mediu as palavras. Disse que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, está desinformado e não há motivos para estar poupando os bancos do aumento da carga de impostos.

“Nas medidas do ministro Joaquim Levy não tem nenhuma que penaliza os bancos. Por quê? Será que é porque ele veio do setor? Por que ele não coloca uma compensação do setor financeiro, que tem altos lucros no Brasil, diferentemente do mundo inteiro? Por que os bancos não podem dar uma contribuição nestes dois anos?”

ENTRAR NA JUSTIÇA

O presidente da CNI disse que negocia com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, uma alternativa para evitar a redução dos repasses de recursos para o Sistema S (Sesi, Senai, Sesc, Sebrae) no novo pacote de ajuste fiscal. A previsão é de que 400 escolas fechem no País, caso a mudança no Sistema S seja aprovada pelo Congresso, o que, em sua opinião, geraria um colapso ao setor. Ele disse que, se necessário, a CNI vai à Justiça contra as medidas do ajuste fiscal.

Dirigente da maior entidade do empresariado brasileiro, Andrade afirmou que uma das ideias é o Sistema S bancar algumas despesas de saúde e educação, como o Pronatec.

Contrário à nova CPMF, o dirigente da CNI explicou que no Brasil quem paga a conta do aumento dos impostos é consumidor. “Temos que ser contra. Empresário não paga imposto. Somos repassadores, porque o imposto que pagamos eu coloco no preço do meu produto”, disse.

DELFIM ABANDONA O PT

O ex-ministro e ex-deputado Delfim Neto foi deputado por 24 anos e recebe uma bela aposentadoria, sem jamais ter pronunciado um só discurso na Câmara ou no Congresso Nacional ou apresentado qualquer projeto de importância. Agora ele volta à ativa na política, ao dar uma explosiva entrevista à repórter Eliane Cantanhêde, do Estadão, em que abandona o apoio que desde 2003 vinha dando ao PT.

Delfim disse que a presidente Dilma Rousseff “é uma trapalhona” e o pacote fiscal dos ministros Joaquim Levy e Nelson Barbosa “é uma fraude, um truque, uma decepção”. E assinalou: “Não tem corte nenhum, só substituição de uma despesa por outra e o que parece corte é verba cortada do outro. Dizem que vão usar a verba do sistema S. Ora, meu Deus do céu! R$ 1 do sistema S produz infinitamente mais do que R$ 1 na mão do governo. Alguém duvida de que o governo é ineficiente?”

###
PSO mundo gira, as coisas mudam. Pensei que jamais apoiaria entusiasticamente as palavras de Delfim Neto, que se tornou deputado para ganhar imunidade parlamentar. Mas como contestar essas declarações dele? Desde a posse de Lula, Delfim defendeu o PT ardorosamente. Mas agora sai com essas afirmações procedentes, que ninguém pode contestar. O pacote é realmente uma fraude, não há como divergir. (C.N.)

8 thoughts on “Somente os banqueiros estão apoiando o novo pacote fiscal     

  1. CN.
    Pois eu já começo a achar que fraude mesmo, é esta coisa que nós chamamos de BRASIL.
    É um pais mequetrefe e agora também PIXULECO. Com esse povinho e por consequência estes
    políticos, penso que certa mesmo está a FUNAI. Aqui é tudo terra indígena, devolvemos a eles o pais e
    vamos também ser refugiados na Europa. Tem mais futuro.

  2. Grande Newton
    O artigo está perfeito. Permita-me assinar abaixo dele.
    Solicito, no entanto, uma pequena correção.
    Pode parecer nada, mas um perfeccionista é sempre perfeccionista.
    Favor incluir o “C” no início nome do autor do texto. A história merece.
    Abraço e saúde
    Fallavena

  3. Banqueiros nunca ganharam tanto dinheiro quanto neste governo do PT, taxas de juros nas alturas, lucros exorbitantes, é claro que apoiarão a CPMF, mais um filão para encherem os bolsos de dinheiro, no Brasil banqueiros fazem o que querem, não há um governo que bata de frente com os banqueiros, agora temos um representante no MF, criem impostos, o povo paga, como sempre a corda arrebenta no lugar mais frágil, Brasil é o país onde banqueiros são sempre privilegiados, é uma vergonha estas taxas de juros altíssimas, cartão de crédito, cheque especial, é lucro em cima de lucro.

  4. Como disse Brecht: “O que é roubar um banco comparado a fundar um?” E, cá entre nós CN, não espalhe para ninguém, mas também penso tal qual você: hoje, estou com o Delfim.

    A que ponto chegamos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *