Sucesso do agronegócio brasileiro mostra que as ameaças de boicote são irreais

Sem oxigênio, o dólar fica ali sozinho voando', diz Anitta sobre ...

Anitta, a cantora, se torna a nova ‘especialista’ em Amazônia

J.R.Guzzo
Estadão

As notícias mais recentes em torno da produção rural no Brasil vinham sendo uma dor de cabeça e tanto. Analistas em estado de aflição, que nunca viram uma enxada na vida mas são recebidos 24 horas por dia nos meios de comunicação para nos dizer o que está acontecendo no campo, diziam que agora sim, a coisa tinha ficado realmente preta: grandes empresas multinacionais vão boicotar o agronegócio brasileiro, a qualquer momento, caso não recebam provas de sua inocência do crime de “destruição das florestas”. É o começo do fim, garantem.

Logo em seguida, porém, os números que medem a vida no campo como ela é, e não como os entrevistados pela mídia imaginam que seja, revelam outras realidades.

VENDAS EM ALTA – O Brasil já vendeu nos sete primeiros meses de 2020 o mesmo volume de grãos vendido em todo o ano de 2019. Mais: cerca de 50% da safra do ano que vem já está vendida antes mesmo de ser plantada.

O fim do agronegócio do Brasil, como se vê, não é para amanhã. Mas as mensagens que o público recebe vão no sentido contrário – o que recomenda, por razões do bom senso mais comum, que você aposte suas fichas na soja, no milho e no boi e deixe de lado as crenças de fim do mundo a curto prazo pregadas pelos pastores da virtude verde, ecológica e orgânica. No fundo, nem seria preciso ver muito número para concluir que o agro está mais do que salvo – basta ver um pouco quem está do lado contrário, e o que esse pessoal anda dizendo. O último craque escalado pelo time é a cantora Anitta, que numa “live” com um deputado de um “partido do campo progressista”, anuncia suas extraordinárias ideias sobre a questão agrícola brasileira.

CABEÇA DE VACA – Anitta informa que antes de falar “estudou” o assunto da “pecuária”; aparentemente, ela acredita que os conhecimentos que adquiriu durante esses estudos lhe dão autoridade para ensinar como as coisas realmente são. Pelo que deu para entender, a cantora está horrorizada com o fato de haver no Brasil mais cabeças de boi do que pessoas. (Imaginem se ela soubesse a quantidade de frangos; melhor não lhe dizer nada sobre isso.)

Esses bois todos, segundo Anitta ouviu dizer, estariam poluindo o ar que a população respira, mesmo a milhares de quilômetros de distância, e bebendo água demais, entre outros delitos. Sua sugestão a respeito é fazer alguma lei para aumentar o preço da carne; assim as pessoas comeriam menos e haveria menos “consumismo” nas churrascarias. O deputado “de esquerda” ouve tudo com a cara de quem está numa aula magna na Universidade de Oxford.

Desse jeito vai ser difícil acabar com o agronegócio brasileiro.

7 thoughts on “Sucesso do agronegócio brasileiro mostra que as ameaças de boicote são irreais

  1. Temos que criar mecanismos onde desmatar saia mais caro do que investimentos em tecnologia, máquinas e insumos geral para aumento de produtividade.
    Já conseguimos hoje isto; mas, temos que continuar melhorando.

  2. “Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel”, afirmou o escritor e filólogo Umberto Eco, na quarta-feira, 10. O italiano, crítico do papel das novas tecnologias na disseminação de informações, estava em evento para receber o título de doutor honoris causa em comunicação e cultura na Universidade de Turim.

    Segundo Eco, a TV fez com que o “idiota da aldeia” se sentisse em um patamar superior, e a Internet elevou ainda mais essa situação. “Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel”, completou.

    Para Eco, antes das redes sociais, os ‘’idiotas da aldeia’’ tinham direito à palavra “em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade”. ”O drama da Internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”, frisou.

    O POVO

    • Oportuno e didático, José Roberto, Umberto Eco, foi genial e singelo no seu comentário, expondo a realidade de uma das consequências da universalização das comunicações e informações através da Internet.
      É também um alerta para nos, frequentadores deste espaço, que sempre correremos o risco de transformar-nos no “idiota da aldeia”

    • Eu não ando comprando nada. Só o essencial…
      Desejo ver a economia brasileira em frangalhos!
      Assim não contribuo.
      Ou melhor, contribuo para tirar o Coiso com o desastre do seu time na economia…

  3. Anitta tem tudo para ser a futura presidentA da República; se Dilma foi, ela também poder ser, pois tem o mesmo gabarito intelectual.

    E o PT está precisando de candidata à Presidência da República.

    Lula e Dirceu já foram libertados pelo STF – Supremo Tranquilizador de Finórios e estão prontos para coordenar a campanha de Anitta.

    Que ela seja eleita, pois nossa Republiqueta de Bananas Podres merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *