Supremo: por 5 a 5, cassou Roriz, pelos mesmos 5 a 5, cassou Jader Barbalho. S que no houve injustia. Os dois so corruptssimos, sempre.

Helio Fernandes

J se sabia que a votao da aplicao da ficha-limpa em relao ao senador Jader Barbalho seguiria rigorosamente o decidido na cassao do governador Roriz. S que este renunciou imediatamente. Barbalho entrou com recursos (trs), perdeu todos. (No TRE, TSE e ontem no STF).

Quando digo que o resultado seria o mesmo, porque se sabia que os 10 ministros manteriam o voto dado h 3 semanas. No que seja indita ou surpreendente a mudana de votos em tribunais colegiados. (Do mundo todo). que o Supremo est dividido no em relao ao ficha-limpa, mas em matria de convices. Ento, esses resultados de 5 a 5, empate e impasse, iro se repetir. E da parte de alguns ministros, no existe tendncia para a conciliao.

O grande problema: o exibicionismo, a repetio de palavras e conceitos para ficarem mais tempo diante da televiso. E nisso ningum ultrapassa Gilmar Mendes, que com arrogncia, deseducao e desprezo pelos colegas, falou 1 hora e 20 minutos, alm de apartear todos que votavam.

O julgamento do ficha-limpa no caso Roriz, durou 11 horas. Admite-se. Era o primeiro pronunciamento, todos queriam (e precisavam) firmar posies e convices.

Mas ontem, podiam ter resolvido a votao e o empate, em no mais do que 1 hora. Faltou comando ao tribunal, o presidente Peluso deveria ter recolhido os votos sobre Barbalho, tentando apenas saber se o ministros votariam da mesma forma como votaram na cassao de Roriz.

Como todos CONFIRMARAM os votos, estaria CONFIRMADA tambm a votao anterior. Repetido o EMPATE, faltaria resolver o IMPASSE. O ministro Celso de Mello, o decano no apenas pelo tempo, mas pela competncia, j havia estudado a questo, e levado vrias sugestes para a deciso.

O impecilho foi o ministro Gilmar Mendes. Falou 1 hora e 20 minutos, provocou colegas, interrompeu o voto de outros ministros, criticou vontade, e vrias vezes num tom que certamente no o que se espera ou se esperava do mais alto tribunal do pas.

E Gilmar Mendes no levou (ou acrescentou) nada de novo. Imprevidente, totalmente professoral e repetitivo, no se livrou da contradio. Ou melhor, das CONTRADIES, repetidas e talvez no notadas nem por ele, mas anotadas pelos colegas. Que, por elegncia e educao, no quiseram contestar ou contradiz-lo.

Primeira contradio, repetida trs vezes: Como podemos CASSAR um candidato que teve 2 milhes de votos (1 milho e 800 mil) do povo? Logo a seguir, quando um ministro lembrava que o ficha-limpa tinha a base de 1 milho e 600 mil assinaturas das ruas, respondeu arrogante: No me interessa e no voto pensando no POPULAR.

Depois: No podemos impedir que um cidado se candidate ao Senado, estaramos CASSANDO o seu direito. Espantosa contradio: Roriz e Barbalho eram SENADORES, ningum impediu que se candidatassem, eles que resolveram ABANDONAR o mandato, RENUNCIAR.

Gilmar Mendes no acertava uma. Erra crassamente ao dizer: RENUNCIAR um direito de qualquer um, ato de vontade individual e unilateral. Pode at ser (ou parecer) isso que Gilmar ressaltou.

Gilmar Mendes, do alto da sua suficincia (?), esqueceu que RENUNCIAR um DIREITO INQUESTIONVEL. Mas no quando um senador renuncia no primeiro dos oito anos de mandato, para no ser cassado por corrupo. (O que aconteceu com Roriz e com Barbalho).

***

PS O IMPASSE s foi resolvido, porque o ministro Celso de Mello, depois de quase 1 hora e meia de discusso estril e intil, fez a proposta vitoriosa, que resolvia tudo, contrariando seu prprio voto.

PS2 Aceita essa proposta por 7 a 3, o presidente Peluso ia criando (d-e-l-i-b-e-r-a-d-a-m-e-n-t-e) nova discusso, com uso de palavras que precisavam de DECODIFICAO.

PS3 Em vez de comunicar a deciso majoritria usando as palavras simples, O SUPREMO REJEITA O RECURSO DE JADER BARBALHO, inovou e encerrou a sesso.

PS4 O que disse Csar Peluso? O Supremo DESPROV o recurso. H!Ha!Ha! Peluso estudou com Gilmar?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.