Surpresa total: Marina entra no PSB. Será vice de Eduardo Campos? Ou vice-versa?

Dimmi Amora e Ranier Bragon
(Folha)

A ex-senadora Marina Silva assinou em Brasília a ficha de filiação ao PSB, do pré-candidato a presidente Eduardo Campos. Em seu discurso, a ex-senadora disse que entrou no PSB para “adensar” a candidatura de Campos, e que não seria possível chegar a um partido com a candidatura “posta” e pedir para ser a candidata.

Num discurso de quase 30 minutos, Marina estava bem humorada e falou que Campos acabou sendo seu “Plano C”. Ela fazia uma referência às seguidas perguntas de jornalistas e políticos a ela antes da decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que não deferiu o pedido da Rede para o registro do partido por falta de assinaturas validadas sobre qual seria seu plano B caso o plano A, a criação da rede, não desse certo.

“O plano C é Campos”, disse Marina.

PARTIDO CLANDESTINO

Marina reclamou mais uma vez dos critérios da Justiça Eleitoral.

“Somos o primeiro partido clandestino do Brasil criado em plena democracia”, afirmou Marina.

A candidata afirmou que não quis as outras opções que foram colocadas, se aliar a outro partido para ser candidata ou não apoiar nenhuma candidatura, por entender que não poderia ficar de fora do processo político nesse momento.

Ela afirmou que continuará sendo a porta voz da Rede e que a aliança com o PSB não será “pragmática” e sim “programática”, criticando indiretamente as alianças políticas atuais. E seu discurso, Marina também descartou a sua própria candidatura.

“Vamos para chancelar o programa da Rede e, em uma discussão democrática, adensar uma candidatura que já está posta”, disse Marina.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

12 thoughts on “Surpresa total: Marina entra no PSB. Será vice de Eduardo Campos? Ou vice-versa?

  1. Sr. Newton. Com este novo desenho da política, a Tribuna da Imprensa fica devendo uma análise mais acurada sobre o que representa Eduardo Campos. Um levantamento do perfil do Sr. Campos seria interessante, penso eu. Parece que a sua candidatura para o governo federal é mais do que concreta.

    • Ele é neto de Arraes. Pensa em encher mais ainda os bolsos dos familiares, como arrumou a nomeação da mãe recentemente para o TCU. Da mesma laia do Aécio, neto de Tancredo. Todos inúteis que nada fizeram pelo povo. Dinastias de vigaristas. Arraes, enquanto vivia no exílio argelino, ganhava polpudas comissões em negociatas com Sigeaki Ueki da Petrobrás, o corrupto “japonezinho do Geisel”. Tancredo foi ministro da Justiça na época do chamado “Mar de Lama”em 1954. No final da ditadura, negociou com o delegado Arnaldo Campana, da Delegacia de Roubos e Furtos do Chagas Freitas, para acobertar as falcatruas de seu filho Tancredo Augusto no BD RIO no governo do aliado Chagas Freitas. Depois, implorou ao Brizola para nomear o delegado Campana, que havia acobertado as falcatruas do filho, Secretário da Policia do Rio. Brizola fez-lhe o favor, apesar de não gostar do Campana, se aborreceu e se desgastou quando ele foi acusado publicamente de se envolver naquele caso da Máfia Corsa que trazia máquinas caça níqueis para se associar aos bicheiros. Tancredo morreu antes e da demissão do Campana, mas salvou o filho de processo criminal. O pior é acabaram culpando injustamente pela nomeação do Campana o conceituado escritor e membro do PDT J.G. de Araujo Jorge que havia falecido pouco tempo antes e não pode se defender. Quanta sordidez política na nossa história.

  2. Wagner … “o que pensa este homem?”
    Pensa o mesmo dos demais; prometer isso … prometer aquilo … prometer mais aquilo outro … e verificar, ao final, quantos conseguiu enganar.
    Esta tem sido a história do Brasil: prometem muito, mas prosseguimos sem infra-estrutura, sem saneamento básico, sem educação e cultura … sem praticamente nada. E temos muitas riquezas!!! Bem, tomara que eu esteja equivocado e surja um (a) presidente que rompa com todos estes padrões (argh!!!) imorais, desonestos e aéticos que nos acompanham desde sempre. Os partidos que temos? Verdadeiras gangues, montadas para … roubar. “Apenas” isto. Ou o presidente se associa a eles, ou … ou … já sabemos o resultado.

  3. Uma saída não prevista pela crônica. Não dá para entender a atitude da Marina. Na verdade, demonstrou ser uma petista enrustida: acabou traindo seus eleitores. Tudo nebuloso no cenário político, a não ser que o Eduardo entregue a rapadura – o que é duvidoso. Enfim, até agora, o que se percebe é que ela jogou a toalha. É o “modus faciendi” dos políticos brasileiros. Compromisso só de mentirinha.

  4. Difícil, o dilema de Marina, que por conta da decisão desfavorável no TSE teve que fazer uma aposta arriscada em Eduardo Campos. Com a saída daquela, se a eleição fosse hoje, Dilma venceria facilmente. Mas ainda há um ano pela frente, e se a insatisfação voltar a ganhar as ruas em 2014, o jogo ficará mais difícil. E quanto ao PSoL, o outro partido que vence a barreira do 1%? Irá de Heloísa Helena, hoje vereadora em Maceió, Randolfe Rodrigues – senador em meio de mandato, sem nada a perder, portanto -ou Luciana Genro, impedida de se candidatar no RS devido ao pai governador e que está disponível para o “sacrifício”?

  5. ARROGÂNCIA. A gente vê por aqui.

    “Somos o primeiro partido clandestino do Brasil criado em plena democracia”, afirmou Marina.

    O Partido Comunista Marxista-Leninista (PCML) é um partido político brasileiro sem registro no Tribunal Superior Eleitoral, fundado no ano 2000.

  6. MILLÔR FERNANDES, em 1981:

    “Todo partido político é uma máfia”.

    MILLÔR FERNANDES, em ano recente:

    “Tenho resistido à ditadura das ideologias, à ditadura das religiões e à ditadura dos partidos políticos”.

  7. Acredito que foi otimo para PSB, perdeu a Diana do Ceará que fala em coerencia e esquece que serviu ao Governo FHC das privatizações e ao de LUla mensaleiro, e ganhar MARINA, é só trabalhar com inteligencia sem vaidade pelo cargo que vão ganhar a Eleição, essa união de Eduardo Campos e Marina da Silva deixou o PSDB e o FALIDO PT, com as calças não mão, foi um golpe de mestre um verdadeiro nouc. ainda não se vi comentario, mais quando o TSE cassou o partido de Marina o Planalto vibrou junto com ABC de LULA, a pergunta que se faz e agora josé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *