‘SUS é o melhor projeto de saúde do mundo, só falta ser implantado’, diz Sindicato dos Médicos

Akemi Nitahara
Agência Brasil

Passados 25 anos da criação do modelo de estruturação do Sistema Único de Saúde (SUS), feito a partir da Constituição Federal de 1988, o projeto não saiu do papel. A opinião é do presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), Jorge Darze.

“No Rio de Janeiro o que está faltando é implantar o SUS. Na verdade o que nós temos é um arremedo de SUS, nós ainda temos no Rio de Janeiro as três esferas de governo fazendo a gestão de suas próprias unidades, cada uma olhando para o seu umbigo, esquecendo que o sistema é único”, disse o sindicalista.

A subsecretária de Unidades Próprias da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Ana Lucia Eiras das Neves, admite que ainda falta muito para o sistema funcionar perfeitamente, mas destaca que o atendimento melhorou muito nesses 25 anos. “Houve um avanço, a estruturação lógica de rede, de regulação, de organização de serviços, de oferta. No momento temos um cenário em que os serviços estão sendo oferecidos, os municípios estão investindo em atenção básica. As demandas ainda continuam muitas, mas já houve um avanço”.

Para ela, a principal melhoria foi a universalização do atendimento. “O sistema agora é único, ou seja, toda a população pode utilizar, o que é um avanço em relação ao modelo anterior e até em relação a muitos países mais desenvolvidos. Nós temos que continuar investindo, a parcela precisa aumentar, as demandas são crescentes, há um envelhecimento da população, há um avanço de tecnologia, com custos crescentes e a gente precisa melhorar na questão do financiamento”, admite a subsecretária.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 thoughts on “‘SUS é o melhor projeto de saúde do mundo, só falta ser implantado’, diz Sindicato dos Médicos

  1. Comento esta matéria porque concordo com o seu teor e, ainda, porque identifico aí um enorme desperdício de dinheiro público e a incapacidade de atender com qualidade e competência a população. “Convivem” mal e de forma incompetente hospitais federais, estaduais e municipais, na cidade do Rio de Janeiro. Exemplo: num raio de 10 km temos um hospital federal em Bonsucesso, um estadual na Penha e um municipal no Meier. Todos realizando precariamente as suas funções médicas, concorrendo entre si em um mercado macabro.

  2. Para ser ter ideia do descaso dos governantes com o SUS, na Praça Seca, Jacarepaguá
    tem uma esteira ergométrica para teste de esforço nova, a três anos, sem funcionar, porque
    não tem médico deste setor.

  3. NOTA DO HOSPITAL SÍRIO LIBANES, divulgada na internet, sobre a saída do ilustre paciente da UTI:

    “A direção deste Hospital esclarece que o ex-presidente José Sarney passa bem e já está conseguindo desviar dinheiro público sem a ajuda de aparelhos” !

    Abraços.

  4. Esta senhora não deve ter conhecido o atendimento do antigo INAMPS(com carteirinha e todo tipo de atendimento,da consulta,internação,passando pela medicação gratuita até uma cirurgia complexa),apesar de criticado na época,infinitamente superior aos SUS.Qual a prática do “atendimento universalizado” do SUS?Permitiu a quem nunca contribuiu com a Previdência Social,ter atendimento médico/laboratorial;só que às custas da falência das Santas Casas e do prejuízo permanente dos Conveniados,já que suas tabelas são niveladas de forma pífia.Sua “mágica” foi dizer aos cidadãos,que todos tinham direito a tudo,mas o número de leitos,médicos,salas,exames,ambulâncias,permaneceu o mesmo.Os usuários “universalizados”do SUS foram “empurrados” para os diversos Planos de Saúde(onde também são esbulhados),devido à carência de toda sorte da assistência do Estado(União).O Sistema,pelo tempo decorrido da sua instalação,funciona de forma precária,incompetente e,podemos dizer irresponsável.O resto é discurseira política,mal intencionada,dirigida.Nunca ouviremos a verdade,a situação real do SUS,pelas autoridades ou seus porta-vozes.São raros os lúcidos que admitem a própria incompetência.È uma pena,porque estes,pelo menos,ainda podem aprender…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *