Suspense total, porque Emílio Odebrecht está revelando a corrupção na Era FHC…

Resultado de imagem para emilio odebrecht e fhc

Ilustração reproduzida do site Muda Mais Congresso

Jailton de Carvalho
O Globo

O presidente do Conselho da Odebrecht, Emílio Odebrecht, principal responsável pela decisão que levou a delação dele e mais 76 executivos da empreiteira, prestou depoimento na Procuradoria-Geral da República. Este seria o segundo depoimento do empresário, desde o início da rodada de interrogatório dos executivos da Odebrecht. Mais de 80 procuradores estão interrogando executivos da empreiteira em 29 cidades.

Pelo que ficou acertado no acordo de delação, o empresário deverá falar sobre a atuação da empreiteira durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e outras administrações passadas. Deverá ainda discorrer sobre as relações da cúpula da empresa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. São informações que vão além do pagamento de obras em um sítio em Atibaia, onde o ex-presidente costumava frequentar.

À FRENTE DA EMPRESA – Pelo acordo firmado com a Procuradoria-Geral da República, Emílio Odebrecht, pai de Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira, será punido com quatro anos de prisão domiciliar. Antes de começar a cumprir a pena, ele terá um ano livre para tocar a empresa. A medida foi considerada essencial no desfecho do acordo. O empresário alega que, sem ele no comando, a empresa quebraria. Os procuradores acharam a argumentação razoável e concordaram em prorrogar o prazo para o início do cumprimento da pena.

Em Curitiba, Marcelo Odebrecht confirmou o conteúdo da delação do ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho, divulgado na semana passada. Melo acusou o presidente Michel Temer de pedir dinheiro ao então presidente da Odebrecht numa reunião no Palácio do Jaburu em maio de 2014.

NAS MÃOS DE YUNES – Parte do dinheiro teria sido entregue em espécie no escritório do advogado José Yunes, assessor especial de Temer na presidência da República. Ex-tesoureiro do PMDB em São Paulo, Yunes é amigo de Temer há 50 anos. Cláudio Melo também disse que fez pagamentos destinados a mais 53 políticos, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o líder do governo no Senado, Romero Jucá PMDB-RR).

De acordo com reportagem do jornal “Folha de S. Paulo, Marcelo Odebrecht confirmou que o presidente Michel Temer lhe pediu R$ 10 milhões para a campanha do PMDB em 2014. No depoimento, o empresário não deu detalhes sobre o pagamento solicitado por Temer.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Já se sabe, com fartura de detalhes, como funcionava o esquema de corrupção dos governos do PT. A grande novidade é saber até que ponto chegou a corrupção no governo de Fernando Henrique Cardoso, que comprou no Congresso sua reeleição por 30 dinheiros, quer dizer, R$ 300 mil, que na época era uma boa quantia. Os crimes da era FHC estão prescritos. O mais importante, portanto, é que essas revelações de Emilio Odebrecht vão abortar o plano de FHC voltar ao poder, em eleição indireta, porque Temer já está balançando, digamos assim. Como se sabe, FHC era igual a Lula, muito ligado à Odebrecht, que também bancava palestras dele. (C.N.)

16 thoughts on “Suspense total, porque Emílio Odebrecht está revelando a corrupção na Era FHC…

  1. Como diria a Henriqueta: O Editor que pare com esses comentários bobos e plebeus !

    I – A total inviolabilidade da Pessoa de Sua Majestade Imperial, o Imperador, onipotente e sagrada, sendo, portanto, protegida pelas penas aplicáveis a crimes de lesa-majestade;

    Jamais o Imperador pode ser julgado por qualquer ato. Ele é inimputável – isso é, não pode ser jamais processado. De igual forma, a sua pessoa é um símbolo nacional, e portanto, se em algum momento as autoridades julgarem que ela foi ofendida ou lesada de alguma forma, o ofensor será julgado por lesa-majestade. Diga-se de passagem, o crime de lesa-majestade incorre numa penalidade que não encontra precedentes: o sujeito, além de ser banido do Império ou condenado à morte, encontrará da sociedade a mais completa repulsa ao apenas mencionar o seu nome. (Comentário do autor).

    III – A submissão dos Súditos de Sua Majestade Imperial a Ele e às decisões tomadas pelo Egrégio Conselho Imperial de Estado, órgão legislativo aristocrático;

    Todos os súditos, de acordo com este inciso, devem submeter-se à autoridade do Imperador, que é absoluta e inquestionável. De igual forma, todos deverão acatar as decisões que tome o Egrégio Conselho Imperial de Estado, câmara alta do parlamento e que detém quase que exclusivamente a prerrogativa de alterar a Constuição Imperial, além de uma série de outras, como indicar o Tutor-Regente, no caso de termos um Imperador que seja menor de idade ou louco, ou mesmo afastar o Desembargador ou o Imperador-Regente, num caso de extrema necessidade e ausência completa do Imperador.

  2. Mais um ato da comédia do Gran Circus Brazilis.

    Comissão de Ética aprova ‘censura pública’ a Geddel por episódio da obra em Salvador

    Ex-ministro sofrerá apenas uma repreensão do colegiado, que não tem efeito prático na carreira dele; colegiado decidiu enviar para análise do MPF relatório que concluiu que Geddel violou código de conduta.

  3. O PT foi tão incompetente na oposição quanto na situação.
    Nunca viram a sacanagem da era FHC, até porque na época o lula ainda era “amigo” do rei.
    Quando o lula elegeu o tucanato de bode expiatório
    os antigos inquilinos do palácio, descarregaram o caminhão de lama no PT.
    Agora, muito tardiamente o petismo quer trazer os tucanos para o ringue, os crimes prescreveram e o PT vai ter que se virar sozinho.
    Eu sempre achei este FHC, o sujeito mais maléfico que habitou o alvorada.
    A conclusão é a de que o povo brasileiro tem os políticos que merece.

  4. A mídia sempre esteve ao lado de FHC, nada era revelado, espero que a justiça interrogue os dois, Lula e FHC tem muito a dizer, não deveria haver prescrição, é crime de de lesa a pátria.

  5. Lula é indiciado pela 3ª vez sem ser preso e surgem suspeitas de que ele tenha se filiado ao PSDB
    O ex-presidente Lula foi indiciado hoje pela terceira vez no ano. Desta vez, a denúncia da operação Lava Jato aceita pelo Ministério Público Federal acusa Lula de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

    É a terceira vez que uma denúncia contra o ex-presidente é aceita, o que o torna réu pela terceira vez na operação. Ele também foi acusado, em julho, de tentar comprar o silêncio de Nestor Cerveró e, em setembro, de ter aceito a reserva e a reforma de um apartamento no Guarujá como propina da OAS.

    Entre amigos, o ex-presidente já vem sendo chamado de “Leonardo DiCaprio de Caetés”. “Já foi indicado várias vezes mas nunca leva”, disse um amigo de longa data. “Será que ele vai ter que brigar com um urso para ser preso?”, brincou outro.

    Em nota oficial, Lula disse que já decidiu que música vai pedir no Fantástico após o terceiro indiciamento: “Você não soube me amar”, da Banda Blitz. Segundo Lula, será dedicada aos procuradores de Curitiba.

    Em meio a todas as complicações judiciais, uma suspeita surgiu no núcleo duro petista: a de que Lula, com medo do xadrez, tenha se filiado ao PSDB para não ser preso.

    “Ou estão tratando o Lula como tratam os intocáveis do PSDB que nunca são presos, ou seja, de maneira igualitária, ou o Lula se filiou e não falou a ninguém”, teria dito o presidente do PT Rui Falcão, que teria ainda assim elogiado a postura do “líder”.

    http://www.sensacionalista.com.br/2016/12/15/lula-e-indiciado-pela-3a-vez-sem-ser-preso-e-surgem-suspeitas-de-que-ele-tenha-se-filiado-ao-psdb/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *