Temer ameaça Dilma e diz que PMDB pode abandonar o governo

Michel Temer ligou para Dilma e deu um ultimato à presidente

 

Natuza Nery, Mariana Haubert e Márcio Falcão
Folha

O vice-presidente da República, Michel Temer, alertou a presidente Dilma Rousseff que ou o governo inclui o PMDB em suas decisões estratégicas ou não terá como manter a legenda na base aliada. Segundo a Folha apurou, o recado foi dado em uma conversa telefônica nesta terça-feira (24), quando o vice afirmou que a sigla está no “limite da governabilidade”.

Temer explicou a Dilma que, se o partido continuar excluído do poder “mais um mês ou dois”, o Planalto corre o risco de perder o controle mínimo da pauta no Congresso – o PMDB preside as duas Casas do Parlamento.

Sem o apoio do partido, notabilizado por traições, ameaças e apetite por cargos, o governo dificilmente conseguiria viabilizar projetos de seu interesse ou obter grau mínimo de blindagem em CPIs como a da Petrobras.

É a primeira vez que Temer traça um cenário tão negativo à petista. A insatisfação da sigla aumentou na medida em que os peemedebistas viram novos aliados do Planalto, como o PSD, crescerem na montagem do segundo mandato.

MAIOR PARTICIPAÇÃO

Dilma garantiu sete pastas ao PMDB, mas a maioria sem grande poder de fogo político ou indicações da cúpula do partido. Além do interesse em emplacar cargos no segundo escalão do governo, uma das exigências da legenda é ter assento nas reuniões da coordenação de governo, hoje composta apenas por petistas.

O diálogo entre Temer e Dilma ocorreu poucas horas depois de um jantar, na segunda-feira (23), da cúpula do PMDB com a equipe econômica na residência oficial do vice, o Palácio do Jaburu.

Apesar de a reunião ter sido chamada por Temer para tentar destravar as medidas do ajuste fiscal que tramitam no Legislativo e de ter havido promessas de apoio do partido ao pacote, foram as insatisfações políticas que dominaram o debate.

“FIADOR” DO PACOTE

Como representantes do Executivo, estavam no jantar Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento), Alexandre Tombini (Banco Central) e Aloizio Mercadante (Casa Civil).

“O PMDB salvará o ajuste fiscal”, disse Eduardo Cunha no jantar, falando como uma espécie de fiador do pacote de redução de despesas, isso após passar as últimas semanas impondo seguidas derrotas à Dilma na Câmara.

O pacote, do qual o PMDB reclama de não ter participado de sua concepção, prevê uma economia de R$ 18 bilhões neste ano ao endurecer exigências para a concessão de seguro-desemprego, abono salarial, pensão por morte e seguro-defeso para pescadores artesanais. Apesar do apoio, não estão descartadas mudanças nas propostas.

COALIZÃO CAPENGA

No jantar do Jaburu, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), foi bem menos comedido. Afirmou que seu partido só é chamado na hora de votar. A jornalistas, fez questão de dizer que a coalizão de Dilma com seu partido está “capenga”.

“O PMDB quer dar um fundamento à coalizão, quer participar da definição das políticas públicas. Essa coalizão, ela é capenga porque o PMDB, que é o maior partido do ponto de vista da coalizão, ele não cumpre o seu papel”, afirmou, ao chegar ao Senado.

Diante das críticas, Mercadante reconheceu que é preciso repensar a relação do governo com sua base congressual. Na semana que vem, Dilma receberá a cúpula peemedebista.

As dificuldades da presidente não se limitam ao parceiro mais problemático da coalizão. O próprio PT resiste em apoiar iniciativas do pacote fiscal.

PT e PMDB têm juntos 131 deputados do total de 513. Para ser apreciado, um projeto de lei exige quórum mínimo de 257 deputados. Ele será aprovado se tiver maioria simples do número de presentes.

 

15 thoughts on “Temer ameaça Dilma e diz que PMDB pode abandonar o governo

  1. O melhor que Temer faz , para si e para o Brasil, é articular o impeachment da figura deletéria que nos desgoverna.

    Embora alguns taxem o PMDB como um partido fisiológico e se sustenta nisto para desqualificá-lo, na verdade todos os partidos do mundo são assim. O importante é que esses partidos são democráticos e não marxista-leninista como o PT que por isso luta por uma ditadura como a que já acontece na Venezuela e pior em Cuba há mais de 50 anos.

    Ou seja , democracia antes de tudo, pois só com ela se evita o mal maior que é a submissão pela força da vontade popular.
    Enfim, dos males o menor e qualquer coisa é muito menos mal que o PT.

    O problema do Brasil é que não existem leis claras, como nos EUA por exemplo, que não punam com rigor os ocupantes do estado. E isto é desde o Brasil Império.

  2. O pmdb não tem culhões para abandonar o governo. Este e um Partido de um Monte De Bosta. É igual a uma protistuta que se vende por migalhas para estar fazendo parte de um governo de incomPTentes e corruptos.

  3. Caro CN … nada diferente do que tenho antecipadamente comentado por aqui no blog … existe alma peemedebista, sim senhor!!!

    Só pergunto se ainda dá tempo de se formar Coalizão.

    2015 ano de decisões … ANO DE ESCOLHAS!!! !!! !!! 20h 30min nas TVs!!!

  4. Tá com medo de que, PMDB? O tempo urge. Tem que chutar o pau da barraca, chutar o balde, sair para as cabeças, ou tudo ou nada!!!! O povo está cansado de nhem, nhem, nhem, de conversinha mole pra boi dormir. Não há mais tempo para isso. O Brasil está dando os últimos suspiros e o PMDB AINDA AMEAÇA abandonar o (des) governo???? Como o L.Costa disse: “foi o PMDB que deu ao Brasil o seu único presidente decente em muitos anos: Itamar Franco”. Quem sabe agora não surja um nome de respeito do PMDB para a presidência do Brasil?????????

  5. Anotem aí. O próximo presidente do Brasil vai ser do PMDB.
    Possui candidato nacional?
    Se Eduardo Cunha passar sem arranhões pelo lava-jato, será ele.
    Ocorre que a lista de Janot parece que será divulgada apenas quando a CPI da Petro entrar em funcionamento. Corda arrebentada em cabo de guerra faz todos caírem.

  6. É engraçado, este ajuste fiscal só mexe com os trabalhadores, porque não faz o mesmo com o executivo, legislativo e judiciário, reduzindo o valor do salário, mas não, agora o presidente da câmara dos deputados estará aprovando a medida que paga viagens de esposas de parlamentares, este país é uma loucura, quando fazem o correto apoio, mas quando não abrem mão das suas mordomias eu condeno, até quando o povo vai aturar tudo isto, é escandaloso estas medidas, se é para enxugar o orçamento todos devem dar sua parcela de sacrifício.

  7. Por que o PT não estufa o peito e pergunta pro PMDB quem é que foi eleito?
    O Lula não está todo machão. Organize as milicias do MST e invada e feche o Congresso. Imponha a sua vontade na marra. Faça como o Geisel em 1977, esse sim era macho.
    Ah! afinal de contas o PT não é assim comporto de muito macho. Aliás o MACHÃO DO LULA AFINOU PARA A DILMANTA na definição de candidatura em junho passado. E a MACHONA da DILMANTA também vem afinando ultimamente quando veio pedir ajuda para o PAPAI LULA alguns dias atrás em São Paulo. Também vive perguntando ao seu guru o marqueteiro(ou PAI DE SANTO) Santana o que devo fazer e falar.
    São todos um bando de frouxos, de covardes! O próprio MACHÃO LULA que fala em exército do MST veio ao Rio para junto com capangas dar um grande abraço na sede da Petrobrás. Ficou só num discurso cheio de bravatas em um ambiente fechado. Nesse ponto o ex-presidente João Goulart teve mais coragem para ficar num palanque aberto em 1964. Mas depois afinou também.
    Conclusão, com exceção do Presidente Allende, que morreu defendendo o seu mandato, esses populistas, incompetentes, mentirosos e demagogos são mesmo tudo um bando de frouxos.
    Com certeza estão cagando nas calças!

  8. O PMDB abandonar o Governo?
    Ora, o PMDB é governo. Estivesse a economia bombado, seria o primeiro partido a colher os louros por ser governo.
    Será que quem está ocupando os gabinetes e recebendo polpudas gratificações na Esplanada é o PSDB?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *