Temer cita Cármen Lúcia para alegar que não participa do boicote à Lava Jato

Resultado de imagem para Temer charges

Charge do Paixão, reprodução da Gazeta do Povo

Jorge Bastos Moreno
O Globo

O presidente Michel Temer recebeu no domingo passado um “apelo institucional” da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, para que transmitisse ao Poder Legislativo a solicitação de que não discutisse, nem votasse, o projeto que torna crime o abuso de autoridade de juízes e membros do Ministério Público, porque isso poderia gerar uma grave crise entre os Poderes, com consequências imprevisíveis. Temer procurou no mesmo dia o presidente do Senado, Renan Calheiros, que, no entanto, manteve-se irredutível.

— O senador Renan Calheiros e alguns parlamentares, aos quais transmiti esse apelo, apresentaram fortes argumentos para que a matéria não fosse retirada da pauta. Eu tinha dito a eles que endossava totalmente as preocupações da presidente Cármen Lúcia. Mas eles, em função de seus argumentos, mantiveram-se irredutíveis — disse o presidente ontem ao Globo.

Temer destacou que respeitou a decisão de Renan de ter prosseguido nas tentativas para votar a matéria: — Por temperamento, não tenho por hábito constranger ninguém. Como presidente da República é imperioso que eu respeite as decisões e a independência de outros Poderes. Aliás, essa também foi a preocupação da ministra Cármen Lúcia ao fazer esse apelo. Sendo assim, tive a cautela de não insistir no assunto.

PELO TELEFONE – O presidente relatou que naquele domingo, logo após a coletiva na qual anunciou que vetaria qualquer proposta de anistia ao caixa 2, viajou para São Paulo, a fim de participar de um evento da colônia libanesa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. E foi lá que ele recebeu o telefonema da presidente do Supremo.

— A ministra e eu somos amigos de longa data, e isso facilita também a nossa relação institucional. E ela me ligou nestes termos: “Olha, temos que salvar o país, evitando essas crises”. Respondi-lhe: “Concordo inteiramente”. Hoje, por exemplo, com a colaboração do presidente da Câmara e do Senado, acho que conseguimos conter a justa indignação popular contra o caixa 2.

Temer disse a Cármen que, no mesmo dia, voltaria a Brasília e se reuniria com Renan e outros membros do Legislativo para transmitir o apelo. Ele disse que chegou à casa de Renan às 23h, e lá estavam Eunício Oliveira (PMDB-CE), José Sarney (PMDB-AP), Moreira Franco (PMDB-RJ) e Aécio Neves (PSDB-MG), entre outros.

CRUZADA CONTRA JUSTIÇA – Alvo de 11 inquéritos e, desde quinta-feira, uma ação penal, Renan Calheiros lidera uma cruzada pela aprovação de uma nova legislação sobre “abuso de autoridade”, que atingiria juízes e integrantes do Ministério Público. Além de autor da proposta, apresentada em julho, Renan deu máxima celeridade à votação do tema, indo contra, inclusive, a posição do primeiro relator, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que defendia que a votação só ocorresse ao fim da Lava-Jato. Alçado a líder do governo, Jucá deixou a relatoria, entregue ao senador Roberto Requião (PMDB-PR), notório defensor das medidas.

Apesar de ser autor da proposta que está no Senado, Renan viu uma oportunidade na última semana de colocar em votação a versão desfigurada das dez medidas contra a corrupção, aprovada na madrugada de quarta-feira pela Câmara. Por meio de uma emenda, os deputados incluíram artigos sobre o crime de “abuso de autoridade” por parte de juízes e integrantes do MP. Os integrantes da força-tarefa da Lava-Jato reagiram e disseram que, se a proposta entrasse em vigor, haveria uma renúncia coletiva dos investigadores.

CRIMES GENÉRICOS – A grande preocupação, inclusive de advogados que usualmente militam no campo oposto ao dos integrantes da força-tarefa, é com a possibilidade de a proposta ser usada para coagir magistrados e procuradores, uma vez que os supostos crimes de “abuso de autoridade” são genéricos, como a atuação “de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro” e “com motivação político-partidária”.

Apesar das críticas, Renan se mobilizou na quarta-feira para aprovar um requerimento de urgência que permitiria a análise imediata da proposta vinda da Câmara. Diante da reação dura de senadores, e da mobilização nas redes sociais, o requerimento acabou sendo rejeitado. Assim, a medida aprovada pelos deputados vai tramitar normalmente nas comissões. Amanhã, no entanto, o plenário do Senado já deve começar a analisar a proposta de Renan. Na quinta-feira, em audiência no Senado, o juiz Sérgio Moro voltou a criticar a votação da medida neste momento e pediu que, ao menos, coloque-se uma emenda deixando claro que não pode ser considerado abuso a diferença de interpretação da legislação.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em tradução espontânea, o fato é que Temer está assustadíssimo com a resposta das ruas e o consenso que vai ser formando de que é cúmplice dos caciques do PMDB e da base aliada (notem que Aécio Neves estava na casa de Renan e depois participou da armação da “urgência urgentíssima” no Senado). Temer agora está usando sua amizade pessoal com Jorge Bastos Moreno para tirar o corpo fora e se isentar de culpa. Diante do aviso (não foi apelo) da ministra Cármen Lúcia, deveria ter chamado Renan e os outros líderes e dado o prometido soco na mesa. Mas preferiu “ficar bem” com os caciques e deixar rolar, como se diz atualmente. Por fim, está evidente que, se o projeto maluco da nova grife Renan/Requião passar, o Supremo imediatamente vai derrubar por inconstitucionalidade, conforme já revelamos aqui na TI. (C.N.)

21 thoughts on “Temer cita Cármen Lúcia para alegar que não participa do boicote à Lava Jato

  1. Meus caros, as ruas falaram neste 04/12/16, de maneira pacifica, ser contra a corrupção desenfreada do congresso, a maior quadrilha de bandidos do universo, comandada por Renan e Rodrigo Maia, é conivência do sinistro Toffoli.
    Temer, o vice, acoberta a quadrilha. Que a Presidente do atual stf, haja para sua Presidência ser de um STF, é a Esperança, desse povo trabalhador explorado pela corja dos 3 podres poderes.
    Deus, salve o Brasil, para se um País decente e justo.
    Toffoli, tua conivência, com Renan,é criminosa, Há uma Justiça que faz Justiça, no além túmulo, por nossas obras, e a tua sentença, será o “Ranger de dentes”, conforme a todos aqueles que levam sofrimento ao próximo.
    Drª Carmen Lucia, o povo espera, que sua Presidência, seja de Honra a Srª Justiça, último Baluarte da Cidadania.

  2. LERO-LERO DÚBIO, FACCIOSO E MALICIOSO DA MÍDIA TB ESTÁ SENDO DERROTADO PELA DEMOCRACIA DIRETA, NAS RUAS DO BRASIL. Esta sim, Democracia Direta, consciente, pujante, vibrante e vital para o sucesso pleno do bem comum. Bem ao contrário da tal democracia-partidária-representativa que representa apenas os interesses dos representantes e seus financiadores de campanhas, em que pese o trololó para os representados: ” É preciso “ouvir a voz das ruas”, afirmou Temer no domingo passado. E agora: ”A força e a vitalidade de nossa democracia foram demonstradas mais uma vez, neste domingo, nas manifestações ocorridas em diversas cidades do país”, anotou o Planalto em nota oficial. “Milhares de cidadãos expressaram suas ideias de forma pacífica e ordeira. Esse comportamento exemplar demonstra o respeito cívico que fortalece ainda mais nossas instituições. É preciso que os Poderes da República estejam sempre atentos às reivindicações da população brasileira.” Então tá. Então apresentem e aprovem já, aqui e agora, pelo menos a PEC DA DEMOCRACIA DIRETA COM MERITOCRACIA ELEITORAL, JÁ, A VIGORAR JÁ, EM 2018, EM ELEIÇÕES GERAIS, DISTRITAIS, COM MANDATOS DE 5 ANOS, SEM REELEIÇÃO, COM PARLAMENTARISMO. Piruá ou pipoca. Kkkkkkkk… kkkkkkkkkkkk… kkkkkkkkkkkkk… http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2016/12/04/asfalto-intima-temer-a-optar-etica-ou-aliados/

  3. E vão mandar o pacote da previdência para a votação.
    Mesmo correspondendo a 48,9% dos gastos e serem a única categoria que tem aumento ao se aposentar ( promoção ) , os militares ficarão fora da reforma.
    Vozes das ruas…rsrsrsrs.

  4. Por que não tem passeata contra isso?

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/12/1838400-reforma-da-previdencia-pode-gerar-economia-de-r-678-bi-diz-governo.shtml

    Quer dizer que um viúvo ou viúva, terá direito a aposentadoria OU pensão, mesmo que ganhe uma merreca.

    O valor do condomínio será reduzido?
    A conta de luz?
    impostos?
    alimentação?
    IPTU?
    remédios?
    plano de saúde? etc… etc… etc…

    Vão economizar mais de 600 bi em 10 anos, que cálculo é esse?
    1 ano e meio de taxa selic já economizaria isso.

    É, chegamos no fundo do poço.

    FORA SELIC JÁ

    • E a sonegação continua livre, leve e solta…
      Escrevo abertamente pois a minha família não mora na Europa e,eu passo pouco tempo no Brasil , assim escrevo de modo empírico, não teórico…

    • Tem muita gente fazendo, porém a nossa imprensa chegou ao grau máximo de humilhação , que é a autocensura . Tem várias Universidades, IFES, escolas ocupadas, na semana passada houve um ato com mais de 25 mil pessoas em Brasília, porém nada foi noticiado, já ontem havia 5 mil pessoas em BSB e foi um ‘sucesso’.
      O Temer não aumentou em 32% as verbas publicitárias à toa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *