Temer confirma que há muita preocupação devido à lista da Odebrecht

Coletiva de imprensa no Palácio do Planalto

Pelas feições, nota-se que o clima no Planalto está sinistro

Daiene Cardoso, Luísa Martins e Elizabeth Lopes
Estadão

O presidente da República, Michel Temer, reconheceu pela primeira vez em público, neste domingo, em entrevista coletiva, estar preocupado com os efeitos da delação da Odebrecht, que deverá atingir partidos e políticos de todas as legendas. “Se dissesse que não há preocupação com a delação da Odebrecht, seria ingênuo. Claro que há preocupação de natureza institucional. Há preocupação, claro, não há dúvida que há”, disse o peemedebista, após o anúncio, ao lado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do veto dos poderes executivo e legislativo à anistia ao caixa 2.

Questionado sobre qual atitude pretende adotar, caso surjam nomes de ministros de sua gestão nas delações dos executivos da empreiteira, Temer foi cauteloso e destacou: “No tocante aos ministros, vou verificar o que vem. E, se vier, vamos verificar caso a caso.”

LUA DE MEL – Na entrevista, o presidente da República rechaçou que tivesse ocorrido um período de “lua de mel” de seu governo com o empresariado. E, portanto, não se pode dizer que esse período tenha chegado ao fim. Na sua avaliação, o que houve “foi muito fel pela estrada”. E continuou: “Houve gente que fez campanha contra, argumentativa e física.”

Segundo ele, a despeito deste cenário, a confiança vem crescendo aos poucos em razão de seu governo estar adotando as atitudes corretas para isso. “Não vejo críticas à equipe econômica, eventuais resultados (na economia) se darão no segundo semestre do ano que vem, nós não estamos parados, estamos trabalhando para gerar crescimento”, argumentou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O fato concreto é que o tempo está passando e a economia não reage. Na teoria, o país vai na crise até o fundo do poço e depois se recupera; na prática, o fundo do poço não chega nunca. O desemprego aumenta, a inadimplência continua altíssima, atingindo 57% das famílias. E não há luz no fim do túnel. Apenas isso. (C.N.)

14 thoughts on “Temer confirma que há muita preocupação devido à lista da Odebrecht

  1. “E não há luz no fim do túnel. Apenas isso. (C.N.)”

    Sr. Newton, só há luz para Banqueiros.
    500% nos cartões de créditos
    outros 350% no Cheque Especial
    Tarifas que batem na estratosfera.
    Bilhões de lucros ao ano….
    Para estes não há crise ou fundo do poço….

    • Verdade Armando e isto vem ocorrendo fazem muitos anos.
      A afirmação de que “nunca os banqueiros” ganharam tanto também é verdade.
      É mais uma das heranças legadas pelo PT. Sempre exigiu dos outros governos medidas contra os capitalistas ladrões.
      Agora exigirão de Temer?
      Política e pilantragem são irmãs.
      Fallavena

  2. Dessa entrevista temos uma certeza de que não haverá anistia para os bandidos. Daí se firma o que em Brasília já é realidade dos fatos…o “capo do agreste” vai ser preso a qualquer momento, sua ultima cartada(anistia caixa 2) foi derrotada pelo clamor popular, por favor Dr. Moro, dê ao povo brasileiro esse presente de fim de ano, esse cara tem que pagar pelos males que fez ao Brasil e ao seu povo !!!

  3. “Temer pode enquadrar Calero na Lei de Segurança Nacional (O Antagonista)

    Brasil 27.11.16 19:39
    O Antagonista apurou que Michel Temer está sendo aconselhado a enquadrar Marcelo Calero na Lei de Segurança Nacional.

    Segundo um assessor, Calero teria incorrido no artigo 26 da Lei 71170/83 ao “caluniar ou difamar” o presidente, imputando-lhe “fato definido como crime ou fato ofensivo à reputação”.

    Promulgada pelo general Figueiredo, a lei prevê pena de 1 a 4 anos. No caso de Calero, ele poderia ainda ser submetido a processo disciplinar e até expulso dos quadros do Itamaraty.

    Mais cedo, na coletiva de imprensa, Temer não escondeu sua irritação por ter sido gravado por Calero.”

  4. Caro Newton,
    Sua assertiva que a economia piora, fato real, não é culpa deste governo Temer, pois herdeiro de uma situação sócio cultural medíocre.
    Não se vê na sociedade discussão quanto a futuro da nação e oportunidades para novas gerações. O governo, então, está mais perdido que cego em tiroteio.
    Não adianta mais falar do passado. Passado, atualmente no Brasil, é condição para quem o tem e ser obrigado a ir responder pelas seus atos.
    Cabe a alguns, ainda idealistas, bater na tecla de melhoria do País e futuro da Nação.
    E o começo passa pela democratização dos partidos políticos! Atualmente feudos de entreguistas e mercenários!
    Sem isso vamos continuar andando em circulos ou, em economês, permanecer num processo de causação circular cumulativa descendente.
    SDS.
    Vitor

  5. Se Temer continuar se esquivando de tomar as decisões enérgicas que o momento exige vai ficar na história como um homem fraco cuja única virtude foi possuir uma mulher honesta e bonita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *