Temer diz que não pretende se reeleger, mas não pensa em outra coisa

Reprodução do Arquivo Google

Deu em O Tempo

Em nota divulgada no site do Palácio do Planalto, o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), negou neste domingo (31), que tenha intenções de disputar a eleição presidencial de 2018. Em maio deste ano, ele foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) por ter doado dinheiro a campanhas acima do limite legal em 2014. Por isso, ele se tornou ficha-suja e está inelegível pelos próximos oito anos.

“Fico honrado com a lembrança de meu nome como possível candidato em 2018”, afirmou Temer. “Mas reitero, uma vez mais, que apenas me cabe cumprir o dever constitucional de completar o mandato presidencial, se o Senado Federal assim o decidir. Não cogito disputar a reeleição.”

Na nota, Temer ressaltou que “todos meus esforços, e de meu governo, estão voltados exclusivamente para garantir que o Brasil retome a rota do crescimento e seja pacificado”.

Em entrevista na edição deste domingo do jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a candidatura de Temer à reeleição em 2018.

“Se o Michel for confirmado presidente, e o governo chegar a 50% de ótimo e bom, ele é que será o candidato do nosso campo, quer queira, quer não”, disse Maia. “Nesse caso, há uma forte tendência de ir para o segundo turno e ganhar de Lula.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Na verdade, é muito cedo para candidaturas, pois o novo governo mal começou. Temer pode negar à vontade que não pretende se reeleger, mas não pensa em outra coisa. Se não quisesse, já teria anunciado (ou enviado) ao Congresso uma emenda proibindo a reeleição. Simples assim. (C.N.)

9 thoughts on “Temer diz que não pretende se reeleger, mas não pensa em outra coisa

  1. Quem já foi eleito duas vezes seguidas, mesmo como vice, não tem direito a uma terceira. Há muito tempo, um prefeito de Nova Friburgo tentou uma terceira eleição, vindo como vice-prefeito. Diante do chio dos adversários, o TRE negou a candidatura, e o TSE manteve a decisão. Seu nome era Paulo Azevedo. Morreu em 2011, na tragédia da região serrana.

  2. Só o TSE cassando a chapa Dilma-Temer antes de completar o primeiro bienio deste mandato poderemos ter esperanças.

    Sonhar com 2018, no Brasil de 2016, é quase como sonhar com 1965, no Brasil de 1963.

  3. O comentário que fiz sobre a tentativa do prefeito de Nova Friburgo é válido, não sei porque essa onda sobre a terceira eleição de Michel Temer.

    Se não me engano – corrigindo a minha fala quanto a dupla eleição seguida desse prefeito -, na época ainda não tinha sido aprovada a emenda constitucional bancada pelo FFHH, que veio a possibilitar a reeleição.

    Mas dá no mesmo. O Paulo Azevedo foi eleito e quis repetir sua eleição no período imediatamente seguinte, vindo como vice e o vice vindo como candidato a prefeito.

    A armação foi desarmada.

    Não era possível ser titular e vice seguidamente. Agora é.

    Mas não TRÊS vezes!

  4. Os que tiverem curiosidade sobre o tema acessem no Google “Res.-TSE nº 22.757/DF”. Verão o acórdão que impossibilita a “trieleição” do Temer.

    Não há o que temer (não resisti).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *