Temer já convidou Armínio Fraga para o Ministério da Fazenda

Carlos Newton

No próximo domingo, o vice-presidente Michel Temer acompanhará a votação do impeachment pelo plenário da Câmara dos Deputados em sua casa, em São Paulo, onde nas últimas semanastem havido intensa movimentação política. Mas Temer passou segunda e terça-feira em Brasília, recebendo parlamentares aliados e futuros ministros.

Desde que as pesquisas começaram a demonstrar que o impeachment era praticamente inevitável, em função dos chamados algoritmos, que indicam a tendência da evolução do quadro, sempre em viés de alta a favor do afastamento da presidente Dilma Rousseff, Temer se recolheu para escolher o novo ministério e alguns dos principais cargos do segundo escalão. A intenção é dar um choque de ordem, ao anunciar grandes nomes no primeiro escalão, montando um governo de união nacional, ao estilo de Itamar Franco em 1992, para que a atual crise política e econômica possa começar a ser enfrentada.

Alguns dos principais nomes já estão escolhidos, entre eles o do deputado Eliseu Padilha, que ficará na Casa Civil.

GOVERNO DEFINITIVO

A legislação determina que presidente Dilma será afastada após a votação do Senado, que vai dizer se aceita ou não a abertura do processo contra a presidente Dilma, proposta pela Câmara. Ou seja, o governo provisório de Temer começa assim que o Senado se pronunciar, o que deve na sessão de segunda-feira, caso o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) tenha um mínimo de juízo e não tente postergar o pronunciamento do Senado.

Se Dilma não renunciar e Temer realmente montar um ministério de notáveis, este fato certamente pesará muito na decisão final do Senado, ao fim do processo que pode durar até 180 dias, para que o afastamento da presidente então seja definitivo e governo Temer se torne definitivo, pelo menos até o julgamento pela Justiça Eleitoral, que só deve ocorrer em meados de 2017.

COM ARMÍNIO FRAGA

Reportagem de Tiago Dantas, Cristiane Jungblut e Simone Iglesias, em O Globo, assinala que, na reta de chegada da votação do impeachment na Câmara, Temer já teria marcado um jantar com o economista Armínio Fraga, sócio da Gávea Investimentos e ex-presidente do Banco Central no governo FHC.

Perguntado sobre o encontro após participar de evento em São Paulo, Fraga disse que “esse assunto de agenda vocês tem de falar com ele (Temer)”:

— Eu gastei muito tempo pensando o que fazer (com a economia), durante minha vida inteira. Tenho sugestões a dar. Sugestões de quem estava próximo de assumir – disse Fraga, que seria ministro da Fazenda se o senador tucano Aécio Neves tivesse vencido a eleição em 2014.

Na Folha de S. Paulo, a informação é de que o ex-presidente do Banco Central já foi convidado e rejeitou assumir a Fazenda. Por enquanto, é tudo especulação, mas Fraga pode realmente conduzir a equipe econômica. Se aceitou com Aécio Neves, por que não aceitaria com Temer? Qual é a diferença?

Quando o nome dele for oficialmente confirmado, a Bolsa de Valores vai ter uma alta jamais vista e o dólar cairá para R$ 3,50, podem apostar.

###
PSO novo ministro da Justiça também já foi sondado. É um jurista de renome, não tem atividade política, mas é respeitado por todos os partidos, inclusive pelo PT. Como dizia Ibrahim Sued, depois eu conto… (C.N.)

52 thoughts on “Temer já convidou Armínio Fraga para o Ministério da Fazenda

  1. O economista Armínio Fraga, pai do tripé de estabilização monetária no Brasil, estabilização que permitiu ao país desenvolver sua economia, também é da minha preferência. Sem dúvida alguma, para mim, o melhor nome para o cargo e a melhor técnica para o enorme desafio de retomar o equilíbrio fiscal e monetário do país.

    Um desafio enorme a altura de Armínio Fraga.

  2. Sr. Newton, enquanto ficamos no sai ou não sai o impitizis, a onda de violência assola o Estado de São Paulo, e olhe estamos sendo governados pelos que “são os mais preparados”, “e os que sabem fazer”.”nós temos ideias”.
    Cenas de bárbarie, violência ao extremo, e mais um policial morto , executado sem ter chances de se defender.
    Na semana passada foram mais 4 policiais para as estatisticas efeagacianas., superando á marca de 24 policiais desde Janeiro, qual outro Páis que tem tanto policiais mortos em um ano???
    efeagace alkimintira e seu Secretário de Violência Pública já estão preparando a pastinha com os dados estatísticos da violência em são Paulo,
    Dados esses que se parecem com a Suiçalândia, uma beleza, estica daqui, puxa de lá, aperta aqui, cai, levanta, cai de novo, e os dois com suas pastinhas debaixo do suvaco conseguem ZERAR A VIOLÊNCIA…
    Sempre com índices á 0., tipo Suiça, Noruega, Suécia, Japão…..
    São uns Gênios, e o pior, tudo blindado, protegido pela Mídiazinha Fascista Mais Corrupta do Planeta…….
    O Bunker Mídiatico do Morumbi nada de braçada sem ser cobrado de suas responsabilidades e obrigações…….
    Onde que os franceses querem chegar, ???

    Sr. Newton, veja o vídeo do Policial fuzilado a sangue-frio, talvez para o efeagace alckimintira seja normal matar policiais…..

    https://www.youtube.com/watch?v=1LOjS5YUlf0

  3. Caríssimo Wagner Pires, um dos mestres da Tribuna da Internet,

    Tomara que Armínio Fraga tenha alterado o seu pensamento com relação aos reajustes do salário mínimo!
    Lembro que há um ou um ano e meio, este blog democrático publicou uma longa entrevista deste senhor, onde era claro e enfático ao afirmar que o salário não poderia continuar recebendo aumentos maiores que a inflação.

    Escrevi um comentário à época desancando o ex-ministro por esta declaração infeliz, e resgatando que, pelo DIESE, o salário deveria ser muito maior. Hoje, por exemplo, com o mínimo na ordem R$ 880,00, o DIESE aponta que o correto seria o valor de R$ 3.795,24!

    Dito isso, que o novo ministro não venha com ideias de ser o salário mínimo o vilão do estado atual desta economia em recessão, QUE PASSO A SER PETISTA E DE FICHA ASSINADA!

    Apesar de todos os roubos e atos desonestos cometidos pelo trio do inferno, Lula, Dilma e o PT, o salário mínimo sempre recebeu uma atenção especial, a ponto de ter crescido mais que a inflação nesses últimos dez anos. Aliás, eu te pediria encarecidamente, meu caro, que nos mostrasses os avanços do mínimo em comparação com a inflação na última década, por favor.

    Portanto, as novas cabeças que substituírem as anteriores e carcomidas pela corrupção e desonestidade, se não continuarem a proteger os assalariados e, em consequência, a maioria absoluta dos aposentados sou franco em te dizer, Wagner, me bandeio para o PT, pois foi a única atitude decente deste grupo de bandidos no poder foram os reajustes do mínimo maiores que a inflação.

    Um abraço, meu amigo.
    Saúde e Paz!

    • Bendl, o que adiantaria um salário mínimo de três mil reais com um contingente de doze ou quinze milhões de desempregados, Bendl?

      Não há fórmula mágica para a economia, o salário tem de subir atrelado ao crescimento da produtividade, senão gera inflação e desemprego. É exatamente este o quadro atual, em que o salário mínimo foi crescendo, paulatinamente, acima da inflação, mas a produtividade decrescendo. Indo na contramão, um dissenso. Pois você vale pelo que produz. Se produz mais, ganha mais. Se produz menos, ganha menos. É a lógica de mercado, é a lógica econômica. Ir contra isso é criar uma situação insustentável como esta que nós estamos vendo ruir.

      Temos que fazer reformas estruturais. Infelizmente todos nós seremos chamados para pagar essa conta. Tanto a iniciativa privada com o achatamento dos salários e o desemprego, como o setor público com o congelamento dos salários e o desemprego, também. Não há escapatória, caro amigo.

      Se não fizermos as reformas estruturais com a profundidade que elas necessitam ser feitas, corremos o risco de alçar outro voo de galinha como o que assistimos com o governo petista e nos frutarmos no final novamente, daqui a uns dez, quinze ou vinte anos.

      Temos que fazer as reformas estruturais e aguentarmos os ajustes que essas reformas irão demandar de nós todos. Exatamente como suportamos na época de Itamar e FHC com a implementação do real.

      Grande abraço amigo!

      • x
        x
        x
        x
        Evolução do salário mínimo a partir de 1994, e o comparativo entre os três últimos presidentes:

        ANO………………SAL.MÍNIMO……..REAJUSTE………INFLAÇÃO (IPCA)
        1994………..…….R$64,79……………8,04%……………18,57%
        1995………………R$100,00…………42,85%………….22,41%
        1996………………R$112,00…………12,00%……………9,56%
        1997………………R$120,00………….7,14%…………….5,22%
        1998………………R$130,00………….8,33%…………….1,66%
        1999………………R$136,00………….4,62%…………….8,94%
        2000……………….R$151,00…………11,03%……………5,97%
        2001……………….R$180,00………….19,21%…………..7,67%
        2002……………….R$200,00………….11,11%………….12,53%
        2003……………….R$240,00………….20,00%……………9,30%
        2004……………….R$260,00…………….8,33%…………..7,60%
        2005……………….R$300,00…………..15,38%…………..5,69%
        2006……………….R$350,00…………..16,67%…………..3,14%
        2007……………….R$380,00…………….8,57%…………..4,46%
        2008……………….R$415,00…………….9,21%…………..5,90%
        2009……………….R$465,00…………..12,05%……………4,31%
        2010……………….R$510,00…………….9,70%……………5,91%
        2011……………….R$545,00…………….6,90%……………6,50%
        2012……………….R$622,00…………..14,13%…………….5,84%
        2013……………….R$678,00…………….9,00%…………….5,91%
        2014……………….R$724,00……………..6,78%…………..6,41%
        2015……………….R$788,00……………..8,84%………….10,67% 2016……………….R$880,00……………11,68%……………6,70% (projetada)

        1 – Índices no período 1994 a 2015:

        # Reajustes acumulados: 1.157,70%
        # Taxa Média de reajuste: 12,20%
        # Inflação acumulada: 459,16%
        # Taxa Média da inflação: 8,14%
        # Ganho real do salário mínimo: 124,92%
        # Ganho real anual do salário mínimo: 3,75%

        2 – Índices por governo:

        2.1 – Governo de FHC:
        # Reajustes acumulados: 185,71%
        # Inflação acumulada: 100,66%
        #Ganho real anual do salário mínimo: 4,52%

        2.2 – Governo de Lula:
        # Reajustes acumulados: 155,04%
        # Inflação acumulada: 56,68%
        # Ganho real anual do salário mínimo: 6,28%

        2.3 – Governo de Dilma:
        # Reajustes acumulados: 72,61%
        # Inflação acumulada: 50,00%
        # Ganho real anual do salário mínimo: 2,37%

  4. Caro Bendl … Saudações!
    Também não sei se Armínio Fraga é o mais indicado para o momento … Quando foi nomeado pelo FHC enfrentava-se e procurava-se entender a crise dos derivativos … Hoje a crise é outra!
    Quanto à valorização do mínimo … Urge negociações entre sindicatos patronais e de trabalhadores no sentido de haver aumento de produtividade … Para que os aumentos sejam lastreados, e assim tenhamos Economia real.
    É bom estudarmos a Economia alemã … Onde os patrões abrem seus balanços – e vão se enriquecendo patrões e empregados.
    Forte abraço.

      • Caros Bendl e Wagner … Saudações.
        Também tenho dúvidas quanto ao acerto na especulação sobre Meirelles na Fazenda … Hoje a crise é outra … Igualmente a Fraga são do capitalismo financeiro, com lucros que destroem o capitalismo produtivo … … … Gostaria de ver uma dupla Fazenda-Trabalho em uníssono implantando pagamento em função da produtividade … Poderia começar pelo agronegócio para incentivar a diminuição da população das cidades.

        • Estamos sofrendo na pele o que ministros irresponsáveis promoveram na economia. Precisamos de uma injeção de ortodoxia econômica. Seja com Fraga ou com Meirelles, ambos, bons nomes para a pasta do Ministério da Fazenda.

          Armínio Fraga, infelizmente, já indicou que não vai assumir o comando da pata. Infelizmente!

          Grande abraço!

  5. Lionço,
    Pelo amor de Deus, não estamos em momento adequado para experiências com a nossa economia, ainda mais se advinda de uma nação poderosamente rica e organizada, que não é o nosso caso!
    O salário mínimo não pode ser lastreado mediante produtividade, Lionço, com este desemprego, inflação e sem desenvolvimento por três anos.
    Se estivesse no patamar indicado pelo DIEESE (esqueci um “E” no comentário acima), então caberia esta reunião e que fosse comandado seus gatilhos de reajustes à base de produtividade, mas não do jeito que se encontra, de estar mais de QUATRO VEZES menor que o ideal!
    Um abraço, Lionço.
    Saúde e Paz!

  6. Vão ter de congelar os salários e subsídios dos servidores públicos. Eu acredito que isso vai ocorrer nas três esferas de governo (União, Estados e Municípios).

    A remuneração habitual mensal do trabalhador do setor privado já está sendo achatado. É inexorável.

  7. Estou plenamente de acordo com o Sr. Bendl quanto ao salário mínimo e a Previdência Social. Tomo a liberdade de repassar uns parágrafos de um artigo publicado no “Alerta Total” do mês p.p. -” Desde a ascensão do pt, com o apedeuta, que teve uma situação financeira muito favorável, assistimos o “jogar dinheiro fora”, como símbolo ressalto o “aerolula”, comprado no exterior, quanto deveria ser comprado na Embraer. Desde então o desgoverno gastou de forma açodada, sem investir na infraestrutura e para piorar nossa economia se baseia em Commodities.
    Os recursos escassearam e para ter superávit o governo está tentando aumentar a carga tributária, e elegeu a Seguridade Social como culpada, mas ele não é deficitária. De 2010 até 2013 houve um superavit de R$ 292 bilhões.

    A desvinculação de Receitas da União (DRU) retira 20% do orçamento da Previdência, que é suficiente para cobrir todos os gastos da Previdência Social. O desgoverno ainda realiza uma série de ações sociais favorecendo a quem não recolheu para a previdência. A assistência social é louvável, mas não faça às expensas do trabalhador, isto é uma ação do governo. O pior é que vemos a mídia comprada sustentar a mentira.”

    • Prezado Borba,e Bendl. Sigo a linha de vossos pensamentos… Como sempre,a culpa é da previdência,(aposentado),saúde,educação.. Mas, os economistas não falam dos”ROUBOS”,e
      rombos que os bandidos do erário público,praticam,seja neste governo ou nos anteriores.
      Srº Armínio é assessor do Mega investidor Srº SOROS,hj. Dono de boa fatia ações da Petrobras. Logo,está impedido…. isto,se fosse na Alemanha….

      OBS: Bem,da verdade,neste Governo,pelo menos os aposentados não tiveram perdas consecutivas.

  8. Borba,
    Temos de garantir para o povo UM MÍNIMO NECESSÁRIO!
    E este salário está muito AQUÉM daquilo que se precisa para viver com um MÍNIMO de dignidade.
    Ora, mexer neste patamar que é insuficiente será uma declaração de guerra contra o cidadão brasileiro.
    Se tal acontecer SEREI PETISTA E GUERRILHEIRO, E SAIREI PARA FAZER JUSTIÇA PELAS MINHAS PRÓPRIAS MÃOS, e sei que obterei muitos adeptos!
    Mexam onde quiserem; repactuem o que imaginarem; mudem o que entendam ser necessário, MAS DEIXEM O SALÁRIO MÍNIMO INTOCÁVEL E SENDO REAJUSTADO ANUALMENTE ACIMA DA INFLAÇÃO, de modo a lhe dar um ganho legítimo, e não apenas reposição.
    Um abraço, Borba.
    Saúde e Paz!

    • Bendl, de 1994 a 2016 o salário mínimo sofreu um reajuste real (acima da inflação) de 124,96%. Em compensação a nossa produtividade voltou a ser a mesma de 1950. Nenhuma economia sustenta esta disparidade e os ajustes estruturais vão chamar o salário mínimo à razão. É fato!

      • Wagner,
        PELO AMOR DE DEUS!
        Me faz o cálculo dos gastos do poder Legislativo (totais, inclusive salários, funcionários, custos gerais) nas últimas décadas, eu te imploro, e não apenas teres por base o meu salário MÍNIMO!!!
        Lembro-te de um pequeno detalhe, meu amigo:
        CENTO E VINTE E QUATRO POR CENTO DE NADA É NADA ou, R$ 390,00 à época e, agora, com os 124,96% indo para R$ 880,00, se este aumento de R$ 490,00 EM 22 ANOS, se pode ser considerado o vilão nessa história??!!´
        Ou, então, que esta importância de R$ 490,00 em 22 anos, e diluída anualmente, R$ 22,27 a cada ano, portanto, pode ser o algoz da nossa recessão!!!
        Alguém não está falando sério neste momento!!!
        Mais um abraço.
        Mais saúde e mais paz!

        • Bendl, quem paga o salário mínimo é a iniciativa privada que está quebrando de maneira sequencial, Bendl. Ano passado foram cerca de cem mil lojas.

          Em São Paulo foram fechadas mais de quatro mil e quinhentas indústrias, Bendl!

          Na situação em que nos encontramos, já será uma imensa vantagem conservar o maior número de empregos possível, caro amigo!

          Vamos tirar essa gente escrota do governo, vamos limpar a administração pública, vamos reequilibrar o orçamento da União dos Estados e dos Municípios, para nos ser possível retomar o crescimento econômico e abrir espaço para nova rodada de avanço real do rendimento dos trabalhadores.

          Vamos por parte, Bendl!

      • Correto, Wagner. O problema do nosso salário mínimo é que a produtividade do trabalhador brasileiro é hoje aproximadamente cinco vezes menor do que a do trabalhador americano ou alemão. Significa que precisamos de cinco trabalhadores para produzir o que eles produzem com um. Então, grosso modo, eles podem pagar um salário cinco vezes mais alto do que o nosso e ter o mesmo custo de produção ( isso sem considerarmos os impostos incidentes sobre a folha, que são mais altos do que lá).
        Em outras palavras: a empresa brasileira tem que contratar cinco pessoas ganhando pouco para competir com a deles que contrata uma pessoa podendo ganhar muito em relação ao nosso.
        Se a empresa brasileira quiser pagar o valor do mínimo calculado pelo Dieese, que é de 3.740 reais o trabalhador precisaria produzir 4,25 vezes mais do que produz hoje para que o produto custasse mesma coisa para a empresa.
        Então, por mais que o nosso amigo Bendl tenha razão ao chamar o salário mínimo daqui de “nada”, infelizmente não há como aumenta-lo em termos reais sem aumentar a produtividade. Não é uma questão de reduzir gastos do governo porque quem paga o salário é a iniciativa privada.
        O que o governo poderia ajudar, que seria reduzir a carga tributária sobre os salários (o que permitiria, na hipótese impossível de que esta carga fosse reduzida a zero, em aproximadamente dobrar o salário mínimo, que ainda assim ficaria ainda em menos da metade do calculado pelo DIEESE) implica em que ele também precisa reduzir seus custos, mais da metade dos quais está na folha de salários, aumentando a produtividade do trabalhador público e demitindo gente. A eliminação da corrupção e do desperdício no âmbito governamental ajudaria, claro, mas não resolveria o problema.
        Não há saída para aumento de salário no Brasil, mesmo depois de superarmos a crise atual, a não ser pelo aumento de produtividade, o que se consegue com investimentos em educação, saúde, treinamento e tecnologia.

        • Nossa….excelente arrazoado, sr. Wilson.

          A nossa produtividade é tão baixa, como o sr. disse, que nem a desvalorização cambial a compensa, permanecendo a nossa posição de inferioridade na competição com produtos similares no mercado externo. Por isso somos exportadores de commodities.

          Ou os próximos governos interveem nisso, ou estaremos condenados ao subdesenvolvimento eterno.

          • Perfeito: para elevar o salário mínimo atual para o salário mínimo do DIEESE o trabalhador brasileiro teria que aumentar a sua produtividade 4,25 vezes. Perfeito!

            Caramba… tem muita coisa que precisa mudar nesse país. Meu Deus!

            Há muita luta pela frente para o nosso povo, sr Wilson. Muita luta!

            Grande abraço!

          • Pois é, Wagner, há muita luta pela frente, muitos anos de luta. Não podemos é desistir de lutar. Nem de ensinar a combater o bom combate essa meninada que vem aí atrás de nós. Quem sabe eles poderão ver um Brasil como ele merece.
            Um abraço.

        • Meus caros Wilson e Wagner,
          Sem querer ser inoportuno, mas, por favor, vocês não podem comparar o trabalhador alemão com o brasileiro!
          A diferença de tecnologia é que PERMITE o germânico trabalhar menos horas semanais e produzir mais!
          Enquanto a Alemanha usa de todo o seu poderio industrial altamente tecnológico, o que temos aqui?!
          Catadores de latinhas no lixo?
          Cortadores de cana de açúcar?
          Aposentados, os que mais recebem o mínimo por mês?!
          Empregadas domésticas?
          Quem na indústria brasileira ganha somente o mínimo, meus amigos?!
          Em contrapartida, vocês não comentam a carga tributária, os juros extorsivos, os gastos dos poderes, o que eu mencionei acima, mas é o mínimo o culpado pela recessão atual?!
          Pelo amor de Deus, sempre reconheci o quanto sou ignorante, um semianalfabeto, que eu não poderia escrever para este blog que tanto bem me faz, mas depois desta AULA DE ECONOMIA onde a MERDA DO SALÁRIO MÍNIMO DE R$ 880,00 tem nos levado à bancarrota, fecharei as portas para balanço.
          Um forte abraço a ambos.
          Saúde e paz!
          Ah, por favor, não me elegem como inimigo porque defendo o aumento do mínimo sempre maiores que a inflação, pois a minha mente é voltada para o povo, para suas necessidades, seu sustento, portanto, por mais que me expliquem a relação produção com o salário mínimo não aceito que este seja o vilão, e se cobre da população mais miséria e dificuldades para equilibrarmos as finanças do País!
          É DEMAIS PARA MEU ESPÍRITO E MENTE DE POUCAS LUZES!!!

          • Caro Bendl,
            Em hora nenhuma nem eu nem o Wagner dissemos que é o valor do salário mínimo que nos tem levado à bancarrota.
            O que tentamos explicar é que, sem aumento de produtividade, não é possível elevá-lo. Os trabalhadores alemães produzem mais em menos tempo por causa da tecnologia, mas também por causa da educação, da saúde, e de uma infraestrutura muito melhor do que a nossa. No final do meu comentário eu disse que a produtividade se consegue justamente pelo aumento destes fatores.
            A carga tributária nos prejudica, mais diretamente no caso do custo do trabalhador, e também no custo de vida (colaborando assim por dois lados no problema da insuficiência do salário mínimo) mas para reduzir esta carga não há passe de mágica, é preciso consertar a máquina do governo para reduzir seu custo e melhorar (e muito) a eficiência da aplicação dos nossos impostos. Isso ajudaria na melhora da infraestrutura, da saúde e da educação.
            Para o desenvolvimento da tecnologia é preciso investimento, tanto do estado quanto do setor privado. O que também precisa de dinheiro.
            É claro que a corrupção e o desperdício de dinheiro por parte do governo tiram parte desse dinheiro que seria necessário e provocam a carga tributária que sofremos.
            O que eu quis dizer, e acredito que também o Wagner, é que sem cuidar de tudo isso não há caneta mágica que permita continuar aumentando o salário mínimo sem que estes problemas sejam atacados. Ou que os resolva, como um passe de mágica, em curto prazo.
            Claro que não estamos elegendo você como inimigo, nem, de maneira nenhuma, subestimando as suas luzes, que brilham muito mais do que você pensa. E nem dizendo que a culpa é do salário mínimo. Pelo contrário, estamos dizendo que a culpa do salário mínimo ser baixo é de tudo isso de que falamos.
            Se você se “fechar para balanço”, Bendl, será uma voz a menos ajudando a nós todos a lutar contra a incompetência e a injustiça que levaram a este ponto. Não cale sua voz, Bendl, são vozes como a sua que ajudam o povo a pensar.
            Um grande abraço.

          • Caro amigo Bendl … saudações!
            Quando citei a Alemanha … foi me lembrando de matéria quem li em alhures … em que o articulista explica o porquê da Alemanha estar na situação atual (em relação aos outros países europeus).
            Segundo a pesquisa, a Economia alemã é centrada em inúmeras empresas de 200 a 400 empregados, facilitando a entendimento com os empresários. Só que, em função desses entendimentos, as empresas crescem e, junto com elas, crescem os lucros dos empresários e TAMBÉM a remuneração do trabalhador.
            É este tipo de estudo que recomendei!!!

            Quanto ao sucesso do nosso Agronegócio … já comentei por aqui … que o pioneiro foi o Nelson Rockefeller com o milho hídribo … depois indo para outras áres com a Embrapa de Médici … … … só que falta contrapartida social; pois a intensa urbanização brasileira não tem paralelo em nenhum EUA, Europa ou Japão!!!
            Forte abraço!

          • Quanto ao Reino Unido e EUA: http://jornalggn.com.br/noticia/sobre-neoliberalismo-e-o-fracasso-das-esquerdas-por-george-monbiot … onde temos – “A esquerda e o centro não produziram nenhum novo pensamento econômico nos últimos 80 anos.”
            … … …
            Cabe ao Brasil aplicar os princípios constitucionais da “economia socila de mercado” alemã; pois “É um sistema baseado na cooperação e no consenso mais do que na competência, e que cobre toda a teia socioeconômica, desde o setor financeiro ao industrial e ao Estado”.
            Forte abraço.

  9. Meu caro Wagner,
    Reitero que de economia entendo gastar e poupar, mais nada.
    No entanto, humilde e respeitosamente, discordo das tuas alegações quanto a ser o salário mínimo o culpado pela inflação e desemprego porque recebeu reajustes indevidos, razão pela qual se caiu a produtividade que o mesmo acontecesse ao salário!
    PELO AMOR DE DEUS!!!
    A nossa recessão econômica não tem como causa o salário mínimo, pelo fato simplório e singelo que este valor pago, de R$ 880,00, É MUITO INFERIOR AQUELE QUE DEVERIA SER PAGO À POPULAÇÃO!!!
    MUITO ANTES se de alterar a forma de reajustar o mínimo, Wagner, então que se PROÍBAM as indenizações pessoais desonestas e imorais dos parlamentares;
    que se diminuam os penduricalhos nos salários do Judiciário e Ministério Público;
    que a lei que determina um teto para os salários do Executivo e demais servidores SEJA EFETIVAMENTE OBEDECIDA, e não violada através de subterfúgios;
    que sejam entregues OS CARTÕES CORPORATIVOS, fonte de gastos perdulários e criminosos com o dinheiro público; que nesta crise, enquanto a economia não avançar, QUE O GOVERNO SEJA IMPEDIDO DE GASTAR UM REAL EM PROPAGANDA;
    que sejam estudadas novas formas de se pagar os juros exorbitantes da dívida interna;
    que sejam revistas as nossas exportações com base somente em commodities, mas que incentivemos manufaturados e produtos diversos;
    MAS QUE NÃO MEXAM NESTE SALÁRIO, QUE JÁ É UMA MERDA, R$ 880,00, ENQUANTO PARLAMENTARES EXTORQUEM O ERÁRIO EM MAIS DE SESSENTA MIL MENSAIS!!!
    Alio-me à Dilma, e quem mais estiver disposto a pegar em armas contra usurpadores do povo, que ganha uma merreca para ser esta esmola a culpada pela economia atual!!!
    Outro abraço, Wagner.
    Saúde e Paz, por enquanto, se o salário mínimo continuar “imexível”.

    • É Bendl… é uma situação muito difícil para o brasileiro. Veja que pela tabela que postei logo acima, no período de FHC o ganho real anual do salário mínimo foi de 4,52%. Depois, no período de Lula o ganho real anual subiu para 6,28% e, no período de Dilma o ganho real anual do salário mínimo caiu para 2,37%. E esta tendência de queda é ditada pelo processo de deterioração econômica. Lógico, o país empobrece, empobrece toda a população junta, meu amigo.

      Por isso a pressa de tirar esses pulhas de cima da máquina pública. Antes que eles nos levem para o inferno.

      Grande abraço, amigão!

  10. Na última Campanha Presidencial ( 2014 ), o futuro Ministro da Fazenda ganhando a Chapa AÉCIO-ALOYSIO NUNES FERREIRA seria o brilhante Economista ARMÍNIO FRAGA, antigo Presidente do Banco Central Gov. FHC. Deu uma entrevista coletiva sobre o Programa Econômico do Governo, no qual falou do Salário Mínimo.
    Desde 2008, o Governo Presidente LULA havia aprovado no Congresso a fórmula: Aumento do Salário Mínimo = Inflação do Ano medida pelo INPC-IBGE + média do crescimento dos 2 últimos PIBs. O Governo DILMA I manteve essa fórmula, que vigora até hoje. Em 2014, o Congresso para “sacanear” a Presidenta DILMA, legislou que essa fórmula deveria vigorar também para aumento de todos os Aposentados/Pensionistas da Previdência Pública e Privada que ganhassem acima do Salário Mínimo.
    Foi nesse contexto que ARMÍNIO FRAGA declarou que em seu Plano de Governo, contemplava dar como aumento do Salário Mínimo a fórmula do Gov. LULA, mas repassar só a Inflação INPC-IBGE para Aposentados e Pensionistas que ganham mais do que o Salário Mínimo, porque esse reajuste custaria a União, de 2014 para 2015 um acréscimo de +- R$ 30 Bi/Ano para a Previdência Pública/Privada. E foi o que a Presidenta DILMA fez, vetando esse item da Lei aprovada pelo Congresso. ( A Previdência dos Aposentados URBANOS é superavitária, mas dos RURAIS e FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS é muito Deficitária, dando um Deficit Global/2015 de +- -R$ 80 Bi, e previstos +- -R$ 120 Bi/2016, já com o Reajuste mais baixo.
    Brilhante as explanações do Sr. WAGNER PIRES e do Sr. WILSON BAPTISTA JÚNIOR, que nos mostram o limitante PRODUTIVIDADE. Brasileiros +- 1/5 de Americanos, Alemães, etc. Temos que melhorar nossa PRODUTIVIDADE.
    De qualquer forma o pior não é nosso baixo Salário Mínimo, é o nosso baixo Salário Médio +- R$ 2.100/Mês, pois quando o Salário Mínimo atinge 50% do Salário Médio, “engessa toda a Economia”, e já estamos com R$ 880/R$ 2.100 = 42% do Salário Médio. Já perto do limite. Temos que aumentar muito mesmo é nosso Salário Médio. Abrs.

  11. Em uma década a produtividade do trabalhador brasileiro cresceu em torno de 6%. Isto é o que a Coreia do Sul cresce em um ano.Os americanos superam os 4% anual. E como estamos em uma aldeia global o impacto disto na competitividade do Brasil é devastador: em 2015 desabamos 18 posições no ranking global.
    Preocupante é , também, esta notícia na Folha de São Paulo.
    ————————————————————————————————————–
    A previsão de receitas do Orçamento do governo federal para 2016 pode estar superdimensionada em R$ 162,3 bilhões.É o que aponta relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) que analisou os primeiros meses de arrecadação do governo como parte do processo prévio de análise das contas públicas.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/04/1760579-governo-superestimou-previsao-de-receita-em-r-162-bilhoes-diz-tcu.shtml

  12. Caro Wilson Baptista Júnior,
    Muito obrigado pela resposta.
    Certamente por eu ter bem idade que a tua, existe uma preocupação latente dentro de mim quando ouço comentários a respeito do salário mínimo ser motivos de discussões.
    E me vem à mente om confisco de Collor, onde somente o povo foi quem pagou o pato, enquanto figurões do governo e amigos do poder retiraram suas importâncias dos bancos.
    Pois, agora, estamos diante de uma situação que se não parecida, envolve mais uma vez a população e um salário muito aquém daquele que seria ideal para o sustento do cidadão.
    Desta forma, meu amigo, o erro crasso cometido pelo governo quanto à economia não pode ser atribuído ao povo a penalidade dessa incompetência, que se soma à corrupção e desonestidade petistas, mas aqueles que se beneficiaram e muito com esta política deletéria de Lula e Dilma, nada mais nada menos que o sistema financeiro, pois têm sido nessas duas gestões os períodos nababescos e de ouro para os bancos, que registram seus maiores lucros da história!
    E, a meu ver, muito antes de se deixar de conceder reajustes ao mínimo, afora o que citei acima, consideremos as aposentadorias do serviço público infinitamente maiores que as do INSS. Basta dizer que um parlamentar se aposenta aos quatro anos, e governadores recebem uma pensão vitalícia pela função que ocuparam, assim como ex-presidentes e ex-prefeitos.
    Emfim, Wilson, aguardemos, em face de não nos restar outra opção por enquanto.
    Obrigado mais uma vez pela resposta.
    Um forte abraço.
    Saúde e Paz!

      • Wagner,
        Presta atenção:
        Tu és um dos meus gurus neste blog.
        A minha defesa do salário é emocional, e não racional ou com base em números.
        A fome, a sede, o aluguel atrasado, a escola … quando não podem ser atendidos emociona, desespera, causa revolta e indignação.
        Ora, em face do seu baixo valor, eu não aceito que o mínimo – o nome já o define, mínimo – seja posto em discussão como marco ou baliza de desenvolvimento ou de restauração da economia.
        Em nenhum momento contestei os teus cálculos, por favor, mas eu gostaria de que outros dados fossem considerados no lugar do salário em discussão.
        Um forte abraço, meu amigo.
        Saúde e Paz!

        • Bendl, uma grande mudança seria transformar o salário mínimo mensal em salário mínimo por hora-trabalhada.

          Deveria ser assim, igual ao que ocorre nos EUA. Assim, quanto mais horas o trabalhador realiza, maior é a sua remuneração. É mais justo e é mais inteligente, também.

          Está tudo errado no Brasil, meu amigo. Tudo errado. Há muita luta, muita luta mesmo pela frente, Bendl, até que as coisas comecem a ser colocadas no seu devido lugar.

          Grande abraço!

  13. Prezado Guerreiro Francisco Bendl…
    No Dia 09/04 ou 10. O Flávio Bortolotto,escreveu um belo artigo que merece reflexão…
    “Brasil precisa aprender o que deu certo nos outros países”….
    Pois o Bortolotto,foi metralhado por estes de hoje,que gostam da livre iniciativa,sem intervenção do estado..Mas,adoram um financiamento deste mesmo estado, com juros baixíssimo internacionais.

    Tem um,chegou ao extremo de disser,que País voltar acrescer,precisa flexibilizar,(exterminar),CLT,e Previdência.Atacou as instituições,em vezes atacar os bandidos.
    outro a chicalhou Getulio Vargas,Pai da era industrial no Brasil.. E o CIESP do Brizola.Digo
    hoje as escolas particular aqui em POA e SP.adotam tempo intregral… até fiz uma ironia a estes
    serviçais do capitalismo selvagem….

  14. Luiz Fernando, meu conterrâneo,
    O povo não quis Brizola.
    Quanto a Lacerda, o momento político não lhe era favorável, mesmo sendo um governador elogiado pela sua administração.
    Um abraço, meu caro amigo.
    Saúde e paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *