Temer lança a candidatura de Meirelles, mas será que desistiu mesmo?

Resultado de imagem para encontro com o futuro

Enquanto Temer o elogia, Meirelles brinca no celular…

Cristiane Jungblut e Catarina Alencastro
O Globo

Pressionado pelos correligionários do MDB a desistir da reeleição e assumir publicamente a pré-candidatura à Presidência de Henrique Meirelles, o presidente Michel Temer seguiu o desejo do partido e lançou na manhã desta terça-feira o nome do ex-ministro da Fazenda. Ao discursar para uma plateia de emedebistas no lançamento do documento “Encontro com o futuro”, realizado na Fundação Ulysses Guimarães, Temer se referiu a Meirelles como “o melhor entre os melhores” para representar o partido e o campo de centro nas eleições presidenciais de outubro. Ao declarar apoio ao ex-ministro da Fazenda, Temer abandona suas pretensões eleitorais e, por consequência, sua carreira nas urnas.

“Ficarei orgulhosíssimo se um dia Meirelles for proclamado, pelo voto popular, presidente do Brasil. O Meirelles é o melhor entre os melhores. Por isso, tem condições de estar à frente do nosso partido e à frente da nossa campanha eleitoral. Chamamos você e chamamos para ser presidente do Brasil!” — discursou Temer.

ÚNICO CANDIDATO – Além de referendar o nome do ex-ministro, o presidente mandou um recado direto aos partidos de centro, ao defender que Meirelles seja o “único candidato” desse conjunto de partidos.

“Que você, queira Deus, seja o único candidato do centro para continuar o que começamos. Se produzirmos agora 1/3 do que já produzimos, Meirelles, você vai pegar o país com tranquilidade absoluta” — disse.

Temer também mandou um recado para a ala do partido que deseja relegar seu governo ao passado e seguir nas eleições sem um candidato que defenda a gestão de Temer. Hoje, esse grupo está materializado nos diretórios de Alagoas, do senador Renan Calheiros; no Paraná, do senador Roberto Requião; e do Ceará, comandado pelo presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira.

UM DIREITO – “Será que o MDB tem o direito de ignorar tudo que fizemos ou (o dever) de levar adiante? Levar adiante. Não podemos negar, melhorou e em pouquíssimo tempo. Imagina em mais quatro anos. E não podemos brincar que a crise volta. O MDB nunca faltou ao país” — disse Temer.

Temer destacou por vários minutos a “competência” de Meirelles. “Se há dois anos atrás dissesse que esse nome conseguiria baixar a inflação, os juros e ainda fazer a Bolsa bater recordes, com 86, 87 pontos, se há dois anos dissesse que o Meirelles viria para o MDB e estaria aqui lançando o Encontro, com toda certeza diriam: Temer, conta outra. E foi por isso que escolhi o Meirelles para conduzir a economia e fiz a escolha corretíssima. É correto, homem simples de Goiás que ganhou o mundo, nome mais do que honrado” — disse Temer.

O presidente disse que ele continuará enfrentando os ataques ao governo: “Escolhas sempre foram marcas do nosso governo. Sou realista: sei o que fiz e o que não fiz; o que falei e o que falam por mim. Se estou resistente, é porque estamos com a verdade e ela nos fortalece. A dor da acusação injusta não vai nos paralisar. Do meu momento cuido eu, do país cuidamos todos nós, o MDB.

COBRANÇA – Em seu discurso, Temer fez uma cobrança aos membros do partido para que deixem de querer ir cada um para uma direção e se una em torno da candidatura de Meirelles. Para ele, quem não estiver unido, que saia do MDB. De acordo com o presidente, o ex-ministro será uma surpresa nas eleições, quando começar a percorrer o Brasil.

“O Meirelles é o melhor dentre os melhores, não tenho dúvida. Por isso, você tem condições de estar à frente no nosso partido e na disputa eleitoral, e será uma surpresa quando ele andar por aí com a força dos nossos líderes” — disse, emendando em seguida a cobrança:

“Nos gabamos por sermos um partido democrático. Tudo bem. Por isso é que conseguimos essa unidade absoluta. Temos que aproveitar a campanha eleitoral para mostrar a unidade. Vamos parar com essa história de eu não apoio o Meirelles. Dizer: “Ah, eu não apoio o Meirelles?”. Saia do partido. Temos que ter unidade absoluta, não podemos contemporizar. O povo brasileiro está atento” — concluiu.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Se erramos, ao afirmar que Temes não desistiria, desculpem a nossa falha… Mas acontece que em nenhum momento Temer disse que não é mais candidato. Foi um discurso meio enviesado. Temer parecia estar apenas defendendo o direito de Meirelles ser candidato e sair pelo país enaltecendo o governo, o que significa estar elogiando e apoiando o próprio Temer. Portanto, somente quando for realizada a convenção, entre 20 de julho e 5 de agosto, é que saberemos se Temer desistiu ou não. Afinal, quem pode acreditar na palavra de um homem como Temer? Posso estar totalmente errado, mas acho melhor aguardar. (C.N.)

11 thoughts on “Temer lança a candidatura de Meirelles, mas será que desistiu mesmo?

  1. Henrique Meireles com essa cara de Chefe de Almoxarifado é “invotável”. A aparência conta. Quando a fotografia dele aparecer na urna eletrônica, vai espantar o eleitor.

  2. Já está na hora da Justiça tratar de coisas SÉRIAS .
    A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) discute na tarde desta terça-feira (22) a “regulamentação de visita” a animais de estimação, envolvendo companheiros que se separaram. O caso, que tramita sob segredo de Justiça, trata da discussão se o instituto da guarda de menores pode ser aplicado na relação afetiva entre pessoas e bichos.

    O placar, até o momento, está 2 a 1. De acordo com o relator do caso, Luís Felipe Salomão, não há a possibilidade de se equiparar a guarda de animais à de filhos.

    • O pior é que o troço é pertinente. Acho que “país”, “avós”, “tutores”, e outros títulos que essas criaturas, donos dos tais “pets” de estimação adotam, já são maioria na população, hoje. Já vi senhoras, até jovens, entrarem em shoppings e supermercados com seus “bebês” em carrinhos para bebês humanos. Tem até academia para os fofos. Foi profética, e nunca tão atual como hoje, a música do Eduardo Duzek: “Troque seu cachorro por uma criança pobre”.

      • Tanto que se intitular “dono” de cachorro ou gato já é considerado politicamente incorreto, hoje. Afinal, como debatido na ação, os peludos não podem ser considerados objetos.

  3. Prezado Carlos Newton,
    O presidente Michel Temer não desistiu da candidatura.
    A candidatura é que desistiu dele.
    Sua pretensão de ser reeleito não tem a MÍNIMA chance de ser concretizada.
    Se conseguir terminar seu claudicante mandato,ainda está no lucro.Está completamente desacreditado pela Opinião Pública.
    Numa eleição honesta,ganha o candidato que obtém o maior número de votos.
    Só ganharia se conseguisse manipular as “indevassáveis” urnas eletrônicas do TSE,mas hoje tem muita gente de olho nas fraudes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *