Temer perdeu a noção do que seja certo ou errado

Resultado de imagem para MICHEL TEMER

Temer travou conversas nada republicanas

Merval Pereira
O
 Globo

O que se ouve nos áudios que registraram conversas nada republicanas entre o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves com o dono da JBS Joesley Batista, em momentos distintos, é uma série de crimes sendo descritos, sendo premeditados. E demonstram que continua em marcha uma ação no Congresso para anistiar os parlamentares acusados de corrupção na Operação Lava-Jato e obstruir as investigações.

As conversas demonstram que os procuradores de Curitiba e o juiz Sergio Moro têm razão ao defender as prisões preventivas alongadas para impedir que os crimes continuem acontecendo. Mesmo assim, eles acontecem, como fica claro nos diálogos. O ex-deputado Eduardo Cunha tem a atuação semelhante aos chefes de facções criminosas, que continuam controlando o crime de dentro da cadeia.

Tanto Temer quanto Aécio Neves, presidente afastado do PSDB, pedem apoio do empresário para que pressione parlamentares ainda indecisos — como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia — e também que organize uma ação de empresários para conseguir a aprovação no Congresso da anistia política, esta uma sugestão de Temer que ele pede que não seja atribuída a ele.

TEM QUE MANTER… – O presidente Michel Temer ouviu relatos estarrecedores de Joesley sobre ações de apoio ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e ao doleiro Lucio Funaro, a partir do minuto 11 do vídeo: “Zerei tudo, liquidei tudo e ele foi firme. Veio cobrou, eu acelerei o passo e tirei da frente”, diz o empresário. Joesley disse ainda que Cunha, mesmo na cadeia, cobrava o que considerava ser uma dívida de propinas.

A certa altura, Joesley diz que, depois de todas essas providências, está bem com Eduardo Cunha, e ouve do presidente Temer: “Tem que manter isso, viu?”. A sequência da conversa não deixa dúvidas, como ressalta o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, de que falavam de dinheiro que Joesley dava aos dois presos todo mês. “Eu tô segurando as pontas.”

Além do relato sobre a mesada a Cunha, Joesley Batista deu detalhes estarrecedores ao presidente Michel Temer sobre como está “se defendendo” das investigações de que é acusado. Contou que está “segurando” o juiz e o juiz substituto do caso, estaria tentando mudar o procurador “que está atrás de mim”, e conseguira infiltrar um procurador na força-tarefa que investiga a JBS.

SEM COMENTÁRIOS – O presidente Temer ouviu tudo sem pelo menos um comentário crítico e, quando reagiu, foi para repetir: “Está segurando os dois”. O procurador infiltrado é Angelo Villela, preso ontem pela Operação Patmos. Ele já esteve no Congresso defendendo as Dez Medidas contra a Corrupção apresentadas pelos procuradores de Curitiba.

Essas mesmas medidas, apresentadas como soluções para a crise moral em que estamos afundados, seriam o instrumento para uma legislação que anistiaria os parlamentares acusados de corrupção. O senador Aécio Neves, suspenso de suas funções parlamentares pelo ministro do Supremo Luiz Edson Fachin, comentou com Joesley que estava trabalhando em um projeto de anistia dentro das 10 medidas contra a corrupção.

Em um linguajar recheado de palavrões, ele relatou que “o negócio agora não dá para ser mais na surdina, tem que ser o seguinte: todo mundo assinar, o PSDB vai assinar, o PT vai assinar, o PMDB vai assinar, tá montada. A ideia é votar na… Porque o Rodrigo devolveu aquela tal das dez medidas, a gente vai votar naquelas dez… Naquela merda das Dez Medidas toda essa porra”.

ABUSO DE AUTORIDADE – Resolvido isso, o senador Aécio Neves diz que o projeto é “entrar no abuso de autoridade”. Ele garante que já conversou com Michel Temer, que prometeu aprovar a nova legislação.

O presidente Michel Temer disse ontem à tarde, em tom enfático, que não renunciará porque sabe o que fez e não teme delações premiadas. Temer parece ter perdido a noção do que seja certo ou errado, já que a conversa que teve com o empresário Joesley Batista o desqualifica para continuar exercendo a Presidência da República.

12 thoughts on “Temer perdeu a noção do que seja certo ou errado

  1. A Saída Democrática honesta, verdadeira, inédita, eficaz, compatível e alvissareira, que se faz urgente, necessária, inevitável e inadiável, neste momento histórico, face ao adiantado da hora e ao nó górdio instalado no país pelo partidarismo-eleitoral, o golpismo-ditatorial, e seus tentáculos, velhaco$, e a plutocracia dos me$mo$, arvorados em representantes do povo, mas que na verdade são a própria crise, é o próprio Povo, enquanto dono do Poder Constitucional, sitiar o congresso nacional, a exemplo de Junho de 2013, pacificamente, e, desta feita, exigir a rendição pacífica do congresso à Democracia Direta Já, ou seja, à devolução do Poder ao Povo, para que o Povo, diretamente, assuma o controle do país, com a implantação constitucional da Democracia Direta, com eleições gerais, distritais e parlamentaristas, com mandatos de no máximo 5 anos, sem reeleição, com plebiscito de 10 em dez anos, para que o Povo, diretamente, diga se quer a continuidade da Democracia Direta, ou prefere a volta da plutocracia putrefata que aí está e sempre esteve, há 127 anos, com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, período esse em que fomos todos vítimas e reféns dos me$mo$. Simples assim. O resto não passa de mais dos me$mo$, mais velhacaria camaleônica do continuísmo da mesmice do $istema político podre (pactuado com o demônio ao que parece), raso e seco, que, segundo o Dr. Ayres Britto, ex-STF, é golpe. http://www.brasil247.com/pt/colunistas/robertoamaral/296728/%C3%80s-ruas.htm

  2. Não sei se foi ele quem perdeu a noção de certo ou errado ou se foram as pessoas credenciadas para ARRANCÁ-LO de lá, pelas orelhas!
    Como permitir que esse senhor_ e toda a sua turma_ passe mais um segundo, sequer, à testa do país? Quem de fato perdeu a lucidez?
    Saudações,
    Carlos Cazé.

    PS: E o Roberto Requião? Está satisfeito agora, senador? Viu com que tipo de gente o senhor se juntou?

  3. A manutenção de Temer, via TSE, já era um tapa na democracia. Em nome da estabilidade da economia deveria mantê-lo, até aceitável para uma democracia fraca como a brasileira. Entretanto, com a delação, não é mais possível passar por cima dos crimes cometidos na campanha e durante o mandato, pois estaremos jogando a já fraca democracia brasileira na lata do lixo. É óbvio que aquele que tem Padilha e Moreira Franco como bengala não vai ter o espirito público de pensar no país e evitar um processo de impedimento que só trará instabilidade e mais desemprego para este pobre país assaltado todos os dias pela classe política, pelos funcionários públicos corruptos (judiciário e executivo). Que país é este?

  4. No meu entendimento três vias a seguir: FHC (mantendo Meirelles e a equipe, sem trocar Meirelles pelo seu predileto), Carmen Lúcia ou o próprio Meirelles. A melhor solução: Meirelles.

  5. Bem, o Merval tem que sustentar a farsa da Globo. E, o Fachin e o Janot não viram que a gravação tinha sido editada? O JBS pagou os 10 bi? Mas os donos foram emboras e o que sobrou, descontada a dívida com o BNDES não compra um quilo de alcatra.
    O Vampiro continua até 2018 porque o GM garante que ele não vai ser cassado e o presidente do senado já disse que não cassa o Aécio e quando o senado esnoba o Supremo nada acontece. O Temer já fez as pazes com o Renan, e este manda em todo o mundo. Ganhou quem comprou dólar na véspera e vendeu no dia. E o Brasil ladeira abaixo e o povo preocupado com a reforma da previdência. Não vai sobrar Brasil para pagar os aposentados com ou sem reforma. O último a sair que apague a luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *