Tempo de Neologismos neste país muito doido

Antonio Rocha

A revista Língua Portuguesa, nº 108, out/2014, fala da criatividade brasileira na área da Criação de novas palavras, adaptando de tudo um pouco. Mistura de salada lingüística e molho gramatical abre possibilidades infinitas para novos termos, especificando o que for possível.

A tradicional “padaria” hoje convive com as Paneria, Panaria.No caminho passe pela Queijaria. Sem esquecer, claro, de olhar a vitrine da Nhoqueria.

Novelaria pode ser uma boa livraria especializada em novelas, romances, contos, ficção. Torteria, para saborear uma boa e suculenta torta.

No almoço recomendo a Picanharia ou a Espetaria. Se preferir algo mais leve pode ser a Omeletaria ou a Risotoria, Risoteria, Risotaria… a escolha do freguês…

Com este verão, use um pisante mais leve, belo par de chinelos se encontra na Chinelaria. Você pode caminhar mais um pouco e cortar o cabelo na Cabelaria. As digníssimas damas irão dar um asseio nas unhas… então procurem a Esmalteria mais próxima.

DEPENDE DO SEU GOSTO

A criançada gosta mesmo é de curtir a Videogameria, ali perto da Hamburgueria. Depende do seu gosto, pode ser uma Tapiocaria. Frangaria, certo, é especializada em frangos, Galetaria o nome já diz tudo. Mas tem a Bolaria com ótimos bolinhos tanto doces como salgados.

No jantar você pode visitar a Comidaria, para os que apreciam vale também conhecer a Doçaria. Nessa praça de alimentação encontramos a Saladaria, Kiberia, Biscoitaria, uma verdadeira Banqueteria.

Não se esqueçam da Coxinharia mais badalada. Criançada também gosta de Picoleteria e tem os naturalistas que abriram recentemente a Liquiteria, ótima loja de Líquidos, sucos que alguns chamam de Sucaria. Tem gente que prefere a Esfiharia e até a Pimentaria, um pouco mais codimentada.

Um mimo a loja Bicharia, muitos produtos para o seu animal de estimação. Fica ao lado da Tomateria, concorrente da Tomataria, logo em frente tem a Brinquedaria e os pequenos vão se divertir ganhando presentes de lá.

A geração “teen = adolescentes” gosta mesmo é da Belezaria, pintar cabelos e pelos corporais nas mais diversas cores, depilando-os ou não. Uma boa quitanda é agora uma Vendaria.

Agora, para programar suas festas de fim de ano, contrate a Baladaria, Baladeria… agências de eventos… Eventaria…

3 thoughts on “Tempo de Neologismos neste país muito doido

  1. É isso aí Rocha, de tempos em tempos a falazada vai se transformando. As pessoas hoje estão cada vez mais com muita pressa e aí usam um palavreado fácil. Têm preguiça de procurar o termo correto..
    Eu mesmo, depois que recuperei minha condição natural de cético me tornei um preguiçoso contumaz. Não por pressa, mas por não acreditar em qualquer coisa desta vida estabelecida por ideologias ou religiões com suas falsas-moral. Daí , vou escrevendo aqui de qualquer jeito sem muita preocupação gramatical e, só o faço porque ainda encontro alguma forcinha para lutar pelo menos pior . A Democracia.

  2. Sem contar que os léxicos, como o Aurélio e o Houaiss, não perdem tempo em, de certa forma, homologar qualquer absurdo. Ainda outro dia dei de cara com um “leiautar”, no Houaiss. Por que não esboçar?

    Outra que não custa entrar é “retrofitar”, utilizadíssima nos meios jornalísticos e arquitetônicos, que nada mais é que restaurar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *