Tentativa de diálogo com uma internauta militante

Resultado de imagem para INTERNET MILITANTE CHARGES

Ilustração sem autoria (arquivo Google)

Percival Puggina

A moça tem um cortejo de seguidores e funciona, naquele grupo, como uma professora de História do Brasil que preferisse o Paleolítico. Ataca as Grandes Navegações, as usinas hidrelétricas, o capitalismo e o “brutal bloqueio” norte-americano a Cuba. Ela descobriu que os coxinhas tiraram a Dilma para “botar o Temer lá”, porque ele é o chefe da quadrilha e a Dilma ia estourar o ponto. A cada frase dessas, a galera esgota o estoque daquelas figurinhas “emojis” com palmas, socos, braços musculosos, polegares erguidos, sorrisos e corações. Juro que vi até um burrinho, mas foi coisa de alguém que clicou errado.

Na opinião dela, o Temer tem que sair. É um imperativo moral. Tão imperativo moral quanto a prisão de Sérgio Moro, a absolvição imediata de Lula em todos os processos, a execução de Eduardo Cunha, a volta de Dilma, a proscrição da Rede Globo e a capitalização da Carta Capital em joint venture com o BNDES.

ELEIÇÕES GERAIS – Posta diante da questão – “Tirar o Temer para pôr quem?” – ela estufa o democrático busto e pede eleições gerais.

Grande ideia! Para funcionar, há que: 1º) mudar a Constituição; 2º) alterar todos os prazos já definidos; 3º) redigir e aprovar as leis complementares necessárias para regrar o pleito; 4º) feito isso, esperar que o TSE redefina as muitas questões que lhe cabe normatizar a cada eleição; 5º) obter do governo a liberação dos tais R$ 3,6 bi ditos imprescindíveis ao financiamento público da campanha. Sobre o fulano que vai presidir a República durante esse tempo eu só sei que se não for “companheiro” a tal internauta estará na rua com um cartaz “Fora fulano”.

Se o Congresso Nacional abraçar a solução proposta pelo elevado discernimento político da moça, é certo que a eleição fora de prazo vai acontecer realmente fora de prazo, lá por 2020. Fica a dica para Maduro, que está muito a fim de evitar uma eleição direta censitária.

APOIO A MADURO – Por falar nisso, ela é fã do Maduro. Encanta-se com aquele jeito de Mussolini de opereta e com o vocabulário “bolivariano” de 500 palavras. E está indignada (deve ter ouvido orientações de Gleisi Hoffmann) com as críticas que os coxinhas fazem ao camarada ditador da Venezuela sem terem ido lá para ver o que “realmente está acontecendo”. No post seguinte, de modo coerente, recomendou ler o que se escreve lá fora sobre o Brasil.

Tentei explicar que a Câmara dos Deputados não julgou e menos ainda absolveu Michel Temer; esclareci que cabia àquela Casa apenas definir se convinha ou não ao país que o presidente viesse a ser julgado pelo STF naquele momento. E afirmei que novos fatos ou diferentes circunstâncias poderão, no futuro, recomendar decisão diferente.

FUI BLOQUEADO – Foi a conta! Recebi um página inteira de emojis malcheirosos e fui bloqueado. Não consegui dizer que em 2005 e 2006, quando estourou o mensalão e a Orcrim se tornou conhecida, 33 pedidos de impeachment de Lula foram protocolados e arquivados na Câmara dos Deputados. Nenhum de parlamentar.

Por quê? Os políticos sabiam que havendo eleição logo adiante, um processo de impeachment complicaria a cena eleitoral, administrativa e econômica. As responsabilidades criminais seriam tratadas na Ação Penal 470, no devido tempo e no foro adequado. O que de fato aconteceu. Quem quer o circo pegando fogo está noutro lugar e com a vida ganha.

16 thoughts on “Tentativa de diálogo com uma internauta militante

  1. Esse autor é uma piada.
    Noutro dia eu li um artigo dele sobre os professores de história.
    Por mero acaso eu estava na cerimônia Onde estavam agraciando uma amiga como professora emérita de história da USP
    Nesse cômico artigo o autor dizia que TODOS os historiadores tvieram a ” sua cabeça feita ” pelo marxisismo , parecendo que todos sofrem de menoridade mental.
    Enfim , o artigo serviu para divertir a minha amiga , que fez 3 graduações, mas um mestrado, dois doutorados e dois pos doutorados, além de ter orientado mais de 300 monografias e teses…
    Após tudo isso ela ficou admirada por sua menoridade mental , descoberta por tão sábio autor…..

  2. De novo o 171 da bipolarização entre direita, esquerda e centro, oposição e situação, que mantém grande parte da população na mais profunda alienação revelada pelo tempo como enganação. Quem não quer o circo pegando fogo não vive instigando o famigerado ” quanto pior, melhor”, que é a única senha de acesso ao poder que o partidarismo-eleitoral, o golpismo-ditatorial e seus tentáculos, velhaco$, sabem praticar.

  3. Quem será capaz de garantir que professor não pode ser burro, com algum conhecimento específico, alguma cultura mas burro!
    O mesmo ocorre para mestrado, doutorado ou qualquer excelência adquirida.
    Burro leva mais tempo mas também se forma.
    Só burro não percebeu quantos professores burros teve durante sua vida estudantil!

    sanconiaton

  4. Percival Puggina quanto tempo perdido falando coisas que nada tem a ver com o Brasil. Acho que você não leu reportagem recente em que o ex prefeito de Londres do Partido Trabalhista diz com todas as letras: Maduro não é ditador. Os EEUU há muito tempo quer se apossar do petróleo da Venezuela. Saiu no CCG. E agora?

    • Sr. Aquino, as pessoas estão de ponta-cabeça.
      Alguns acham que se a pessoa comer pão com mortadela é Comunista…
      São os novos tempos.

    • “…reportagem recente em que o ex prefeito de Londres do Partido Trabalhista diz com todas as letras: Maduro não é ditador. ”
      Com o devido respeito, gostaria de saber qual o conhecimento que o ex-prefeito tem sobre o tema? Ora, conheço o Puggina faz muito tempo. Não é pessoa que “crie fatos ou factóides”. Está apenas opinando.
      As vezes concordo, outras não. Mas dai a “patrulhas” os comentários vai uma distância enorme.
      Opinares é um direito. Faço o mesmo.
      Espero ter sido entendido.
      Abraço e saúde.
      Fallavena

  5. Os esquerdopatas tiveram a sua chance. Pegaram o Brasil pronto para ter um forte desenvolvimento continuado, em um momento que o mundo todo esteve em época das vacas gordas. Tal como na Venezuela, que a partir de 1990, com a imensa riqueza do petróleo, tinha tudo para ingressar no seleto grupo de países do primeiro mundo.
    Infelizmente, aconteceu aqui e lá o que já esperávamos. Os esquerdopatas – sempre burros, vesgos e incompetentes -, destruíram, não a esperança, mas a certeza dos tempos mais felizes e progressistas.
    E, agora, também como sempre, vêm jogar a culpa nos EUA. Vocês não vão administrar mais nada, cambada! Fora! Nós vamos tomar as rédeas de nossas vidas. Vocês não conseguirão destruir o futuro dos habitantes na terra. Cadeia para o molusco-bandido-chefe, para o poste e para toda a pelegada bajuladora de ditaduras.

  6. Sr Antonio, tire o poste fora disto, pois ele/ela não tem culpa de nada.
    E mais, no futuro, a história dirá que ela “implodiu” os planos de bolivarianização do Brasil.
    Consciente ou não, ela prestou um grande serviço a nação.
    Abraço.

  7. Falavena, o que pensamos é uma coisa. A realidade é muito diferente. Não fui surprendido e nem ofendido. Tomei conhecimento hoje 14/08/2017 que sou patrulheiro. Ainda bem, é um título. Quanto a pergunta qual oconhecimento do prefeito sobre o tema. (Esse tema é tão antigo que me custa acreditar que o prefeito sonhou). Que tal escrever e perguntar a ele. É a pessoa indicada para responder. Ogrigado.

  8. José Pereira Filho, não sei bem o que você quis dizer. Quando falo que as bobagens escritas nada tem a ver com o Brasil é verdade. Bolivarianismo nunca existiu. Chaves para eleger-se espretamente usou o nome de Simon Bolivar heroi da América Espanhola. É um movimento interno da Venezuela, nada, nada, nada, nadinha mesmo tem a ver com o Brasil. O fanatisno tolda a visão mental das pessos. Muitas delas cultas e elegantes. Mas que sucumbem a sentimentos inferiores. Seguem cegamente o que o papai EEUU diz. Que tristeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *