“Terão de construir mais três celas: para mim, Lula e Dilma”

post-feature-imageCarlos Newton

Somente agora, quatro meses depois, fica justificável a ameaça do empresário Emílio Odebrecht, ao anunciar que iria destruir a República, quando o filho Marcelo foi preso na operação Lava Jato. Com a denúncia de O Globo, postada na internet nesta terça-feira 29, agora está comprovado que o então presidente Lula e sua sucessora Dilma Rousseff não somente faziam lobby para a maior empreiteira do país, a Odebretch, como até obedeciam as ordens do atual dirigente do grupo empresarial, Marcelo Odebrecht, que chegou a interferir junto ao governo para evitar a nomeação de um executivo ligado a uma concorrente, a Camargo Correa.

Assinada por Renato Onofre, Thiago Herdy e Cleide Carvalho, a impressionante reportagem mostra que o governo do Partido dos Trabalhadores na verdade sempre esteve a serviço dos grandes empresários, especialmente os dirigentes das empreiteiras e dos bancos comerciais, ficando evidente  a existência de uma relação promíscua, que envolvia os recursos do BNDES e não tinha nada a ver com os interesses nacionais.

As provas se acumulam, mostrando que os governantes do país realmente não têm o menor compromisso com a ética. A essa altura, chamar de “golpistas” aos que defendem o impeachment da presidente Dilma chega a ser uma atitude grotesca e até ridícula.

FAZER TRÊS CELAS

Diante dessa situação, torna-se obrigatório relembrar a ameaça feita pelo empresário Emílio Odebretch, quando seu filho Marcelos foi preso na Lava Jato. O ex-presidente do grupo Odebretch disse que iria destruir a República e sugeriu que mandassem construir mais três celas: “Para mim, Lula e Dilma”. Estava inacreditável bravata foi manchete dos jornais. Dizem que Emílio depois se acalmou, pensou melhor e até sugeriu ao filho que faça delação premiada. Mas Marcelo Odebretch reluta, porque na CPI da Petrobras declarou ter desprezo total aos delatores.  Pode ser que agora mude de ideia e ajude o país a realmente conhecer como tem sido governado.

17 thoughts on ““Terão de construir mais três celas: para mim, Lula e Dilma”

  1. Esses governos petistas realmente instalaram a cleptocracia, como estratégia de governo, conforme foi muito bem colocado pelo ministro Gilmar Mendes.

    E as verdades sobre isso afloram por toda parte, sendo agora impossível escondê-las.

  2. Newton faz um resumo do estamos comentando a respeito dos governos de lula e Dilma, a sua corrupção e desonestidade, aproveitando como prova cabal do que afirmamos as declarações do “empresário” (a palavra empresário está entre aspas para não macular a imagem dos verdadeiros empreendedores, os honestos e corretos, e não esta corja de aproveitadores e aliados de políticos traidores do País e do povo brasileiro) Odebrecht, que, em alto e bom som, exige a construção de três celas:
    Uma para ele, outra para Lula e mais uma para Dilma.
    Da mesma forma que perguntei em artigo anterior a este, refaço a questão:
    O que falta para colocar na cadeia Lula, e impedir a Dilma de continuar fingindo que governa?
    Ora, das duas uma:
    Ou o Legislativo não colocando o processo de votação do impeachment da presidente concorda com a sua forma desonesta e corrupta de governar ou o Congresso é tão imoral e antiético quanto têm sido lula e Dilma!
    Assim, resta ao povo exigir em passeatas e protestos mais barulhentos e contundentes a interrupção desta administração caótica e a serviço de bancos e falsos empresários, na verdade mafiosos e criminosos ou, então, está instituída a baderna, a falta de escrúpulos, a imoralidade, e salve-se quem puder!
    Agora, um governo reconhecidamente prejudicial à nação, danoso ao povo, traidor do país, continuar nos governando, sinceramente, a população brasileira deixa muito a desejar no seu brio, orgulho e dignidade como cidadão, muito mais próximo de um bando de gente que mora em um grande pedaço de terra, quase do tamanho de um continente, que se identificar como brasileiro, nascido nesta Pátria, que a ama e luta para ela se desvencilhar desses assaltantes e criminosos que tomaram o poder à base de mentiras, eleições falsificadas e discursos enganosos e ilusórios.
    Se Dilma continuar no poder após essas denúncias, indiscutivelmente as mais graves e comprobatórias do seu envolvimento no petrolão, pois registradas por um dos processados na Lava Jato, simplesmente o pai de um dos presos(!), perdemos o resto de vergonha que tínhamos na cara!

    • Ótima colocação, amigo Bendl.

      Será que nosso povo brasileiro tem mesmo força de vontade para se manifestar pelas ruas, de forma contínua e pacífica, demonstrando sua insatisfação com a cleptocracia já desmascarada de hoje ???

      Nosso povo sabe lotar ruas e avenidas para brincar o carnaval. Sabe fazer o mesmo em estádios, e fora deles também, torcendo e comemorando os resultados do futebol.

      Eu lembro muito bem do quanto foi lindo o povo brasileiro, nas ruas, pedindo um basta ao governo Collor.

      Mas e o povo de hoje ??? Alienou-se tanto assim ??? Vendeu-se por migalhas, as quais inclusive já estão sendo cortadas pelo desgoverno Dilma… será mesmo ???

      • Olha, Isac, meu amigo, acho que o povo perdeu as esperanças de vez, e trata de seguir a sua vida independente da nossa situação política.
        Claro que não deveria tomar esta decisão, pois quanto mais alienado mais fácil de ser manipulado e melhor para este governo corrupto e desonesto.
        No entanto, se não temos como mudar a situação mediante processos democráticos e de outras formas não nos interessam também, então que busquemos sobreviver neste mar putrefato de imundícies que se tornaram os poderes constituídos.
        Um abraço, Isac.

  3. Marcelo Oderbrecht colabore com a Justiça. Ou pague o preço, sem desconto, por todos os erros que cometeu. Confiar no PT e companheiros? Apesar deles, mesmo com todo o aparelhamento do Estado e apoio dos aliados do Foro de São Paulo, a verdade está sendo contada e é um caminho sem volta para esse governo. Então conte a história toda!

  4. A impressão que tenho é que as instituições da democracia brasileira (judiciário, legislativo, Polícia Federal, Ministério Público, Tribunais de Contas, TSE, e outras mais) ainda têm MUITO medo de Lula. A própria oposição (vagabunda e acomodada) também passa esta mesma impressão.

    É como se ele fosse um grande, perigoso e destemido chefão de quadrilha. Ora, ele é o chefão! Disto todos sabem! Mas perigoso e destemido ??? Hahahahaha…

    A história tem deixado cada vez mais claro que o cara um grande borra botas (medroso, covarde, desqualificado, preguiçoso). Capaz de jogar culpas em qualquer um, desde que as livre de suas costas.

    Ele realmente será preso? A resposta para esta questão está intimamente ligada à maturidade deste Brasil e suas instituições.

    Atingiram tal maturidade?

    a) Sim: – então Lula será preso;

    b) Não: – então Lula escapará ileso. Mais uma vez.

  5. Juca,
    Acho que a questão não é o medo em si, o temor, mas a prisão de Lula desencadear uma revolta entre seus mais próximos sectários e desestabilizar o País em termos de quebra-quebra, baderna, tumultos desenfreados,e piorar a já caótica situação que nos encontramos.
    Daí, a meu ver, este cuidado que todos nós admitimos como extremado, que beira ao receio, com a decretação da prisão do ex-presidente, que sabe muito bem do seu poder, que não está de todo inutilizado, não.
    Lula carrega consigo segredos inconfessáveis da vida nacional em seus três poderes que, se decidir contar parte deles, certamente abalará a República.
    Da mesma forma que, imagino, se encontra a presidente Dilma, à beira de um ataque de nervos.
    Se ela decidir botar a boca no trombone para se livrar um pouco das acusações que sofre por pertencer ao PT e ser usada por Lula e partido para manter o plano de assaltar o País em vigor desde que os petistas assumiram o poder, Dilma aniquila com Lula e o PT ao mesmo tempo, e pode com esta atitude salvar a sua pele, inclusive ter chances para se eleger após a presidência como deputada federal ou senadora.
    Não acredito que o povo repita a estupidez de elegê-la para o Executivo, prefeita, governadora ou, nas eleições de 20, à presidência da República de novo!
    Um abraço, Juca.

    • Compreendo sua opinião, amigo Bendl.

      Porém creio que somente uma rala militância, devidamente paga com pixulecos e pães com mortadela, iria às ruas protestar contra a prisão do chefão. E dentre estes, raríssimos se atreveriam a atos de violência e desordem.

      A cada dia cai um pedaço da casa de crimes. Ou então os ratos já estão alvoroçados para o abandono do navio que vai a pique, pouco a pouco.

      Ouso até dizer-lhe, amigo, que milhões de brasileiros iriam às ruas comemorar um símbolo de era nova e de esperança para esta pátria tão pilhada.

      De qualquer maneira a força tarefa de Curitiba precisa continuar dando passos com precisão cirúrgica, como tem feito de forma magistral. Para que ninguém consiga transformar a Lava-Jato em pó.

      Forte abraço.

  6. O ESTADO DE SÃO PAULO digital, hoje, 30.9.2015

    Os e-mails analisados pela PF, resultado da abertura de computadores e caixas de mensagens recolhidos nas sedes da Odebrecht, alvo de buscas em 19 de junho, quando o empresário e outros cinco executivos do grupo foram presos pela Lava Jato, revelam o monitoramento e as tentativas de influir nas agendas do presidente Lula durante seu governo.

    São mensagens que começam em 2005 e seguem até o último ano de mandato do presidente Lula, em 2010, convites de almoço, pedidos de encontro e atuação do chefe da República em nome da empreiteira em países como Venezuela, Peru, Angola e dentro do próprio governo.

  7. São Paulo – A lista das pessoas mais endinheiradas do mundo da revista Forbes deve ganhar mais um nome neste ano – e não, não é o de mais um novo rico chinês. Trata-se de Isabel dos Santos, a primeira mulher africana a entrar no cobiçado ranking de bilionários, graças a sua trajetória meteórica de bons investimentos e a influência política herdada de seu pai, o atual presidente da Angola, José Eduardo dos Santos.

    O primeiro bilhão de dólares conquistado por Isabel é resultado de seus investimentos em Portugal e em Angola nos últimos anos, o suficiente para que os jornais de ambos os países a rotulem como “a dona de parte de Portugal” e a “nova cara da realidade angolana”.

    Hoje com 40 anos, Isabel estudou engenharia na Kings College, em Londres, onde vivia com sua mãe, divorciada do presidente angolano. Ela abriu seu primeiro negócio em 1997, aos 24 anos, em Luanda. Nada muito complexo como os seus atuais negócios, mas um restaurante chamado Miami Beach.

    Desde então, a filha mais velha do presidente da Angola trilhou um longo caminho até seu primeiro bilhão. Fez investimentos em empresas de diversos setores, de telecomunicações a energia e exploração de diamantes, sempre em empresas de setores considerados prósperos. Além de fazer parte do conselho de administração de várias empresas.

    Nos últimos tempos, ela vem fazendo com que seu poder nessas empresas aumente. Em maio do ano passado, ela elevou sua participação de 4,9% para 14,9% na ZON Multimedia, uma das maiores empresas de TV a cabo de Portugal, porcentagem que subiu para 28,8% meses depois, com mais compras de ações no valor de 385 milhões de dólares – iniciativa que a elevou ao posto de atual maior acionista da empresa.

    Ela também é dona de 19,5% do Banco BPI, um dos maiores bancos portugueses de capital aberto. Banco Espírito Santo, Energias Portugal e Galp Energia também fazem parte da sua lista de investimentos. Em Angola, Isabel é membro do conselho do Banco BIC, do qual possui 25% das ações – mesma porcentagem que o mercado estima que ela detenha na empresa de telefonia móvel Unitel, onde ela também faz parte do conselho.

    De onde veio?

    Mas, afinal, como uma engenheira africana de 40 anos, com uma carreira iniciada com a abertura de restaurante, promoveu tal fortuna? Para a imprensa internacional, é um tanto difícil explicar.

    Em uma entrevista à Forbes, Peter Lewis, professor de estudos africanos da Universidade Johns Hopkins, tenta explicar a falta de detalhes sobre a ascensão de Isabel com a maneira como os negócios são feitos em Angola. “Claro que o poder político e o círculo de influências de seu pai deve ter contribuído, mas o fato é que a governança de Angola ainda é obscura”, disse.

    Angola situa-se na costa ocidental da África do Sul, um país de 18 milhões de pessoas que vivem em uma área rica de petróleo e diamante. O país sofreu 27 anos de uma guerra civil, que terminou em 2002. José Eduardo dos Santos é presidente desde 1979, quatro anos após o país ganhar sua independência de Portugal.

    Tópicos: África, Angola, Bilionários, Listas da Forbes, Empresas, Rankings, Listas

  8. De fato, Emílio Odebrecht fez a ameaça das reservas e ocupações das celas pelo triunvirato de corruptos.

    O tempo se encarregou de provar que Emílio Odebrecht, não tem palavra…

Deixe um comentário para Juca Valo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *