Terceirizante é um cafetão da pessoa humana e o terceirizado é um escravo

Resultado de imagem para terceirização charges

Charge do Mariano (Charge Online)

Jorge Béja

Aprovada a chamada Reforma Trabalhista, voltemos à terceirização, que nada mais é do que uma das muitas maneiras que encontraram para enganar o trabalhador. Terceirização é tapeação. É humilhante exploração da força do trabalho humano. Todos saem enriquecidos, menos o empregado terceirizado, que perde tempo, dignidade, autoestima, adoece, nunca progride, fica ao desamparo e sofre discriminação. E quando chega a receber o salário, ganha uns trocados do que sobrou com a comercialização da sua pessoa, da sua dignidade, desumana e criminosamente transformada em mercadoria.

Terceirização é uma espécie moderna de escravatura, com sutil diferença: aluga-se o homem e a mulher. Ganham o locador e o locatário. Na escravatura, o escravo trabalhava duro, era castigado, apanhava e nada recebia. Nesta outra escravatura brasileira do Século XXI, espera-se que o escravo-trabalhador não seja castigado, nem espancado e receba uns trocados no final do mês. Eis a diferença.

CAFETINIZAÇÃO -Terceirização também guarda forte conotação de semelhança com cafetinização. Se cafetão (ou cafetina) é quem agencia homens e mulheres para momentos de prazeres sexuais de terceiro(s) e lucra com esse negócio, o mesmo acontece com aquele que também agencia a força do trabalho humano. Se a palavra cafetão é muito forte, então, vamos substituí-la pela palavra que está no artigo 230 do Código Penal: rufião.

O certo é que, rufião, cafetão e terceirização têm tudo a ver no modo “modus operandi”. Tudo é promíscuo. Coitado do empregado terceirizado, que sem saber e sem querer, vê serem aviltados, degradados e prostituídos todos os seus naturais direitos fundamentais inerentes a qualquer pessoa humana e que estão previstos na Constituição Brasileira e na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

NÃO VAI PROGREDIR – O empregado terceirizado nunca vai progredir na empresa que o arregimentou para explorar e negociar sua mão de obra, porque nela não tem nem nunca terá promoções e muito menos quadro de carreira. E a sua situação na empresa que alugou sua força de trabalho será amesquinhada, seja para prestar serviço de meio ou de fim.

Equiparação salarial com outro empregado que faz o mesmo serviço e ganha muito mais, ele nunca conseguirá. Ele é terceirizado. Participação no lucro da empresa, nem pensar. Ele é terceirizado. Promoção e inclusão no quadro de carreira nunca lhe será permitido. Ele é terceirizado. Ser incluído no plano de saúde ou no contrato de seguro que a empresa onde presta seu serviço fornece a seus empregados registrados, também não terá a menor chance. Ele é terceirizado.

Ser tratado de “colega” e filiar-se ao mesmo sindicato da categoria dos que verdadeiramente são empregados da empresa, não passa de quimera. Ele é terceirizado. Por falar em sindicato, qual será mesmo o sindicato da categoria dos empregados terceirizados?.

ESTRANHO NO NINHO – É nesse ambiente, nessa atmosfera em que predomina o sentimento de inferioridade, de ser ele um “estranho no ninho”, que o empregado terceirizado, legal e oficialmente, vai trabalhar. Sejam realistas e parem de enganar o povo brasileiro. Que se lhe dê dignidade e que a cidadania de cada um seja exercida e respeitada na sua plenitude e não fique apenas no papel.

Toda empresa, micro, média ou de grande porte, nacional ou estrangeira com sede ou sucursal no Brasil precisa ter seus empregados próprios. Não, os de aluguel. Terceirização é a pior maldade que o governo cometeu contra o trabalhador, seja terceirização de meio ou de fim. E empresa e empresário que se prestem a tal objetivo são verdadeiros proxenetas dos valores próprios da pessoa humana. E o trabalhador-terceirizado, uma vítima dessa chamada Reforma Trabalhista.

AÇÕES TRABALHISTAS – Curioso: se com a CLT vigente, sempre em defesa do trabalhador, existem hoje em curso mais de 8 milhões de ações trabalhistas nas varas e tribunais por este Brasil afora, com esta liberalização geral o número de ações vai triplicar em menos de um ano.

A relação patrão-empregado e vice-versa em nosso país, nunca foi harmoniosa e dignificante. Apenas conflituosa e traiçoeira. Autorizar a lei que patrão e empregado estabeleçam suas próprias condições de trabalho, aí mesmo é que haverá muito mais conflito.

12 thoughts on “Terceirizante é um cafetão da pessoa humana e o terceirizado é um escravo

  1. Com todos esses ataques o que me impressiona e a total passividade dos trabalhadores e a aderencia da maior parte da imprensa apoiando as ditas reformas.

  2. Acho que ainda tenho muito que aprender na vida. Eu sempre pensei que tereceirizar fosse trabalhar para alguém que foi contratado por outrem. Se é mais ou menos esse o conceito, posso lhes assegurar que é a forma muito comum de emprego nos Estados Unidos e não me consta que o terceirizado seja prejudicado por isso. Muitas vezes o terceirizado é contratado como consultor. Outras vezes a firma contratada sub-contrata uma outra que contrata consultores. O consultor geralmente ganha mais porque não desfruta das vantagens normalmente oferecidas a emrpegados (seguro de saúde em grupo, ajuda no depósito de aposentadoria, ações da empresa como bônus, etc).
    Gente, nós precisamos nos preocupar com os skills dos nossos trabalhores e das oportunidades de emprego. Se há demanda por profissionais, há salário decente.
    Um exemplo do que foi dito acima: um conhecido que mora nos Estados Unidos recentemente pagou 2 mil reais para ter instalada em sua casa uma válvula de água. Lá o plumber ganha muito porque sua profissão exige certificação – e há demanda!

    • Exatamente!
      Passa da hora de acabar com o paternalismo e atribuir reais responsabilidades a cada cidadão. Bons profissionais sim, “encostados” não! Pegando carona no exemplo do bombeiro, aqui, querem cobrar como profissionais, mas são quase sempre curiosos que consertam um lado e estragam outro, curso profissionalizante, nem pensar.
      No momento em que a competência tiver mais importância , teremos melhores serviços e produtos, melhorando a qualidade de vida de todos.

  3. É bom sabe que quem está gritando o título do artigo aos quatro ventos da internet não é o Geraldo encanador da esquina ou o Manuel da padaria.

  4. Getúlio Vargas deu proteção ao trabalhador, FHC tentou tirar e Michel Temer está tirando, ainda ouço dizer que a CLT é fascista pelo rede bandeirantes em seu editorial, o que estamos assintindo com liberação de verbas de parlamentares é um crime, tudo para votar a reforma trabalhista.

  5. Dr. Béja, como tenho dito aqui, e na minha comunidade, Temer, transformou o Brasil em grande senzala, com 220 milhões de escravos.
    Estamos sob almas trevosas, que do mundo, levará para o túmulo, a obra de maldades, e, irão para o Ranger de dentes, está escrito a 2 mil anos: A cada um segundo suas obras e pagarás até o último ceitil. Roguemos à Deus sua Misericórdia, mas, façamos nossa parte, esclarecendo ao eleitor, que essa podridão da corja, é fruto do Voto Indigno.

  6. Quando ouço falar em ” negociação entre patrão e empregado ” fico imaginando quão canalhas são esses nossos legisladores.
    Diálogo entre patrão e empregado é tal e qual diálogo entre o pescoço e a guilhotina.
    Quem vence ?

  7. Tempos Modernos

    Patrão: ‘aquilo’ que dizem estar por trás da cortina, mas ninguém sabe seu nome, e nunca o/a viu…

    Empregado: ‘aquilo’ que uma maquina ainda não conseguiu substituir….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *