Tricotomia do sequestro e da aniquilação da moralidade no Brasil

Gilson Percinotto

Há três fatores de condensação (ou pontos de acumulação) que sustentam a corrupção, a prevaricação e a impunidade.

O primeiro deles corresponde ao mau caráter, tanto de corruptos quanto de corruptores, visto que ambos se consideram titulares do poder (que apenas em tese emana do povo, vislumbrado da mesma forma, enquanto plebe acéfala, desde as civilizações da antiguidade).

O segundo grande fator corresponde à proteção recíproca, ao pacto de mediocridade que caracteriza a apropriação e a corrosão interna das instituições, com peixes grandes, peixadas, “costas quentes”, aquecidas por quem comanda e deve favores, funcionários fantasmas, propinas, pagar a polícia e a segurança para trabalhar arbitrariamente, apropriando-se do Estado, patrimonialismo, neocoronelismo, nepotismos, tráficos de influência, violações à isonomia,ilicitações, pedras no caminho do princípio da eficiência, ironizado enquanto deficiência decorrente não de culpa consciente, mas de dolo eventual.

O terceiro elemento está relacionado a todos nós e se chama omissão. Medo, desapontamento, passividade, comodismo, desesperança. Nem mesmo os canais para as denúncias anônimas funcionam adequadamente diante da infecção omissiva. Todos assistem à “farra do boi”, aos maus tratos e à violação às leis e à moralidade, alguns até pagam para estar na platéia, mas poucos têm coragem suficiente para correr atrás, até mesmo dos seus próprios direitos quando continuamente violados.

Felizmente, há espaços de resistência como esta tenaz, valorosa e determinada Tribuna da Imprensa, com os seus combatentes heróicos (clássicos guerreiros de uma vida inteira) como os incansáveis corações de comentaristas e jornalistas, com focos de exemplar honradez em Carlos Newton e Hélio Fernandes.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Tricotomia do sequestro e da aniquilação da moralidade no Brasil

  1. Vivo muito INDIGNADO com este país descoberto pelos portuguêses.
    Quase nada me convence nesta nação.
    Este é o país da enganação.
    Daí alguém diz que tem países pior que o nosso, sim tem, mas eu vivo aqui.
    Entro neste blog e em mais uns 3 e quase tudo que leio é sobre roubalheira dos políticos e governantes. Se assistir TV tenho que aguentar as baboseiras de seus apresentadores, as bobagens e exibicionismo destas celebridades tupiniquins etc.
    Mesmo sem querer meu cérebro tem que ser contaminado com coisas inúteis, enganosas, idiotices de todos os tipos.
    Os pronunciamentos da nossa presidenta em rede de rádio e Tv dá nojo ao ouvir da sua fala coisas IRREAL. Ela tenta nos fazer crer que Ela/Lula/PT em 10 anos nos colocou no país das maravilhas. Segundo ela e seu mentor tá tudo correndo bem, enquanto os EUA e a Europa estão em crise, nós não, pois temos pleno emprego, renda, vale CURTURA e mais um bocado de agrado doado pelo Estado. Ah, tenha dó!

  2. TAMBÉM FICO INDIGNADO QUANDO TENHO QUE ENGOLIR ESTES TIPOS DE COISAS QUE CITAREI A SEGUIR:
    Dona Dilma em vez de cuidar bem do país fica por aí endeusando Ronaldo.
    Quando o jogador deixou de jogar a presidenta falou que o Brasil seria “eternamente grato” a ele.
    Eu diria a Dona Dilma o seguinte:
    “Presidenta, ainda tá prá nascer neste país um homem (ou mulher) que vá conseguir realizar muitas coisas boas por este povo oprimido, massacrado, explorado, judiado, humilhado e que depois mereça após sua ausência da vida pública ou após sua morte a gratidão eterna do seu povo.
    Senhora presidenta, que fez Ronaldo pelo Brasil? Deu alegria e mais o que a nós o povão? Melhorou a saúde e educação do Brasil? Seus gols colocaram comida na nossa mesa? Pagou nossas contas? Com seus títulos e gols o FMI perdoou nossa dívida?
    Futebol é só alegria momentânea nas tardes de domingo, já no outro dia ao acordar com ressaca e depressão o gol de Ronaldo do dia anterior não vai me curar…
    Êta paisinho de mente pequena!
    E como nos enganam…”
    Ainda sobre a aposentadoria do Ronaldo um repórter falou na TV: “A verdade é que Ronaldo vai deixar saudades”
    Não para mim. E ele já vai tarde.
    Quem me deixou saudades foram craques do kilate de um Pelé, Maradona, Garrincha, Eusébio, Cruyff…
    De que Seleção nacional de futebol eu sinto saudades? Da seleção de 70
    De que time eu sinto saudades? Do Santos F.C. dos anos 60
    E de que político brasileiro eu sinto ou sentirei saudades? DE NENHUM
    De que década eu sinto saudades? Da década de 60 (morava na roça e lá curtia o futebol via rádio e Revista do Esporte, curtia Jovem Guarda, Roberto Carlos, Luís Gonzaga e Teixeirinha através de LPs numa radiola com o som Mono e ouvia falar de Elvis Presley, Beatles e John Kennedy)…
    … e da década de 70 (a década das grandes bandas de Heavy Metal inglesas, Alice Cooper, o cinema, não o nosso, a calça boca de sino e a dança do Tony Tornado)
    Recordação da década de 80? Só as festas na minha residência e a trajetória do último grande jogador chamado Armado Diego MARADONA.

  3. Temos que ter em mente que os grandes grupos econômicos é que dominam o país e ditam as regras da nossa economia. São eles que estão no congresso e no governo, e fazem-nos pender para onde eles querem:

    1º) A Federação Brasileira dos Bancos (FEBRABAN);
    2º) A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos (ANFAVEA);
    3º) A bancada das grandes construtoras e empreiteiras;
    4º) A bancada ruralista.

    São estes grandes grupos econômicos que ditam as regras em nosso país. Tudo o que o governo faz é em benefício deste grupo. O pouco que faz pelo social é por meio da subtração da massa de rendimentos da classe média.

    Essa é a nossa realidade.

  4. A única arma do povo é o voto, então deve-se fazer uso consciente deste poder, não elegendo e perpetuando estes profissionais políticos, que só fazem enriquecer com o dinheiro do povo, mas o próprio povo tem sua parcela de culpa, se vende a qualquer favor e acham que estão se beneficiando e o que mais me indigna é ver cabos eleitorais, quando pedem para asfaltar uma rua, colocarem uma faixa agradecendo a deputados, vereadores e prefeitos, não fizeram mais do que sua obrigação.
    Na própria mídia, como a rede globo, fazem reportagens com prefeitos, secretários, cobrando a urbanização de ruas, falta d’água, etc.. e marcam numa folhinha quando a obra será executada, fazem festa com o povo, em vez de orientar o povo e dizer que é obrigação do estado ou município, pois pagam os impostos para seu benefício, é de dar dó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *