Um Ano Novo em plena ditadura, na visão de Chico Buarque de Hollanda

Resultado de imagem para chico buarque em 1967

Chico Buarque e o MPB-4, juntos em 1967

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O  cantor, escritor, poeta e compositor carioca Chico Buarque de Hollanda deixou a ironia fazer festa na letra de “Ano Novo” contra a ditadura militar que, na época, imperava no país. O menino, na primeira estrofe, passa rapidamente da indiferença à comoção, pois o autoridade, o Rei, deseja que todos se alegrem, pois o ano novo está chegando, e ele, obediente, não contesta a ordem. Se ao rei não interessa ver a realidade, mascarem-se os fatos, oculte-se o sofrimento, a cegueira, a doença e a falta. A música ”Ano Novo” foi gravada no LP Chico Buarque de Holanda – Volume II, em 1967, pela RGE.

ANO NOVO
Chico Buarque

O rei chegou
E já mandou tocar os sinos
Na cidade inteira
É pra cantar os hinos
Hastear bandeiras
E eu que sou menino
Muito obediente
Estava indiferente
Logo me comovo
Pra ficar contente
Porque é Ano Novo

Há muito tempo
Que essa minha gente
Vai vivendo a muque
É o mesmo batente
É o mesmo batuque
Já ficou descrente
É sempre o mesmo truque
E que já viu de pé
O mesmo velho ovo
Hoje fica contente
Porque é Ano Novo

A minha nega me pediu um vestido
Novo e colorido
Pra comemorar
Eu disse:
Finja que não está descalça
Dance alguma valsa
Quero ser seu par

E ao meu amigo que não vê mais graça
Todo ano que passa
Só lhe faz chorar
Eu disse:
Homem, tenha seu orgulho
Não faça barulho
O rei não vai gostar

E quem for cego veja de repente
Todo o azul da vida
Quem estiver doente
Saia na corrida
Quem tiver presente
Traga o mais vistoso
Quem tiver juízo
Fique bem ditoso

Quem tiver sorriso
Fique lá na frente
Pois vendo valente
E tão leal seu povo
O rei fica contente
Porque é Ano Novo

8 thoughts on “Um Ano Novo em plena ditadura, na visão de Chico Buarque de Hollanda

  1. Este chico jabuti, não resta a dúvida de ser um dos melhores compositores musicais brasileiro de todos os tempos.
    Porém por ser um indivíduo sem qualquer auto crítica, passou a ser achar também cantor.
    O assassinato de sua músicas só não foi total, por ter letras bem elaboradas, mas que na voz do rapaz,
    ficam comprometidas.
    Ele, o chico, até hoje não esqueceu o regime militar, que para a corriola dele foi a mãe de todos os males brasileiros.
    Eles que gritam tanto contra ditaduras, nunca fizeram qualquer critica a Fidel Castro, que governou Cuba por 52 anos, sempre FARDADO e sem oposição, até porque o único lugar onde permitiam o agrupamento dos contrários, era no cemitério.
    Esta é a incoerência disto que chamam de esquerda, que desejam comunismo para os outros, mas capitalismo para eles, inclusive com direito a apartamento em Paris.
    A verdade é que esquerdismo no Brasil é só retórica, o sistema socialismo/comunismo no pais já esta pra la de avacalhado, que o diga o lula.
    O que eles querem mesmo é viver sem trabalhar, mamando nas tetas da viúva.

  2. 1) Chico Buarque de Holanda, grande poeta brasileiro, quando em 1978 eu ainda estava na Faculdade de Letras da UFRJ, nós estudávamos as suas letras sob o prisma dos Estudos Literários.

    2) Depois se revelou também ótimo escritor. Cantor inspirado, parabéns pelo conjunto da obra artística.

    3) Não estou abordando suas preferências políticas.

  3. Tinha produção cultural na “ditadura”? Não entendi .. Era ditadura ou não?
    Em.tempo: não conheço pessoas que foram perseguidas..Perguntei para pai,mãe avó e avô e bisavó.. nada!
    Daí me toquei que eram pessoas dignas, pois trabalhavam e estudavam …
    Nao tinham tempo para participar de guerrilhas, assaltos, assassinatos, sequestros, estudar manual de guerrilheiro, enfim..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *