Um apelo contra a violência, de Fausto Nilo e Fagner

O arquiteto, poeta e compositor cearense Fausto Nilo Costa Júnior pede “Calma Violência”, referindo-se não apenas à violência
causada pela ditadura militar vigente no Brasil desde 1964, mas à violência rural e urbana cujos índices começavam a crescer assustadoramente
por diversos fatores. A música faz parte do LP Raimundo Fagner, gravado em 1976, pela CBS. 

CALMA VIOLÊNCIA
Fagner e Fausto Nilo

Calma violência, violência calma
E a pureza da minha alma
E a minha inocência
Calma violência, violência calma

Minha mão não tem mais palma
Dói a irreverência
Violência, calma
Brasileira é minha alma

A experiência, violência
Calma violência
A experiência, violência
Calma violência

(Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Um apelo contra a violência, de Fausto Nilo e Fagner

  1. Ciro e Cid Gomes, e tb o Roberto Requião, entre outras lideranças de vasta experiência que já viram de tudo neste país,até vaca voar, estão repletos de razão quando colocam que,face ao esgotamento do ciclo de poder dos modellos exauridos, temos apenas duas opções a seguir: ou convergirmos todos os idealistas deste país para o Projeto Novo e Alternativo de Nação e de Política-partidária-eleitoral (RPL-PNBC-ME), o Novo Caminho para o Novo Brasil de Verdade,como propõe o HoMeM, ou optamos por Dilma já no primeiro turno de votação,com uma enorme bancada de idealistas no congresso em substituição aos fisiológicos do velho “dá,ou desce”e da governabilidade mercenária, até para evitarmos os efeitos devastadores da tragédia total do retrocesso ligado à terrível e peçonhenta “Lei de Murphi” e à doença de levar o máximo de vantagem em tudo, o tempo todo. Portanto, de duas uma: ou apostamos as últimas fichas partidárias no Fato Novo de Verdade, que é a RPL-PNBC-ME, e fazemos o Bicho pegar em 2014, pela força das novas idéias deste, cujo tempo chegou, ou continuará tudo como dantes no velho quartel de Abrantes.

  2. Minha admiração por Sandy & Júnior, KLB, LS Jakson… nenhuma.
    Minha admiração pelos Jackson Five, Madonna… IMENSA.
    Em 1995 um jornal de S. Paulo publicou uma matéria onde dizia que um jornal ou revista americana comentou que o brasileiro se conformava com pouco. Citou como exemplo um lutador de Recife chamado Todo Duro que era ídolo no Brasil.
    Indo por aí cito esta dupla Sandy & Júnior e outros que estão na estrada já algum tempo à custa de versões de músicas americanas, inclusive do Michael Jackson (tenho um amigo que chama esse pessoal de assassinos de músicas alheias).
    O Michael Jackson e a Madonna já nasceram com o dom da genialidade. Vejam os vídeos dos Jackson Five onde o Michael aos 10, 11 e 12 anos dá um banho de palco tanto cantando como dançando. Aliás, sua mãe falou que aos 2 anos o mesmo já dançava ao ritmo da máquina de lavar.
    Outra, o Michael Jackson compõe e a Madonna idem. Não ficam por aí plagiando e fazendo versões.
    Li certa vez que o QI da Madonna era maior que do Kennedy (bom, mas o Kennedy estudou em Harvard e foi Presidente, já é outra história).
    Acredito que a grande maioria dos fãs deste pessoal daqui do Brasil é de pessoas pobres culturalmente e economicamente (não desmerecendo ninguém, pois também sou pobre e estudei pouco, mas acho que Deus fez com que meus neurônios funcionassem razoavelmente bem).
    Acho também que crianças e adolescentes ouvem a voz doce da Sandy e nem imaginam que ela pegou uma bela canção dos americanos e fez a versão para o português, devem imaginar que é criação da própria.
    Será que a neta do Sr. Antônio Ermírio de Moraes vai aos shows e compra CDs de Sandy & Júnior? Duvido. A filha do Sílvio Santos falou numa revista que não deixa sua filha assistir o programa da Xuxa por não ter nenhum conteúdo cultural. Diz que sua filha assiste a programação de canais fechados. Pode até ser por questões de concorrência.
    Em minha opinião destes ditados citados por aí o mais certo é o que diz: O que seria dos sabidos se não fossem os bobos.
    Vi na TV esse pessoal do LS Jackson cantando uma música dos Beatles… qué qué isso!!! Compadre!… é subestimar a inteligência das pessoas.
    Nos EUA e na Inglaterra tem coisas parecidas tipo New Kids On The Block, N’SYNC, Backstreet Boys… ficam nas paradas por algum tempo e já fuiiiii… um ou outro depois aparecem em careira solo, sendo que estas bandas de lá compõem na maioria das vezes suas próprias letras e músicas onde fazem sucesso por todo mundo.
    Sei que este pessoal daqui faz algumas composições próprias, mas são ruins. O bom mesmo é fazer versões do Bee Gees, Michael Jackson, Beatles… não foi da Celine Dion (tema do filme Titanic) a música que fizeram a versão e encantaram o Brasil? Pobre de nós pobres.
    Nos anos 60 eu morava num povoado no interior da Bahia e adorava a Jovem Guarda (ainda gosto). Hoje percebo que em torno de 70 a 75% daquelas músicas eram versões de músicas estrangeiras. Tenho um CD do Jerry Adriani onde de 20 músicas 17 são versões.
    Que a Sandy tem seu talento não resta dúvida, agora, endeusada como é só mesmo neste país tupiniquim, tanto sim que (segundo a Veja) foi um fracasso no Exterior principalmente nos EUA.
    Criança e adolescente pobre leem a Veja?

  3. SARNEY: Existem pessoas que vem ao mundo para ajudar outras pessoas dando a estas mesmas algo para levá-las a ter uma vida mais digna e confortável. Também existem pessoas que vem ao mundo para, em vez de dar, só tiram, de outras pessoas. Este senhor faz parte da segunda citação. Enquanto o Maranhão tem os índices sociais abaixo de outros estados (o povo na pobreza extrema) a família Sarney nada em poder e dinheiro. Este senhor não merece respeito do povo. Fez parte do governo ditatorial e como presidente do Brasil mandou o Sr. Roberto Marinho escolher o ministro da Fazenda.

    EDIR MACEDO: Existem pessoas que vem ao mundo para ajudar outras pessoas dando a estas mesmas pessoas algo para levá-las a ter uma vida mais digna e confortável. Também existem pessoas que vem ao mundo para, em vez de dar, só tiram, de outras pessoas. Este senhor chega a ser pior que o Sarney, pois seu templo evangélico arrecada dinheiro de pessoas muito pobres.

    BOLSA ESCOLA: (Esmola). Assisti a um filme onde o personagem do Denzel Washington diz: O povo não quer caridade, quer dignidade.

    RESTAURANTE COM COMIDA A 1 REAL: (Esmola). O povo não quer caridade, quer dignidade. Abomino este tipo de esmola.

    CAETANO: Até que gosto de algumas músicas deste “gênio” da MPB. O que me dói é vê-lo cantar clássicos da música americana. Disseram-me (Deus faça com que eu nunca ouça) que ele canta Billy Jean do Michael Jackson. Este senhor é tiradão. Briga com qualquer jornalista que venha a lhe fazer qualquer tipo de crítica. Dizem que o mesmo faz parte da máfia do dendê. Ele e o Gil é que ditam quem faz e quem não faz sucesso na Bahia. Ver Caros Amigos. Nunca me convenceu, nem como rebelde, nem como contestador, nem como anistiado, nem como gênio etc. A única coisa que ele me convence é quando ouço cantar “alegria, alegria” lá pelos anos 60, e que gosto muito.

  4. SANDY: (Não gosto de maneira algumas das suas versões de músicas estrangeiras). A Sandy falou que detesta quando está em um baile de alguma amiga e alguém que esteja tomando cerveja ou fumando toque nela. Se ela está em um baile com amigas, provavelmente são as patricinhas ricas com seus perfumes franceses, mas a Sandy quer distância das que bebem ou fumam. Imaginem Sandy querer ser tocada por crianças e adolescentes da periferia que ficam de uma a 2 horas dentro de um ônibus, às vezes lotado, até chegar ao local do show já suadas e sem o cheiro de um perfume caro. Uma adolescente suada tocar na deusa da música, nem pensar. Bom, mas tem que mostrar perante os holofotes uma Sandy sorridente que abraça e beija crianças. Então arma-se o circo pegando 4 ou 5 crianças, chama o cinegrafista da TV Globo e filma a cena dos beijos e risos artificiais.
    Oh! Se este povo entendesse estas coisas.

    VALE GÁS: (Esmola). “O povo não quer caridade, quer dignidade.”

    JOÃO HAVELANGE: Até que eu gostava deste senhor. Como esquecer o que ele já fez pelo futebol brasileiro? Fiquei chateado com este senhor na Copa de 1994 quando (provavelmente) a FIFA tirou o Maradona do Campeonato.

    ANA MARIA BRAGA: Quando esta senhora adoeceu, o povão pobre deste país fez vigília e orações em frente ao hospital. Hoje ela vira a cara para este povo. No casamento do Hulke com a Angélica ela ao chegar de carrão pessoas da plebe correu para cima de seu carro para pedir autógrafo à mesma, o que ela fez? Simplesmente suspendeu o vidro do carro e nada de dar atenção ao povão.
    Ora, madame Ana Maria Braga toda perfumada, cheirosa, vestida de Valentino vai querer contato com povo pobre?

    KLB: (Não gosto de maneira alguma das suas versões de músicas estrangeiras). Músicos das versões de músicas estrangeiras e enganadores de adolescentes sem juízo. Ouvi uma adolescente contando à minha filha que quando estes musiquinhos estiveram se apresentando por aqui uma garota invadiu o local do acesso ao camarim deste trio e um deles falou: Esta menina chata novamente?

    CRECHES: Este país está cheio de creches (creche da Xuxa, do cantor Sertanejo, do Fulano, do Beltrano, de Cicrano…), instituições de caridade (os políticos não tão nem aí pro povo pobre, mas tem suas instituições de caridade, não é um contraste? Mera coincidência?). Como o assistencialismo funciona neste país! O povo quer terra, quer emprego, quer o que lhe é de direito, usufruir a riqueza da nação.
    Nos anos 70 o Delfim Neto prometeu que primeiro ia crescer o bolo para depois dividi-lo. Até hoje o pobre espera sua parte. Para os poderosos os bilhões de dólares e para os pobres a creche da Xuxa.

  5. HEADBANGER: Cadê os Headbangers? Os apreciadores do Trash metal, death metal, Black Metal, Speed Metal… Aqueles garotos radicais com idades entre 14 a 19 anos que falavam que Kerry King do Slayer era o maior guitarrista, Tom Araya era o maior… O Slayer pra lá e pra cá. Corria a lenda em Salvador, que tinha um Headbanger que andava com um porrete para usar contra quem falasse mal do Slayer. Isto nos anos 80. Amavam o Destruction, Kreator, Venom, Slayer, Helloween, Exodus… Cadê estas bandas? Será que láaaaaaaaaaaa em São Paulo ainda tem Headbangers? Eram os batedores de cabeças.

  6. João, virei seu fã. Continue escrevendo essas verdades. É bom saber que no Brasil há pessoas que pensam, que não vivem anestesiadas diante do que mostra a TV Globo e suas filiais, pertencentes, oficialmente, ao grupo, ou não.

    Passeie pelo Google Street View por algumas capitais brasileiras e verá que o Brasil, antes “o país do futuro”, tem, no presente, uma imensa maioria de sua população morando em casebres situados em regiões imundas, sem qualquer trato ambiental. E ainda dizem sermos a 7ª economia do mundo.

    Depois, para limpar os olhos, dê um passeio semelhante por cidades europeias ou americanas. E dizem que lá há crise…

  7. JORGE AMADO: Foi comunista, quando deputado constituinte lá pelos idos de 1948 foi expulso por ser comunista.
    Nos últimos anos em vida mandou esquecerem seu livro que exaltava o comunismo.
    Na primeira eleição entre FHC e Lula apoiou o FHC, até aí tudo bem, normal, só que ele falou que não apoiaria um candidato arcaico.
    Se dizia homem pobre. Pobre anda a todo o momento na França, Portugal e demais países da Europa? Pobre quando adoece vai para o melhor hospital de Salvador?
    Quem passa defronte a sua residência não enxerga sua casa por ter um muro muito alto que o cerca e é em bairro nobre. Mas quem morou lá foi um pobre! Ô coitado!!!
    Quando o governo federal interveio e fechou o Banco Econômico o ACM iniciou briga com o governo e como se dizia que ele tinha conta neste banco o mesmo se dirigiu para frente da matriz do banco para protestar e lá também foi o Jorge Amado (não vi na TV, contaram-me).
    Ele se dizia amigo do ACM. Claro, aqui em Salvador tem: Casa Jorge Amado, Teatro Jorge Amado e mais ruas e outros tipos de homenagens. Isto tudo em vida.
    Então! ACM manda na Bahia, se o escritor se indispuser com o ACM irão existir estas homenagens?
    Se o Jorge Amado fizesse qualquer tipo de crítica ao Sistema Globo ninguém veria sua Gabriela Cravo e Canela nas telas pequenas.
    Aliás, nas eleições para a prefeitura de Salvador ele sempre apoiava abertamente o candidato da direita que era o candidato do ACM.
    Aí alguém me pergunta: Mas não é o direito dele escolher quem ele quiser?
    Eu diria: Pois é, já não se fazem mais comunistas como antigamente. Um comunista apoiando a direita.
    Acho que o Jorge em vida foi um bom escritor, mas um fraco na luta em defesa de melhores condições sociais para os mais necessitados deste país. Não seguiu o exemplo de um Sartre que nunca apoiou os poderosos do poder. E olhe que Sartre era mundialmente conhecido, fazia a diferença nos meios literários, recusou Premio Nobel e fazia com que respeitassem seus princípios, pois foi um homem de atitude até sua morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *