Um, dois, três, com o poeta Antonio Cícero jogando todas as fichas

Resultado de imagem para antonio ciceroPaulo Peres
Site Poemas & Canções

O filósofo, escritor, letrista e poeta carioca Antonio Cícero Correa Lima, ao final de “Três” momentos, revela seu desejo.

TRÊS
Antonio Cícero

Um
Foi grande o meu amor
não sei o que deu
quem inventou fui eu
fiz de você o sol
da noite primordial
e o mundo fora nós
se resumia a tédio e pó
quando em você tudo se complicou

Dois
Se você quer amar
não basta um só amor
não sei como explicar
um só é sempre demais
pra seres como nós
sujeitos a jogar
as fichas todas de uma vez
sem temer naufragar
não há lugar para lamúrias
essas não caem bem
não há lugar para calúnias
mas por que não
nos reinventar

Três
Eu quero tudo que há
O mundo e seu amor
Não quero ter que optar
Quero poder partir
Quero poder ficar
Poder fantasiar
Sem nexo e em qualquer lugar
Com o seu sexo
Junto ao mar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *