Um domingo com manifestações esvaziadas em apoio ao presidente da República

Manifestantes pró e contra Bolsonaro fazem manifestação na Esplanada (21/6)

Manifestantes culpam a imprensa pelo número baixo de adesões

Luiz Calcagno
Correio Braziliense

A manhã deste domingo contou com atos esvaziados em apoio ao presidente da República. Ainda assim, diversos manifestantes passaram pela Praça dos Três Poderes, garantindo um fluxo. Uma parte dos manifestantes se reuniu em frente ao QG do Exército, com faixas pedindo intervenção militar. Parte desse grupo se uniu posteriormente com os demais, em frente ao Palácio do Planalto.

Na manifestação do QG, os presentes pediam intervenção militar. Já na praça dos Três Poderes, os manifestantes colocaram duas grandes faixas, uma pedindo que os senadores reajam, e outra, complementar, pedindo o impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

MÚSICAS E BANDEIRAS – O movimento em frente ao Palácio do Planalto contou com músicas e bandeiras do Brasil, além de camisas amarelas. Os manifestantes se mostraram arredios com a imprensa, e chegaram a dizer que o movimento enfraqueceu por culpa dos repórteres. Perto do fim, pessoas também distribuíram santinhos também pedindo “intervenção militar para Bolsonaro governar”.

No panfleto, o texto pede a saída dos ministros do STF, que seriam substituídos por indicados do presidente, e também a substituição de todos os parlamentares por suplentes, além da “criminalização do comunismo”.

Os apoiadores do presidente que concordaram em conversar com a imprensa apresentaram a própria narrativa contra o inquérito das fake news. As investigações correm a mando do STF, e resultaram na quebra de sigilo bancário de deputados federais apoiadores de Jair Bolsonaro. Os apoiadores do presidente falam em “quebra da liberdade de expressão” e em “ditadura do judiciário”.

FAZENDO RESSALVAS – Alguns dos apoiadores porém, ressaltaram a importância de apoiar o presidente da República, mas se posicionaram contrários aos ataques às instituições promovidos abertamente há cerca de duas semanas. Um deles, André Luiz dos Santos, 60 anos, disse que é de Minas Gerais, e está em Brasília desde segunda. Ele se acorrenta simbolicamente em uma haste de madeira com um baner de combate racismo e outro com imagem do presidente e de ministros do STF.

Ele disseque apoia o presidente enquanto acreditar que Bolsonaro age corretamente. “Meu partido é o futuro dos meus filhos e dos meus netos. Quero um país livre, em que todos possam comer. Sou contra as fake news e não quero um país de petistas e nem de fascistas. E se o presidente agir mal, serei contra”, afirmou.

14 thoughts on “Um domingo com manifestações esvaziadas em apoio ao presidente da República

  1. André Luiz dos Santos é um tolinho pois acredita que Bolsonaro está agindo corretamente.
    Ele perdeu a chance desde que traiu as bandeiras de campanha, sendo a principal a de “Combate a Corrupção”.
    Depois do “pacto com os demônios” nunca mais um corrupto hediondo irá para a cadeia após soltura da prisão preventiva; a menos que tenha desviado $ pouco.

  2. Bolsonaro ao ser apoiado por meia dúzia de desocupados, perde o apoio de milhões de eleitores que votaram nele.
    Quem tem apoiadores deste nível não precisa de oposição para tirar votos.
    Moro vai de vento em popa.

    • Sr. Roberto Velásquez,
      Não seja injusto com o gado. Estão trabalhando.
      Esses aí, são funcionários públicos ou então, estão arrumando uma grana.
      Cordialmente.

  3. Os simpatizantes de Bolsonaro, que parecem pétreos, têm perfis bem definidos, contorme esta sequência:
    -Cérebros Chipados ou Neuroprogramados: protestantes, militares e policiais (incluindo agentes de segurança privada e milicianos). -Cartéis Possuídos pela Ganância e pelo Egoísmo Grupal: empresários e agropecuaristas (latifúndiários, agricultores e pecuaristas)……
    Percebe-se, outrossim, que, em sua maioria, não são seguidores panurgistas; eles nutrem uma convicção na sua escolha pelo líder ou mito. A questão é: sabe-se lá qual convicção é essa?!
    A ausência de uma liderança, nas diversas correntes ideológicas, nacionais; fez Bolsonaro, como se por decantação, sedimentar-se no fundo de um barco à deriva (Brasil), estabelecendo um lastro, para garantir o mínimo de estabilidade sobre um mar revolto, do qual, ele é a própria tempestade!

  4. Já vi que Bolsonaro é um péssimo discípulo do seu oráculo e mentor, Edir Macedo. O Santíssimo da igreja universal, pelaTV, só mostra templos lotados de fiéis.
    Quem depende de impressionar com volume ou quantidade, mostrar uma manifestação minguada, surte efeito de demarketing ou antipropaganda.
    Esses “gatos pingados”, que aparecem aí, vão servir de mnemônicos a quem assistiu a eles. Daí, essa imagem de dispersão e pequenez(a) será, mentalmente, associada à pessoa daquele que seria o objeto de exaltação, Jair Bolsonaro!

  5. Será preciso fazer um grande esforço como na Alemanha, na Itália para criar um sentimento antinazifascista.
    Hoje a Alemanha é o país cujas leis e às autoridades públicas tem atuação mais ferrenha contra nazofascistas.

    • Leão, não tem como comparar Alemanha conosco!
      Aquele país passou por duas guerras e dividido, poucas décadas atrás, recebeu seus filhos que estavam do outro lado do mundo.
      Os alemãs são patriotas,com uma formação moral e ética inabilitáveis. Além disso possuem uma história de dedicação, trabalho e sacrifício, principalmente pelas novas gerações.
      Seus desvios são resolvidos em casa!
      Já nós, …………………………………………

  6. E depois as pesquisas enganadoras da Folha, que apoia a política econômica do Paulo Guedes, por isso a mídia ainda não quer a queda do Bozo, vem dizer que o Coiso tem apoio de 30% da população!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *